História Mais um novo começo- Greta Van Fleet - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Greta Van Fleet
Personagens Danny Wagner, Jake Kiszka, Josh Kiszka, Kyle Hauck, Personagens Originais, Sam Kiszka
Visualizações 4
Palavras 734
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oieee gnt !!
eu normalmente não escrevo, mas como não vi muitas fics com esse assunto... alguém tem que resolver isso haha
espero que gostem ❤️❤️ ( ps: eu gosto de detalhas bastante tudo, ent não vou jogar os personagem pra vocês e etc, tenham paciência pois eu vou devagar e detalhadamente kkk )

Capítulo 1 - E lá vamos nós...


Fanfic / Fanfiction Mais um novo começo- Greta Van Fleet - Capítulo 1 - E lá vamos nós...

Se me perguntassem a 4 meses atrás o que era a minha vida, eu diria que era finalmente apenas mas uma vida normal, com uma rotina entediante, com pais ordinários e amigos de aparência. Isso porque minha vida sempre foi daquele jeito, me mudando de cidade em cidade, escola em escola, e nunca conseguindo criar raizes em lugar nenhum ou em ninguém. Tudo aquilo era muito solitário pra mim, meu pai se mudava constantemente devido ao emprego e eu e minha mãe íamos junto já que dependíamos dele, eu conseguia ver que toda aquela situação era difícil também pra minha mãe que cresceu em uma cidade pequena no interior de São Paulo. 

Apesar disso tudo, sempre fui uma criança muito alegre e otimista, sempre tentando ver as cores no branco e preto, imaginando quantos amigos novos eu faria com a nova mudança, apesar que eles nem se lembrariam de mim depois que eu partisse de novo. Pra mim o que importava era aprender novas línguas, coisas novas e tentar deixar minha marca em pelo menos uma pessoa de cada lugar que eu morei, não ser esquecida pelo menos uma vez... Isso foi até meu aniversário de 16 anos. 

A nova cidade em que estávamos era aconchegante e lembrava a cidade natal de minha mãe, e isso me agradava bastante, era uma pequena província em Milão, pacata mas moderna, o aroma do mar subia na janela do meu quarto todas as manhãs, e os amigos que tinha feito eram muito calorosos e a maneira carinhosa de tratar e brincar com doçura na voz me lembrava meus avós no Brasil. A vista bucólica dava espaço a algo dentro de mim que não deixa a tristeza e o vazio chegar perto, o sentimento de que o tempo não passava naquele lugar era simplesmente viciante. Apesar do ar inocente, a cidadezinha tinha também seu lado boêmio pela noite, com pequenos bares familiares abertos na orla do píer. Foi desse jeito que aprendi a beber cedo, todo o vazio hereditário que tinha em mim podia ser resolvido com uma bela taça de vinho ou então uma caneca de chopp, o que tornava a noite com meus amigos ainda mais divertida. 

Infelizmente como sempre, alguns dias depois do meu aniversário de 16 anos meu pai deu a notícia de que iríamos nos mudar, de novo, justamente quando eu comecei a acreditar que me ficaria ali, estava cansada de uma vida agitada, eu sou só uma adolescente, tenho o sonho de me apaixonar por um garoto da cidade, casar, ter filhos por ali e viver aquela vida bucólica pra sempre... mas aparentemente o destino tinha outros planos. 

O meu novo destino era Frankenmuth em Michigan, e dessa vez eu não estava nem um pouco ansiosa pra me mudar.  

 

O voo saia pela noite para chegar cedo no meu novo lar, por isso aproveitei a tarde pra caminhar aos arredores da minha nova antiga casa. Ia sentir tanta saudade de tudo aquilo, meus amigos já pareciam ter entendido tudo e me levaram flores para a despedida, o que só fez eu ficar com mais vontade de largar tudo e morar naquela província pra sempre. 

Chegando no aeroporto com meus pais eu comecei a me arrepender um pouco de não ter dormido a tarde, todo o cansaço de passar o dia acordada fazendo as coisas me deixou exausta. 

pai, será que vai demorar muito- perguntei pois já havia visto uma cadeira pra sentar e dormir um pouco. 
provavelmente carinho, o voo está lotado e ainda mais com a tempestade que está vindo, vai demorar pode ir sentar.

Ouvindo aquilo eu corri com velocidade até a cadeira e ao sentar apoiei todo o peso do meu corpo, finalmente relaxando, já não aguentava mais ficar de pé. Sem que eu percebesse meus olhos tornaram-se cada vez mais difíceis de se manterem abertos e acabei cochilando sentada ali mesmo. 

Depois de algumas horas sou acordada com um suave toque na cabeça, era minha mãe. 

levanta querida, já estamos entrando no avião- e como uma criança eu levantei dando pequenos pulos de felicidade por finalmente poder dormir em um lugar decente. 

Entrei no avião e terminei de deixar pra traz um dos melhores momentos da minha vida, e a tristeza voltou a bater, mas rapidamente sendo substituída com o meu esterno sentimento de curiosidade e aventura, que me moviam pra frente e a sempre fazer novos amigos. 

 

 


Notas Finais


eh isso gnt, espero que tenham gostado ❤️ vão me dando sugestões do que vocês querem ler 🥰


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...