História Maite Al Duzu? - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias La Casa de Papel
Personagens Personagens Originais
Tags Álvaro Morte, Amor, Itziar Ituno, La Casa De Papel, Professor, Raquel
Visualizações 92
Palavras 1.241
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Tô tão triste de finalizar essa Fic que nem tenho palavras iniciais. Apenas gratidão e Obrigado ♥️😍

Boa Leitura!

Capítulo 14 - Como tudo foi um dia


Fanfic / Fanfiction Maite Al Duzu? - Capítulo 14 - Como tudo foi um dia

PoV Itziar

Me deitei sobre Álvaro enquanto ele fazia carinho em meus cabelos. Não conseguia tirar o sorriso dos meus lábios. Eu o amava tanto, Meu Deus como eu o amava, eu não falava sempre, talvez por orgulho, talvez por ser o meu jeito mesmo, mas eu o amava mais que tudo.

-Onde a senhorita pensa que vai?

-Fazer alguma coisa pra gente comer

-Não, fica aqui mais um pouco, eu não quero te soltar tão cedo hoje

-Mas eu tô com fome

-Viveremos de amor

-Amor não enche barriga, e quanto mais sexo nós fizermos, com mais fome vamos ficar, e eu com fome sou capaz de cometer assassinato.

Álvaro riu.

-Ainda me deve desculpas

-Álvaro eu juro que ainda te mato com um travesseiro

-Nossa que mulher violenta, seu espírito basca já está aflorando. Quero desculpas por ter voltado pro Roberto

-Ta louco? Nós somos só amigos, sempre fomos na verdade.

-Porque me provoca desse jeito?
-Provocar?
-Viajou com ele pra me fazer sentir ciúmes
-E sentiu?
-Poderia te dar esse gostinho de dizer que fiquei! Mas não estava, porque sempre soube que você viria correndo de volta para os meus braços

-Poderia te dar o gostinho de dizer que isso é verdade, mas quem voltou se arrastando aos meus pés foi você, 1x0 pra mim.

-Que saudades de você, como eu consegui sobreviver um mês longe do seu cheiro

-Você só pode ter ficado louco.

-Concordo, mas só se for louco por você

Álvaro me mordia, me cheirava, me abraçava e me beijava me fazendo rir como uma boba.

-Alvaro no final de semana teremos que ir a um casamento

-Só se for pra casar com você.

-Mal voltamos e já está me pedindo em casamento? Até poderia aceitar, mas  você terá que se ajoelhar com um pedaço de pizza, ou um lanche do Mac Donalds.

Álvaro gargalhou.

-É o casamento da Jess com o irmão do Roberto.

-Tudo bem, estaremos lá.


PoV Blanca

Tive que ir contemplar o casamento da criadagem, Roberto insistiu minha presença. Mas já estava me arrependendo de ter chegado naquela aldeia e ser picada por um haedes egipty.

Sentei numa mesa e a festa estava a cara do proletariado. Tinha de tudo e mais um pouco, coxinha pingando óleo, bolo de casamento com massa fina e 3 palmos de glacê colorido, e pra completar o casamento de terror, bolo salgado com bastante cenoura ralada decorativa.

-Meu Pai, abriram “Doom - os portais do inferno?”

-Xavosa, posso sentar aqui com você?

-Mas é claro, vai que algum índio canibal tenta me atacar aqui, preciso de alguém pra jogar pra ele.

-Aqui ninguém é canibal Blanca.

-Nunca saberemos. E por que tá me chamando de Blanca?

-Por que é seu nome

-Você me acostumou tanto com esse apelido tosco que me deu, que agora só me reconheço assim (Até pelos leitores)

Pra completar o casamento horroroso avistei de longe Álvaro e a anta basca.

-Como vão o casal de andorinhas, pelo jeito já se acertaram?

-Ola Blanca

-Itziar vim aqui oferecer paz por tudo o que aconteceu nas últimas semanas.

-Uau, Por favor me diz que aquela era a gêmea do mal e que você é a gêmea do bem, por que eu não posso acreditar que a vadia da Gucci está me pedindo desculpas

-Jamais me rebaixaria pra você Rainha do Torra-Torra,aliás, essa sua roupa colorida horrorosa, foi escolhida como? Imagino que tenha se jogado no meio do feirão do Brás e saiu a cara do Tiririca, só que na versão Hippie.

-É sempre um desprazer vê-la Blanca.

-Disponha, voltarei pra minha mesa, antes que algum pobre roube a minha cadeira. Festa de pobre é sempre assim, tem mais gente que cadeira.

O show de horrores deu início, o irmão do índio era tão feio que fez o Roberto parecer um Deus grego. O moleque era a cara do Shrek, um legítimo cão chupando manga, e se juntando com a testa de amolar machado formavam um lindo casal de chupa - cabra.

Durante a cerimônia correu tudo bem, mas o melhor momento foi a leitura do testamento, após a troca de alianças.

-Silêncio por favor, daremos início a partilha de bens do Pajé José Awanari.

“Eu José Awanari, livre de qualquer induzimento ou coação, deixo esse testamento particular no qual declaro minha última vontade, pela forma e maneira seguinte: Meu primogênito Takauan Awanari recebe a herança da minha plantação de milho, e toda a Obrigação de cuida-lo e toca-lo adiante.

Meu filho caçula Roberto Awanari recebe a total herança da minha plantação de mandioca e meu negócio de incenso, para cuida-lo e toca-lo adiante.”

A garota Testuda estava crente que iria ficar rica, mas na verdade recebeu uma maldição indígena e iria virar a rainha da pipoca, pelo menos com uma plantação de milho como herança, ela finalmente iria usar sua testa para amolar muito facão para fazer a colheita.

Acho que vi ela batendo no índio horroroso, o casamento não poderia ter tido um final mais feliz.


** Algumas horas depois**


-Aii isso, vai... aí, aí mesmo, peraí Roberto com calma
-Encaixei
-Vai
-Aiii, bati a cabeça
-Cuidado estrupício
-Xavosa tá muito apertando aqui, e quente, porque estamos transando aqui mesmo??
-Porque se a Itziar nunca te assumiu eu é que não vou fazer essa proeza. E também por que você é pobre
-Eu sou o herdeiro do incenso
-Continua sendo pobre
-Não é muito excitante falar isso a quem tá te dando prazer
-E você se importa?
-Vindo de você não
-Então cala a boca e faz direito
-Mas eu posso ficar rico ainda vendendo incenso e mandioca
-Índio tosco eu juro que vou te bater se você não calar a boca

Obriguei Roberto a armar uma barraca pra gente no meio da selva no final do casamento, porque a Oca dele estava ocupada pelos seus familiares. Nós tínhamos afinidade e vezes ou outra transformavámos isso em algo mais íntimo.


PoV Itziar

-Lar doce lar

-Meu doce lar você quis dizer

-Está me mandando embora Senhorita Itziar.

-Por enquanto estou te dando abrigo, nos próximos dias já não garanto muito.

-Você me usou, e agora está me jogando fora, olha como você é errada.

-Você sempre foi o pior erro da minha vida e eu não estou reclamando
-Pode ser, mas o problema é que eu sou o erro com o beijo mais gostoso que você já viu na vida, confessa!
-Eu estava esperando alguma coisa do tipo, “eu faço amor gostoso”
-Se você está afirmando assim com tanta certeza, quem sou eu pra discordar
-Você não vale nada
-Você vale mais que Rubis
-Você não vale nem o esforço da minha atenção pra essa sua cantada barata sobre jóias
-Porque a melhor jóias está na minha frente.

Álvaro me agarrou e me derrubou na cama, me beijando, me cheirando, me mordendo e me enchendo dos seus carinhos melosos. Suas mãos deslizava pelo meu corpo e suas intenções já evidenciavam as suas vontades.

-Sei bem o que você quer Álvaro.

-Então vamos pular a parte das apresentações e vamos direto ao ponto mais gostoso, correr pelados pela casa
-Álvaro por Deus para com essa história de correr pelado, isso nunca vai acontecer
-E correr pelado até o banheiro?
Joguei um travesseiro nele
- Vamos combinar assim o último a chegar vai ter que que pegar o sabonete que irá cair no chão acidentalmente.

-O que?
Álvaro me prendeu no seu abraço,  beijou e mordeu meu pescoço até me fazer sentir cócegas e quando pude perceber ele já estava no banheiro.
-Mas o que foi isso? Nós temos 15 anos de idade outra vez?
-Perto de você, é impossível não se portar como um bobo apaixonado
Olhei pra ele com o sorriso mais bobo e com certeza muito apaixonado que eu poderia dar.
-Hiiii, o sabonete caiu

-Você não presta
Ele me puxou pra debaixo do chuveiro e ficamos ali, rindo, conversando, brincando e voltando aos poucos a ser como tudo foi um dia.


Fim



Notas Finais


Ok estamos em um mundo paralelo onde Álvaro é tarado, Itziar é puro deboche e às vezes cavalinha.
Xavosa é a mais legal, e tem uma paixão encubada pelo índio, mesmo ele sendo tosco e pobre.
Jess é comparada a Mortiça.
E essa história é uma bagunça de vai e volta e planos infalíveis pra separar Álvaro e Itziar, mas quem se importa?! Só espero que tenha se divertido comigo. Disse uma vez e repito! Se eu alcancei algum momento do seu dia com um pouco de alegria, eu sinto uma enorme satisfação tanto pessoal, quanto como escritora! Um beijo enorme no coração de vocês, sigo aqui chorando por ter finalizado mais uma obra.
Mais uma vez, Obrigado por me acompanharem até o final, por cada Comentário positivo e por terem se divertido comigo.


Foto retirada do Instagram- Créditos da foto @itziaritunoPr.

Ps.: Não poderia deixar de dizer, que a personagem Xavosa foi inspirada na minha amiga Marcela que é puro deboche em forma de gente 😂😂😂😂 Obrigado Nymeria , Carbon, e Isabella por terem me ajudado em cada idéia maluca e diálogos toscos. Aliás alguns apelidos pegajosos devemos a elas.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...