História Make Me Smile Again - Capítulo 35


Escrita por:

Postado
Categorias TWICE
Personagens Chaeyoung, Dahyun, Jihyo, Jungyeon, Mina, Momo, Nayeon, Sana, Tzuyu
Tags Dahyun, Kpop, saida, Sana, Twice
Visualizações 195
Palavras 4.735
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey hey Onces

*desvia de pedra*
calma calma...eu sei que demorei p caralho...n tem motivo...dessa vez foi pura vagabundagem minha
eu ia postar semana passada mas fiquei sem internet...bom vamos logo

Boa leitura unicornios

Capítulo 35 - Bultaoreune part.2


< Dahyun pov >

- Mina?

- Caralho - Yoongi disse ficando com as bochechas levemente coradas e correndo para o banheiro logo em seguida.

- Oque faz aqui? - perguntei finalmente mordendo um pedaço de pizza

- Vim conversar, mas você está ocupada pelo oque vejo. Posso voltar depois se preferir - falou se virando para ir embora mas eu levantei e a impedi.

- Minari, calma

- Quem é ele?

- Ahm...então Dahyun, eu vou indo - Yoongi saiu do banheiro agora vestindo sua calça suja, Mina olhava pra ele com a maior cara de reprovação possível - Preciso passar em casa pra trocar de roupa... - os dois estavam totalmente diferente do normal, Mina parecia brava e Yoongi irritado, não tiravam os olhos um do outro por nem um segundo sequer e o clima pesado se fez presente.

- Ta legal - respondi desligando a musica que ainda tocava no rádio da sala - Ah, essa é a Mina, minha amiga.

- Legal, sou Yoongi, que ja está de saida. Tchau, valeu ai por tudo - falou, pegou a chave do carro na mesinha e saiu, Mina não tirou os olhos do garoto até ele fechar a porta.

- Eerr...então, quer comer alguma coisa?

- Se com "alguma coisa" você quer dizer pizza, não, obrigada - respondeu se sentando no sofá com as pernas cruzadas.

- Que mau humor - me sentei ao seu lado colocando os pés na mesinha.

- Sabe Dahyun, eu esperava te encontrar trancada no quarto enrolada nas cobertas com um musica horrivelmente triste tocando no radio, mas vejo que você está lidando muito bem com tudo e com uma bela companhia ainda por cima - cruzou agora os braços e deu um sorriso debochado.

- Quer dizer que eu devia estar me afogando em magoas por uma pessoa que simplesmente me largou sem nenhuma explicação descente? - devolvi o mesmo sorriso - Só pra constar, Yoongi é apenas um amigo

- Bom não vamos falar disso, indo direto ao ponto....

 

 

< Mina pov >

 

 

 

Contei a Dahyun tudo oque ela ainda não sabia, sobre oque o pai da Sana me disse e sobre todo o meu ponto de vista dessa babozeia toda, me assustei um pouco quando ela disse que também estava com a sensação de estar sendo observada o tempo todo, algo me diz que tem muito mais por trás disso tudo.

- Então você vai comigo?

- Sim, eu quero tirar essa história a limpo, de qualquer jeito, não vou aceitar que termine assim... - Dahyun estava falando diferente, seus pensamentos pareciam distantes e ela estava lidando surpreendente bem com tudo, eu diria que ela amadureceu muito nesses últimos meses, ela estava lutando para não enlouquecer por causa da Sana, estava tentando não ficar mais triste do que deveria - Quando partimos?

- Amanhã de manhã - ficou um tempo em silêncio, realmente ela estava com a cabeça em um mundo bem distante.

- Certo! - se levantou rapidamente com uma expressão engraçada, parecia estar decidida e pronta para enfrentar qualquer coisa - Então está decidido, nos aguarde Minatozaki - me senti uma mãe vendo sua filha crescer e se formar na escola ou algo do tipo, não sei, fiquei tão orgulhosa dela estar com uma cabeça melhor que quando vi ja estava a abraçando

- Isso isso, vamos desflopar meu shipp - disse ainda a abraçando e dando gritinhos de felicidade.

- Yaaah me larga. Oque foi essa mudança de humor hein? - falou me afastando - Até ainda pouco parecia que você ia me matar com os olhos

- Eu chego aqui e dou de cara com um branquelo dançando só de cueca na sua frente te chamando de baby e você rindo igual besta, queria que eu, uma SaiDa shipper, ficasse como?

- Mas pode relaxar, Yoongi é só um amigo mesmo

- Eu sei, você não é tão seca ao ponto de arrumar alguém tão rápido assim, ainda mais um macho

- Hey eu era muito hetero antes da Sana aparecer na minha vida ta? - me empurrou de leve.

- E eu conheci o batman noite passada


 

 

 

 

 

 

- Pronta? - perguntei ao paramos o carro na frente da casa dos pais da Sana. Depois de um voo cansativo, varios telefonemas da Naeyon e Momo que se preocupavam mais com a gente do que nossas mães, finalmente estávamos ali na frente daquela casa, preparadas para as explicações que Sana nos devia.

- Minari....e se ela não quiser mais nada comigo mesmo? Digo n sei se estou preparada pra ouvir palavras que podem me deixar pior do que ja era, eu não quero perde-la....bom eu meio que ja perdi...mas não quero sentir 100% que a perdi sabe? Ouvindo da boca dela e tudo mais, eu não quero quebrar meu coração de novo, eu gosto dela - passou a mão pelos fios e suspirou - Eu não devia ter vindo, ela vai me chutar de novo e agora vai doer mais porque vou estar olhando naqueles malditos e lindos olhos, eu não devia ter ido comprar chocolate aquele dia, que saco tudo culpa daquela maldita chuva, se eu tivesse corrido pra casa não teria esbarrado nela, mas que...

- Tofu calma, respira - falei colocando uma mão em seu ombro, ela estava quieta até agora, derre pente começou a soltar todas as palavras que deviam estar rodeando sua mente - Primeiro, de um jeito ou de outro vocês iam se conhecer, quando alguma coisa tem que acontecer ela simplesmente acontece entende? Não tem nada que impeça isso. Segundo, para de drama e vamos logo encarar o amor da sua vida que deve estar morrendo de saudades de você - desci do carro e fui andando até a porta, mas logo Dahyun vem atrás de mim e tenta me impedir.

- Unnie calma, essa foi uma péssima ideia, eu sinto que vai dar ruim. Vamos voltar enquanto ainda tenho um pedaço do meu coração batendo - ela puxava meu braço mas eu continuava andando a arrastando comigo.

- Você ta muito dramática, por deus Dahyun - paramos de frente para a porta, e quando fui apertar a campainha Dahyun bateu na minha mão, tentei de novo e ela fez o mesmo, a olhei com uma cara de "serio isso?" e ela me olhou como um cachorro pedindo para fazer xixi, e então começamos uma briga com as mãos, eu tentava apertar o botão e ela me impedia, pareciamos duas crianças se estapeando. Por fim consegui dar três chutes na porta enquanto ela segurava minhas mãos.

- Dependendo de tudo oque ouvirmos aqui, quando voltarmos eu terei minha vingança - falou me soltando e arrumando sua roupa.

- Seja mais positiva Tofu, acredite no amor - arrumei meu cabelo e minha blusa ainda rindo da situação, estava tentando deixar o clima mais leve, porém eu também estava com um pouco de medo e uma sensação ruim no coração.

- Ouvi uma vez que o amor é só mais um nome para o mal, uma mentira - suspirou - Devo mesmo acreditar nele?

- Vamos deixar a Minatozaki responder isso - sorri sem mostrar os dentes e ela balançou a cabeça em negação, logo a porta se abriu revelando um pai desanimado mas sorriu mesmo assim ao nos ver.

- Que bom que chegaram....

 

 

< Sana pov >

 

 

 

Estava frio, escuro, meu corpo todo doia e eu não conseguia manter meus olhos abertos, mas ainda estava acordada e podia ouvir os gritos de Mark no andar de cima. Onde eu estava? No porão. Por que? Resumindo, ele tentou me tocar, eu resisti e ele me bateu de novo, mas não parou ai...Mark perdeu totalmente a paciência aquela noite, ele ia fazer o pior que podia comigo, ele ia me estuprar. Por sorte Bin voltou a mansão aquela noite, quando Mark estava tirando minhas roupas a força ele chegou e os dois começaram a brigar, não sei ao certo como tudo acabou pois como da outra vez eu apaguei, e acordei aqui nesse lugar escuro. Estava jogada no chão, meu corpo devia estar cheio de cortes ja que a unica coisa quente que eu sentia era meu sangue escorrendo, então apaguei de novo, quando acordei estava em cima de um colchão muito fino, mas que ajudava um pouco contra o frio. Meus machucados estavam enfaixados, muito mal enfaixados como se tivessem sido feito as pressas, a dor ainda era insuportável mas eu tentava ouvir oque acontecia lá em cima.

- Sana? - ouvi alguém abrindo a porta e descendo as escadas rapidamente - Está acordada? - era o Bin, ele se aproximou e me fez ficar sentada, oque doeu muito, tipo MUITO - Me desculpa, mas não tenho tempo, logo ele vai perceber que sai da sala - eu tentava ouvi-lo mas a dor estava quase fazendo com que eu apagasse de novo - Sana por favor acorde! - ele me balançava, eu estava toda mole, mas consegui abrir os olhos - Escute, Jackson está tomando todo o território que o Mark tem posse, ele sabe que o Mark está te mantendo presa aqui. Ele vai te tirar daqui Sana, por favor aguente mais um pouco, eu vou fazer o possivel também então por favor, aguente só mais um pouco - ele me abraçou rapidamente e se levantou - Me desculpe... - disse e saiu correndo. Eu não sei se ouvi certo mas uma chama de esperança se acendeu em meu coração, eu teria mesmo uma chance de sair daqui? Logo todo o medo voltou, e junto a dor do meu corpo aquilo estava me matando

- D-Dahyun... - meus pensamentos estavam embaralhados, minha cabeça queimava - Dahyun cadê você? Está doendo tanto - minha voz saia como um sussurro, eu só conseguia pensar nela, meu coração gritava o nome dela assim como eu queria fazer, mas não tinha forças, meus olhos estavam ficando pesados novamente - E-eu estou com dor, por que....por que você não está aqui?

 

 

 

< Dahyun pov >

 

 

 

- Você ta bem? - Mina me perguntou assim que voltamos para o carro, ela estava com uma expressão pasma, assim como eu, ambas ainda não acreditávamos no que estava acontecendo.

- Bem? Como você acha que estou? Pelos deuses ele a sequestrou! - gritei, um turbilhão de pensamentos passavam pela minha mente. Eu estava em choque, Mark tinha levado Sana a força, e ainda fez ela fingir que eles estavam juntos e se afastar de todas nós!

- Eu sei eu sei, mas precisamos - respirou fundo - Precisamos nos acalmar, e saber quem é esse tal de Jackson - o pai da Sana recebeu uma ligação pouco antes de chegarmos, era esse tal Jackson dizendo tudo oque tinha acontecido com a Sana, ele disse que nós ja estávamos fora de perigo pois ja tinha tirado os capangas do Mark da nossa cola e que iria ajudar a tirar Sana de lá. Eu estava com muita raiva, queria acabar com a raça daquele muleque magrelo de cabelo branco engordurado.

- Mina, isso não é um sonho né? Me belisca, eu ainda não acredito que é real

- Dahyun calma, eu sei que é tipo mUiTo MaIs do que esperavamos mas.... - respirou fundo de novo encostando a cabeça no volante - Merda se eu achar esse garoto eu juro que arranco um braço dele

- E se ele fez algo com ela? Porra ela ta la esse tempo todo, deve estar sozinha com medo e eu aqui ficando com raiva achando que ela tinha me deixado, eu poderia ter feito alguma coisa - estava me segurando para não começar a desabar em lágrimas, mas o desespero era maior que a vontade de chorar.

- Para Tofu, como você poderia saber? Não vamos pensar no pior, se ele fez tudo isso pra ficar com ela então ele não a faria mal certo? - eu mordia minha língua e tentava afastar aqueles pensamentos ruins, eu devia ter percebido que havia algo a mais, devia ter ficado aqui com ela ou sei lá, eu devia ter feito algo além de ficar com raiva de tudo e me afundar no mundo dos sonhos dormindo!

- Então oque vamos... - senti meu celular vibrando no meu bolso, peguei o mesmo e era um número desconhecido.

- Alô? - falei com o tom mais seco que consegui.

- Kim Dahyun?

- Sim?

- Você ja deve estar sabendo de algumas coisas a essa hora. Aqui é o Jackson, seu heroí

- Mas quem...

- Olha eu sei que você acabou de receber uma bomba e deve estar muito mais do que confusa, mas não temos tempo. Vou explicar o maximo que puder, confie em mim. Enviarei um endereço por mensagem, me encontre la em 20 minutos 

- Espera...desligou. MAS QUE ÓDIO PORQUE TODO MUNDO DESLIGA NA MINHA CARA?! - gritei batendo os pés no chão do carro.

- Calma Dahyun, quem era?

- Pelo oque entendi, Jackson - respirei fundo uma, duas, três vezes - Esta bem para dirigir Minari? - perguntei quando a mensagem com o endereço chegou no meu celular, ela apenas concordou e ligou o motor, mostrei o endereço e partimos. No caminho fomos colocando a cabeça no lugar e pensando em alguns planos, obvio que nossa vontade era simplesmente ir até a tal mansão, dar uma bela surra naquele nariz torto e tirar a Sana de lá, mas o pai dela disse que Jackson pediu para não fazermos nada precipitado demais, afinal Mark tinha muitas pessoas trabalhando para ele.

 

 

Chegamos no local, era uma parte afastada da cidade, não tinha nada além de asfalto e capim, envolta de uma limousine tinha uns 5 seguranças que pareciam árvores vivas de tão grandes, descemos do nosso carro e eu estava com a mente tão pertubada que quando percebi ja estavamos dentro da limousine e Jackson explicava tudo mas eu não prestava atenção em nada, diferente da Mina que parecia estar tão concentrata no chinezinho loiro na nossa frente que se o mundo explodisse ela não ia reparar. Depois de longos minutos consegui parar de pensar em como eu fui uma idiota e em como a Sana devia estar e prestei atenção no tal plano que Jackson e Mina bolaram juntos, bom, Jackson ja tinha toda uma estrategia na verdade, ele só estava interessado em fazer Mark se arrepender de tudo oque fez, em dar uma bela lição nele tomando pose de tudo oque ele achava ser importante, mas como não era a favor de "machucar moças indefesas e faze-las de prisioneiras" como ele mesmo disse, decidiu nos ajudar com a Sana se depois ficassemos longe e deixassemos o castigo de Mark nas mãos dele (devo dizer que essas foram as palavras ditas por ele, e com a maior cara de malicia que ja vi nesse mundo)

- Então vamos nessa, Mark ja deve estar pirando nesse momento. Eu ja assinei contrato com todos os socios que eram antes dele, e agora....bem, digamos que ele não passa de um garoto mimado sozinho em uma mansão enorme que logo será tirada dele também.

- Sozinho? - Mina perguntou - Como assim?

- Ele esta falido - Jackson disse rindo e levando uma taça de vinho até sua boca - Imagino como ele deve ter ficado pasmo em perder todo o seu negocio em menos de uma semana, ficando apenas com aquela casa. Eu sou mesmo muito bom no que faço, valeu a pena esperar todos esses anos para te-lo em minhas mãos

- Ainda não entendi exatamente tudo isso

- Digamos que eu tenho um gosto bem peculiar. Gosto das minhas frutas maduras, e Mark é uma maçã vermelha no topo da árvore madames - piscou enquanto bebericava um pouco mais de seu vinho, estranho? Nem um pouco...

 

Era um plano simples, como Jackson tinha tirado todos os campagas de Mark a casa estaria desprotegida, ele conseguiu um cara para desativar o alarme e todo o sistema de defesa da casa, juntamente com a energia claro, Mina e eu entrariamos pela porta dos fundos e ele pela da frente, procurariamos pela Sana enquanto ele bateria uma conversa com Mark para distrai-lo, depois dariamos o fora e nunca mais pisariamos no país, simples, rapido e facíl até demais, meus sentidos de algo daria errado ainda estava aguçado.

 

 

 

- Chegamos? - perguntei quando Mina parou o carro logo atrás da limousine em que Jackson estava

- Não sei eles pararam derre pente - respondeu confusa, logo o motorista da limousine fez sinal para passarmos, Mina andou com o carro lentamente até ficarmos lado a lado do outro veiculo, Jackson abaixou a janela de trás.

- Lembrem-se, discretas, como ninjas - disse sussurrando e fazendo uns gestos engraçados com as mãos enquanto fechava o vidro de novo.

- Pelos deuses... - falei batendo a mão na testa.

- Ignora a retardadisse, vamos logo.

A mansão estava a alguns metros mais a frente, Mina parou o carro na parte de trás em um lugar que julgamos ser um ponto cego apenas porque as luzes não batiam ali e era tipo um buraco negro de tão escuro. Todo o lugar era cercado por um muro enorme, ficamos um tempo olhando pra cima com as bocas abertas até que um gigante, que obviamente era um dos seguranças de Jackson assoviou nos fazendo olhar para o lado em que ele estava segurando uma lanterna de frente para um portãozinho velho e enferrujado que dava passagem para um jardim atrás da casa, agradecemos o poste humano e entramos. De fato era um belo e enorme jardim, tinha flores de todos os tipos, uma fonte bem no meio com o bebedouro para os pássaros e algumas estatuas espalhadas pelo local, em algumas das árvores tinham luzes que pareciam piscar conforme a brisa batia nas folhas, era realmente muito bonito.

- Que horas ele disse que cortaria a energia? - Mina perguntou olhando alguma coisa no celular.

- as sete, que horas são?

- Três, dois, um - as luzes apagaram e ficou o maior breu do mundo ali, com isso dava pra ver melhor as estrelas, e o jardim ficou 100% perfeito, pena que eu não podia ficar ali babando nele a noite toda - Vamos! - Mina agarrou meu pulso e corremos até a porta dos fundos, que a essa hora ja estava destrancada claro, tinha varias câmeras mas todas desligadas. Abrimos a porta e entramos direto na cozinha, logo algumas luzes fracas se acenderam pela casa, devia ser o gerador de emergência porque não tinha força o suficiente para ativar as cameras e o sistema de segurança.

- Gloria, pensei que iriamos entrar em um porão ou algo do tipo mas os deuses me ouviram - disse e por impulso corri em direção a geladeira.

- Dahyun! Eu não acredito nisso, sua namorada ta presa aqui com um babaca tem mais de um mês e na oportunidade de tira-la daqui você só pensa em comer? 

- Calma Minari, eu tenho uma ideia - peguei uma garrafa de bebida e um pano que estava em cima da pia - Vamos - saimos da cozinha e fomos andando até chegarmos nas escadas, estava prestes a subir quando ouvimos vozes, estava prestes a subir quando ouvimos vozes, eram três caras, dois altos e magrelos como palito de dentes e um mais baixinho e....eu diria que em uma boa forma, boa até demais. Assim que eles bateram os olhos em nós tudo parou, ficamos nos encarando e eu ja estava pensando em correr pegar o vaso de planta que tinha numa mesa ali perto tacar neles e correr, mas o baixinho que estava mais atrás deles olhou pra mim, olhou pra eles e estão fez oque eu menos esperava, deu um chute nas costas de um e quando eu vi que o cara estava voando escada abaixo na nossa direção puxei a Mina e sai da frente. O outro olhou para o baixinho com uma cara incrédula e levou um soco no queixo e um chute no peito fazendo ele descer escada abaixo e cair em cima do seu amigo palito de dentes que estava apagado no pé da escada.

- Nossa, essa foi por pouco - disse o baixinho....ta vou parar de chamar ele assim porque ele ainda é mais alto do que eu, o carinha lá disse arrumando sua gravata - Venham por aqui, rápido - olhei pra Mina e ela deu de ombros e me arrastou escada acima atrás do carinha lá.

- Ahm, então...valeu eerr? 

- Moonbin, mas pode me chamar de Bin. Não temos tempo, ela precisa de um médico urgente! - não tive tempo de raciocinar e interpretar as palavras que ele disse porque entramos em um corredor com uns seis caras - Merda Jackson, era pra você ter tirado todos daqui - o tal Bin disse tirando seu paletó e afrochando a gravata, aproximou o pulso da boca e apertou um botãozinho escondido na manga da sua camisa - No corredor do segundo andar, preciso de uma ajudinha - três caras andavam calmamente na nossa direção com um cara de cães raivosos que dava arrepios

- Como vamos passar? - Mina estava impaciente, não parava de mexer os pés assim como eu, mas eu olhava em volta procurando a nossa saida, então percebi que os outros três não saiam de perto da ultima porta, estavam guardando algo, óbvio.

- Consegui convence-lo a colocar ela no quarto de novo, mas não pude fazer muito com os curativos. No meu sinal, corram okay? - falou baixo o suficiente só para que Mina e eu ouvissemos. Quando os três chegaram perto o suficiente Bin partiu pra cima deles com chutes e socos, mas logo um deles o segurou e o jogou no chão, quando eu ia fazer uma maluquice dois postes humanos brotaram e entraram na briga, logo Bin se soltou e e derrubou dois cara de uma só vez - VÃO! AGORA! - gritou no momento em que os outros três sairam de perto da porta e foram pra cima dele e dos seus ajudantes?

Mina e eu corremos mas um deles segurou ela pelo cabelo e a derrubou no chão pegando em seu pescoço logo em seguida.

- Solta ela, seu golira! - gritei e assim que ele virou para me olhar fechei minha mão livre com toda força do mundo e dei um soco no nariz dele, ele cambaleou para o lado com a mão no rosto e então me olhou com mais raiva ainda

- Sua pirralha! - quando ele ia vir pra cima de mim, Bin passou um cinto, que claramente ele tirou da calça de um dos caras que ja estavam no chão, envolta do pescoço dele e o segurou.

- Vão! - gritou e quando vi Mina ja tinha me empurrado pra dentro do quarto e fechado a porta, tava tudo escuro e só dava pra ouvir o barulho da briga no corredor.

- Tem alguma luz ai? - sussurrei.

- Infelizmente meu celular caiu do meu bolso

- E o meu ta no carro

- Por que estamos sussurrando?

- Não sei... - passei a mão pelo meu bolso e achei um esqueiro, por que eu tinha um? Não me pergunte - Pronto, ascende ai - passei o esqueiro pra ela e logo o quarto se iluminou um pouco, era enorme e os olhos de qualquer um se perderiam pelo comodo, mas os meus pararam no bolinho em cima da cama

- Tofu... - Mina me chamou mas eu estava travada, estava com medo do que iria ver se me aproximasse, e a cada passo que eu me forçava a dar meu coração batia mais devagar, parecia que eu estava levando varias facadas e quando me aproximei o suficiente e a luz do esqueiro bateu no corpo todo machucado ali deitado, um tiro atravessou meu coração...não um de verdade claro, mas a dor foi a mesma, talvez até pior.

- Sana... - disse me abaixando e passando a mão de leve pelo rosto dela, estava fria, tinha muitos cortes nos lábios e roxos pelo rosto, quando tirei a coberta de cima dela vi o pior, ela estava...estava muito, muito machucada. Primeiro senti meu coração despedaçar, mas depois tudo começou a queimar, eu nunca senti tanto ódio de uma pessoa como estava sentindo de Mark nesse momento.

- Tofu precisamos leva-la para o hospital - Mina disse colocando mão em meu ombro, respirei fundo e tentei me acalmar pois só pensava em vários jeitos diferentes de arrancar a cabeça daquele imbecil.

- Ta - abri a garrafa que tinha pegado na cozinha, tirei o pano do meu bolso e coloquei na garrafa deixando só a ponta de fora - Segura isso - entreguei a garrafa pra ela que me olhou confusa, mas assim que olhou para o esqueiro e a ponta do pano na garrafa pareceu entender.

- Você tem problemas Dahyun - riu fraco

- Talvez - voltei a olhar para a Sana que agora estava começando a suar frio - Sana unni - passei a mão pelo seu rosto mais uma vez e então a levantei com cuidado, ela estava muito magra e alguns dos cortes sangravam muito, eu estava muito assusta, tipo, muito mesmo como nunca fiquei na minha vida, mas ainda não era hora de surtar. Com cuidado e muita dificuldade consegui coloca-la nas minhas costas como se fosse um cavalinho, ela gemeu de dor e mesmo estando desacordada eu juro que senti ela cheirar minha nuca e me apertar com o resto das suas forças.

- Dubu, você veio.... - falou baixinho perto do meu ouvido, sua voz estava rouca, senti um frio na barriga e um aperto no coração.

- Sim unni, estou aqui...

 

 

 

 

- Dahyun esta meio quieto demais la fora - Mina disse colocando o ouvido na porta, realmente todo o barulho tinha parado - Isso não é bom

- Vamos descobrir se é ou não - falei e fiz um sinal pra ela abrir a porta, assim que ela o fez demos de cara com Mark segurando Bin por tràs com uma arma apontada pra cabeça dele.

- Vocês não vão a lugar nenhum - ele estava com a cara meio machucada, devia ter entrado na briga e levou um belo soco na boca pelo jeito

- Serio cara, se eu fosse você só deixava agente passar logo - Mina disse e era nítido a raiva no seu tom.

- Mark me solta, você não tem coragem pra fazer nada comigo - Bin disse tentando se soltar.

- Oque fez com o Jackson? - perguntei por impulso, droga Dahyun era pra você dizer algo mais legal

- Aquele idiota? Esta trancado no banheiro com um belo tiro na perna. Ele achou mesmo que eu ia estar totalmente desprotegido na minha própria casa? Que ridiculo

- Você não presta - Mina disse rindo em um tom debochado - Pra que tudo isso? Você sabe que não passa de um muleque riquinho e metido a besta aos nossos olhos não é? Não temos medo de você

- Deviam ter, eu sou o cara armado aqui. Agora que tal devolverem meu trofeu hein - apontou para Sana nas minhas costas

- Por deus Mark, ela precisa de um medico urgente, deixe elas irem, esqueça isso! - Bin disse tentando se soltar mais uma vez

- Quieto! Ela esta bem! - Bin olhou pra mim e para a garrafa na mão da Mina, ele pareceu ter a mesma ideia que eu pois começou a fazer com que Mark andasse para onde eu planejava

- Você vai pagar por tudo oque fez - falei

- Parem de se mexer, ou eu atiro nele - quando vimos a posição ja era perfeita, Mark estava parado de costas para a porta aberta do quarto, Bin pegou todo impulso que pode e deu uma cabeçada no Mark fazendo ele o soltar, foi uma bela cabeçada direto no nariz dele, pra completar Bin deu um chute no peito dele fazendo-o cair de bunda dentro do quarto

- Hey babaca! - gritei e Mina acendeu o esqueiro colocado fogo na ponta do pano na garrafa - Bultaoreune - Mina jogou a garrafa com toda força dentro do quarto, pude ver ela se quebrar na cortina e o fogo começar antes de Bin fechar a porta na cara de desespero do Mark.
 


Notas Finais


* desvia de tijolo*
calma calma...eu sei que ficou horrivel
desculpa eu juro que tentei fazer um cap melhor mas sempre ficava uma merda
e desculpa os erros tb..um dia eu arrumo

e hj eh aniversario da nossa japa dançante vulgo deusa Hirai Momo...ela ta fazendo 4 aninhos ms parece q ainda tem 2 vão dar mais amor p ela pq ela merece....e soh mais uma coisa...

seolleNDA ME LIKEY ME LIKEY LIKEY LIKEY


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...