História Make you Mine - Capítulo 1


Escrita por: e _Nick_Br_

Visualizações 58
Palavras 1.317
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shonen-Ai, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Until Then Get Away From Him


Fanfic / Fanfiction Make you Mine - Capítulo 1 - Until Then Get Away From Him

??? Pov.

03h07min

Ele ria alto, ele ria como se estivesse tentando rasgar seus pulmões e cordas vocais, a cama agora estava pintada de vermelho como seus braços e vestes, as flores despedaçadas no chão lhe deixavam cada vez mais animado enquanto encarava o corpo recém pendurado no teto, ainda respingava nas flores enfiadas de forma harmoniosa em seu estômago, agora estaria por conta própria.

Pedro's Pov.

14h30min - Café do Bill

Estava de cabeça baixa esperando que o pessoal chegasse, Luiz teria ido há alguns minutos atrás ao banheiro dizendo que ia lavar o rosto para se livrar do sono, é verdade que ficamos um tempo bem longo jogando ontem com meu irmão, mas não sabia que ele tinha chegado ao seu limite tão fácil.

Faz muito tempo que o pessoal da "Aliança Do Rezende" não se encontra, hoje seria o dia disso mudar...

Não posso mentir, eu só fiz isso por causa da minha namorada, e Luiz estava pedindo para conhecê-la pessoalmente faz um tempo.

Por falar nele, a nossa relação é um tanto "estranha"; nos conhecemos a dois, três meses atrás. Eu me lembro de ter visto ele isolado em um canto da faculdade, encarando uma borboleta fixamente e quando me aproximei ele começou a chorar, foi bem estranho..? Sei lá, ele estava chorando por uma borboleta morta.. Bom, depois disso, descobrimos que somos colegas de classe e começamos a conversar... É... Eu só vejo coisa estranha nessa vida.

Uma vibração longa fez com que eu levantasse a cabeça, pegando o celular do lado do copo de café e conferir a mensagem que havia recebido.

Iphone ON

[ 55 55 5555–5555]

|Bloquear | Adicionar|

"What you gonna do about it?"

14:35

[Link]

14:35

Iphone OFF

Mas que... — Rezende? — Voltei minha visão para as duas figuras na minha frente, Luiz se sentou ao meu lado enquanto Pokey nos olhava de maneira questionadora, apesar de ter passado três anos ele ainda tinha o seu sorriso irritante. — "Essa é a sua namorada?" — Ele se sentou de frente a nós rindo fraco chamando uma garçonete, o garoto ao meu lado apenas colocou seu boné na cabeça o olhando como quem não teria entendido sua pergunta.

Mas o que me preocupava era o Link, como algo tão doentio poderia acontecer tão próximo daqui? Incluindo algo desse nível em tão pouco tempo...

Está tudo bem...? Você ta pálido... — Luiz me balançou levemente — Ah? — Wolf tinha chegado junto de Bibi e Coelha e assim como Pokey, me encaravam. — Só tive uma recaída... — Apesar de ter sorrido, Luiz teria notado, já que pegou gentilmente o celular escondido em minha mão encarando a tela, ele abriu a imagem da notícia sem problemas enquanto franzia a testa, parecendo enjoado. — Ah, eu recebi isso ontem, achei que era um spam... Era uma conhecida sua...? — Passei a mão pelos cabelos concordando, apesar de não ter tanta intimidade com Charlie, ela ainda era a melhor amiga da Virgínia, provavelmente ela não viria hoje depois de ver uma notícia dessas, conheço-a o bastante para saber que estaria surtando essas horas. — Credo garoto! Apaga isso! — Coelha que havia visto por cima dos ombros de Luiz, se afastou aterrorizada, eu ainda não tinha visto as imagens e a reação do pessoal que viu começou a me deixar apreensivo. — Ah, f-foi mal! — O menino apagou qualquer vestígio que havia sobre o assunto no celular sobre pressão das meninas antes de me devolver. Ótimo, começamos com o pé esquerdo.

... O clima ta meio tenso né? — Pokey quebrou o silêncio constrangedor após um tempo, não podia deixar aquilo daquela forma, iríamos acabar se afastando de novo, incluindo o Wolf e a Bibi que ao contrário dos demais que não quiseram comparecer vieram de longe para se unir a equipe. Levantei-me dando uma palma meio alta como forma de me animar. — Certo! Esse que parece um dedão é o Gabriel, mas pode chamar de Pokey; — O pessoal riu enquanto Pokey tentava questionar, e Luiz permanecia confuso. — Aquela é a Bianca, aliais canta muito— Dei ênfase no “muito”. — a chame de Bibi; Jheennyfe, Coelha; Outro Gabriel, só que chama de Wolff, parece ser um cuzão, mas é gente boa, relaxa. — Por falar nele, o mesmo deu o dedo do meio enquanto eu ria. — Não vai apresentar ele não? — Uma nova figura falou do além se aproximando da mesa, retirando parcialmente seu casaco. — Angelo! Quem diria! Pensei que estivesse no Canadá com o Jabuti!

Longa história... — Stux sorriu se apoiando na mesa, eu senti o ar pesando um pouco entre ele e o Luiz, mas preferi ignorar. — Esse é o Luiz, nos conhecemos há alguns meses atrás e acabei falando sobre a ADR para ele. Fazemos faculdade de direito juntos. — O assunto parecia continuar bem dali, todos conversavam normalmente como se todos os problemas do mundo não existissem. Comemos, andamos, bebemos, nos divertimos; apesar de Luiz se mostrar tímido na frente deles, ele parecia feliz em ser chamado de "Peixoto" pelo Wolff ou de "novato" pelos outros.

...

— _O que é isso ai?_ — Estávamos andando por perto da praia quando Pokey se manifestou, Luiz parou de arrumar o boné em sua cabeça puxando bruscamente sua bolsa de lado, o qual o rapaz mexia sem sua permissão, contra seu corpo, permaneceu calado por alguns segundos encarando o rosto de todos ali logo corando violentamente. Senti um misto de dó e curiosidade me aproximando também. — Podemos ver?!

ahn....?

O que tem aí? Ouro? — Stux sorriu compreensivo, após a piada sem graça; Luiz tentou procrastinar contra, mas parecia que havia desistido, ficou por um tempo quieto antes de começar a mexer na bolsa e tirar uma câmera velha, daquelas que a foto sai em baixo e você tem que balançar para revelar as fotos depois de tirar e tudo mais... Foi um tanto... Decepcionante.

Wolff começou em nome de pelo menos metade dos que estavam ali dizendo: — Puff, Você conhece uma coisa chamada celular e que também serve para tirar fotos? — Luiz coçou a cabeça com uma expressão que não sabia ao certo se era confusão ou arrependimento após o caçoamento. — Isso é de herança...

"Xaudades de quando o peixeiro era interessante meu". — Wolff falou com uma voz escrota.

É peixe, peixinho, Peixoto, peixonalta, que não é peixeiro e nem pescador! — Wolff riu da resposta já que não esperava por uma dessas, admito que achei adorável.

Tira uma foto nossa! — Coelha deu sinal de vida abraçando Stux e Bibi de cada lado os assustando. — Se tem uma câmera você deve saber tirar fotos boas certo?! — Após alguns minutos ela conseguiu o convencer, ele tirou cerca de três fotos nossas e nos entregou uma. — Descobrimos algo novo sobre você, quem diria. — Bibi brincou balançando a foto na sua mão arrancando um mínimo sorriso que parecia ser de timidez dele, a qualidade podia ser bem comparável com o de um celular de última geração, sinto inveja disso.

O som alto de uma música eletrônica fez com que Luiz quase derrubasse a câmera assim como Coelha que se agarrou nas pernas de Wolff, arrancando risadas altas de mim, Bibi e Pokey — Meu celular! Foi mal! Jabuti deve estar me esperando! — Stux tirou o celular do bolso e quando passou por mim me puxou pela gola da camisa, sussurrando. — Preciso falar com você, até lá se afaste dele, é pelo bem de todos.

— ... O que vocês tanto conversam? — A expressão adorável que parecia ser de curiosidade do Peixe chamou a atenção dos demais. — Nada demais, bom, tenho que ir! — Se despedindo com um aceno de mãos ele saiu correndo na direção oposta da gente com o celular contra o ouvido. Certo, isso foi estranho.



Continua..


Notas Finais


Capítulo feito Nick.

Correção por Kazuhiro

Próximo capítulo (meu) tema: Sycaro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...