História Maktub - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Saga Crepúsculo, The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Alice Cullen, Aro Volturi, Bella Swan, Billy Black, Bonnie Bennett, Carlisle Cullen, Caroline Forbes, Charlie Swan, Claire Young, Damon Salvatore, Davina Claire, Demetri Volturi, Edward Cullen, Eleazar Denali, Elena Gilbert, Elijah Mikaelson, Embry Call, Emmett Cullen, Esme Cullen, Esther Mikaelson, Felix, Finn Mikaelson, Freya Mikaelson, Hayley Marshall, Hope Mikaelson, Jacob Black, Jane-Anne Deveraux, Jared Cameron, Jasper Hale, Jeremy Gilbert, Katherine Pierce, Klaus Mikaelson, Kol Mikaelson, Leah Clearwater, Marcus Volturi, Mikael Mikaelson, Monique Deveraux, Paul Lahote, Personagens Originais, Quil Ateara, Rebekah Mikaelson, Renesmee Cullen, Sam Uley, Seth Clearwater, Stefan Salvatore, Sue Clearwater, Victoria
Tags Jacob Black
Visualizações 81
Palavras 2.176
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fantasia, Ficção Adolescente, Hentai, Literatura Feminina, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltei... Agora os capítulos serão sempre narrados em primeira pessoa obrigado pelos favoritos...

Capítulo 2 - Reabilitação



Capítulo 1

Reabilitação



" Querido, querido, quando nos encontramos pela primeira vez

Eu nunca senti algo tão forte

Você era tipo meu amado e meu melhor amigo

Tudo embrulhado junto com um laço em cima."


HELENA.

Quando eu era pequena minha mãe costumava dizer que nem sempre estaríamos prontos para encontrar o amor, que quando ele chegasse nunca estaríamos prontos.

" O amor é um acidente."

Era o que ela dizia, mas vendo agora eu não achava que era um acidente, acho que estava mais do lado na natureza. Na verdade, em toda minha vida nunca tive uma relacionamento duradouro sempre fui aquele tipo de garota que preferia ficar em casa lendo um livro ou fazendo alguma maratona de algum filme.

Isso explica eu ser virgem ainda, foi um choque quando descobrir que minha irmã mais nova já não era virgem desde os quatorze.

Me senti menos mulher e menos atrativa para olhares masculinos. Eu era aquela garota que tudo levava ao normal.  Muito normal.

Agora olhando para o garoto de olhos negros não me via como uma garota normal, acho que sempre estive o esperando mesmo indiretamente, mas acho que não era recíproco, pois ele desviou o olhar e apertou em suas mãos o pequeno e delicado envelope. Eu tinha desmaiado, senti como se meu coração crescesse dentro do meu peito e todos os meus poros do corpo exalassem amor diretamente para o garoto mal educado.

— Aqui um copo de água! — Izzy sorriu compreensiva para mim, acho que ela sabia o que tinha acontecido já que ela era uma bruxa que servia a natureza.

Sabia que ele não era apenas um garoto normal, eu sentia uma magia estranha brincar em volta dele como plumas. Ainda tinha resquícios das lágrimas que derramei. Nunca em toda minha vida tinha vivenciado algo do tipo.

A única coisa que eu queria era ir embora, e esquecer desse episódio esquisito.

Olhei para o senhor de cadeira de rodas me levantando sentindo uma leve vertigem.

— Me desculpem, eu não sei o que aconteceu… — o senhor assentiu me olhando compreensivo.— Nós temos que ir.

— Helena, acho que temos que conver… — Izabel fala me ajudando a ficar e pé.

— Não temos não.

Reclamo com a voz seca.

O garoto de mais cedo me olhou irritado.

Ele parecia com raiva de mim.

Aquilo me machucava de maneira estranha, me deixando a beira de derramar lágrimas outra vez.

— Essa merda não deveria ter acontecido. — Ele passa as mãos irritado pelos cabelos Curtos. — Essa merda não vai me controlar!

Ele exclama saindo batendo porta me deixando com um coração partido para trás, eu não entendia o que estava acontecendo. Tinha menos de vinte quatro horas que eu estava ali e já estava arranjando problemas.

Olhei para o senhor Black na cadeira de rodas me olhando compreensivo, parecia desaprovar a situação do garoto.

— Me desculpem por Jacob, ele não anda tendo um bom dia.

Fala nos olhando, Izabel apertava meu braço me auxiliando para não cair, não sabia o que tinha acontecido, mas tinha esgotado todas as minhas forças tanto sobrenatural quando espiritual.

Estava fatigada.

Só queria ir para cada e dormir.

— Não tem problema e me desculpe por toda esse alvoroço… acho que minha pressão caiu. — Murmurei.

Escutei Izzy rir baixinho.

— Vamos irmã. — Ela me chama me olhando misteriosa. — Até mais Billy, nós vamos depois.

Eles pareciam já ter se conhecido bem.

— Até logo garotas.

" E de repente você foi embora

Eu não soube como seguir

É como um choque que me atingiu

E agora meu coração está morto

Eu me sinto tão vazia e oca. "


Dias se passaram e as coisas voltaram ao normal, ainda sentia falta do garoto mesmo que isso fosse a coisa mais estranha que aconteceu comigo.

Izabel tentava me animar, mas não adiantava muito.

Estava acabada e não sabia nem o porquê disso.

— Já está pronta? — Izzy apareceu na porta do meu quarto carregando sua mochila azul.

Sorri.

— Sim Só o falta passar um gloss. — Respondi colocando meus coturnos.

Estava vestida a caractere para o frio que era aquela cidade, passei o gloss e peguei minha bolsa vermelha em cima da cama me dirigindo para fora do quarto, me sentia esgotada. Essa semana nem treinar mais feitiços eu tinha, só queria chorar todas as vezes em que eu lembrava do garoto me negar.

" Negar"

Ele me rejeitou é aquilo foi demais para mim, eu nem o conheço. Como posso me sentir assim? Até hoje Izabel não me disse o que teria acontecido. Sabia que ela sabia.

Ela era uma bruxa que servia a natureza, diferente de mim que abusava da magia negra.

Não que eu gostasse, mas foi o que eu nasci ata fazer. As bruxas de magia negra eram quase raras no mundo sobrenatural, não era atoa que a realeza vampírica estava atrás de mim.

Quando desci as escadas encontrei Izabel discutindo com um garoto, ele parecia ser algum nativo da região. Mas tinha a feições de criança. Era uma coisinha muito fofa.

— Eu não pedi sua carona seu babaca! — Izzy rosnou para o menino que ainda tinha um olhar admirado para ela.

— Você não precisa pedir eu quero te dar e pronto.

Aquilo era estranho.

— Seth já te disse que eu não queria a merda dá carona, eu tenho um carro!

Os dois eram tão bonitinhos juntos.

— Mas eu quero te levar. — Ele a contrária dando um enorme sorriso.

— Ai! Você é tão idiota!

A os dois continuaram a discutir.

— Parem de brigar, vamos logo para escola! — Reclamo segurando o riso, eles pareciam ter a mesma idade apesar do garoto ter o dobro do tamanho de Izabel.

Quando chegamos a escola  o garoto – Seth – seguia Izzy como se fosse um cachorrinho eu tinha dó do pobre garoto. Izabel parecia realmente irritada com a aproximação dele. Não a culpava depois do que aconteceu com Johnny.

Para nossa segurança estaríamos na escola da reserva, até porque ficava bem mais próximo além da escola de Forks não aceitar alunos no meio do ano. Não que eu gostasse de ser a novata no meio do povo indígena, aposto que seria pior que se nós estivéssemos matriculadas da escola de Forks.

Izabel ficaria no segundo ano enquanto eu seguiria sozinha para o terceiro, se tudo desse certo terminaria o colegial naquele ano e depois iríamos embora daquela cidade, pretendíamos pedir abrigo ao Convêm de Nova Orléans, lá tínhamos primar minha que poderiam nos ajudar e nós treinar para uma futura batalha que poderíamos ter com os vampiros.

— Olha garoto eu realmente gosto de você, mas dá para de me seguir? — Quase gargalhei da cara de Izabel fazia ao brigar com o garoto.

Sabia que ela estava gostada e ter um " escravo" só estava fazendo doce.

— Mas eu quero ficar com você Bels… — O coitado já até tinha dado um apelido para ela.

— É Izzy, não Bels… — Ela resmungou vencida olhando para mim com um pedido de Socorro.

— Não me olha assim. — falei fazendo um sinal de rendição nas mãos. — É melhor irmos para aula já estamos atrasados.

— Toma seus horários. — Ela me entregou um papel. — Nós vamos no almoço.

— Ok, para de tratar o coitado assim.

Izzy virou os olhos.

— Está falando isso porque não tem um idiota te perseguindo.

Seth agora a olhava magoado quase abracei o coitado.

Izabel pareceu perceber e suspirou vencida.

— Ótimo, quer andar comigo como meu Guarda-costas, não é? — Ela perguntou ao garoto.

— Sim, eu só quero ficar perto de você Bels. — Ela agora tinha um olhar sorridente, ele parecia… apaixonado.

Uau! Aquilo no seu olhar não era apenas paixão era adoração.

Me deixou curiosa.

— Então segure minha bolsa e vamos. — Ele sorriu agarrando no ar a bolsa azul dela sorrindo tanto que pensei que ele iria rasgar sua boca.

— Até logo irmã.

— Até Izzy.

Me despedi dela é logo segui meu caminho para a sala em que eu teria que ficar, olhei meu horário e sabia que teria aula de trigonometria agora, quase gritei de raiva.

Odiava aquela matéria.

Já estava bem atrasada então o corredor estava vazio. Tudo por causa da discussão do mais novo casal de La Push.

Assim que cheguei na porta da minha turma senti minhas mãos soaram e meu coração dispara, estava nervosa. Odiava ser a novata ainda mais em cidade pequena a onde todos se conheciam.

— Com licença. — Chamei a atenção do professor que sorriu, parecia ser outro nativo da região. Estava me sentindo um peixinho fora d'água. — Sou a aluna nova…

— Oh, entre querida fique vontade. — Ele sorriu, assim que entrei na sala dei de cara com muitas caras conhecidas por ali, muito garotos que eu vi em La Push. — Você poderia se apresentar para seus novos colegas.

Droga! Devia estar tão vermelha.

Sorrir envergonhada.

— Haarr… sou Helena Loren Deveraoux, nasci na Bulgária, mas sempre morei na Flórida… — Suspirei envergonhada colocando meu cabelo atrás da orelha. — Sou emancipada então só estou aqui com minha irmã, bem é  Só isso.

O professor sorrir.

— Seja muito bem vida Srtª Deveraoux sou o professor Peter, pode se sentar ali ao lado da Embruy.

Olhei para a turma e uma garoto levantou as mãos me dirigir para lá tomando cuidado para não tropeçar em alguém.

— Oi.

Ele fala me estendo a mão.

Se senti na carteira ao lado dele sorrindo envergonhada.

— Olá. — Aperto suas mãos.

— Seja bem vida, La Push é legal você irar gostar. — Ele é hospitaleiro e isso me agrada.

— Obrigado.

Depois que a aulas acabaram senti um grande alívio, não estava gostando da atenção que estava recebendo. Principalmente dos garotos que me encaravam como um pedaço de carne.

Quando sai da sala carregando minha mochila vi no corredor minha irmã agarrada a Seth, nem pareciam que estavam quase se matando de manhã.

— Oi irmã, pode levar minha mochila? Eu vou almoçar na casa do BebyBoy. — Nem falei nada afinal de contas minha irmã era famosa pela sua mudança súbita de humor.

O garoto estava agarrado a cintura dela é sorria a todo instante.

— É pode ir tranquila Helena, eu cuido a Bels. — Ele falou beijando a testa de Izabel que se aninhou ao peito dele.

Pessoas apaixonadas eram tão estranhas.

— Ok, só não demora muito Izzy temos coisas a fazer, lembra? — Falei a olhando    sugestiva sobre a volta do nossos estudos sobre magia.

— À claro, não irão esquecer.

— Ótimo, não façam nada que eu não faria.

Izzy virou os olhos.

— Você não faria nada Lena.

Sentia o deboche na sua fala, mas preferi ignorá-la.

— Vou para casa,  tomem cuidado.

Passei por eles carregando minha bolsa e a da Izabel.

Quando cheguei ao estacionamento encontrei minha caminhonete ao lado de uma moto, que não estava ali quando chegamos.

Abri a porta do passageiro jogando dentro as duas bolsas pesadas.

Quando me virei quase ter um infarto, o garoto de semanas passadas estava ali me olhando com os braços cruzados.

Mas não tinha raiva em seu olhar, apenas curiosidade.

— Quer me matar do coração? Seu esquisito! — Passo as mãos no cabelo irritada.

Escuto sua risada e quase sorrio de volta.

— Desculpa.

Suspiro pegando a chave da caminhonete e dou a volta no carro indo para a porta do motorista.

— Ok, tchau garoto.

— Espera!

Ele diz aflito.

— O que quer agora?

Ele passa as mãos no cabelo envergonhado.

— Queria te pedir desculpas por aquele dia, eu não estava em meus melhores dias. — Fala me olhando.

— Olha, eu não tenho que te desculpar nem você pedir desculpa para mim. — Faço uma pausa olhando o garoto da minha classe, Embruy nos olhar ao lado do carro dele, era estranho pois ele também tinha a magia esquisita ao redor dele. — Eu nem te conheço direito e não devemos nada um ao outro, então adeus.

Tentei abrir a porta do carro, mas senti as mãos quentes, quentes demais em meus braços me impulsionando a olhar para ele.

— Por que está fazendo isso?

Resmungou.

— Não estou fazendo nada. — A verdade era que eu estava sim, queria que ele se sentisse do mesmo jeito que eu me senti dias atrás quando ele se mostrou um grande idiota comigo.

Mas eu sabia que não poderia fazer isso, afinal de contas nos nem nos conhecíamos.

— Então saia comigo hoje.

O que?

— Estarei ocupada.

— Não estará não, eu conversei com sua irmã e ela disse que você está livre.

Que vontade de matar Izabel.

Suspirei vencida.

— Droga! Me busque a sete em casa, tchau garoto esquisito! — Entrei no carro e pode ver o garoto sorrindo e Embriy fazendo um joinha para ele do outro lado do estacionamento.

Era uma grande merda mesmo.


Notas Finais


Deixem os comentários isso é muito importante para mim, e quem quiser fazer parceria em um fic do crepúsculo comigo e so me chamar no Pv.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...