História Maktub - Capítulo 2


Escrita por: e Kim-Amih

Postado
Categorias Black Pink, EXO, Got7, K.A.R.D, Seventeen, Super Junior
Personagens B.M, Baekhyun, BamBam, Boo Seungkwan, Chanyeol, Chen, D.O, Heechul, Hong Jisoo "Joshua", J.Seph, Jackson, JB, Jennie, Jeon Wonwoo, Jinyoung, Jisoo, Jiwoo, Junghan "Jeonghan", Kai, Kim Heechul, Kim Mingyu, Kim Ryeowook, Kris Wu, Lay, Lee Chan "Dino", Lee Hyukjae "Eunhyuk", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Lisa, Lu Han, Mark, Rosé, Sehun, Seungcheol "S.Coups", Somin, Soonyoung "Hoshi", Suho, Tao, Wen Junhui "JUN", Xiumin, Xu Ming Hao "THE8", Yesung, Youngjae, Yugyeom
Tags Chanbaek, Hunhan, Third Kamikaze, Yaoi, Yubbam
Visualizações 32
Palavras 2.058
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oii, olha eu aqui de novo. Terminei esse cap ontem. Tava bem nervosa com o prazo kkkk. Espero que vocês não buguem, bom. Foi betado, por mim e a Kim-Amih, ou seja, pode estar com erros. O spirit também tá acrescentando um espaço enorme entre os parágrafos, raivinha. Boa leitura. E o meu bordão, bem-vindos vocês que acreditam em destino.

Capítulo 2 - Chapter One


Fanfic / Fanfiction Maktub - Capítulo 2 - Chapter One

A calmaria antecede os piores furacões da vida, como aqueles que saem arrastando e destruindo tudo a sua frente com seus ventos fortes e tenebrosos, por isso eu digo, não se apegue a ela. ~ Byun BaekHyun.

   ೀ❁_Maktub_❁ೀ.

      O pequeno ômega de apenas 18 anos abriu os olhos tão brilhantes de um tom de azul extraordinário, uma cor de olhos rara para o padrão asiático, mas que sempre encantava todos que se perdiam naquele tom de mar num paraíso tropical.

      O menino de cabelos loiros sentiu seu estômago embrulhar com o cheiro de remédios que invadiam todo o local. Que mais uma vez Baekhyun identificou ser um quarto de hospital.

      O mesmo quarto de hospital. A mesma rotina. Mais uma vez estava ali. Só queria saber o porquê de novo. Na maioria das vezes era variado as causas de sua internação.

      Seus ouvidos apurados captaram gritos vindos do corredor à frente daquele quarto, e como sempre um sentimento de curiosidade atravessou o corpo do Byun, fazendo-o tentar se sentar e bater a cabeça da estrutura de ferro que era a cabeceira da cama, fazendo um barulho tão alto capaz de sessar os gritos lá fora.

      Se Baekhyun suspirasse poderia ser ouvido por trás da porta de tão silencioso o local estava neste momento.

      Mais uma frase baixa foi ouvida até Kim Heechul abrir a porta apressado e correr lentamente para perto de seu caçula. Passando a mão no rosto do filho preocupado com a saúde do mesmo.

      -- Como você se sente Baek? Huh? Estás bem? -- Deu um beijo na testa do filho que se pôs a rir baixinho com a preocupação do omma.

      -- Eu estou me sentindo bem, omma. Só cansado e com sono. -- Resistiu a tentação de fechar os olhos e se entregar a inconsciência. Balançou a cabeça e agora realmente se sentou - sem mais batidas de cabeça - com a ajuda do seu omma Heechul.

      -- Deve ser os efeitos dos remédios que aquele... Médico irresponsável lhe passou. -- Coçou a cabeça, impaciente - por algo que o Byun não fazia ideia.

      -- Baek? Omma? -- Jihan apareceu na brecha da porta, o irmão mais velho de Baekhyun foi até o menor e o abraçou logo após fechar a porta atrás de si. -- Eu estava tão preocupado. Todos nós estamos. Como se sente?

      -- Como eu já disse pro omma, só cansado. Não precisa dessa preocupação toda. -- Respondeu o Byun dando de ombros.

      -- Como não? Ryewook omma está quase arrancando os próprios cabelos de tanta preocupação e nem os appas estão conseguindo segurá-lo. -- Baekhyun crispou os lábios ao pensar que seu outro omma na maioria das vezes tão calmo estava transtornado daquele jeito por sua causa.

      -- Eu não queria preocupar ninguém. Pelo que me lembro foi só um desmaio. Já estou melhor.

      -- Só um desmaio?! O doutor nos disse que é sua má alimentação! Bem que eu notei você comendo pouco esses últimos dias, mas você sempre me dizia: "Não omma, eu não tenho vontade de comer". -- Heechul afinou a voz para imitar a fala do caçula fazendo uma careta. Baekhyun abaixou a cabeça envergonhado. -- Eu vou te deixar mais gordo que eu grávido menino! Você vai ver! -- Disse irritado com as mãos na cintura.

      -- Com licença? -- Perguntou um garoto que aparentava ser ainda mais novo que Jihan, e Heechul revirando os olhos permitiu que ele adentrasse o cômodo. Pelo o que o Byun percebeu ele se tratava de um médico. Um médico que fez questão de ficar o mais longe de HeeChul, Baekhyun só não sabia o porque daquele receio todo.

      Seu crachá estava escondido entre o jaleco branquinho que o profissional usava, impossibilitando o Byun de descobrir o nome do médico já que percebeu que este estava destraido e não fazer menção de se apresentar.

      Heechul olhava feio para o médico novo, este que se afastava de si. O mais alto do cômodo se virou para o paciente e lhe disse o que estava escrito e confirmado nos exames.

      -- Bom, Sr. Byun está no começo de uma anemia. Por isso, a nutricionista do hospital lhe dirá o que deverá comer e não pule as refeições ou troque elas por comidas que não são saudáveis, fazendo isso poderá melhorar e acabar com isso rapidamente. Vou lhe receitar alguns remédios e você os poderá comprar na farmácia do hospital. -- Leu algumas anotações em uma pasta em suas mãos pálidas. -- Peço licença para os senhores Kim para eu e a enfermeira podermos examinar o Byun. Será rápido e talvez ele terá alta.

      Jihan olhou para o omma, este que bufou e deu um beijo na testa do filho hospitalizado, dizendo que mandaria o appa de Baekhyun o buscar depois. Jihan acenou para o irmão e comprimentou o médico com um aceno de cabeça que foi correspondido, logo após saírem, uma menina também nova identificada como ômega se apresentou como Lee Eun Bi e cuidou do Byun, já que era a enfermeira citada.

   ೀ❁_Maktub_❁ೀ.

      -- Tenha cuidado. -- Alertou Jihan que voltou para buscar o irmão caçula depois que este recebeu alta. Um dos appas de Baekhyun, Yesung, também viera para buscá-lo e levá-lo para casa.

      -- Eu estou bem Jihan, já tomei os remédios. -- Baekhyun se segurou para não revirar os olhos porque sabia que todos estavam bastante preocupados mesmo. -- Eu posso ficar bem, é apenas um degrau.

      -- Foi por causa de apenas um degrau que a DaIn foi parar no hospital e quase ter perdido nosso bebê lembra? -- Perguntou arqueando a sobrancelha. Jihan era mesmo teimoso.

      -- Eu não sou a DaIn e também não estou grávido.

      -- Ainda bem. Eu nunca me casaria com um cara feio como você. Deus me livre. -- Fez sinal de cruz e abriu a porta do carro para Baekhyun, já que ainda estavam na frente do hospital.

      -- Eu que nunca me casaria com você. Seu chato. -- Cruzou os braços e fez um bico enquanto Yesung colocava o cinto de segurança em si. Rio pensando que seus filhos tinham mesmo argumentos na ponta da língua.

      O caminho correu tranquilo após fecharem as portas do carro e Yesung começar a dirigir. No sinal fechado ele sempre chamava bastanta atenção, em todos os lugares na verdade, só não seria bom seus três maridos saberem disso. Mas afinal, quem não olharia para aquela pele branquinha e lisa, cabelos negros bem cuidados e aquele rosto que parecia ser uma obra de arte? Realmente os maridos do alfa tinham muita sorte.

      Riram quando Jihan comentou sobre e foram cantando desafinados as músicas populares coreanas e estrangeiras que tocavam na rádio. Baekhyun estava feliz porque não era sempre que Jihan estava presente, sempre estava muito ocupado trabalhando e morava um pouco longe da família, junto com sua esposa Lee DaIn e e seu filho de quatro anos chamado Lee Chan.

   

ೀ❁_Maktub_❁ೀ.

      Baekhyun abriu a porta de casa e já foi recebido com um abraço apertado de seu omma Ryewook quase o fazendo cair do degrau na porta, sorte que seu appa estava atrás de si. Logo Xu MingHao, super amigo da família - considerado um quase filho - entrou naquele abraço e aqueles dois só soltaram o Byun porque EunHyuk insistiu para abraçar o filho. O irmão do meio de Baekhyun, JunHui quase se jogou em cima dele. O pegando no colo ao estilo noiva e se os jogando no sofá.

      -- Cuidado com seu irmão Kim Wen JunHui! -- MingHao deu tapas fracos no ombro de seu amigo e abraçou Baekhyun mais uma vez.

       Lee DaIn abriu um largo sorriso assim que desceu as escadas com o pequeno Chan nos braços, Baekhyun achava que ela estava ainda mais linda que antes, mas bem, era sua cunhada e ele não gostava tanto assim de meninas. Era mais como uma irmã para si.

       Logo após de avistar o tio e descer dos braços da mãe, Lee Chan correu atrapalhado para abraçar o tio, recitando novidades com aquela vozinha fofa e encantadora que só ele tinha. Baekhyun era mesmo um tio babão.

       Depois de todos receberem o pequeno Byun, - ainda mais pequeno que DaIn, acreditem - Ryewook o direcionou para a sala de jantar onde uma mesa farta estava a sua espera.

       -- Omma, eu não vou conseguir comer tudo isso! -- Exclamou o ômega encarando toda aquela comida posta e os presentes somente riram.

      Ryewook o encarava de braços cruzados.

      -- Olha aqui, Sr. Byun, eu não quero nem saber, você vai comer e se tiver que voltar para o hospital é por estar cheio de mais. Vamos, vamos. Quero todo mundo comendo também. -- Disse ele empurrando todos para suas cadeiras que não reclamaram e riram enquanto comiam.

      .....

      Após todos desejarem boa noite uns para os outros, subiram as escadas para seus quartos, até MingHao dormira no quarto de JunHui, nenhuma novidade já que todos estavam acostumados com os amigos a correr sempre juntos pela casa.

      Baekhyun dormia tranquilamente depois de um bom banho e ser bem coberto por Heechul enquanto estava abraçado com EunHyuk.

      No meio da madrugada de sexta-feira, Baekhyun acordou no carpete cinza de seu quarto, somente um pesadelo tenebroso o fazia cair da cama assim.

      Um pesadelo com ele. Com aquela mesma pessoa.

.

      Aquela mesma pessoa que estava em sua frente, o encarando. Seus cabelos azuis penteados pro lado continuavam os mesmos, seus olhos negros e a pele amorenada não haviam mudado nada.

     Era isso que doía, lembrar de cada detalhe. Baekhyun recuou até estar completamente encurralado, sem saída. Entre a parede e ele.

      Lágrimas, inúmeras lágrimas molhavam o rosto de Baekhyun enquanto a pessoa que mais queria esquecer continuava o encarando firmemente.

      "Quanto isso iria acabar? Quando ele iria embora? Quando me deixará em paz?" este era o pensamento do Byun, que só sabia que ele não o deixaria em paz tão cedo assim, talvez nunca.

      Soluços eram libertados da garganta já doída do menor, que se encolhia cada vez mais contra a parede, fechando os olhos balançando a cabeça em negação. Os olhos azuis brilhavam pelas lágrimas.

      -- O que faz aqui?! QUANDO ME DEIXARÁ EM PAZ?! -- Elevou a voz sem nem pensar que poderia estar acordando os moradores de sua casa ou até do próprio condomínio fechado. De repente, fechou os olhos e quando os abriu o maior havia sumido, e então BaekHyun percebeu que na verdade ele estava ao seu lado, tentando tocar-lhe. -- Saí!! SAÍ DAQUI!!

     Pôs a mão na cabeça, tentando controlar a dor e confusão que ela lhe trazia. Quando ele começou a segui-lo com um olhar de profundo ódio. Baekhyun correu pela casa gritando acordando seus appas e o resto da família assustados.

     Ele abriu a porta apressado tentando fugir do maior que o perseguia, Baekhyun já corria para fora do condomínio quando Heechul e os outros tentaram o acalmar para trazer o filho de volta e cuidarem dele. Nunca imaginaram que ele teria outra crise. Os remédios estavam servindo tão bem...

      E foi com a família chorando preocupada e correndo atrás de si, que já fora do condomínio, Baekhyun transtornado com a dor em sua cabeça viu um clarão em sua direção e logo sentiu um impacto que o fez voar longe. O grito de seu appas falando seu nome foi a última coisa que ouviu.

ೀ❁_Maktub_❁ೀ

      Baekhyun sentia-se tonto e enjoado, com uma dor de cabeça que o fazia pensar que iria explodir. No quarto onde estava, havia paredes azuis escuras e lençóis desta mesma cor. O cheiro, familiar (?) De remédio embrullhando seu estômago. O que seria aquela sensação?

     Ao seu lado, um sofá onde se acomodavam dois homens abraçados sustentando o peso um do outro enquanto choravam. Outro homem alto e orelhudo apenas abaixava a cabeça respeitando o momento dos dois.

    O que estava a soluçar usava uma calça jeans normal com uma camiseta branca longa e de mangas, já o outro usava algo mais formal. BaekHyun tossiu sentindo uma forte falta de ar e todos se viraram com olhos arregalados para o pequeno ômega.

       O homem de cabelos quase nos ombros se aproximou cambaleante e desacreditado do Byun, este que lhe encarava firmemente. E antes de poder formular alguma frase, o ômega mais novo fez por ele:

     -- Quem são vocês?



Notas Finais


BOOOM. Foi isso e espero que tenham gostado do primeiro capítulo. SUPER JUNIOR SIM! SEVENTEEN SIM! PESSOAS DE HWARANG SIM! É nóis, até domingo. Onde vários outros personagens chegarão. Kisses.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...