1. Spirit Fanfics >
  2. Maktub: My Vampire Destiny >
  3. My Whole Body Is Reacting

História Maktub: My Vampire Destiny - Capítulo 3


Escrita por: e TrizRidge


Notas do Autor


Espero que gostem <3

Link das imagens nas notas finais

Ps: Foto da capa tirada do Pinterest

Capítulo 3 - My Whole Body Is Reacting


Fanfic / Fanfiction Maktub: My Vampire Destiny - Capítulo 3 - My Whole Body Is Reacting

Estou com um pouco de ciúmes, você está olhando para outro, outro além de mim.

Jealousy - Monsta X

Após meu pequeno incidente com o bonitão — que não devia está nos melhores dias — me dirigi até a secretaria para entregar os últimos documentos e buscar meu uniforme. O Youngjae pediu por mim para que não ficasse em cima da hora, então está conforme as minhas medidas, se precisar fazer algum ajuste, será pouca coisa.

Eram dois uniformes diferentes, um para usar diariamente e outro para eventos importantes na instituição. O de uso diário era uma saia preta com listras brancas nas bordas, blusa social branca, gravata preta lisa e um blazer preto com detalhes brancos. O de uso em eventos mudava apenas o blazer, que era branco com detalhes em preto, o uniforme dos meninos possuía as mesmas cores trocando apenas a saia por uma calça.

Após pegar meu uniforme e escutar mais ou menos meia hora de regras do diretor, que não é lá o ser mais calmo do mundo, meus amigos fizeram um tour de verdade pela escola, me mostrando cada lugar, eu observava cada detalhe. Tinha um jardim enorme que os alunos usavam para passar o tempo, salas de estudos para alunos com certas dificuldades, enfermaria bem equipada, biblioteca com tudo que apenas uma instituição como essa era capaz de prover, clubes como o de teatro, musica e esportes. Mostraram onde seriam as aulas de natação, as salas de aula, banheiros e diversas outras coisas que me impressionaram, me falaram também que o refeitório é aberto para café da manhã, já que alguns alunos moram longe e às vezes saem cedo demais de casa, o portão da escola fecha às 7h30min e a primeira aula começa as 8h00min, nos dando meia hora para comer. Achei ótimo.

Quando o tour acabou eu estava cansada demais, não estava brincando quando falei que a instituição era enorme, então finalmente eu vou para meu apartamento com a Lisa e o Youngjae. Aproveitamos o resto do dia assistindo filmes, cantando musicas e dançando espalhados pela sala. Jantamos e tomamos banho, decidimos que Youngjae ia dormir conosco, então colocamos os colchões na sala e descansamos.

O final de semana passou rápido — até demais — e o meu primeiro dia de aula chegou, estava completamente nervosa.

— Não fique assim, você vai se adaptar bem, eu e o Youngjae estaremos com você, e existem pessoas legais por lá, além disso, se alguém mexer com você eu te protejo. — Lisa falou e parecia muito certa disso, mas o que de fato me preocupa é se vou conseguir acompanhar os meus colegas de turma.

Eu apenas acenei em concordância para ela e fomos em direção ao elevador, assim que chegamos ao hall encontramos Youngjae nos esperando, não precisaríamos de carro para ir, a JYP High School era próxima e eu gostava de caminhar, então fomos juntos conversando sobre bobagens.

No caminho já percebi olhares sobre mim, mas era meio óbvio que isso iria acontecer, afinal, eu sou Brasileira e não ia ser nada fácil passar despercebida aqui, o problema é que eu odeio ser o centro das atenções.

Após uns doze minutinhos de caminhada, chegamos à escola e não demorou muito para o que aconteceu minutos atrás se repetisse, olhares eram direcionados a mim, e até dava para perceber alguns cochichos, droga! Minha vontade era de sair correndo o mais rápido possível desse lugar. Aqui não possui muitos estrangeiros, mas tenho certeza que logo vou deixar de ser assunto, ao menos é isso que espero. Youngjae percebeu que eu estava nervosa com aquela situação e tentou me distrair.

— Estou com fome, sai de casa sem comer nada com medo de nos atrasar no seu primeiro dia de aula, vamos fazer o que fazemos de melhor, comer! — ele falou para mim, já me puxando para o refeitório.

— Isso é bom, eu e a S/N comemos apenas uma fruta antes de sair de casa, quero comer até minha barriga reclamar. — Lisa disse empolgada nos acompanhando e cruzando seus braços nos meus.

E assim aconteceu. Nós fomos em direção ao refeitório falando altos nada e rindo atoa, estava bem distraída nos meus pensamentos quando Youngjae para em frente a uma porta de vidro e me tira deles.

— Ai que saudade que eu estava de comer a comida daqui. — Eu e Lisa olhamos para ele meio desacreditadas. — Tudo bem, talvez eu não esteja com tanta saudade assim. — Ele diz fazendo uma expressão engraçada que nos faz gargalhar.

É um fato que Youngjae não gosta muito da comida daqui, ontem ele passou horas falando o porque era muito melhor comer em casa e como tudo parece pouco demais e requintado demais aqui, além de ser ruim e ele comer apenas quando está com muita fome, nas palavras dele, esse é o único momento onde a comida daqui presta, Lisa descordou, e eu vou descobrir de qual lado estou agora mesmo.

Após entrarmos sentamos em uma mesa do lado da janela, pegamos o cardápio e fizemos o pedido, eu pedi uma porção de bolinho de arroz doce, enquanto Youngjae e Lisa pediram sanduiches e duas xicaras de chá, depois de uns cinco minutinhos esperando, os pedidos chegaram, quando provei um pouco da minha comida, descobri que estava do lado do Sunshine, meu bolinho de arroz estava com gosto de “quero morrer” com “já estou morta por dentro”, meus amigos que esperavam ansiosos pela minha sentença final sobre a comida, apenas riram quando me viram fazer uma careta, empurrar a comida à força para dentro e em seguida tossir com horror e com medo de pedir o chá e ser tão ruim quanto isso.

— Eu falei! A primeira sensação que você sente quando prova dessa comida é a vontade de voltar no tempo e simplesmente ficar com fome. — ele falou e me senti obrigada a concordar, agora entendi porque a maioria das pessoas aqui trás sua própria comida pela manhã, alguns, como Lisa, estão comendo como se fosse a melhor coisa do mundo, outros, como Youngjae estão engolindo apenas para não ficarem com fome.

Eu empurrei meu prato e preferi apenas observar enquanto eles comiam, bebi um pouco de água e olhei ao redor, foi quando percebi três garotos que estavam na mesa ao lado olhando para mim e falando algumas coisas que não conseguia ouvir direito, um era bem alto e magro, o outro era mais baixo e tinha o corpo bem musculoso e o terceiro parecia um modelo daqueles que a gente vê em revistas. Não estavam comendo nada, imaginei que estivessem aqui apenas para passar o tempo, mesmo após os encarar, eles continuaram me olhando, um pouco incomodada acabei falando um pouco alto em português.

— Mas que saco, parece que as pessoas dessa escola nunca viram uma pessoa estrangeira! — Youngjae me pergunta o que estava acontecendo e eu digo que os três garotos da mesa ao lado não paravam de me encarar e cochichar sobre mim.

— Entendi, eles são assim mesmo, não é só com você. Aquele é BamBam, aquele ao seu lado é Jackson, e esse em frente a eles é o Mark. — Ele apontou discretamente — Além de tirarem as melhores notas da escola, são bem populares, só que são tão misteriosos que quase ninguém sabe sobre a vida deles fora da escola. Um conselho meu, não se aproxime deles. — Eu apenas concordei com a cabeça e quando ia falar algo, o garoto estressadinho da sexta passada chega à mesa e se junta a eles, eu o encaro, não dá para negar que ele é lindo demais, parece um crime vê-lo e não aprecia-lo, seus cabelos caindo aos olhos, seu piercing no nariz que o deixa mais charmoso, sua pose, tudo nele remete a algo que não sei explicar, mas chega muito próximo ao pecado. Ele parece notar e me olha também, seus olhos negros me encaram e por um segundo sinto minhas pernas formigando, seu olhar é profundo, cheio de algo que não sei identificar, e fico nesse transe por um tempo, até que ele parece ser chamado por um dos amigos. Minha mente ainda está nele quando falo:

— Tinham que ser amigos daquele estressadinho. — Reviro os olhos dando uma risadinha. — E ele? Qual é o nome dele? — Pergunto um pouco mais interessada do que deveria.

— Já deu até apelidinho é? — Youngjae me olha com certo deboche.

— Falei apenas a verdade, não me olhe assim, sabe muito bem que não tenho interesse.

— Se está bravinha é porque tem algo aí sim, você não me engana diabinha. — Nos encaramos o suficiente até ele levantar as mãos em claro sinal de desistência. — Você sempre apela para isso, porque sabe que não gosto de encarar, isso é jogo baixo. — Ele fala indignado, depois ri. — A propósito, o nome do seu estressadinho é Jaebeom, mas a gente fala Jay B ou JB.

— Nossa! Tipo Justin Bieber? — Falo rindo. Escuto uma gargalhada e sou atraída pelo som, o garoto que se não me engano se chama Jackson estava rindo e falando algo com os amigos que também riam de algo, JB estava emburrado, eu achei fofo.

— Sim, exatamente. — Youngjae falou atraindo minha atenção novamente, ele estava segurando uma risadinha.

Lisa está nos olhando com o cenho franzido, como se tentasse desvendar um código importante e que irá mudar o destino da humanidade, mas parece desistir e apenas nos intima como uma professora dando bronca.

— Dá para vocês dois falarem coreano? Também quero participar da conversa! — Diz e só aí eu percebo que ainda estava falando com Youngjae em português.

— Desculpa Lili, não vai acontecer outra vez. — Falo fazendo uma carinha fofa e ela sorri.

Sinto minha pele queimar novamente, como se fosse encarada, mas ao procurar, não encontro ninguém olhando para mim.

Acabamos nos entretendo em conversar e quando o refeitório estava vazio foi que percebemos que faltava apenas três minutos para começar a aula, fomos para sala correndo praticamente, quando chegamos, me sento ao lado do Sunshine e atrás de Lisa, a primeira aula era de história e o professor ainda não havia chegado, estou concentrada pegando meus materiais dentro da mochila quando vejo os quatro garotos do refeitório entrando na sala. Eu não acredito que vou estudar na mesma sala que eles!

X7

Depois que a aula começa, eu tento me concentrar apenas nela, porém por algum motivo eu estava sentindo aquela mesma sensação de ser observada. Procuro a minha volta e descubro que a pessoa me encarando é o JB, ele rapidamente desvia o olhar e eu volto a prestar atenção na aula, não consigo negar que ele me assusta um pouco, mas tenho que confessar que queria saber mais sobre ele, vez ou outra sentia seus olhos sobre mim, será que tinha algo errado comigo? Isso me desconcentra um pouco, resolvo então ir ao banheiro lavar o rosto para ver se fico mais concentrada na aula, me levanto vou em direção ao professor, ele me dá permissão e eu saio da sala a procura do banheiro, o problema é que não lembrava em que direção ficava. Após andar um pouco, consigo encontra-lo, lavo meu rosto e tento não ficar abalada com toda aquela pressão que sentia vindo do garoto que eu mal conhecia.

Ando distraidamente, arrumando meus cabelos quando sinto que bati em algo, é muito rápido, mas quando acho que vou ao chão seus braços seguram minha cintura. Levanto meu meus olhos para ver quem me salvou e encontro um olhar vidrado em mim, preocupado, talvez, Jackson é o nome do meu salvador. Suas mãos ainda pressionavam minha cintura com a firmeza de um artesão, e seus olhos estavam ainda mais escuros do que eu pude lembrar, quando percebe a situação em que estamos ele me solta lentamente, se certificando que não irei cair se ele se afastar. Um pouco constrangida com a situação e sentindo minhas pernas parecem gelatinas, eu tomo coragem para falar.

— Obrigada! — Digo para ele com um sorriso incerto.

— Não precisa agradecer, não deixaria alguém tão preciosa quanto você cair. — Sua voz é grossa e firme, ele me deixa mais encabulada do que já estava. Suas palavras pareciam muito sinceras. — A propósito — ele parece meio sem jeito ao falar. — Me desculpa por hoje mais cedo, eu percebi que você ficou incomodada com aquela situação, é que nós não estamos acostumados com estrangeiras em nossa escola, muito menos com uma tão bonita quanto você.

Fico bastante surpresa com as palavras dele. Mas se antes eu estava morta de vergonha, agora eu queria me enterrar.

— Não precisa se desculpar. Err... Obrigada pelo elogio, eu acho. — Não consigo dizer mais nada, além disso, e ele parece perceber, apenas assente com a cabeça.

Ele se despede de mim e volta a caminhar, eu fico parada um tempo observando suas costas e depois sigo para a sala de aula, quando chego, estou tremendo, ofegante e com vergonha até de olhar para os lados, vou para minha carteira e sinto olhares em mim, mas simplesmente fico na minha, não respondo nem mesmo ao olhar indagador de Youngjae ao meu lado. Alguns minutos depois, Jackson volta para a sala, nossos olhos se encontram de novo, ele faz um pequeno comprimento sorrindo de lado e eu retribuo um pouco desconcertada, fico com um sorriso bobo por um tempo, JB está me encarando novamente, ele olha de mim para Jackson, mas algo parece irrita-lo, ele pega suas coisas e sai da sala. Ele ficou bravo porque o Jackson me cumprimentou? Não, deve está com raiva de outra coisa, porque nenhum dos meninos pareceu se importar em ir atrás, deve ser algo pessoal.

A manhã passa arrastada, as aulas são um pouco mais complicadas do que no Brasil, mas está dando para acompanhar. Mas quando vejo uma garota andando em minha direção com uma cara nada boa, percebo que meu dia com certeza não teria como ser fácil.


Notas Finais


Obrigada por terem chegado até aqui <3 Espero que tenham gostado!

https://pin.it/2IHjotA (Refeitório)

https://pin.it/2YJLgpT (Escola)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...