1. Spirit Fanfics >
  2. Mala Santa >
  3. I - Dicen que hay peligro cuando salgo...

História Mala Santa - Capítulo 1


Escrita por: klangdon

Notas do Autor


Olá mores, mais uma adaptação para vocês.
- Escolhi a Becky porque acho ela uma fofa, mas ela sabe ser sensual quando quer.
- Escolhi o Chris porque ele é um safado. haha
Essa obra é um surto da minha cabeça, sem qualquer relação com a realidade. Aproveitem.
BOA LEITURA!

Capítulo 1 - I - Dicen que hay peligro cuando salgo...


POV CHRISTOPHER

Fiquei encarando o teto por alguns minutos. Longos minutos. Meus ouvidos captavam atentamente os barulhos vindos da movimentação dos meninos pela casa e os que vinham da rua. Minha cabeça doeu em protesto pelas cervejas tomadas junto com Zabdiel e alguns amigos na noite anterior. Me concentrei em não ouvir nada, mas passos apressados escada acima chamaram minha atenção e alguém bateu na porta do meu quarto.

– Christopher? Vai dormir pra sempre?! Acorda que daqui a 30 minutos temos que sair para a reunião. – Rich avisou fazendo com que eu ficasse confuso.

– Que reunião? – Minha voz saiu mais rouca do que eu esperava e tive que limpar a garganta em seguida. – Que reunião? – Perguntei novamente me certificando que ele entenderia.

– A reunião com o nosso empresário. – Ele me respondeu como se fosse óbvio. E realmente deveria ser se eu não tivesse me esquecido completamente.

– Já estou indo. – Finalizei o diálogo e pude ouvir ele descendo as escadas com a mesma pressa de antes.

Eu não estava com a mínima vontade de sair da cama. Porém era meu trabalho me chamando. Outro fato motivador era o conteúdo da tal reunião. Nós fomos avisados que seria algo muito bom para nossa carreira, só não quiseram falar exatamente o que era.

Levantei devagar, e fui direto para o banho. A água quente me fez relaxar e a dor de cabeça praticamente passou. Depois de me vestir rapidamente, tomei um remédio para dor e enchi uma xícara grande com chá. Os garotos já estavam no carro me esperando, então eu teria que comer depois.

– Vamos nos atrasar por sua causa. – Joel fez questão de deixar isso claro assim que entrei na van.

– Vocês poderiam ter me acordado antes. – Respondi simples e tomei um gole do meu chá não tão quente como eu gostaria.

Quando chegamos ao local da reunião um assessor nos recebeu no escritório muito bem, nos acomodamos nas cadeiras e a reunião começou.

– Então rapazes eu sei que fiz muito suspense, mas a notícia era muito boa para eu contar apenas por telefone. – Nosso empresário começou.

– Fala logo cara. Estou ansioso. – Erick implorou.

– Vocês conhecem aquele cantor e compositor chamado Maluma?

– Lógico! O que tem ele? – Rich respondeu.

– Bom, a assessoria dele me ligou dizendo que ele gostaria muito de gravar uma musica com vocês para o próximo álbum que ele lançará. – Ele contou enfim e todos nós ficamos um pouco em choque.

– Sério? – Perguntei exaltando um pouco a minha voz. – O cara está estourado. Vai ser muito bom.

– Sim! Nós já acertamos muitos detalhes. Ele adora o som de vocês e disse que seria diferente gravar com uma boyband.

– Cara, isso será incrível! – Zabdiel praticamente gritou.

– Tudo que esse cara grava é incrível. – Joel completou.

– Vocês vão pra Miami daqui a 2 semanas para gravar.

Depois de sabermos mais detalhes ficamos ainda mais animados, é claro. Algo dentro de mim sinalizava que a viagem para Miami seria épica. E talvez não só pela gravação da música.

(...) 2 semanas depois...

Descemos da van e fomos encaminhados por uma mocinha simpática para a sala anterior ao estúdio de gravação.

– Vocês aceitam um chá? Água? Café? Suco ou uma soda já que está calor...? – Ela sorriu e nós respondemos que não queríamos nada. – Fiquem à vontade. O Maluma disse que vai se atrasar um pouquinho, mas eu já vou chamar o produtor para começar a conversar com vocês sobre as ideias para música. E a Rebbeca vai se atrasar também.

Não pude evitar a expressão confusa que tomou meu rosto, até porque os outros meninos também mostravam isso.

– Quem é Rebbeca? – Fui o mais rápido a perguntar.

A loira sorriu pelo nariz.

– Eu esqueço que as pessoas não conhecem ela por Rebbeca... – Divagou. – A Becky G vai gravar hoje também.

– O que? – Deixei o protesto escapar da minha boca, incrédulo.

– Sim. O dia vai ser agitado hoje. – A mulher respondeu empolgada, sem perceber minha indignação. – Vou voltar para recepção, com licença.

– Como assim a vadia iria chegar daqui a pouco ao estúdio?! – Me virei para nosso empresário, que mantinha uma expressão serena. Nós já sabíamos que ela participaria do cd também, mas nunca imaginamos que teríamos que gravar no mesmo dia que ela. – Só pode ser brincadeira...

– Não...

– Isso não vai dar certo cara. – Zabdiel disse e gargalhou em seguida, porém tenho certeza que era um riso de ansiedade e não porque a situação era realmente engraçada.

– Tem que dar certo, rapazes. – Ele nos encarou sério. – Eu sei perfeitamente do que rolou entre vocês nos bastidores do Premio Lo Nuestro. E devo admitir que apesar de errado, até que a polêmica serviu para promover vocês. O fato é que a Becky alegou que só poderia estar aqui em Miami nesse final de semana. Ela chegou ontem à noite e ficará aqui até domingo... O Maluma achou melhor não cancelar com vocês. Ele disse que conseguiria gravar as duas músicas.

Ouvimos ainda sem acreditar muito no que iria acontecer. Aquela combinação poderia ser bombástica.

Nos bastidores do Premio Lo Nuestro tentamos falar com Becky, sendo simpáticos, já que já tínhamos trabalhado juntos, e ela simplesmente nos ignorou. Disse que não queria nos receber em seu camarim. E quando nos cruzamos num dos corredores ela virou a cara. Não fizemos nada que pudesse gerar tal comportamento, então a única explicação era que ela tinha se tornado uma diva completa, uma vadia total. Tempos depois numa entrevista acabamos deixando escapar que não nos dávamos bem e então um grande circo se formou na mídia.

– Até parece que ela é ocupada assim. – Ironizei quebrando o pequeno silêncio que se formou.

– Será que o Maluma não acompanha jornais, revistas, sites sobre celebridades, ou coisas assim?! Ele devia saber que seria no mínimo estranho nos colocar juntos no mesmo estúdio. – Rich se pronunciou.

– Desde quando você sabe disso? – Erick perguntou.

– Desde... – Franziu a testa e encarou o teto tentando recordar o dia exato. – Terça-feira.

– E porque não nos contou?! – Deixei minha raiva evidente no tom de voz.

– Porque não faz diferença Christopher. Nós temos que dançar conforme a música. Só estou pedindo um pouco de profissionalismo aqui, ok?! – Nosso empresário levantou um pouco a voz. – Vocês vão fingir que nada aconteceu. Não quero ninguém beijando os pés dela, mas também nada de clima ruim. Ajam naturalmente. O objetivo aqui é gravar a música com o Maluma e trabalhar para que ela seja um sucesso. – Ele completou abaixando a voz para um quase sussurro se certificando que nenhum funcionário do lugar poderia nos escutar.

Antes que eu ou algum dos meninos pudéssemos reclamar mais da circunstância alguém bateu na porta e entrou em seguida com um sorriso simpático. O homem se apresentou como produtor responsável por algumas faixas do CD, incluindo as duas que seriam gravadas hoje. Ele mostrou um pouco do seu currículo durante a conversa e notamos músicas conhecidas por nós que viraram grandes sucessos. Não demorou muito, ou talvez a conversa estivesse interessante e o tempo passou rápido, e Maluma chegou a sala. Nos cumprimentamos e ele foi dizendo o nome de cada um para ter certeza de que tinha decorado corretamente, e tinha. Começamos a discutir sobre o que eles queriam para a música e sobre o que nós já tínhamos pensado. A letra já estava mais do que decorada e a melodia inicial já conhecida por nós também. Agora nós teríamos que gravar decidindo qual voz se encaixaria melhor em determinadas partes e os efeitos. É um trabalho um pouco cansativo, porém muito gostoso.

Tudo estava muito bom e a conversa realmente divertida, até que a vadia chegou. Ela e Maluma se cumprimentaram como amigos de infância, e a empolgação toda partia mais da parte dela, o que pareceu pura falsidade da morena.

– Você já conhece meus amigos da CNCO? – Maluma perguntou apontando para nós, todos acomodados em um lado da sala. Becky lançou um ‘oi’ acompanhado de um aceno e um sorriso bem forçados.

– Nós já nos vimos nos bastidores por aí. – Nos vimos? Você nem ligou pra gente sua vadia mentirosa. – Como vão rapazes?

– Erick e Rich, os mais sensatos, responderam que estávamos muito bem e Joel e Zabdiel mantiveram uma expressão vazia. Provavelmente só eu não conseguia fingir muito bem. Posso apostar que meu rosto não demonstrava calma alguma. Meu sangue correu mais rápido pelas minhas veias. Como alguém consegue ser tão falsa?! Eu acho que ela devia ter aproveitado a oportunidade para nos pedir desculpas. Seria uma atitude de quem tem caráter e admite os erros. Se ela fizesse isso, eu também me desculparia por dizer coisas ruins dela. Apesar de que não me arrependo nada. Um sorriso de canto apareceu nos meus lábios enquanto eu encarava o chão e esperava a vadia terminar de falar com Maluma sobre a viagem dela e outras coisas que ninguém queria saber.

– Eu terei que gravar antes deles, pois só posso ficar aqui até domingo. Temos que terminar nossa música até lá. Estou cheia de reuniões sobre projetos, e shows aos finais de semana. E pelo que sei, eles poderiam ficar aqui por mais tempo sem problema nenhum já que não tem muitos compromissos.

A fala prepotente de Becky fez com que meu olhar se direcionasse a ela. Essa ridícula está nos provocando?! Sério?! Além de não pedir desculpar ela irá nos alfinetar?! Insinuar que não fazemos shows e não temos projetos é muita cara de pau dela. Respirei fundo me controlando para não responder os desaforos. O olhar dela pousou no meu e um sorriso de canto totalmente sarcástico foi lançado a mim. Era a primeira vez que nos olhávamos diretamente assim. Ela muito provavelmente conseguir ver meu desgosto pela presença e palavras dela e isso causou nela uma sensação boa.

– Vocês se importam rapazes? – A pergunta saiu doce de seus lábios dissimulados. Parecia que ela realmente se importava. Apesar da prepotência devo admitir que é uma boa atriz. Pagando de boazinha na frente do Maluma daquele jeito.

– Algum problema? – Maluma também perguntou.

– Não. Podemos gravar depois. – Rich respondeu com convicção.

– Vamos sair pra almoçar então, e assim voltamos mais tarde, ok? – Nosso empresário deu uma solução muito pratica e todos concordaram.

Nos levantamos e fomos em direção a porta, antes de sair dei uma última olhada para Becky e ela teve a ousadia de me dar um tchauzinho totalmente sínico. Ela não tem noção de com quem está mexendo. Parece que eu terei que ensinar a ela que brinca com fogo acaba se queimando mais cedo ou mais tarde.


Notas Finais


Espero que tenham gostado e continuem acompanhando.
Beijokas.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...