1. Spirit Fanfics >
  2. Malaxofobia >
  3. Capítulo V

História Malaxofobia - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Manas... vocês tão amando essa fic, tão ficando viciada.... Mas aí pergunto...
E a louça tá lavada??? A aula em EaD tá assistida????

Tô de olho
200 FAVORITOS!!!! AMO CADA UM!!!!

vou já responder os comentários; deixem eu só extorquir o meu irmão pra conseguir comprar um lanche pra mim

Capítulo 5 - Capítulo V


Sakura 

O médico pela milésima vez pergunta se eu estou bem e eu respondo que sim. Ele ainda olha os meus exames e afirma que está novamente tudo em ordem. 

Fico sozinha quando ele sai do meu quarto hospital, sei que Hinata daqui a pouco irá aparecer. Toco na minha barriga, não há nenhuma evidência de que tenha um bebê dentro dela, no entanto, lembro do susto que passei ao imaginar que estava o perdendo...

 Não gosto nem de lembrar da sensação que foi o completo desespero quando senti o sangue sair de dentro de mim e manchar a minha calça. Pensei que tudo estava perdido por conta da minha estupidez.

Estou apertada para ir ao banheiro, mas não quero fazer nenhum movimento sozinha, por mais simples que ele seja, foi me recomendado repouso absoluto. E tenho medo de que algo ocorra com um mínimo movimento. Esperarei que Hinata chegue para me ajudar. 

Minutos depois, vejo a porta ser destrancada e ela entrar no quarto.

"Me leve ao banheiro." Suplico e mal deixo ela entrar direito no quarto.

E uma função que antes era simples, agora demora bastante, pois fazemos tudo com cuidado com medo de algo acontecer. Sinto um alívio ao sentar no vaso sentir a urina saindo de mim.

"Você está bem?" Pergunta Hinata do outro lado da porta.

"Sim..." 

"Você passou a noite bem? Queria ter dormindo aqui com você."

"Sim, não se preocupe, eu fiquei bem. E você tem um filho para cuidar, não pode me dar atenção exclusiva." Falo, noto o tom de voz triste de Hinata, ela se sente culpada por algo que ela não tem controle; é impossível ela ser mãe e ainda lactante e ficar dois dias direto comigo no hospital.

"Quando você recebe alta?"

"Amanhã se tudo der certo." Me limpo e tenho muito medo ao olhar o papel, suspiro ao notar que não há nenhum vestígio de sangue.

Saio do banheiro e volto para minha cama com sua ajuda. Estou cansada de ficar deitada, no entanto, essa é a melhor forma de eu e meu bebê ficarmos bem, então no fundo não vejo muito problema. 

"Sakura..." Hinata me chama meio cautelosa.

"Diga."

"Que surto foi esse que você teve com Sasuke?" 

"Hmm..." Não quero conversar sobre Sasuke, mas Hinata não parece notar, pois continua me olhando como se exigisse respostas. No entanto, nem eu sei ao certo porque eu o tratei daquela maneira. 

"O que?"

"A reação dele foi diferente... não é por isso o surto. Mas quando eu descobri a gravidez, eu chorei, gritei, xinguei depois rir feito uma doida." Digo. "Mas eu..."

"Diga!"

"Não sei se estou preparada para ter um laço tão forte com alguém assim... passei dois meses me acostumando com a ideia de ser mãe solo, não estava nos planos que Sasuke fosse assumir a paternidade." Sou sincera, não quero que Hina entenda meus motivos, nem sei se de fato eles são válidos, porém, quero apenas desabafar com uma amiga.

"... Não sei lidar direito com Sasuke ou com qualquer outro tipo de gente. Tenho medo. Medo do Sasuke ser um péssimo pai. Prefiro criar meu filho sozinha se for para ele ter um pai idiota. Somente ao pensar na possibilidade do meu filho sofrer por ter um pai ruim já me enche de ódio..." lágrimas começam a cair pelo meu rosto.

Somente noto que estou chorando quando o salgado da água chega em meus lábios. Entretanto, já é tarde demais para impedi-las e elas não param de cair.

"Sakura..." Hinata se aproxima e tenta me consolar. Sinto meu cabelo ser acariciado pelas suas mãos macias.

"Quando eu lembro da sensação que foi achar que eu perderia meu filho... eu já o amo demais e não quero que ele sofra." Choro de uma forma forma patética. Não quero chorar, não gosto de chorar, mas não consigo segurar.

"Você está sofrendo por antecipação, amiga! E você não conhece Sasuke, ele não é esse tipo de homem. Tenho certeza. Deixa só ele se acostumar com a ideia de ser pai... Você é mãe há dois meses, ele só há dois dias... Você não está sozinha, Sakura." Suas palavras mansas e carinhosa não são o suficiente para impedir minhas lágrimas de descerem.

"Sempre fui sozinha, já estou acostumada. E até gosto de ficar só, Hina. Gosto de como tudo sai do meu jeito. Tenho medo de não saber lidar com Sasuke."

"Calma, anjo..." 

"Passar a ter uma conexão assim com ele me dá um certo calafrio." 

"Calma, Sakura. Também não tenta imaginar o pior das coisas! Você precisa conversar com Sasuke. Seriamente! Santo Deus! Como você avisa para ele sobre o bebê depois de um assalto."

"Pareceu um bom momento." Defendo-me, na hora eu realmente havia acho uma boa ideia.

Hinata afaga meus cabelos e me encoraja com suas palavras. Sei que tudo vai dar certo, mas mesmo assim, depois de tanto tempo, eu senti um medo terrível. 

"Sakura, amiga... porque você ficou na frente de um assaltante?" Sei que essa é a pergunta que ela quer me fazer desde o momento em que entrou neste quarto.

"Não sei." Minha voz está por um fio. Eu mesma estou pensando nesse assunto durante todas as horas que aqui estou; e ainda não encontrei uma resposta completa. "Acho que era a coisa certa a se fazer. Era uma criança! Eu não sei, só sei que quando dei por mim, eu já estava a protegendo com o meu corpo." 

"Isso foi arriscado... porém, muito corajoso da sua parte." Fico feliz por ela ter dito isso. Por não ter me chamado de inconsequente ou coisas piores; minha mente já faz Isso, e é bom alguém que me olhe por outra perspectiva.

Conversamos bastante, e depois de um bom tempo, ela avisa que Sasuke está chegando e quer conversar comigo. Não reluto, sei que minha atitude foi deveras infantil, e que eu precisava ter uma conversa honesta com Sasuke.

Ele entra no quarto todo desconfiado. Peço para que ele sente na poltrona, mas ele não me obedece e se aproxima de mim.

"Eu não vou embora." Ele diz sem ter falado nada antes. "Acho melhor você aceitar e..."

"Tudo bem, Sasuke. A gente precisa conversar com mais calma. Tudo é novidade para mim também. E eu sou meio intensa nas minhas ideias, mesmo que elas não façam sentido. Me desculpa pela forma que eu agi, quando tô com medo faço muita coisa estúpida." Sou sincera e ele parece aceitar as minhas palavras.

Quero explicar o que senti quando descobri que o pai do meu filho seria Sasuke. Um cara que mal conheço e que não parece querer nenhum tipo de vínculo emocional. Não que eu quisesse também antes de descobrir estar grávida, mas eu me conheço. Sei onde posso ceder e até onde vou; ter um filho sempre foi um sonho. E imaginar que Sasuke pudesse ser um homem ruim para meu filho me dava calafrios. Sofri muito na mão de um pai idiota, não quero que meu bebê passe pelo mesmo. Não sei das intenções de Sasuke, mas estou disposta a descobrir e aceitá-las se elas convergirem com meus ideais. E também não reluto a fugir realmente se eu sentir que Sasuke pôde, de alguma forma, prejudicar a mim ou a essa criança que está no meu ventre. 

Eu vou deixar bem claro para ele a mulher que sou e tudo que estou disposta a fazer pelo bem do meu filho.


Notas Finais


Isso mesmo que você viu viado
A Sakura é doida


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...