História Maldita Assassina - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood
Tags Once Upon A Time, Outlawqueen
Visualizações 57
Palavras 2.522
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Suspense, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Galera desculpem a demora, de verdade! Esses últimos meses foi um confusão pq eu to de mudança e tive que organizar muitas coisas.Mas enfim... Espero que gostem do capítulo!
PS: Para quem tbm lê a minha fanfic "Nova fase da vida" vou ficar um bom tempo sem postá-la, mas ela já está no finalzinho e termino ela em dois capítulos ( eu sei ela ficou muito pequena) pq no momento estou focando mais nessa fanfic. Postarei um aviso em NFdV explicando direitinho o que ta acontecendo.
Beijinhos e boa leitura!

Capítulo 6 - Loves and Secrets


Fanfic / Fanfiction Maldita Assassina - Capítulo 6 - Loves and Secrets

Tic-tac, tic-tac...

Regina encarava o relógio da torre, á todo momento, durante o seu treino. Robin estava em uma reunião com a corte, por isso, ela treinava sozinha no pátio que ficava nos fundos do castelo.

Tic-tac...

Ela sabia que se encontrariam às 6 horas

Ao pôr-do-sol

Como havia sido combinado mais cedo...

Ela estava ansiosa. Nervosa. E não tirava os olhos do grande relógio.

-É preciso concentração pra poder treinar sabia?

Aquela voz... Nunca escutara antes

- O que? Ah, oi...

- Olá...

-Q-quem é você?

- Me chamo Graham... E você é?

- Reg... Maya! Meu nome é Maya... – Ela logo corrigiu antes de falar o verdadeiro nome.

- A campeã do Príncipe Herdeiro... Bom, muito prazer Maya.

- O prazer é meu Graham. – Regina deu um leve sorriso, olhou o relógio novamente e voltou a se concentrar nas adagas que estavam em suas mãos. Porém, não tirava Robin da sua cabeça...

- Okay... Eu sei o que você está pensando. – Regina se assustou, será que ele sabia que...

- S-sabe?

-Sim... “O que um dos meus oponentes nessa competição está conversando comigo e sendo tão gentil?”

- Uau... Você realmente leu a minha mente...

- Na verdade eu só estou nessa competição pra ganhar a minha liberdade.

-Eu também... Será que todos que estão participando foram comprados com esse mesmo discurso de liberdade?

- Menor ideia, porém eu só preciso chegar nas finais e não necessariamente ganhar. Prometeram a mim que eu podia voltar para a minha família se eu pelo menos participasse. Eu sei que posso morrer durante essa competição, mas vale a pena correr o risco para proteger aqueles que amo.

A assassina viu algo naqueles olhos claros como o céu.

Graham era um guerreiro, e pelo que se podia ver, um homem leal que luta pelo o que ama.

Regina não era tão diferente dele, tirando o fato de que todos aqueles com que ela se importava, já não estavam mais ali... Então... Pelo o que ela lutava?

- De onde você vem, Graham?

- De um pequeno vilarejo da Floresta Encantada. Eu era caçador, não como qualquer caçador... Eu atendia a trabalhos que me pagassem melhor, era, digamos que ilegal, e então fui pego e levado para a prisão da Floresta.

- Sua família sabe que está aqui?

- Sim, minha mulher e meu filho, espero vê-los quando eu sair daqui... Mas e você? De onde veio?

- Eu vim de Arendelle. Você está olhando para uma ladra de jóias, mestre em estratégia e luta que infelizmente acabou sendo pega e também levada para a prisão...

- E em qual prisão que você ficou?

Regina não esperava essa pergunta, e ela não conhecia as prisões de Arendelle. Então, o que custava dizer apenas uma verdade?

- As minas de Diamante de Edenia...

- Uau... Lá que ficam alguns dos piores criminosos! Ouvi dizer que é lá que a maior assassina do reino está presa...

- Sei que os mais fracos sobrevivem apenas semanas...  Nem sei como consegui ficar lá... – Regina lembrou novamente do dia em que surtou na prisão...

- Você chegou a vê-la?

-Quem?

- A assassina.

- Não. Nunca a vi por lá... Ela deve ficar em uma ala isolada ou algo do tipo.

- Entendo... Bom, quando os próximos treinamentos forem em dupla me procure.

- Por que?

- Porque eu estou apostando que você vai vencer essa coisa toda. Já vi você treinando com o Príncipe e o Capitão da Guarda.

Regina sorriu levemente.

- Vamos torcer para que você não seja eliminado na prova de amanhã. Espero que chegue ate as finais e encontre a sua família novamente.

- Obrigado, Maya. Bom treino! – Regina assentiu em agradecimento.

A assassina olhou para o grande relógio e assustou-se com o horário. Já se passava das cinco e meia.

-Droga! – Saiu correndo para seus aposentos para tomar um banho antes de se encontrar com Robin.

X X X

Calça de preta, blusa cinza claro com um colete também preto e uma capa por cima. Era assim que ele iria encontrá-la.

Ele olhou para o relógio e bufou em desespero. Estava 10 minutos atrasado, e ele não poderia deixá-la esperando. Saiu dos seus aposentos o mais rápido que pôde, passando que nem um furacão pelos corredores.

- Me desculpe pelo atraso! E-eu... – Ele interrompeu a sua fala. Estava deslumbrado com o que via a sua frente.

Regina estava de olhos fechados, seu rosto era iluminado pelos últimos raios de sol daquele dia. Seu semblante era calmo, seu peito subia e descia lentamente ritmando a sua respiração.

A assassina usava um vestido azul marinho com um corpete preto, sua franja estava presa, fazendo um lindo penteado em seus cabelos negros e longos com cachos nas pontas. O príncipe herdeiro estava, literalmente, sem palavras.

- Eu desculpo o seu atraso principezinho. – Ela abriu os olhos e o encarou – Mas na próxima vez, talvez, terá consequências! – Disse em um tom brincalhão.

- Ah é? Qual tipo de consequência? – Ele se aproximou dela.

- Uma que você nunca vai esquecer... – A troca de olhares falava por si só. Eles sempre entravam em guerra, mas não era de ódio... Era... digamos que, outro sentimento?

- Hum... Sei...

- Bom  – ela começou a mudar o assunto antes que aquilo ficasse mais intenso – eu pensei na sua proposta de mais cedo.

- Pensou? – Ela assentiu – E?

- E eu aceito! Vai ser bom ter uma companhia feminina, já que só ando com dois cabeças ocas... – Ela lhe lançou um olhar provocativo.

- Regina... – Disse ele e uma pequena risada escapou de sua boca – Não faça eu me arrepender das minhas escolhas.

- Eu? Nunca faria isso... – Ela fingiu indignação.

O jogo da provocação entre Regina e Robin parece nunca ter fim. Sempre um dos dois vai ter algo a dizer e rebater, deixando as coisas mais... Emocionantes...

- Está ansiosa pela prova de amanhã?

- Pelo fato de ser a primeira prova, sim!

- Vai ficar tudo bem. Fiquei sabendo que essa primeira parte é mais simples, pelo menos pra você. Ela vai servir para eliminar os mais fracos.

- Obrigada por tentar  tranquilizar-me...

- Eu consegui?

- Só um pouco.  Mas vai ficar tudo bem.

Robin assentiu a sua fala.

Eles escutaram o bater do sino do grande relógio que sinalizava a hora do jantar.

- Hora de comer! – Ela disse alegre e Robin riu.

- Então vamos logo.

X X X

Regina recebera, logo pela manhã, um pacote com selo real. Mas ela sabia que o rei nunca mandaria nada para ela...

- Robin...

Ela abriu o pacote que continha um uniforme  todo preto, com uma carta.

“Bom dia, minha campeã... Imaginei que precisaria de uma roupa especial para participar das provas. Espero que goste do uniforme!

             - Robin”

X X X

Depois de um café bem reforçado, Regina seguiu com Robin e Killian para o local em que seria realizada a primeira prova.

Os muros de pedra da parte mais antiga do castelo. Aquele local era mais utilizado para treinamento dos guardas, já que o castelo de vidro era a ala principal do reino.

A prova funcionaria da seguinte forma: Os vinte competidores participariam de um sorteio de armas estratégicas que os ajudariam a escalar os muros. No telhado do castelo de pedra, havia doze bandeiras, os primeiros doze competidores a pegarem as bandeiras permaneceriam na competição, os outros oito seriam eliminados.

Regina, para a sua “sorte”, tirou no sorteio as latas de uma gosma preta grudenta.

- Ah, mas que legal...

- Olá, Maya...

- Graham? Oi, como vai?

- Bem, já vc?...

- Nem tanto...

- Eu tirei as cordas, podemos nos ajudar...

- Bom, nas regras, não diz nada sobre isso... Eu aceito!

 A partida foi dada e Regina começou subindo e logo atrás dela vinha Graham. Os outros competidores jogavam coisas para distrair os oponentes e atrapalha-los, mas eles estavam concentrados demais.

Regina era a quinta colocada na posição ainda subindo o muro e Graham na sexta. Eles estavam quase no topo, mas o que eles menos esperavam era que Rumple, um dos competidores usaria uma faca para cortar as cordas de Graham.

A corda se arrebentou e Regina, por reflexo, segurou uma das mãos do amigo e o puxou pra cima do telhado, e cada um pegou a sua bandeira.

- Obrigado!

- O combinado era a gente se ajudar, certo?

- Certo!

X X X

- Você ganhou! – Robin entrou no quarto de Regina e ela tomou um susto.

- Ai, Robin! Não faça isso novamente! – Ele riu – E eu não ganhei, peguei a bandeira com mais onze pessoas.

- Sim, e inclusive eu reparei que você ajudou um deles...

- Eu o ajudei porque ele me ajudou no começo da prova.

- Quem é ele? E de onde você o conhece?

- O nome dele é Graham e eu o conheci ontem.

- Confiou em alguém que conheceu ontem?

- Você não confiou em mim pra ser a sua campeã antes mesmo de me conhecer?

- Touchê! Perdão, eu fiquei com medo que ele fizesse algo pra te passar pra trás...

- Eu entendo a sua preocupação...

Silêncio...

- Ham... Regina?

- Sim?

- Quer ir ao “nosso local”? Distrair um pouco e relaxar... Você teve um dia puxado hoje...

- Aceito o convite! – Sorriu.

Eles subiram até o telhado do castelo e se sentaram.

- E então, quer conversar sobre o que? – Ela o perguntou.

- Não sei... Mas você fez um excelente trabalho na prova de hoje.

- Obrigada... – Regina percebeu que Robin estava meio estranho – Você está bem, Robin?

- E-eu? Estou, estou sim... É que eu conversei com a minha mãe hoje...

- Pelo jeito a conversa não foi muito boa...

- Digamos que o assunto me incomoda bastante.

- Será se posso saber sobre o que se trata? Prometo que não conto pra ninguém, até porque eu não conheço ninguém. – Eles riram.

- Minha mãe está insistindo para que eu encontre uma noiva, – Regina respirou fundo, e ele continuou – mas é muito difícil achar alguém, todas as princesas que eu conheci são tão fúteis...

- O que mais importa para elas é a própria beleza... Por isso ainda não é casado? – Ela disse

- Exato! Eu não sou casado porque eu não suporto a ideia de me casar com uma mulher inferior a mim em mente e espírito. Isso significaria a morte da minha alma.

- Eu entendo... Nós nos apaixonamos pela essência das pessoas e não pela sua beleza. A capa de um livro pode ser muito bonita, mas o conteúdo pode não ser o que estamos esperando.

- Concordo!

_____

Algumas horas antes

- Filho?

- Sim, mãe. – Robin, que estava concentrado em uns papeis, respondeu.

- Convidei várias princesas para o próximo baile do reino.

- Hum, é mesmo?

- Sim! – Ela disse animada – Assim quem sabe você já não escolhe a sua noiva.

- Mamãe, nós já conversamos sobre isso! – Ele deixou os papeis de lado e olhou para a rainha.

- Mas filho, será no dia do seu aniversário! Irá completar vinte anos de idade e ainda não tem uma noiva?

- Ainda não encontrei a pessoa certa, está bem?! E não me casarei por obrigação! – Ele se levantou da mesa em direção a saída do escritório.

- Robin of Locksley Havilliard! Não vire as costas para mim!

O príncipe saiu da sala sem dar ouvidos à sua mãe.

______

 

- Seu aniversário é daqui cinco dias... – Regina comentou.

- Eu sei... – Robin respondeu meio sem jeito.

- Seus pais vão fazer algo?

- Eu não quis nada de presente, mas minha mãe insistiu de fazer um baile e tive que aceitar. – Regina riu.

- Você é um príncipe que não gosta de celebrar o próprio aniversario?

- Não é isso! É que não acho que seja um motivo para esse bailes. Acho que aniversario é algo que se comemora apenas com a família e amigos próximos.

- Verdade... Mas será se seus deveres como príncipe podem esperar um pouquinho? E será que o seu pai a corte podem te liberar um dia antes do seu aniversário?

- Como assim?

- É que eu fiz uma coisinha sem te consultar...

- Por Merlin, Regina, o que você fez?

X X X

- Um jantar? – Killian perguntou à Robin

- Fiz besteira em aceitar?

- Não... Eu passei a confiar na Regina, e vocês estão apenas se conhecendo.

- Isso! Estamos nos conhecendo. Por isso imaginei que o meu melhor amigo poderia inventar uma desculpa para o meu pai para eu poder sair.

- Eu sabia que você ia me pedir algum favor...

- Por favor, Killian? Minha mão fica me empurrando aquelas princesas, acho que pela primeira vez estou prestes a conhecer melhor uma mulher que me agrada por ser quem ela é!

- Por Merlin, Robin! Você realmente se apaixonou por ela!

- E você ta apaixonado por uma mulher que nem fala a sua língua direito.

- Ok. Vamos parar por aqui! O que aconteceu? A gente voltou a ter dez anos de idade pra discutir assim? – Eles começaram a rir.

- Eu estou falando sério Killian!

- Está bem eu ajudo!

- Obrigado!

- Mas só porque eu sei que ela gosta de verdade de você, e que ela não é igual a aquelas outras que se aproximaram por interesse e eu tive que te tirar daquelas confusões. Lembra da Marian?

- Ai, nem me lembre dessas coisas... E a Marian é passado e Regina também tem o passado dela com o Daniel!

- A diferença é que o Daniel está morto e a Marian está viva e fica sempre atrás de você!

- Eu estou seguindo a minha vida e ela deveria fazer o mesmo! Com Regina vai ser diferente!

X X X

Nos últimos dois dias, depois do treino, Regina ia até os aposentos de Emma para as “aulas”. Elas conversavam sobre diversos assuntos, principalmente um que apenas as duas sabiam.

O verdadeiro passado de Regina.

- Você e o príncipe, hein? Um jantar?

- É... Estou nervosa!

- Ele mais ainda! Robin aceitou o seu convite, ele realmente gosta de você.

- Mesmo com o passado que eu tenho...

- Não diga isso, o que importa é o agora e o futuro. Ele gosta de você, Regina!  É isso que importa!

- Obrigada Emma... E lembre-se de me chamar de Maya em público, ninguém pode saber que já nos conhecemos e que você sabe sobre... Tudo ao meu respeito...

- Pode deixar!

- E você e o Killian, Emma? – Regina soltou um sorrisinho.

- O capitão da guarda? – Regina assentiu – Ele até que é bonitinho...

- Ele é muito sério, não é?

- Ela leva o trabalho muito a sério. Ele é um homem leal e de princípios, e...

- E você gosta dele... – Regina completou.

- Eu não sei, estamos apenas nos conhecendo...

- Entendo...

 

A noite caiu e Regina voltou para os seus aposentos, tomou um banho e foi dormir. Amanhã seria um grande dia. Seria o seu jantar o com Robin.

Continua...


Notas Finais


Sim! Emma e Regina já se conheciam e elas guardam um segredo sobre o verdadeiro passado de Regina. Quando será que Robin e Killian vão descobrir? Será que elas vão falar a verdade?
Amanhã no Globo Reporter... BRINKS KKKK
Espero que vcs tenham gostado! Voltarei em breve!
Meu Twitter: @LudFlavio_
Intagram: ludmilla_flavio
BEIJÃO PRA VCS! <3 OBRIGADA POR LEREM
ME DIGAM O QUE ACHARAM PLEASE <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...