História Maldita Marca - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Alfa, Beta, Jikook, Jimin, Jimin!alfa, Jimin!seme, Jungkook, Jungkook!ômega, Jungkook!uke, Kookmin, Namjin, Ômega, Yoonseok
Visualizações 968
Palavras 3.233
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Fluffy, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 13 - Treze


Fanfic / Fanfiction Maldita Marca - Capítulo 13 - Treze

Ok, acho que as coisas ficaram um pouco complicadas agora.

Estava dando certo demais para ser verdade.

Mas agora lá estava Park Jimin parado no meio de uma rua enquanto tentava decidir o que fazer.

Mas a verdade é que qualquer um estaria perdido quando:

1- Você está a caminho de um encontro que pode causar sua morte.

2- Se você não morrer, é porque matou alguém.

3- Abhu Amelia acabou de te ligar dizendo que esqueceu uma parte muito importante da lenda.

4- A parte é que seu ômega ficará estéril ao se livrar da marca de um lúpus.

5- Você tem medo de avisa-lo sobre isso e ele desistir de tudo.

6- Você não quer que ele desista.

 

 

Mas então, Park, agora você deve seguir o que seus instintos dizem ser o melhor, afinal, os instintos de um alfa nunca falham quando se trata do seu ômega.

 

E é por isso que o alfa voltou a seguir até o galpão onde Wolfsbane estaria à sua espera.

Ele deu um jeito de enganar seus amigos e impedir que eles se arriscassem daquele jeito, mesmo tendo a certeza de que o inimigo não seria tão burro quanto ele e não estaria sozinho.

 

Ah, Park Jimin, tão ingênuo, seus amigos te conhecem melhor que ninguém, não é atoa que ao chegar ao local eles já estavam lá o olhando com uma cara de "você tá fodido com a gente", Jimin apenas abriu um pequeno sorriso, afinal, ele sabia que seu sorriso conseguiria derreter um pouco o coraçãozinho de Namjoon e de Hoseok, mas estes apenas reviraram os olhos e apontaram a entrada do galpão com a cabeça, indicando que era a hora.

 

 

Tudo em sua volta era digno de filmes clichês. Um galpão vazio, escuro e frio, onde era possível ouvir o som de gotas de água caindo e se chocando contra uma poça de água já formada.

 

Uma porta se abre ao fundo do galpão e a luz que de lá sai faz com que eles fechem seus olhos já acostumados ao escuro, ao abri-los novamente, se deparam com a figura de um Minho com marcas óbvias de agressão em seu rosto, este indica com a cabeça que era para segui-lo, e só aí repararam suas mãos amarradas com várias voltas de uma corda grossa. Seguiram-no sem pestanejar.

 

 

Do outro lado da porta havia algo que eles não imaginavam, sabia que Wolfsbane não iria jogar limpo, mas aquilo era demais.

 

O traficante de ômegas havia colocado sua "mercadoria" exposta, cerca de quinze ômegas distribuídos em vários pontos daquela sala e amarrados à parede. Teríamos plateia.

 

O maldito alfa estava sentado em um tipo de trono no fundo do local, parecia bem confortável com as pernas jogadas em cima de um dos braços do trono, com seus dois capangas ao seu lado direito e um Minho, que havia se ajoelhado, ao seu lado esquerdo.

 

— Olá, queridos, sejam muito bem-vindos. - começou o traficante - Sou grato ao meu irmãozinho por tê-los trazido até aqui, mas é claro que tive que puni-lo por ser um língua solta. - se virou para o irmão - Tsc tsc, MinMin, você cresceu apenas em tamanho, pois continua a mesma criancinha mimada. - Minho continuo sem expressão, provavelmente havia escutado coisas piores antes de chegarmos, ou talvez durante toda a vida, e isso nem o atingia mais.

 

Continuamos em silêncio, se envolver na briguinha de família só pioraria nossa situação.

 

— Agora vamos ao que interessa. - voltou o olhar para nós, mais especificamente, para o alfa de cabelos ruivos - Tenho uma proposta tentadora para os heróis da história. Aqui temos quinze ômegas, eles ainda não foram marcados, e vocês terão a chance de liberta-los. Será um contra um, se vocês dois - apontou para Namjoon e Hoseok - derrotarem esses dois - apontou para seus capangas - vocês podem libertar os ômegas, mas... - foi interrompido.

 

— Minha prioridade é você, Choi, eu estou aqui pelo Jeongguk. Não ligo de estar sendo egoísta, mas livrarei meu ômega primeiro e depois me preocupo com os outros.

 

Namjoon e Hoseok não esperavam mesmo essa resposta, achavam que o amigo aceitaria tentar libertar a todos de primeira, mas não falaram nada, sabiam que quando se tratava do Jeon era melhor nem chegar perto do Park.

 

— Nunca mais me interrompa. - a voz de Wolfsbane saiu aterrorizante - A escolha é sua, podemos também fazer um mano a mano, nós seis lutaremos ao mesmo tempo. - o Park assentiu com a cabeça, concordando - E só pra mostrar que eu sou bonzinho, vou te dar um incentivo, Jimin. Sabe o porque de eu não ter capturado o Jeon, assim como fiz com os outros? Por que aquele ômega é tão inútil que nem drogado soube dar prazer a um alfa. Ele é gostosinho, mas sem dúvidas a melhor parte daquela noite foi quando fui embora.

 

O Kim e o Jung nem tiveram tempo de ver a reação de Jimin, já que este já corria na direção do Choi nos velho, a sua raiva contaminou a sala, e era possível ver os ômegas tentarem se encolher em modo defensivo, sendo impedidos pelas correntes prendendo deus braços à parede. 

 

Os dois alfas se mexeram para atacar os dois capangas no momento em que viram Jimin errar o soco e acertar a parte de trás do trono, em decorrência de um desvio de cabeça do traficante.

 

Assim durou os primeiros minutos da luta entre Choi Kiyoung e Park Jimin: Jimin usava toda a sua força para atacar e o Choi desviava de seus golpes com a maior facilidade do mundo.

A cada golpe desviado, o ruivo era cada vez mais tomado pela raiva, e então algo aconteceu.

 

Jimin não sentia mais seu lado humano, ali era apenas seu lobo alfa e, quando este tomou o total controle de seu corpo, um lobo de pelos cinzentos apareceu em seu lugar.

 

Todos pararam os movimentos para olhar espantados para o animal parado no meio da sala ciscando o chão com sua garras e rosnando, deixando deus grandes dentes afiados à mostra.

 

Todos já haviam ouvido várias histórias sobre seus antepassados se transformarem em lobos gigantes para defender aquilo e aqueles que amavam, mas com o passar do tempo, com o surgimento das civilizações modernas e com a criação das armas de fogo, isso deixou de acontecer. Raramente era possível ouvir casos disso acontecendo quando um alfa sentia que seu ômega estava sendo mortalmente ameaçado, mas nenhum deles jamais imaginou presenciar um destes casos.

 

O lobo cinzento soltou um uivo alto, despertando a todos de seu transe, e avançando novamente contra seu inimigo, que dessa vez não foi tão rápido a ponto de evitar as garras do lobo se fincando em seu braço esquerdo, que começou a sangrar, mas isso não o preocupou tanto, sabia que em menos de uma semana aquele machucado não estaria mais ali graças aos seus genes de lúpus.

 

Não estaria ali se ele sobrevivesse ao lobo de Jimin.

 

Estava tão confiante que ganharia aquela luta, nunca passaria por sua cabeça que algo do tipo poderia acontecer, mas continuou com seu plano de desviar do outro alfa até que este se cansasse e pudesse atacar.

 

Os outros quatro alfas voltaram a lutar, mas Hoseok toda hora se distraia ao olhar para o animal, ele era tão fascinante que nem teve tempo de se defender quando o alfa em sua frente o deu uma rasteira e o derrubou no chão, seu pescoço foi agarrado e sua cabeça chocada várias vezes contra o piso até que sua consciência de esvaiu.

 

Namjoon, quando viu seu amigo desmaiado, conseguiu empurrar o alfa para longe e tentar ir até onde o Jung estava caído, mas agora um dos alfas estava livre, e nenhum deles estava disposto a enfrentar o lobo gigante, então resolveram se juntar em cima do Kim.

 

Namjoon sempre foi bem forte, mas sua falta de velocidade o atrapalha, e foi por isso que, ao conseguir golpear um dos alfas, não conseguiu escapar do outro, sendo brutalmente jogado contra a parede.

Ele não tinha forças para levantar, sua visão estava borrada, sentia que iria desmaiar também, mas conseguiu escutar os alfas mencionando algo como um ômega de cabelos rosados e fode-lo com força depois que acabar com um alfa de merda.

 

Seokjin!

 

Uma dica, crianças: nunca, em hipótese alguma, nem mesmo em seus sonhos, ameace foder um ômega com um alfa, ainda mais o alfa sendo Kim Namjoon, um namorado extremamente ciumento.

Dica 2: certifique-se de que além do alfa exatamente ciumento não tenha um outro alfa amarrado no canto da sala, um alfa que, além de odiar o irmão e desejar sua morte, também teve que ouvir os amiguinhos do irmão falando sobre foder o ômega que ama há anos, mesmo que este seja comprometido.

Dica 3: não amarre o alfa que odeia o irmão e ama o ômega comprometido que foi ameaçado com uma corda, use pelo menos uma corrente de aço, pelo menos ela não será tão facilmente estraçalhada por este alfa.

 

Namjoon teve suas forças restauradas ao mesmo tempo em que Minho se libertava das amarras, compartilharam um olhar, pelo qual o plano deles foi traçado.

 

Minho correu em direção aos alfas ao mesmo tempo em que Namjoon agarrou a perna de um deles e a quebrando, quando o grito de dor foi ouvido e o outro alfa se distraiu, Minho o alcançou, logo torcendo seu pescoço e observando o homem caindo ao chão, sem vida. O alfa com a perna quebrada também estava ao chão, e este teve sua vida retirada por Namjoon, que socou sua face até levá-lo a morte enquanto repetia várias vezes que não se deve falar do ômega dos outros.

 

Naquele momento, eles sentiram uma enorme empatia um pelo outro, quem diria que pessoas consideras inimigas por lutarem pelo mesmo ômega se juntariam para defendê-lo. 

Correram então para onde o Jung estava caído, não demoraria até que este acordasse, mas tinham que tirá-lo dali para evitar maiores danos.

Minho mandou Namjoon levá-lo para o lado de fora e chamar a polícia e ambulâncias, enquanto este começaria a tentar libertar os ômegas que ali estavam, três deles haviam desmaiado pelas cenas fortes que presenciaram, cinco vomitaram e os outros choravam copiosamente. 

O Choi se dirigiu aos corpos dos capangas, logo achando o molho de chaves que abriria os pesados cadeados, começando a abri-los um por um lentamente, eram muitas chaves e achar a certa demorava muito. Quando uma chave abria um cadeado ele a arrancava do molho mas não se confundir e perder tempo tentando usa-la de novo.

 

 

Do outro lado da sala, mãos e garras se encontravam, ainda não era tão fácil atingir Wolfsbane. Um lobo gigante e pesado tende a ser mais lento que um humano, ainda mais quando seu adversário parece um contorcionista.

Mas o cheiro do sangue que escorria pelos ferimentos causados por Jimin no lúpus o dava mais gás para continuar, seu lobo almejava sangue e sua mente humana almejava Jeongguk.

 

Em um movimento rápido, Kiyoung retirou as luvas que usava, Jimin nem havia reparado nelas, mas ao retirá-las seria impossível não reparar nas garras verdes.

 

Wolfsbane, o veneno mortal contra híbridos.

 

Ele havia sido proibido em todos os países há eras, mas é claro que um cara que trafica ômegas não ligaria para isso e faria de tudo para conseguir a erva.

 

Kiyoung conseguiu arranhar o couro do lobo com suas unhas e se afastou sorrindo, confiante de que havia ganhado ao fazer o veneno entrar em contato com a corrente sanguínea do Park.

 

Jimin uivou, aquilo ardia muito, mas não o mataria, já que, assim como Kiyoung conseguiu um veneno proibido, ele havia seguido o conselho de Minho e correu atrás da cura: a erva-doce.

Seu corpo e de seus amigos estava entupido pela erva-doce, já que, um Seokjin neurótico e muito preocupado empanturrou eles com litros de chá de erva-doce por uma semana.

  

Quando soltou o uivo, Minho havia acabado de abrir os cadeados que prendiam o último ômega ali, que logo correu para o lado de fora.

 

Dica 4: nunca cante vitória antes do tempo, seu irmão mais novo que te odeia pode te agarrar por trás e te imobilizar, dando chance ao lobo gigante de foder com seu plano. E com a sua vida.

 

E foi isso que aconteceu.

 

Minho tinha os braços de seus irmão mais velho presos nas costas, o impedindo de atacar.

 

— Sabe, Kiyoung, eu sempre esperei que você voltasse, que pudéssemos ser uma família feliz de novo, eu, você e nossos pais, mas você fez sua escolha de merda e tirou a vida deles, não seria o suficiente viver sua vida longe de nós? Mas é claro que não, para você nunca seria o suficiente viver sem acabe com a vida daqueles que te tiraram do orfanato e te criaram com todo o amor do mundo. - soltou um risinho falso e nasalado - E agora voce vai ter o que merece, vai morrer sozinho e sem nem uma pitada de amor. Ninguém te ama, Kiyoung, e essa é a pior coisa que poderia acontecer na sua vida.

 

Um aceno positivo fez com que Jimin entendesse que Minho havia lhe dado o consentimento.

 

O lobo correu e deu impulso, logo abocanhando o pescoço de Wolfsbane e arrancando sua cabeça e a jogando longe.

 

Choi Kiyoung estava morto, finalmente.

 

Mas, como nada pode sair perfeito para Jimin, um grito vindo do Choi sobrevivente o impediu de comemorar a vitória.

 

Antes de deixar o mundo, Wolfsbane fincou as garras repletas de veneno na barriga do irmão e, com o movimento de sua cabeça sendo arrancada, as garras se soltaram de duas mãos e ficaram enfiadas na barriga de Minho, que não tinha ingerido a erva-doce por ter sido capturado.

 

O lobo, com um pouco de dificuldade, colocou o corpo fraco de Minho em suas costas e correu para o lado de fora, logo Namjoon pegou o corpo do alfa e o posicionou no chão, teriam que esperar mais ambulâncias chegarem pois as que haviam ido se dirigiram ao hospital com os ômegas resgatados.

 

A lua vermelha brilhava cada vez mais forte no céu. Jimin estava completamente hipnotizado por ela.

 

Todos os presentes puderam presenciar o momento em que os pelos cinzentos do lobo se tornaram tão negros quanto a noite, e ao completar a transição, o lobo começou a se contorcer e um Park Jimin humano de cabelos pretos, assim como os pelos de seu lobo, surgiu.

 

A maior surpresa veio quando este abriu seus olhos.

 

Estes estavam num tom claro de violeta.

 

Alfa lúpus.

 

Park Jimin foi transformado pelo lua de sangue em um alfa lúpus.

 

Todos estavam tão chocados que só reparam na falta de roupas do recém transformado quando a sirene de mais uma ambulância pôde ser ouvida, assim como toque do celular de Namjoon. Era Taehyung ligando.

 

"Namjoon, bota essa merda no viva-voz, preciso falar com o Jimin"

 

E assim Namjoon o fez.

 

"Jimin, eu não sei se o que diabos você fez, não sei se você ganhou a luta ou se 'tô falando com um cadáver, mas o Jeongguk tá mal, muito mal"

 

Ao ouvir o nome do amado, Jimin tensionou todos os seus músculos, recebendo de um paramédico uma toalha para cobrir suas partes íntimas.

Ele tomou o celular da mão de Namjoon, estava ofegante e com medo de algo ter acontecido com o namorado.

 

— Fala logo, Taehyung. - usou sua nova voz de alfa lúpus sem perceber, Taehyung, por ser um beta, não se abalou.

 

"Ele começou a gritar de dor e tá saindo um sangue preto da marca dele, tipo, muito sangue." - deu ênfase no "muito" e podia-se ouvir os gritos ao fundo- "A gente trouxe ele para o hospital, corre pra cá, ele precisa de você." - e finalizou a ligação sem nem esperar uma resposta.

 

Jimin sabia que ali era a cena de crime e não fazia ideia se podia sair de lá, mas não se importou, apenas tomou a chave do carro da mão de Namjoon e, sem nem esperar o amigo, acelerou em direção ao hospital.

 

Ao chegar lá, apenas entrou e seguiu o cheiro de Jeongguk, sem se importar com os enfermeiros gritando por ele.

 

Chegou no quarto, o qual estava com a porta aberta. Um médico examinava Jeongguk com uma feição séria e ao mesmo tempo confusa.

 

O alfa só se lembrou de que suas partes íntimas estavam cobertas apenas por uma toalha quando correu em direção à cama onde estava seu ômega, deixando a toalha cair no caminho, ouvindo os outros presentes gritarem em desaprovação, logo se abaixando e a pegando novamente, pedindo desculpas para os ômegas e o beta presentes. Ali estavam Seokjin, Yoongi, Taehyung e Baekhyun, estes haviam ficado fazendo companhia para um Jeongguk super preocupado enquanto os alfas saiam para a luta.

 

O Jeon estava inconsciente na cama, e aquilo apertava o coração de Jimin.

 

O médico se virou para ele, claramente incomodado com a falta de roupas do mesmo, e pigarreou.

 

"Bem, o senhor Jeon sofreu algo que eu nunca havia visto, a marca dele perdeu o efeito, ele foi totalmente desconectado do alfa que o marcou, o sangue preto que saiu era a marca deixando seu corpo e sua alma, ela já se curou e ficará apenas uma pequena cicatriz, logo ele acordará" 

 

Logo após o médico sair, um Namjoon todo suado e machucado entrou no quarto, segurando uma sacola que foi jogada na direção de Jimin. Eram roupas. 

 

Logo o Kim caiu no chão, toda a sua força havia esvaído novamente.

Seokjin chamou os médicos para que cuidassem de seu alfa.

 

Jimin vestiu as roupas no banheiro do quarto e logo voltou para perto do amado.

 

Yoongi, Taehyung e Baekhyun - os dois últimos de mãos dadas - saíram do quarto para deixar os amantes a sós.

 

Jimin se sentou em uma cadeira ao lado da cama, com uma mão acariciava os cabelos do namorado e com a outra passava os dedos pela cicatriz da antiga marca em seu pescoço, queria fazer a sua própria exatamente em cima daquela, para que Jeongguk nunca mais tivesse que esconder aquele local, para que ele não tivesse mais nada para se martirizar do que havia acontecido.

 

Park Jimin amava aquele ser mais do que tudo.

Amava aquele ômega arisco e diferente, o ômega que era maior do que si.

Amava-o com todas as células de seu corpo, amava-o a ponto de ter arriscado sua vida por ele, a ponto de ser capaz de fazer tudo de novo quantas vezes fosse preciso.

 

Amava-o tanto a ponto de tomar uma decisão por ele, uma decisão que poderia fazer com que o ômega ficasse com raiva de si, mas ele faria de tudo para que tudo ficasse bem no final.

 

As pálpebras do ômega começaram a tremer, indicando que este está prestes a acordar, e com isso, Jimin travou.

 

Como contaria para aquele que mais amava no mundo que tomou uma decisão em seu lugar e agora ele estava estéril?

 

Como contar para o ômega que já havia dito tantas vezes que queria dar lindos filhotes ao alfa, que não poderiam mais ter um filhote deles? 

 

Como contar também que agora é um alfa lúpus, a raça da qual Jeongguk criou uma forte aversão?

 

Dessa vez era Jimin quem estava fodido.


Notas Finais


Ta acabandoooooo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...