1. Spirit Fanfics >
  2. Malditas gêmeas >
  3. Livros

História Malditas gêmeas - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Livros


 

 

POV Narrador

-  Eu não acredito que você trouxe essa mulher para nossa casa Hilda, você mal a conhece

- Aí Zelda chega, ela era visita e você foi muito grossa, onde está sua educação?  - resmungou loira enquanto se encaminhava para a cozinha e a ruiva subia as escadas

Na manhã seguinte

- Bom dia tias, Ambrose

- Bom dia prima

- Bom dia querida, senta que eu já vou colocar as coisas na mesa- falou a loira mais velha

- Tá bem. Bom dia tia Ze – falou olhando a ruiva que estava escondida atrás do jornal

- Bom dia, Sabrina

 

 

Cabana Wardwell 

(Na noite anterior) Mary chegou a sua casa e esperou sua irmã estacionar antes de começar o “interrogatório” 

- E então? – perguntou a morena mais nova ansiosa

- E então? Mary você ficou louca, o que você foi fazer na casa dos Spellmans? Estava tudo sob controle, você não devia ter ido lá

- Eu fiquei preocupada, e seu celular estava dando sua localização na propriedade deles, eu não queria me intrometer, desculpa

- Está tudo bem, desculpa, eu meio que perdi a noção do tempo. Mas já que você quer saber como foi meu dia, então vamos lá. Eu passei a tarde com a Hilda, e ela é encantadora Mary, você tem que conhece-la - disse a morena suspirando- acho que ela pegou toda a simpatia da família, porquê a Zelda é a grosseria em forma de gente

- Lili!

- É verdade, a Zelda que você conheceu quando criança, não é a mesma Zelda de agora. Até porquê 200 anos mudam uma pessoa, você não acha?

- Eu sei que já faz muito tempo mas aquela Zelda ainda tá lá, e se ela não estiver não tem como nós ajudarmos a mestiça

- Mary, não chame a Sabrina de mestiça

- Desculpa, mas continuando, ela tem que acreditar na gente no momento certo, porque senão vai dar tudo errado     

- Eu sei maninha, mas como você vai fazer aquela ruiva marrenta acreditar em você? Eu já falei, ela tá diferente, e com muita raiva de você por ter roubado a livraria- disse a morena mais nova rindo 

- Eu vou fazer ela acreditar, e eu não roubei nada, vou deitar, Boa noite Lili

- Eu também já vou, boa noite maninha.

Dia seguinte cabana wardwell   

 - Bom dia maninha- lilith falou assim que a outra morena entrou na cozinha

- Bom dia, porque você está acordada a essa hora? Caiu da cama? – riu

- haha muito engraçadinha, e não, não cai da cama, eu acordei cedo porque nós vamos tomar café na cidade – disse olhando o relógio – e a propósito, estamos atrasadas, eles abriram a 1h atrás, então vamos- pegou a bolsa e saiu

- Ok, vamos então

“Colombiana, me pegou na cama
Disse que me ama e sumiu do mapa
Colombiana, me pegou na cama
Disse que me ama e sumiu do mapa

Colombiana
(Oh, oh oh oh, oh oh oh oh-oh, oh oh oh oh)”

- LILITH! Para com isso – mary falou entre gargalhadas – você é louca, abaixa esse som, nós já chegamos

- COLOMBIANAA!!!! Affs mary, a gente tá dentro do carro, ninguém tá vendo

- Tá bem, mas quando nós saímos do carro e todos ficarem te olhando eu não vou falar nada – falou rindo enquanto a irmã dava de ombro

Enquanto isso do lado de fora as pessoas fofoqueiras da cidade passavam olhando pro carro preto estacionado em frente ao café com o som altíssimo

- Bom dia Hilda – disse lilith surpreendendo a loira que estava arrumando uma mesa

- oh, Bom dia Lili- falou a loira abrindo um sorriso

- Lili? - Perguntou mary mas para sí do que para a loira baixinha, mas mesmo assim ganhou a atenção das duas mulheres a sua frente

- Meu Deus! – falou a loira dando um pulinho e ganhando uma cara de surpresa de mary e uma risada da morena mais nova – Vocês são idênticas! – exclamou e ganhou um sorriso doce da morena mais velha 

- Quase idênticas, a lilith é louca

- ei

- oh, nisso eu tenho que concordar, no pouco tempo que eu conheço a sua irmã eu já notei isso – falou a loira sorrindo para lilith e ganhando um sorriso das duas morenas – bem mas vocês devem ter vindo aqui tomar café, sentem-se e me digam o que vocês desejam – e dirigiu as irmãs para uma mesa vazia

- Eu vou querer um chocolate quente e um misto quente, por-favor

- Eu vou querer um café e um misto também, por favor

- Tá bem, só um minutinho, licença   

Enquanto isso no necrotério da família spellman

- ambrose, você pode cuidar desses corpos pra mim enquanto eu resolvo essa papelada?

- claro tia Ze, pode ir lá

- Certo, obrigada – disse se retirando e indo para o escritório. Minutos depois – pelos céus Hilda, qual a dificuldade de assinar os documentos? – falou com sigo mesma enquanto revisava os documentos e via que sua irmã não tinha assinado os que teriam que ser levados ao cartório – era só o que me faltava, ir naquela cafeteria duas vezes na semana - disse se retirando do escritório e recolhendo os documentos para a irmã assinar

Enquanto isso na cafeteria

- Então a Spellman mais nova te chama de Lili- mary falou com um sorriso sugestivo no rosto

- É, ela é minha amiga mary, tira esse sorrisinho do rosto e termina seu chocolate

- Eu não estou falando nada demais, só uma observação básica- disse ainda sorrindo

- observação básica? – arqueou a sobrancelha

- É

- Hey meninas, o que acharam da comida?

- Está ótima Hilda

- Obrigada Lili

- Realmente, estava muito bom você tem mãos de anjos

- Que isso mary- sorriu – assim eu fico sem graça

Quando a morena iria responder o sininho da loja tocou chamando a atenção das mulher pela forma escandalosa que ele tocou

- Oh zelda! O que você faz aqui?- perguntou a loira se levantando e indo até a irmã

- Eu vim trazer esses documentos para você assinar, já que você não pôde fazer isso antes- falou sério e olhou para irmã- Eu preciso deles para hoje

- Tudo bem, venha- a loira se encaminhou para o balcão e a ruiva seguiu e nem notou o olhar da mais velha wardwell sobre ela

- Sabe, eu não entendo porque temos que renovar esses documentos todo ano, nós nunca nos mudamos- a loira comentou mas a ruiva não tinha mais sua atenção sobre sua irmã e sim sobre as duas morenas idênticas do outro lado do estabelecimento, e principalmente quando mary levantou para levar sua louça até o balcão e ignorou a ruiva por completo

- Aqui Hilda, nós já vamos, estava tudo maravilhoso- sorriu- tenha um bom dia- nisso ela olhou para a ruiva que a encarava sem expressão- Spellman – cumprimentou

- Wardwell – falou entre dentes

A morena se retirou e foi na direção da porta, onde sua irmã estava lhe esperando 

Do lado de fora

- Mary, o que foi isso? – riu

- Nada ué, eu só fui devolver a louça, e cumprimentei a Spellman – falou porém sua cabeça só conseguia trabalhar em lembrar de todos os detalhes da noite me que sem querer, e tomada pelo susto de ser pega, derrubou uma estante de livros em cima de Zelda Spellman enquanto tentava recuperar um livro de sua família que tinha sido pego por um coven em Londres. E essa foi uma das duas vezes em que ela viu zelda spellman, antes de Greendale.

- ah tá maninha, a tenção que tava no ar era tudo, menos um simples cumprimento – continuou rindo da irmã enquanto entravam no carro e partiam em direção a biblioteca

 

POV Zelda

Não podia ser, era ela. Depois de tanto tempo ela continua igualzinha. Aquela ladra de livros, maldita ladra de livros, eu ganhei uma bela cicatriz por causa dessa mulher  

- Zelda, zelda!

- Oi Hilda, o que foi?

- Os documentos, eu já assinei, o que deu em você, você já conhece a Mary?

- O que? Não, claro que não. Ook obrigada – falei e sai para o cartório

Depois de quase 2 horas na fila, fui atendida e me livrei de todos aqueles papéis

Eu amo a evolução que a humanidade sofreu com o passar do tempo, mas parece que os órgãos públicos pararam no tempo, pela Deusa, falei comigo mesma enquanto caminhava até meu carro e procurava minhas chaves, até que alguém esbarrou em mim e fui direto ao chão, ou quase isso, quando eu estava me preparando para o impacto braços fortes me seguraram e eu só senti meu corpo batendo contra o da pessoa que quase me derrubou e ao mesmo tempo me livrou de um belo tombo

Pela Deusa, era ela

- Como você ousa!!!? - Me separei dos braços da morena e afastei-me ao máximo  

- Como assim? Eu não fiz nada além de não deixar você cair no chão, já que você esbarrou em mim – ela falou e a minha “raiva” só aumentou

- Acho que seu grau está errado, você que esbarrou em mim, e quer saber, com licença- falei e fiz questão de esbarrar na morena enquanto eu passava- petulante

- Resmungona – riu debochada

Como ela ousa. Me virei e quando estava prestes a responder vi Hilda vindo em nossa direção, e minha única opção foi virar e sair o mais rápido dali

POV Narrador

- Mary, o que foi isso, a Zelda está bem? Eu vi quando ela quase caiu

- Acredito que sim, Hilda

- Uffa. Bem, já vou, até mais querida

- Até

Quando a loira já estava longe e Mary se encaminhando para seu destino principal antes de esbarrar na ruiva

POV Mary

Ok, talvez a Lilith esteja certa. Isso vai ser mais difícil do que eu estava imaginando, e o pior, eu aposto que ela se lembra do acontecido em Londres  



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...