1. Spirit Fanfics >
  2. Maldito Lutador- Park Jimin (Escrevendo novamente ) >
  3. Perdoado

História Maldito Lutador- Park Jimin (Escrevendo novamente ) - Capítulo 34


Escrita por:


Notas do Autor


🔴O personagem é inspirado no ator Andy García🔴

🔴MEZZO: Minha metade, em italiano🔴

🔴Irei revisar🔴

Boa leitura e desculpas por qualquer erro que tenha passado despercebido por mim💜

Capítulo 34 - Perdoado


Fanfic / Fanfiction Maldito Lutador- Park Jimin (Escrevendo novamente ) - Capítulo 34 - Perdoado

Atualmente 


Park parecia horrorizado, e sem pastejar puxou a jovem pela cintura até ficar atrás de si.

Jm: Cléo não está a venda, García.- Afirmou, recebendo um beliscão de S/n.

- Podemos negociar, você fica com uma das minhas garotas.- Se sentou na ponta da mesa, encarando a mais nova com malícia.- Cléo é uma novidade, nunca vi uma beleza tão estonteante. 

Jm: Cléo já é a minha garota, não gosto de dividir.- Murmurou, causando náuseas na jovem.- Estamos indo embora, com toda licença.

- Espero que se arrependa, Charlie. E isso irá acontecer, não sabe o bem faz em está do meu lado.

Jm: Esperarei.- Murmurou, puxando o braço da jovem, porém ela se soltou e caminhou até Andy logo o abraçando. Jimin encarava aquilo com os olhos arregalados e seus pés bateram impacientemente no piso.

S/n: Deixei meu número na mesa de fora, estarei esperando sua ligação.- Sussurrou rente a seu ouvido, seus lábios vermelhos selaram a pele próxima a orelha do homem, algo que fez seus pelos se eriçarem.

O mesmo abriu um leve sorriso e assentiu, logo olhando as curvas da mulher descaradamente enquanto ela caminhava até Park.

Este que assim que a viu passar a sua frente, fechou a porta do escritório.

- Senhor e senhora? Levarei vocês até o andar de baixo.- Falou, enquanto entrava no elevador sendo seguido pelos jovens.

O clima estava totalmente tenso, com certeza eles iriam brigar ao sair dali.

Saindo do elevador, Park seguiu a jovem que o ignorou totalmente enquanto ia até a saída. Lá, Jimin se comunicou com todos e avisou que estaria do lado de fora os esperando.

Jm: Qual é o seu problema?- A encarou finalmente, vendo ela o encarar séria.- Você não está preparada e mentiu para mim, falou que não iria vir.

S/n: Eu cansei de ser a fraca, Park. Estava tudo sobre-controle até você chegar.

Jm: E se eu não tivesse chegado? Você sabe do que aquele homem é capaz? Você foi totalmente irresponsável! - Exaltou-se, puxando seus fios negros com força. Só de imaginar o que poderia ter acontecido seu corpo tremia.

S/n: Eu tinha tudo sobre-controle, já disse!- Logo, se calou ao ver as quatro pessoas saírem do estabelecimento. Todos dali a encaravam surpresos, menos Taehyung. O mesmo caminhou até a jovem e abraçou de lado, fazendo Park os encarar incrédulo.

Jm: Como eu imaginei, qual é porra do seu problema? Como pôde a ajudar nisso?

Tae: Ela é mais que um rostinho bonito, Park. No fim já estava tudo programado, você com toda certeza iria ser chamado.

Louis: Merda! O escritório...

S/n: Câmera totalmente colocada.- Falou, fazendo todos a encarar surpresos.- E aliás, não está tudo acabado, ele irá me ligar 

Jm: Você não tem um celular.- Cruzou os braços, fazendo ela rir.

S/n: Mas o Taehyung tem.- Sorriu para o amigo, este que estava com os olhos arregalados.

Jennie: Vamos embora logo, a noite já acabou mesmo.- Murmurou, caminhando até o carro.

Jm: Espera, como você veio?- Perguntou, com uma confusão aparente. Logo S/n tirou uma chave de seus seios e girou nos dedos, fazendo o sangue sumir dos lábios de Park.- Lady?

                            

Jm: Se segura em mim, já falei.- Repreendeu a jovem. S/n estava de braços cruzados atrás do homem, enquanto ele pilotava Lady, os outros estavam um pouco atrás de carro.

Depois de bufar pela milésima no dia, ela abraçou sua cintura e ao fazer isso fez com que ele avançasse mais rápido, sua bochecha foi colada em suas costas e ela rapidamente fechou os olhos pelo susto. 

" Eles sorriam abertamente contra vento, S/n apertava seu abdômen com segundas intenções, fazendo ele murmurar: Espere chegarmos em casa. Enquanto gargalhava, ela amava o ouvir sorrir e amava a forma que o vento movimentava seus fios loiros. Suas mãos pequenas foram até o peitoral do homem e ali ficou.

S/n: Eu te amo!- Gritou, levantando uma das mãos, sentindo o coração do homem começar a bater totalmente rápido. Ele aumentou a velocidade da motocicleta e respirou fundo.

Jm: Eu preciso gritar o mesmo? - Perguntou, ele sabia que ela sentiu o seu coração bater contra sua mão. 

S/n: Não! Eu sinto o seu coração, Mezzo.

Jm: Ele me entregou. "


O que havia sido aquilo? 

A jovem se perguntou ao abrir os olhos novamente, sua cabeça parecia latejar ao ver essas imagens em sua mente.

Levou suas mãos ao peitoral de Park, assim como na imagem que lhe apareceu, logo sentiu o homem ficar tenso e seu coração bater de forma desregulada.

S/n: Mezzo...- Sussurrou, o que resultou em uma parada brusca. Jimin começou a respirar fundo e seu corpo pareceu ficar mais tenso. Por cima do ombro encarou os olhos da jovem que o encarava assustada, não tão diferente dele.- E-Eu...

Jm: Do que me chamou?- Pergunto, de forma desesperada.- S/n? Do que você me chamou?- Perguntou mais uma vez, porém nessa saiu de Lady enquanto tirava o capacete.

S/n: D-Desculpas, eu realmente não sei o por quê... só veio algumas cenas em minha cabeça.

Jm: V-Você me chamou de Mezzo.

"Jm: Mezzo"

Saiu em uníssono, ao a cena do loiro vir em sua mente. O que resultou em S/n segurando a cabeça e grunhindo de dor.

S/n: O-O que está acontecendo? Isso fica passando em minha cabeça...- Murmurou, fazendo Park tocar em seu ombro. 

Jm: O que viu? O que está sentindo?

S/n: M-Minha cabeça...está doendo muito!- Exclamou, saindo da moto e se sentando no asfalto, fazendo o homem se  agachar em sua frente preocupado.

Jm: S/n! Olha para mim, respira...

S/n: Você...você tinha o cabelo loiro? Céus, o que é isso?- Perguntou, ao tentar colocar a cabeça no lugar, porém a voz de Park a chamando pelo apelido parecia sussurrar em seu ouvido freneticamente.

Park estava assustado, porém sua visão viu o carro dos amigos se aproximar.

Tae: O que houve?- Desceu do veículo, correndo na direção dos dois sendo seguido pelos outros três.- S/n?

Todos pareceram travar ao ouvi-lá soltar um grito agudo de dor, enquanto puxava os fios de seus cabelos com força. Hyu fechou os olhos em desespero e ficou pedindo para ela parar, enquanto Jimin tentava soltar os dedos dela de seu próprio cabelo.

S/n: Faz parar, Mezzo. Está doendo!- Implorava em desespero, fazendo Jimin se desesperar e deixar lágrimas saírem de seus olhos.

Jm: Se acalma, por favor!- Suplicou, entre-lágrimas. - Mezzo!

Ao gritar em desespero, o corpo da jovem caiu totalmente no chão, seus olhos se fecharam rapidamente enquanto ela se encolhia. Ela havia desmaiado e seu corpo ainda tremia, causando desespero em todos.

Tae: Louis ajuda, por favor! Faz alguma coisa!- Suplicou, já que o homem era o mais sã entre eles, ele rapidamente pegou a jovem em seus braços e correu para o carro, fazendo todos o seguir.

Louis: Jennie! Você fica para levar a moto do Park, vá rapido e mande preparar o quarto e chame a doutora.- Ordenou, fazendo ela assentir meio desnorteada e colocar o capacete, logo montando na motocicleta e arrancando com ela.- Vamos, entrem. 

                            ●

3:00 A.M

Todos exceto Jimin estavam ao redor da cama, esperando qualquer simples movimento da garota, ela havia parado de tremer e a apertar o edredom, e isso os deixava um pouco mais aliviado já que isso a fazia suar.

As batidas na porta do escritório Park fez ele secar as lágrimas rapidamente, mas ao ver de quem se tratava, levantou-se rapidamente.

Jm: Doutora, eu preciso que conte tudo eu preciso.- Implorou juntando as mãos, a mulher fechou a porta atrás de si e afundou na cadeira a frente. 

- Eu soube o que aconteceu, e já sei o que é, se fosse mais observador também saberia.

Jm: Eu preciso saber, doutora.- Suplicou.

- É ela, Park. Essa S/n que te tirará da escuridão, ela é diferente em tudo, não só sua história de vida, mas as suas ações também. Você sentiu todas as dores que ela sentiu nessa vida, pelo crime que você cometeu no seu passado, este que ela pagou com o próprio sangue na vida passada. A sua intenção era tirar o bem precioso dele, mas acabou acertando o seu, a S/n.- Falou, fazendo o homem cair de joelhos e apoiar as mãos nas próprias coxas, enquanto chorava e soltava soluços fortes de dor.

Jm: E-Eu não aguentava mais...- Admitiu sôfrego.- Céus, eu não aguentava mais a ver sofrer sem poder fazer nada.

- Você foi perdoado, Park. - Abriu um pequeno sorriso, o reconfortando.- Mas nunca irá se esquecer do seu passado, ela foi tirada de você antes, pode ser tirada nessa também.

                             ●

1600


Ele queria o ver sangrar até a morte, queria mostrar quem mandava ali.

Como ele ousava pisar em sua área e roubar o que era seu? Se perguntou Park.

O homem que havia invadido sua propriedade levou consigo: dinheiro e suas armas e pior sua esposa Sunny,  realmente não sabia o por quê. 

Os capataz da propriedade dos Park já haviam matado os homens da casa do ladrão, porém ao chegar no escritório viu a pior cena: Sunny havia sido morta com um tiro na cabeça, algo que resulto em um alto grito do marido, Jimin estava transtornado e seu corpo tremia de ódio, um de seus homens entrou no local e se assustou ao ver tal cena.

- Senhora Sunny?- Exclamou, recebendo o olhar triste do patrão.- Sinto muito meu senhor.- Tirou o chapeu e fez uma pequena referência.- Encontramos o culpado pelo roubo e provavelmente pela morte da senhora. Ele está no quarto dos fundos dormindo com uma mulher que parece ser sua esposa.

O olhar sádico  que recebeu do patrão o fez tremer, e prever o pior. Porém não hesitou em levar o homem para o cômodo comentado, e chegando lá deu espaço para o mesmo entrar e assim que abriu a porta viu o homem sentado na cama, este que pegou uma arma que estava ao seu lado na tentativa que se defender, porém Park foi mais rápido e atirou em sua cabeça, assim como ele havia feito com Sunny. O homem morreu em segundos enquanto seu sangue manchava o edredom, o barulho do disparo fez a porta do banheiro ser aberta e a mulher nua soltou um alto grito ao ver o marido naquela situação.

- Jeon!- Exclamou desesperada, mas no mesmo segundo que virou para encarar o culpado, levou um tiro em seu peito esquerdo.

Seus olhos estavam arregalados e seu coração espirrava sangue.

S/n: Mezzo?- Perguntou, logo caindo no chão, tossindo freneticamente.

Os olhos do Park se esbugalharam ao ver de quem se tratava, era s/n. A mulher de sua vida, a mulher que ele mais amava estava no chão em uma poça de seu próprio  sangue. 

O homem correu até o corpo que já estava perdendo a vida e chorou enquanto soluçava, pegou a cabeça da mulher que fechava os olhos e a colocou em suas pernas a afagando desesperadamente.

Jm: Não, Não!- Gritava desacreditado, tudo havia sido um plano de Jeon, ele havia descobrido a traição da esposa e ficou totalmente irado ao saber que era seu patrão o amante. Jimin, nunca soube que sua amante era esposa de um de seus homens, assim como S/n que não sabia que o marido trabalhava para Park.

Seu casamento com Jeon era arranjado, assim como o de Park com Sunny, porém Jeon era ambicioso e egoísta, não aguentava ver outras pessoas melhor do que ele.

E foi ao se apaixonar por S/n possessivamente que o levou a fazer tal  plano.












Notas Finais


Espero realmente que tenham gostado💜

Fanfic do Taehyung❤
https://www.spiritfanfiction.com/historia/distintos--kim-taehyung-19252532


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...