História Malecs One-shot Os Instrumentos Mortais - Satisfação - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Os Instrumentos Mortais
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Magnus Bane, Tessa Gray
Tags Alec, Alexander Lightwood, Magnus, Magnus Bane, Malec, Os Instrumentos Mortais, Shadowhunters
Visualizações 191
Palavras 3.741
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, LGBT, Magia, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Esta é uma obra criada por mim, porém utilizando personagens criados pela autora da série: Os Instrumentos mortais (Cassandra Clare) e sem fins lucrativos, apenas de fã para fã.

A vida de um caçador de sombras não é fácil e nem sempre é possível sair ileso de alguma missão. Eis aqui uma situação inusitada sobre uma missão tarde da noite no Central Park.

ATENÇÃO: SPOILER DE : ACADEMIA DOS CAÇADORES DE SOMBRAS

Capítulo 1 - Malec's One-Shot - Satisfação


Fanfic / Fanfiction Malecs One-shot Os Instrumentos Mortais - Satisfação - Capítulo 1 - Malec's One-Shot - Satisfação

Era noite. Já havia passado das 19 horas e Magnus estava na sala de estar do loft, aguardando a volta do caçador de sombras, o qual havia dito que não voltaria tarde naquela noite, uma vez que já havia permanecido sem dormir na noite anterior devido à uma emergência com vampiros inconsequentes, porém, estava atrasado mais uma vez. O feiticeiro se encontrava no sofá, acomodado em meio as almofadas com as pernas cruzadas, mantendo a face acomodada sob sua mão esquerda, cotovelo apoiado no braço do sofá e controle remoto em sua mão direita, mudando de canal rapidamente, sendo este um ato de distração, ou tentativa de distração, até que o moreno retornasse enfim para o aconchego do lar após um dia cansativo lutando em algum lugar por aí. Quando, pela milionésima vez, Bane foi trocar o canal, a porta principal foi aberta em um movimento rápido, deixando uma rajada de vento frio entrar no local e chocar contra a face do feiticeiro, fazendo-o sorrir e fechar os olhos em apreciação com a sensação do vento em sua pele. Ao ouvir o baque da porta se fechando, e sorrindo por saber que o caçador havia chegado, Magnus abriu os olhos e direcionou-os para a entrada do loft, ansiando por vê-lo enfim, porém, não foi a felicidade que o atingiu, mas a surpresa.

-- Alexander!! – Magnus exclamou forte e alto, abrindo a boca e arregalando os olhos em surpresa, impulsionando seu corpo para levantar do sofá no mesmo instante. – O que aconteceu com você? – Perguntou com voz alterada, já caminhando apressadamente em direção ao moreno, conjurando uma toalha macia e previamente aquecida em suas mãos.

Alexander se encontrava totalmente molhado, suas roupas pesavam e pingavam sob o carpete incessantemente; seu corpo tremia de modo intenso e se encolhia cada vez mais contra si mesmo em uma busca desesperada por calor; sua pele branca parecia ainda mais pálida e seus lábios se encontravam roxeados, bem escuros, do mesmo modo que a região abaixo de seus olhos, tremendo tanto quanto seu corpo. Segurando seus braços com força, Alec acompanhou o movimentar de Magnus com um olhar saudoso até o próprio se aproximar com uma toalha em mãos, sentindo-se agradecido tanto pelo seu ato como pelo fato de estarem próximos mais uma vez, o que era ansiado por ambos. Magnus finalizou a distância que os separava e cobriu o moreno o mais rápido que pode, fazendo Alexander suspirar audivelmente satisfeito ao entrar em contato com a superfície macia aquecida do tecido sob seus ombros, tremendo um pouco mais devido ao alivio de o calor aumentar contra sua pele gélida.  

            -- Ja-Jace... la-la-lago doo Centraall Pa-park... fa-fa.. --- Alexander respondeu gaguejando devido aos tremores que irradiavam pelo seu corpo, puxando ainda mais a toalha para junto de si e dando o primeiro passo para dentro do loft após sentir a mão do feiticeiro na base de sua coluna, pressionando-o ali para que se movesse para dentro do lar aquecido de modo mais rápido.

            -- Vem, venha tomar um banho para retirar a friagem de você. – Magnus disse com ternura e puxou-o para dentro de uma vez, laçando sua cintura com seu braço direito e guiando-o em direção ao banheiro do quarto dos dois, abraçando-o com força desejando poder passar-lhe o máximo de calor à medida que caminhavam até o local, estando Alec olhando o tempo todo para o amado, sentindo seu coração palpitar em felicidade por ver a preocupação do mesmo em relação ao seu estado. – Não quero que o senhor saia daí antes de meia hora de banho! – Magnus disse fingindo uma ordem e sorriu quando viu a face surpresa do caçador.

Sem que o moreno tivesse percebido, Magnus encheu a banheira, colocou diversos tipos de sais de banho, e, de modo ainda mais ágil, colocou o caçador dentro da água. Quando se deu conta, Alexander estava com bolhas de sabonete até o pescoço, sequer reparou quando ou como entrou na banheira, só tomou conhecimento do fato quando começou a sentir o calor irradiar pela pele, aquecendo-o gradativamente. Alec suspirou aliviado após estar há alguns segundos em maior temperatura e moveu seus olhos até o amado ao lado, que estava sentado na beirada observando-o com preocupação no olhar, como se aguardasse um sinal de que estava de fato bem ou melhor que antes. Gesticulando com a mão direita num movimento rápido circular, uma chama azulada apareceu e sumiu logo em seguida, aparecendo em seu lugar um recipiente branco fumegante.

            -- Tome. – Magnus estendeu o copo em sua em direção ao moreno, o qual havia feito careta por saber que o objeto havia vindo de algum estabelecimento em algum lugar do mundo, e inalou o aroma que tanto amava antes de provar o sabor do café amargo em suas mãos, tomando cuidado para não cair espuma de sabão em seu interior. – Bom? – Perguntou em curiosidade após ver a satisfação na face do amado, deixando-o aliviado.

            -- Melhor, muito melhor. – Alexander falou pela primeira vez naquela noite sem gaguejar e sorriu de modo singelo para Bane, provando o café mais uma vez, mantendo-o na boca por alguns minutos antes de engolir, apreciando seu sabor e temperatura contra ambas as mãos.

            -- Não sei como você consegue tomar algo tão amargo. – Magnus comentou após algum tempo observando-o ingerir o líquido, torcendo o nariz após inalar o cheiro da bebida, praticamente sentindo ou imaginando o sabor do próprio em sua boca, sendo o comentário este que fez Alec levantar os olhos do copo para vê-lo.

            -- Não sei como consegue tomar café com tanto açúcar. – Alexander respondeu-o do mesmo modo e elevou a sobrancelha direita, divertindo-se com o início de uma nova e deliciosa discussão sob algo banal.

            -- Ei!! São apenas duas colheres de chá a mais de açúcar. – Magnus exclamou, respondendo-o em tom que parecia que estava sendo insultado, ao mesmo tempo em que colocou a mão direita sob o tórax, representando o insulto.

            -- E o meu são duas colheres a menos de açúcar. – Alec respondeu em tom provocativo e prensou os lábios entre si, contendo um riso em apreciação pela conversa que estavam tendo, bebericando de sua bebida novamente.

            -- Para alguém que não estava falando devido ao frio há poucos minutos, você está bem animadinho agora, hein? A cafeína te afeta tão rápido assim? – O feiticeiro provocou-o estreitando os olhos para olhar o amado, vendo-o sorrir abertamente com o rimo divertido da conversa.

            -- Acho que é efeito Magnus. – Alexander respondeu de modo divertido e arregalou os olhos ao notar o que havia dito, ao mesmo tempo em que o feiticeiro começou a rir, de modo que Alec ruborizou e voltou sua face para baixo, passando a olhar as bolhas de sabão da água enquanto Magnus aumentava seu riso em alto volume. – Não ria de mim!! – O moreno respondeu ainda sem olhar para cima, segurou seu café apenas com a mão esquerda e movimentou o braço direito para que uma pequena onda de água fosse em encontro ao amado.

            -- Ei!! Assim você vai estragar minha calça! – Magnus repreendeu-lhe e passou a mão na peça de roupa como se fosse seca-la com o simples ato, embora pudesse de fato caso quisesse, sendo acompanhando com os olhos travessos do caçador no movimento. – O que aconteceu? – Perguntou sério em seguida, curioso pelo que havia acontecido mais cedo, lembrando-se da imagem do próprio à sua porta, totalmente pálido devido ao frio intenso.

            -- Mordecai estava vendendo frutas das fadas no Central Park pela segunda vez. – Alexander respondeu em tom baixo e cansado, deixando sua cabeça tombar para trás até encostar na borda da banheira. – Nisso Jace foi tentar alguma coisa nova e estranha, e quando me dei conta estava dentro d’água. – Completou e revirou os olhos, não acreditando na capacidade do parabatai.

            -- Quando o Mordecai vai aprender? – Magnus perguntou de modo retórico e revirou os olhos, voltando a olhar para o moreno que encarava o teto devido à posição de sua cabeça acomodada, parecendo pensativo.

            -- Não sei nem mesmo se vai aprender, mas eu pedi para Lily e Luke me avisarem se souberem de algo ou verem algo suspeito. Quem sabe na próxima vez a gente consiga pará-lo antes de ele sumir de repente ou antes mesmo de vender para algum mundano. – Alec comentou expressando seu cansaço e suspirou de modo audível, bocejando logo em seguida, o que fez Magnus olha-lo com os olhos semicerrados, notando que as olheiras não eram devido à baixa temperatura do corpo de quando chegou ao loft, eram falta de sono.

            -- Quando foi a última vez que dormiu? – O feiticeiro perguntou desconfiado, analisando-o com atenção para encontrar qualquer sinal de mentira ou omissão de verdade em sua fala. O moreno, ao receber a pergunta, umedeceu os lábios com a língua e olhou para baixo, fugindo do olhar do amado, tomando mais alguns goles de café numa tentativa de ganhar tempo para responder. – Alexander... – Bane repreendeu-o e elevou a sobrancelha direita, aguardando sua resposta e tendo a certeza de que não iria gostar do que seria dito.

            -- Antes de ontem quando sai de casa de manhã. – Alexander respondeu em baixo volume, olhando para sua bebida negra, mordeu o lábio inferior com um pouco de força e tomou mais um gole de café, quase esvaziando o copo, o qual voltou a se encher de repente após uma luminosidade azul surgir ao redor do recipiente.

            -- Você está acordado há 48 horas? – Magnus perguntou ainda em tom desgostoso e Alexander suspirou audivelmente antes de direcionar sua face em direção ao amado, balançando a cabeça em confirmação, rendendo-se.

            -- A guerra contra Sebastian causou muita confusão e daí ficamos sabendo de Mordecai, então dobrei a ronda para ver se conseguia acha-lo antes de fazer algo, mas não deu muito certo. – Alec respondeu nada satisfeito e bebeu o café mais uma vez, fechando os olhos em prazer pelo sabor e temperatura que o aquecia por dentro.

            -- E para isso você tem que pernoitar como se o mundo fosse desabar em tragédias caso você decidisse descansar por algumas horas? – O feiticeiro comentou em tom irônico e revirou os olhos, voltando a encarar o amado que olhava para a água à sua frente, vendo-o beber sua bebida sem parar como válvula de escape, apreciando-o. Por mais que estivesse irritado com o desgaste de Alexander, compreendia os motivos e não conseguia não achar adorável o modo que ele estava naquele momento. – Está com fome? – Perguntou após algum tempo observando-o. Geralmente, um cuidava do outro em mesma quantidade. Do mesmo modo que Magnus estava cuidando do caçador naquele momento, Alexander quase obrigava Magnus a dormir ou comer quando o próprio estava envolvido com seus estudos ou trabalhos. Era uma vida de mão dupla, era amor.

            -- Um pouco. – Alexander respondeu e permaneceu encarando o amado com os olhos fixos nos olhos dourados esverdeados, quase surpreso pela mudança de assunto, sendo que estava esperando alguma “bronca” sobre a falta de cuidado em relação a si mesmo.

            -- Vou pensar no que pedir e deixarei na cozinha assim que trouxerem. – Magnus comentou em tom baixo, até parecendo cansado, e impulsionou o corpo para se levantar quando seu braço direito foi segurado no último momento, voltando seu rosto para a direita, vendo o caçador com os olhos arregalados e se esticando para fora da banheira para impedir o distanciamento do feiticeiro.

            -- Fica. – Alec pediu com voz baixa e suplicante, com os olhos bem abertos, quase parecendo que deixava seus olhos ainda mais azuis devido ao modo que o olhava.

Vendo a cena, Magnus sentiu seu coração “amolecer” e sorriu de modo singelo, voltando a se sentar na beirada da banheira e esticando seu braço direito para pegar o copo das mãos de Alec, o qual estava vazio, colocando na área externa ao lado. Sem conseguir se conter, devido ao jeito que Alec falou, Magnus apoiou sua mão direita no lado contrário da banheira e inclinou-se contra o moreno, selando seus lábios sutilmente, fazendo o corpo de ambos vibrarem devido ao toque, ambos reconhecendo a energia do corpo do outro. Após alguns segundos, sentindo a temperatura dos lábios de Magnus, o próprio afastou e passou a observar a face do amado na mesma posição, há 10 centímetros de seu rosto, o que fez Alexander ruborizar pelo fato de estar nu na água.

            -- Não acredito que ainda tem vergonha de mim, Alexander. – Magnus repreendeu-o e riu sutilmente, sua respiração batendo contra a face do moreno, de modo que ruborizou um pouco mais em resposta, virando seu rosto um pouco mais para a direita, provocando mais um pequeno riso no outro. – A água já está fria e você nem mesmo me contou. – Revirou os olhos, impulsionou-se para trás com o braço direito, voltando à sua posição original, e acionou a torneira com um movimentar de dedos, adicionando água em maior temperatura, o que fez o moreno gemer em satisfação, resultando em face vermelha devido à vergonha do gemido e um sorriso zombeteiro do feiticeiro.

Inebriado pelo momento de vergonha, Alexander focou sua atenção na água mais uma vez, sentindo o choque entre a água fria com a quente que aumentava apouco a pouco, relaxando seus músculos de modo tão suave que sem nem mesmo era possível notar seu efeito benéfico. Sem perceber, começou a movimentar os braços, sentindo a água passar por entre seus dedos e ondular em cima, misturando ambas as temperaturas e resultando em um choque terapêutico contra seu corpo. Percebendo essa distração do próprio, Magnus estalou os dedos e começaram a sair jatos nas laterais, sobressaltando o caçador que nunca havia visto tal funcionamento, uma vez que no Instituto não havia banheira, pois não haviam tempo para relaxar no banho quando o mundo corria perigo constante. Não conseguindo conter seu encantamento com a visão que tinha, o feiticeiro apoiou-se novamente contra a borda oposta e inclinou-se contra Alexander, vendo-o elevar o olhar surpreso antes de ter seus lábios roubados em um beijo afoito e carinhoso ao mesmo tempo.

Alexander demorou alguns minutos para compreender o que estava acontecendo, de modo que sentiu sua mente se perder em meio ao calor dos lábios de Magnus e seu corpo arrepiar-se em êxtase, emoção por poder provar do sabor do amado mais uma vez. Apreciando o momento, Magnus moveu seu braço esquerdo e segurou o moreno pela nuca, aprofundando o beijo, o que deixou a posição dos dois ainda mais curiosa a olhos de fora, pois, o feiticeiro tinha somente as bordas como apoio, permanecendo sob a água, e Alexander esticava o rosto para cima em um ângulo provavelmente doloroso em uma tentativa de obter os lábios do outro para si. Bane enroscou seus dedos entre os cabelos negros de Alec e sentiu o próprio fazer a mesma coisa consigo, molhando sua nuca e resultando em gotículas de água escorrendo do seu pescoço para dentro das vestes, provocando arrepios que o fizeram rir sob os lábios do outro, porém, não se desgrudaram. Sem conseguir se conter, Alexander aprofundou o beijo de repente, inclinando-se um pouco mais para frente para poder alcançar a boca do feiticeiro de modo mais preciso e na quantidade que desejava. Devido à falta de ar e dor nos músculos, Magnus finalizou o beijo, deixando o moreno com os olhos fechados em expectativa de continuação e permaneceu observando-o por alguns segundos com um sorriso divertido por vê-lo desejando mais, sendo totalmente amável só pela doce feição de apreciação do momento que tinham ali. Percebendo que não havia mais contato, Alexander abriu os olhos e sentiu sua face esquentar por perceber que estava sendo encarado e havia permanecido de olhos fechados aguardando pelo beijo que não veio, virando a face para o lado esquerdo como reação.

            -- Você realmente terá vergonha de mim? – Magnus perguntou de modo zombeteiro e ameaçador, de modo que o sorriso singelo que tentava escapar de Alexander murchou e o próprio virou-se totalmente em direção ao amado, vendo-o encara-lo com um olhar malicioso, como se estivesse elaborando algo, deixando-o receoso, de modo que engoliu em seco devido ao “medo”.

            -- Ma-magnus? – Alexander gaguejou, chamando-o em tom duvidoso, tentando pensar no que poderia acontecer, o que poderia estar se passando na cabeça do feiticeiro, porém, o moreno teve outra ideia em contrapartida, resultando em um sorriso tão malicioso com do outro, o que fez Magnus se surpreender, uma vez que esperava uma reação diferente.

            -- Alexander? – Bane chamou-o no mesmo tom em que foi chamado pouco antes, passando a observa-lo bem, estranhando a mudança repentina em sua feição, Alexander saindo do feitio jovem adulto tímido para alguém malicioso que já estava com algum plano em mente.

O moreno mordeu o lábio inferior, olhando atentamente para os olhos dourados esverdeados, sequer piscando de tão concentrado que estava, o que estava deixando Magnus ainda mais receoso, de modo que começou a recuar em sua posição. Após alguns minutos, Alexander elevou ambos os braços para fora d’água e laçou o pescoço de Magnus, voltando a beija-lo com desejo, apreciando seu sabor enquanto seu corpo se acomodava na banheira sem que o outro percebesse, movendo-se com sutileza, aproveitando o momento de distração do feiticeiro. Alec beijava-o com extrema luxuria e urgência, como se tivesse passado o dia em um deserto e Magnus fosse a água que havia recebido após a longa jornada. Passados alguns segundos, Alexander afastou-se do outro e permaneceu com a face próxima, voltando a encara-lo assim que os olhos felinos apareceram, com as pupilas tão dilatadas com as suas. Por mais que quisesse resistir por saber que o ato seria uma confissão de seu plano para o amado, Alec mordeu seu lábio inferior e Magnus arregalou os olhos, como se tivesse compreendido algo escondido ali.

            -- Alexander, você não se atreveria... – Magnus falou de modo surpreso e lento, mantendo os lábios abertos num pequeno “o” em suspense, observando seus mares azuis tremeluzirem devido à excitação do que estava prestes a fazer.

Sorrindo de modo travesso, além de extremamente malicioso em resposta ao feiticeiro, Alexander segurou seus braços um no outro ao redor do pescoço de Magnus e, se dobrando com sua flexibilidade de caçador de sombras, passou as pernas ao redor da cintura do feiticeiro, fazendo arregalar os olhos no exato momento em que sentiu o corpo de Alexander puxá-lo para sua direção, levando-o junto para dentro da água, caindo em cima do moreno e derrubando metade do conteúdo da banheira no restante do banheiro, fazendo subir um pouco de vapor devido ao movimento brusco. Magnus, apoiando-se no fundo da banheira com ambas as mãos, com o corpo sobreposto ao corpo do moreno, estando entre as pernas de Alexander, ergueu-se e encarou o próprio, o qual prensava os lábios entre si numa tentativa de conter o riso por ter consigo o que queria. Bane olhava-o totalmente surpreso e sem acreditar no que havia acontecido, piscando algumas vezes para livrar os cílios d’água, estando seus cabelos colados contra a testa e suas roupas movimentando-se contra si mesmo conforme as ondulações da água. Do mesmo modo que o caçador havia feito, Magnus olhou o moreno com atenção e sorriu diabolicamente, tendo sua vingança já preparada em sua mente, o que provocou um frio na espinha do outro, que arregalou os olhos em receio e engoliu em seco.

            -- Ma-magnus? N-nãoo... --- Alexander gaguejou, empurrando seu corpo para trás com as mãos numa tentativa de afastar-se do amado, sentindo a fibra da banheira em seu dorso, o que o fez engolir em seco novamente, resultando em um sorriso ainda mais malicioso do amado.

Sem pensar duas vezes, Magnus avançou em um movimento rápido e puxou Alexander contra seu próprio corpo, colando seus tórax, colocando-o sob seu colo e segurando-o pela nuca enquanto roubava seus lábios com destreza em um beijo voraz. Alec demorou alguns minutos para perceber o que havia acontecido e sentiu seu corpo amolecer em resposta ao contato com o corpo de Magnus, fazendo-o gemer pela segunda vez naquela noite. O caçador moveu seu braço esquerdo e enlaçou seus dedos nos cabeços molhados de Magnus, puxando-o para mais perto para aprofundar o beijo, enquanto seu braço direito movia-se em direção ao meio das costas do feiticeiro, puxando-o para si do mesmo modo, aumentando a força do beijo. Magnus, diferentemente do moreno, mantinha ambos os braços ao redor do tronco de Alexander, abraçando-o de modo satisfeito e acolhedor, apreciando os toques tanto do corpo como dos lábios. O beijo era caloroso e repleto de luxuria, com velocidades variando entre o doce e carinhoso até o mais ousado e emergencial, ambos sabendo o momento de cada tipo de beijo ao mesmo tempo. Sentindo seu corpo tombar para trás, Magnus, com dificuldade, girou-os na banheira e acomodou-se no encosto aonde Alexander estava há poucos minutos, focando sua atenção totalmente no beijo que trocava com Alexander, apreciando seu sabor e calor. Sem ter plena consciência dos movimentos dos braços, o caçador esticou o braço esquerdo para abraçar o pescoço do amado e esparrou no copo de café que havia sido colocado ao lado, derrubando-o audivelmente no chão, assustando à ambos, que se afastaram ao mesmo tempo com as respirações descompassadas.

Alexander, após ver o local aonde o copo caiu à sua esquerda, voltou sua face na direção do feiticeiro e ruborizou, recebendo um selar carinhoso nos lábios antes de o próprio levantar-se, girar-se e se acomodar entre as pernas de Magnus, encostando seu dorso contra o tórax do amado, sendo abraçado logo em seguida. Ali permaneceram ambos em silencio por um tempo, apreciando o contato um com o outro, a temperatura de seus corpos se chocando, os corações acelerados e a felicidade por estarem juntos novamente. Magnus acomodou sua face exatamente ao lado direito da face de Alexander, que estava inclinada para a esquerda, e permaneceu assim, apreciando o contato.

            -- Senti sua falta. – Alexander falou de repente, quebrando o silencio e sentindo o ar dá risada sutil de Magnus bater contra sua bochecha, arrepiando ao mesmo tempo que sorriu satisfeito pelo modo que estavam e sentia os braços do feiticeiro aperta-lo ainda mais no abraço.

            -- Você nem imagina a mim. – Magnus respondeu em volume baixo e beijou-lhe a bochecha, sorrindo do mesmo modo que o caçador, ambos permanecendo naquela posição, apreciando o momento que tinham, lembrando-se das conversas de poucos minutos atrás, de todas que já haviam acontecido e de todas as possibilidades que ainda podiam acontecer, alimentando seus corações com esperança e ainda mais do mais puro amor.

 


Notas Finais


Hello hello, tchurminha.

É, acho que nem todos estão animados essa noite. Eu mesma não estou. Porém, acho que foi bom eu não ter conseguido finalizar as correções na madrugada passada, pois daí eu pude finalizar agora para postar como.... "um abraço amigo" para todos após essa notícia nada legal. :( :( :(

Bem, espero que tenham gostado e nos vemos em breve.
Bjos bjos fCD <3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...