História Mallow Shake and Pupo (ABO) - Capítulo 74


Escrita por:

Postado
Categorias Blackpink, EXO, Got7, Monsta X
Personagens BamBam, Byun Baek-hyun (Baekhyun), I'M, Jennie, Jinyoung, Jisoo, Ki Hyun, Lisa, Mark, Park Chan-yeol (Chanyeol), Rosé, Show Nu, Yugyeom
Tags Abo, Chanbaek, Changkyun Kids, Jensoo, Jinjen, Jinmark, Markjin, Marknior, Rosé Kids, Showki, Yugbam, Yugmark
Visualizações 42
Palavras 3.512
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Fluffy, Lemon, LGBT, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Nha :3

Voltei bebês mieus :3

Minha vovó tá correndo maratona agora kskskks Obrigada porque sei que vcs pediram ao papai do céu, são uns nenis!!🤧💖 Mas caso não, por algum motivo pessoal com religião, sei que mandou energias boas. Ela tá mai bebê que os bebê dessa fic, o que deixa a mim e a minha família tão relaxados quanto... :3

Bom, mas vamos lá, sem enrolação fazer jus a esses 100 colaçõezinhos :3

Boa leitura!!!

Capítulo 74 - 'Acoda logo


No banheiro, através do reflexo do espelho Shownu se permitia vagar longe nos pensamentos, seus dedos pontilhando o caminho do corte ponteado no peito...

Tanta coisa aconteceu, tanto em geral, no decorrer de suas vidas, quanto no mais tardar dela. O último e recente evento, concorrendo com outros dois ou três para o posto de primeiro e pior deles.

Era como se o universo ou a vida, estivessem fazendo um tipo de brincadeira repetitiva com eles desde do início até aquele momento presente, pegando seus ômegas, sobrinho e amigos sem dó, além dos mais novos integrantes que participaram do caos. Era como se fosse tudo muito bem tramado nas entrelinhas para que venha a ocorrer toda vez que eles encontram “calmaria”. Deixando-os apenas se acostumarem para vir com algo maior...

Kihyun encostado a porta, de braços cruzados e sorrindo, observava o marido esperando que ele lhe note, sem pressa alguma, sabendo que o alfa precisava daquele momento.

O ômega repetia diversas vezes em mente o quanto tinha sorte por tê-lo como marido e o homem a qual tivera o prazer em ter como pai de seus filhotes. Shownu sempre fora durão, de pensar nas coisas diversas vezes antes de fazê-las, cauteloso antes de tomar qualquer atitude, todo seu contrário... Porém quando ele resolve se render, sendo bobo, mostrando todo seu carinho, principalmente quando se trata dos que ama, se torna algo apaixonante...

Suas diferenças eram muitas, mas o amor de ambos era fruto dessa mescla gostosa adquirida pelo convívio e os aprendizados trocados entre os dois naqueles 26 anos de casados e os três de namoro, puxando um pouquinho um do outro, “libertando” e “consertando” alguns pontinhos, apoiando e estendendo as mãos nas melhores e piores cenas....

E agora, enquanto o ômega passava a divagar em tudo o que já tinham passado juntos, era a vez de Shownu em observá-lo após ter sido tirado de seus devaneios pelo cheirinho e sentimentos bons provindos dele.

Os olhos se encontravam através do vidro espelhado, no entanto, o de Kihyun parecia perdido e o alfa não pode deixar de enfim sorrir ao notar o lindo sorriso do acastanhado.

- Sabe, acho que você vai ficar ainda mais sexy com essa cicatriz... – Voltando sem aviso prévio, não dando chance ao alfa de fazer a primeira abordagem, Kihyun comenta desviando o olhar para o peitoral do marido que rir e nega com a cabeça o acompanhando com o olhar a medida que o mais novo vem se aproximando.

Kihyun o abraça por trás e pende a cabeça para o lado, deixando-se com visão e na visão do marido, não conseguindo alcançar o ombro do mais velho para o fazer... O que ao olhar de alheios parecia no mínimo fofo levando em conta o sorrisinho bobo do ômega.  

- Você acha? – Passando as mãos pelos braços em seu envolto, Shownu pergunta sorrindo de maneira a demonstrar o quanto o contato emanava leveza para ele e por conseguinte ao menor que sorria um tantinho mais e balançava a cabeça em positivo, acabando por deixar um beijinho no braço do alfa como ênfase na resposta...

Nenhum dos dois de fato estava ligando para aquele mínimo detalhe, se amariam e se desejariam de qualquer jeito... Com marca ou sem marca...

- A enfermeira veio avisar que o Jinie acordou... – Todo infantil, aéreo tanto pelo momento quanto pela notícia, Kihyun dita espalhando um pouquinho mais de seus sentimentos bons, pensando diferentemente do alfa anteriormente. Tudo que lhes fora imposto até ali foram lições para os tornarem mais fortes e uni-los cada vez mais, e como sempre, tudo no final ocorria bem...

- Temos muito pelo que agradecer aos Kim's... – Tendo em mente que praticamente deviam suas vidas as mãos dos médicos e de seus funcionários, eles os agradeceriam pelo resto da vida.

- Uhum, e ao Bum e toda sua equipe... – Kih acrescenta lembrando de todo esforço e ajuda crucial que receberam do detetive e de seus profissionais, uns infelizmente até mesmo perdendo a vida para salvar outras, inclusive as deles.

- Liguei pra ele, e disse a ele que descanse e depois resolvemos o restante... – Se virando no decorrer da frase para ficar de frente ao menor, Shownu relata deixando um suspiro escapar, bagunçando a franja do marido, que sorria e concordava fechando os olhos a medida que o abraçava e deitava a cabeça no peito dele amando ouvir as batidas calmas do coração do alfa.

O maior passou a fazer um carinho gostoso nos cabelos castanhos do ômega tendo o ato como um modo de não voltar a passar a ele algum vestígio de receio, pois fora citado algo pelo amigo detetive, que mesmo em casa se mantinha de olho em cada acontecimento em volta deles. E um destes era o tal que Shownu não queria transpassar. 

- Que bom que tudo acabou bem... – Com a voz totalmente relaxada sem nota alguma de preocupação, emanando alivio ao alfa, Kihyun dita voltando a erguer a cabeça para olhar o marido, que não teve outra saída a não ser dar o seu melhor em não deixá-lo pegar a si no flagra, optando por fazê-lo num sorriso leve de lado. 

Como a cabecinha de seu ômega ainda não tinha posto em prática a lembrança da existência das moças, ele se certificaria de que quando lembrasse teria a resposta que menos o machucasse, sendo de serventia ao seu filhote e os demais.

- Sim, acabou... – Já pedindo desculpa internamente por ter que mentir, Shownu fala mostrando mais segurança do que achava que o faria no momento em que pensou em fazer.

Segurando no queixo fininho e delicado, o mais velho dedilhou seus dedos por ali, observando o rostinho perfeito mesmo com os risquinhos cicatrizados, em seguida o segurou alargando o sorriso deixando mostrar os dentes para o biquinho fofo e ansioso que o ômega fazia a espera de seus lábios juntos ao dele.

Com o carinho de sempre, suas bocas se encontraram, em primeira instância apenas tendo um roçar leve, para logo se entreabrirem e se deixarem provar pela sabe-se lá qual vez, sem pressa alguma no ato de poucos segundos...

- Toma banho comigo? – Com o polegar passeando sobre os lábios do Marido, Shownu pergunta enquanto ia observando cada pontinho do rosto do menor que sua visão podia alcançar estando tão pertinho dele, tendo-o a sorrir nostálgico com a proposta inocente.

Sem falas a mais ou a menos, eles passaram a se despir. Kihyun ajudando Shownu a tirar as peças que jaziam no corpo do alfa, recebendo também uma ajudinha para tirar sua blusa, ambos fazendo tudo entre sorrisos leves e beijinhos suaves por suas bochechas, narizes, ombros, pescoço....

- Não vejo a hora de poder fazer isso em casa... – Kihyun comenta ao que entram abraçados, com ele novamente a envolver seu alfa por trás. – Depois deitar na nossa cama, e dormir agarradinho do jeitinho que a gente veio ao mundo... – Ele compartilha do momento vivido entre eles em diversas noites em que apenas paravam para sentir um ao outro, pensar e conversar sobre como foi o dia, sobre seu filhote e as coisas novas que ele aprendeu e lhes contara, sobre suas inseguranças profissionais e até mesmo entre eles que vez ou outra apareciam, mas logo eram resolvidas sob o calor do cobertor e o escurinho do quarto com palavras de carinho...

- Esquecer dele e focar somente no nosso... – O alfa complementa a fala tendo total concordância de seu ômega.

- Nem quero imaginar a bagunça que minha linda casinha deve estar... – Kihyun resmunga lembrando por alto que sua amada residência este nas mãos dos sobrinhos por três dias. O alfa somente rir sabendo que ele colocaria a casa de cabeça pra baixo mesmo que esta estivesse intacta apenas para ter um pretexto para mudar tudo. - AMOR! -

Pegando o alfa de surpresa pela abrupta fala, Kihyun o faz se preocupar, mas logo o maior relaxar negando ainda mais com a cabeça para a fala seguinte:

- Nós vamos ser vovôs! - Sorrindo mais bobo do quê em qualquer momento naquela manhã, era sabe-se lá qual vez que o ômega fazia aquilo, ansioso e ainda incrédulo que seu bebê teria bebês.

- Também estou ansioso... - Shownu por fora exalava serenidade ao falar, mas só Kihyun sabia o quanto ele estava tentando não surtar de felicidade por dentro. Sendo este um dos motivos que ajudavam ao alfa a não demonstrar outras preocupações, camuflando estas.

Após ligar o chuveiro, os dois aproveitaram juntos a sensação da água quentinha correndo entre seus corpos coladinhos um no outro, aproveitando de cada milésimo de segundo do momento, sentindo todos os pontos, cheiros, pele, corações, o barulhinho da água escorrendo, das gotas caindo, seus internos conversando em silêncio, com seus sorrisos largos a passearem pelos lábios que vez ou outra se tocavam...

~

- Nós vamos ver o Appa Chany e o Omma Êk, e depois iremos ver o Marku! – Os cinco se dirigiam pelos corredores em direção ao quarto em que Chanyeol e Baek estavam, enquanto Kihyun explicava ao pequeno no colo que logo eles iriam ver Mark.

- Você não quer ver eles, nenê? – Rosé que ia mais a frente saltitante, parou para esperá-los e também para poder fazer a pergunta ao menorzinho fazendo os três mais velhos rirem pela rapidez com a qual Chang assentiu e ficou meio tontinho, acabando por fazer um careta fofinha.

- ‘Quelo! – Com um biquinho um tanto “desapontado” pela confusão dentro da cabecinha por querer ver os outros papais ao mesmo tempo que queria ver Mark, ele deita a cabecinha no ombro do Omma Kih e recebe um beijinho deste mesmo.

Observando que as coisas estavam mais calmas, eles chegaram ao elevador e apertaram no botão referente ao andar ondes os amigos se encontravam.

Na noite anterior, Kihyun havia ficado com o amigo se certificando de que ele tomara banho, comera algo descente e descansara, mesmo após relutar tanto em querer permanecer acordado com medo de acontecer de novo.

Não puderam colocar outra cama no mesmo quarto, para que o alfa ficasse mais confortável, pois teriam de mexer em Baek e poderia implicar em possíveis consequências e o alfa foi o primeiro a dizer que estava tudo bem, a cadeira e sofá eram mais do que confortáveis.

Kihyun o assegurou de que ele podia ficar tranquilo que não sairia dali e que qualquer coisa ele o chamaria, então só assim foi possível ver o alfa se render em adormecer levando em conta também os conselhos de Jin, este ganhando passe obrigatório de Kih para ir para casa.

- Appa! – Baixinho, mas dando um gritinho animado, Rosé é a primeira a entrar colocando em prática o que os papais e a vovó conversaram antes, de tomar cuidado por conta do Omma Baek estar fraquinho.

Chanyeol assim que ouviu o chamado da pequena não demorou nem sequer dois segundos para desviar sua atenção do esposo a ela, sorrindo com o sorriso que recebia dela ao tê-la a seu encontro sendo como um remédio instantâneo para sua alma.

Os amigos sorriram para a cena dela indo até o alfa e sentar no colo dele, abraçando-o pelo pescoço com uma mistura de se conter para não machucar o braço do mais velho e matar a saudade que estava dele.

Chanyeol sentia um calor reconfortante por tê-la nos braços, e o melhor de tudo era sentir que seu ômega recebia aquilo também.

- Vai lá... – Kihyun incentiva Chang após colocá-lo no chão e o menorzinho o faz todo sorridente logo recendo espaço para fazer o mesmo que a irmãzinha.

Yani fingia ter um cisco nos olhos enquanto o casal ria passando as mãos em seus ombros e compartilhavam do carinho recebido da cena a frente.

- Uau, como vocês cresceram... – Em forma de brincadeira, Chanyeol os olha como se estivesse verdadeiramente surpreso arrancando risadinhas dos dois que voltaram a abraçar ele. – Eu sei, sou o preferido de vocês... – De nariz empinado ele resmunga trazendo mais risadinhas e “Shius” baixinhos.

- Eu estou ouvindo! – Shownu entra na brincadeira fingindo ciúmes e logo se tem a ir até o amigo para cumprimentá-lo. – Eai cara! – Eles apertam as mãos em um toque firme e Shownu deixa um beijo nos cabelos do amigo deixando mais do que certo que ele estava ali com ele.

Kihyun se dirigiu até ele também e fez um carinho no ombro dele antes de ir até Baek e deixar um beijinho na testa dele, e logo Chang pedia colo para poder fazer o mesmo.

- Soube que fez um corte feio... – Chanyeol comenta recebendo um abraço da tia enquanto observava o amigo fazer o mesmo que o marido em seu ômega adormecido.

Nesse meio tempo Rosé direcionava sua atenção ao Omma Park.

- É, mas ainda dou 'pro gasto... – Shownu brinca e se coloca ao lado do marido tendo os três adultos a rirem.

- Ficou muito sexy Chany... – Kihyun sussurra escondendo a boca da visão das crianças, que entretidas faziam carinho em Baek. Rosé brincava com os dedinhos dele e Chang passava a mãozinha sobre a barriga.

O alfa riu e o outro negou, cada um ali preferindo por esquecer dos motivos que os levaram até ali, tinham o direito. Deixariam para cuidar do caos depois, não querendo nem imaginar como deveria estar a bagunça em suas empresas, nas mídias... 

Chanyeol nem mesmo querendo imaginar sobre Jennie e a outra mulher, confiando nos amigos que até então não haviam mencionado nada e estavam "relaxados", dando a aparência de que estava tudo resolvido. Em um momento em que estivesse preparado, os questionaria sobre.

Eles passam a observar os pequenos, tão inocentes, sortudos por não entenderem a complexidade do mundo que logo os tiraria daquela pureza.

- O doutor disse que ele está fora de riscos, mas pode ter alguma sequela... – Chanyeol comenta suspirando, mas não deixando o sorriso de lado, estando mais confortável com a situação, embora possuindo ainda um indispensável receio.

- Vamos orar para que ele saia dessa sem nenhuma complicação a mais... – Yani dita com um sorriso carinhoso nos lábios tendo esperança de que as coisas se sucedessem bem.

Tendo concordância, eles voltam novamente seus olhares aos pequenos.

- ‘Pote ver o Marku ‘agola?- Com um biquinho desconfiado não sabendo se podia perguntar, Chang o faz tocando as pontinhas dos dedos uma na outra. Ele estava ansioso e seu mamãe não se pronunciava a seu favor.

Kihyun riu pela fofura e pressa do pequeno, e dando um beijinho gostoso de fazer estalinho, ele concordou e ganhou um sorriso lindo de seu pequenininho.

- Jin acordou... – O ômega dita e o sorriso que o amigo lhe dá podia ser comparado com seu próprio ao que teve Mark de fato nos braços novamente após tanta agonia.

Chanyeol não mentiria, queria ter ido ver o filho, mas seu lobo pedira para se manter ao lado do ômega e ele não lutou contra, e durante a noite anterior ele pensara no filho direto, sentindo-se impotente por não ter forças o suficiente para se dar ao seu ômega e a seu filhote devidamente.

Kihyun fora de bom alicerce para ajudá-lo, garantindo que o moreno estava bem, e que estava de olho e Mark também, principalmente Mark. Aliás, este último fora outro a quem o alfa não retirara dos pensamentos, dele e de seus netinhos... Se emocionara ao saber que eram gêmeos.

- Eu... – Chanyeol começa com uma nítida intenção de se levantar para ir até o filho, mas para ao se focar em seu ômega, e os amigos entendem fazendo uma troca de olhares entre si e a mais velha.

- Hey, você pode ir, eu fico aqui com ele... – Kihyun assegura levando a mão para tocar a do Park que tinha os olhos brilhantes com uma mescla de sentimentos de agradecimento e perguntas se estaria tudo bem ele ir. – Ele vai entender e acho que ele também quer isso... – O ômega dita dando a resposta e o incentivo dos quais o amigo precisava.

- Eu fico... – Shownu dita deixando claro na calmaria da voz que não aceitaria recusas, adicionando um beijo nos cabelos do marido para que ele entendesse. – Kih vai deixar vocês lá, depois eu vou ver como ele está! – Ele complementa recebendo concordância dos demais, tendo cortado a empreitada de Yani em querer dizer que poderia ficar ali enquanto eles iam. Ela tinha tanto direito quanto eles, então o alfa o fazia de bom grado.

- Tudo bem, vamos! – Kihyun dá o pontapé para que possam ir e assim ajudam Chanyeol com Rosé, pois ele queria levá-la no colo.

- Espera! – A menininha pede e eles o fazem, ela “corre” para dar um último beijinho no Omma Baek e sussurrar baixinho: “Amo você, ‘acoda logo!”

Acabando por deixar todos, principalmente Chanyeol, apaixonados pela ação.

E novamente, agora com ela no colo, sendo segura por um braço sem mais dificuldades pelo alfa, eles se despedem, com Kihyun a deixar um selinho nos lábios do marido e sua Omma a deixar um beijinho em Baek.

- Fica de olho neles... – Shownu resmunga vendo o sorrisinho do esposo, do amigo e dos pequenos, sabendo que o do primeiro era por este entender que também se referia ao Mark e Jin...

- Volto logo! – Kihyun dita saindo sob resmungos do mais velho, este sabendo que aquilo não passava de uma bela calúnia.

Antes de Chanyeol sair, ele olhou uma última vez para Baek e sorriu podendo senti-lo sorrir também...

Flashback On

"- Você gosta não é? - 

Com as lágrimas vindo aos olhos, Kihyun sussurra a pergunta feita em um tom divertido tentando dissipar a dorzinha por ver o amigo daquela forma.

- Para de fazer charme, Êk! Vamos ser vôvós, bebês dos nossos meninos e você não tem o direito de me deixar surtando sozinho...-

Kihyun não sabia se ria ou se deixava abrir o berreiro, se fazia os dois... Enquanto não decidia, optava por fazer carinho no amigo ao que as gotinhas começavam a cair.

- Nem te conto, vão ser gêmeos menino, acredita? - 

Fazendo falsa expressão de perplexo, ele faz a revelação ao amigo. 

- Já pensou? Duas menininhas ou dois menininhos, quem sabe um casalzinho?! Vou me estressar tanto e não vejo a hora...

Ficando todo bobo, sua imaginação ia na casa cheia de alegria, finais de semana em família, com seus filhos e netos....

- Vai ser dose dupla e você tem que acordar logo, quero poder segurar sua mão na sala de espera pra gente chorar que nem condenado quando ouvir o chorinho deles... -

Com um fungar, ele rir imaginando a cena sabendo que o primeiro choro que eles iriam ouvir seria o de Mark, pois provavelmente ele iria achar que algo poderia ter acontecido aos bebês assim que ouvisse o chorinho deles...

- Mark não está preparado, e nem eu, por isso trata de acordar porque alguém vai ter que me segurar quando eu desmaiar de emoção... - 

Ele funga novamente enquanto estreitava os olhos, fazendo um biquinho para o amigo, que se estivesse consciente, estaria rindo das bobagens igual o fazia em seu inconsciente.

- E nem venha mencionar nossos alfa, vou fazer sorteio no dia pra saber quem vai 'pro chão primeiro...- 

Sabia que no dia do nascimento dos netinhos seria "unhas pra quem te quero", um mais nervoso que o outro, sabendo que seu alfa estaria competindo com Jinyoung na ansiedade.

- Além do mais, eu não quero ir pra cadeia sozinho... - 

Provavelmente mataria um ou dois caso alguém entrasse em pânico, sendo que talvez ele viesse a ser o primeiro.

Rindo por seus pensamentos e falas, ele enxuga as bochechas e volta acarinhar o rostinho do amigo...

- Vou precisar de você, Êk... Do seu apoio, assim como foi desde o dia em que a gente se conheceu na escolinha... -

Tinham três ou quatro anos na época, mal sabiam falar, mas tagaleravam e choravam quando tinham de serem separados, lembrando muito a época em que esteve em situações parecidas com seus pequenos...

Levando a mão até a do outro, Kihyun apertou de levinho e apoiou a cabeça sobre a mão, tendo o cotovelo apoiado na leteral da cama...

- Desculpe se nessa vida já fui idiota com você, mesmo sabendo que em alguns momentos você mereceu... -

Ele rir novamente lembrando dos mais variados momentos em que brigaram, sendo uns até mesmos recentes e sem necessidade ao ver do momento presente.

- Eu te amo, Êk... - 

Faz a mais velha das confissões entre eles e deixa um beijinho na mão do mais novo, que se pudesse retribuiria o ato com o mesmo amor e carinho demonstrar pelo mais velho.

- Estamos esperando você...-

Com ternura, ele volta a levar a mão aos fios de cabelo do amigo, depositando mais carinhos na região...

- Temos um casamento pra elaborar, e se você não cooperar, vou fazer você acordar na base do tapa... -

Resmungando, ele ameaça logo rindo e deixando-se aproveitar o tempo com o outro ômega em silêncio, mal notando o sorriso de felicidade que Chanyeol dava enquanto adormecido no sofá...

Flashback Off


            .... Continua....



Notas Finais


Cuidem dos nossos anjinhos, eles merecem todo amor do mundo ainda mais com tanta maldade sendo feita pra eles!! Força na panela!✊🤧💖

Cheiro!💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...