História Malucos Saltitantes - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony, Grey's Anatomy, Hailee Steinfeld, Harry Styles, Liam Payne, Little Mix, Louis Tomlinson, Niall Horan, One Direction, Selena Gomez, Shawn Mendes, Taylor Swift, Zayn Malik
Personagens Addison Montgomery-Shepherd, Alexander "Alex" Karev, Alexandra "Lexie" Grey, Amelia Shepherd, April Kepner, Arizona Robbins, Calliope "Callie" Torres, Camila Cabello, Cristina Yang, Derek Shepherd, George O'Malley, Hailee Steinfeld, Harry Styles, Isobel "Izzie" Stevens, Jackson Avery, Jade Thirlwall, Jesy Nelson, Leigh-Anne Pinnock, Liam Payne, Louis Tomlinson, Mark Sloan, Meredith Grey, Miranda Bailey, Niall Horan, Owen Hunt, Perrie Edwards, Personagens Originais, Richard Webber, Selena Gomez, Shawn Mendes, Taylor Swift, Zayn Malik
Tags Doença Grave, Grey's Anatomy, Hospital Seattle Grace, Little Mix, One Direction
Visualizações 25
Palavras 2.282
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, LGBT, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Tenham uma boa e fashion leitura 🍬

Capítulo 22 - É hoje


           6 de Fevereiro de 2012 - segunda-feira - 6:15 da manhã

Vocês lembram do capítulo anterior, que eu disse que adormeci e esqueci do que aconteceu depois? Pois é, eu tinha desmaiado. Agora, eu estou deitada na maca e tomando soro na veia.

- Pode me explicar o que aconteceu? - perguntei olhando pra Cristina. Eu estava bem fraca, e o soro estava me fortalecendo.

- Você acha que dormiu, mas teve um desmaio. - ela falou ajeitando os meus aparelhos respiratórios. Sim, eu tenho asma e outros problemas respiratórios.

- Você já disse isso! - falei revirando os olhos. - Eu quero saber o que aconteceu depois que eu desmaiei.

- Você ficou 2 horas inconsciente e depois foi transportada pro quarto. Depois, você teve uma convulsão e o seu pai aplicou um calmante que fez você dormir profundamente. - ela me explicou e pegou o meu prontuário que estava em cima da poltrona.

- Que maravilha... - ironizei e revirei os olhos. Essa coisa tinha que acontecer justo agora que os meus pais e eu vamos pra Londres? Enfim, eu só espero que seja os efeitos colaterais do tumor, e não algo mais grave.

- Você vai ficar tomando soro até às 7:30. - ela falou e foi embora do nada, mas tudo bem.

Comecei a olhar os aparelhos que tinham ao meu redor. Eu estava usando um oxímetro* no dedo, um cateter* na veia do meu braço esquerdo, alguns holter's* no meu peito, e estava com um aparelhinho respiratório no nariz. Sem contar que receber soro é a pior coisa que existe! Você fica com náusea, vontade de vomitar, e com uma grande fraqueza. Olha só, eu nunca fiquei de ressaca, mas posso provar que receber soro é pior!

- Oi, você tá se sentindo bem? - Alex entrou e sentou na beirada da maca.

- Estou fraca. - falei e fechei os olhos. Ele se levantou e sentou ao meu lado.

- Deita aqui. - ele falou e abriu os braços, me puxando pra perto dele.

- Valeu. - falei com um sorrisinho.

- Eu fiquei muito preocupado quando vi você jogada naquela maca. - ele falou e passou a mão no meu cabelo.

- Você que me encontrou? - perguntei. Afinal, eu não me lembrava de nada.

- Sim, eu estava indo fazer uma autópsia*, quando vi você jogada naquela maca. - ele começou e eu estava atenta à cada palavra. - Eu pensei que você estava dormindo. Eu comecei a mexer com você, mas você não se mexia. - ele continuou explicando. - Depois, eu te trouxe pro quarto e fizemos o nosso trabalho. - ele finalizou e eu sorri.

- Sinistro! - falei e foi a única palavra que passou na minha humilde cabeça. Eu olhei pro Alex e nós rimos.

- Que resposta hein! - ele ironizou e eu ri mais ainda.

- Foi mal, é que foi a única coisa que passou na minha cabeça. 

- Você quer tomar café? Eu trago aqui se quiser. - ele falou e foi se levantando devagar.

- Eu quero sim. - falei balançando a cabeça positivamente.

- Que horas você vai terminar de tomar soro? - ele perguntou indo até a porta.

- 7:30. - disse e me levantei pra ir ao banheiro.

- Ok, vou lá pegar o seu café. - ele falou.

- Tudo bem. - disse e fui até o banheiro pra escovar os meus dentes e tomar um banho descente.

Eu praticamente estou morando no hospital. Eu estou aqui desde a cirurgia e amanhã vai completar uma semana. Eu estou com muita saudade da minha casa, do meu quarto, e da Anne. Eu vi ela (Anne) naquele dia que Kylie e eu fomos ao cinema. Falando em Kylie, ela não me ligou e eu estou com muita saudade dela. Voltando pra realidade, eu saí do banheiro e fui escolher uma roupa. O meu pai já tinha me dado alta naquele dia, então eu não precisava usar a camisola. Só pra avisar, eu levei o suporte que segura a bolsa de soro pro banheiro. Mas não se preocupem! Eu tomei bastante cuidado, obrigada por perguntar.

- Quer que eu te ajude? - minha mãe apareceu na porta e estava sorrindo. 

- Sim. - falei e ela foi até a minha mala.

- O que vai usar? - ela perguntou e colocou a mala em cima da maca. Como eu estou cheia de holter's e o cateter na veia, eu vou escolher uma blusa de alcinha e bermuda jeans.

- Uma blusa de alcinha e bermuda jeans. - me sentei na cama e ela foi procurar.

- Aqui. - me entregou e eu comecei a me trocar. Graças à Deus que eu não tenho vergonha da minha mãe. Nós temos uma intimidade muito grande. Tão grande, que ela se troca na minha frente e eu me troco na frente dela. - Deixa eu te ajudar, se não vai bater nos holter's e no cateter. - ela veio até mim e colocou a minha blusa.

- Valeu mãe. - falei e me deitei na cama. - Cadê o papai? - perguntei ajeitando o aparelhinho respiratório que está no meu nariz.

- Ele está realizando uma cirurgia. - falou e sentou na poltrona. - Já tomou café?

- O Alex foi buscar. - dei de ombros.

- Ok, eu vou ver a minha paciente. - disse e se levantou pra dar um beijo na minha testa. - Tchau! - falou e foi andando até a porta.

- Tudo bem, tchau... - acenei e ela saiu.

Às vezes é chato ter os pais com a profissão de médico. Eles nunca ficam por muito tempo porque tem outros compromissos. Mas as vezes é legal porque quando você fica doente, você não vai precisar ficar na fila pra pegar senha e ser atendido. Por uma parte eu tenho sorte, por outra não... mas eu não estou reclamando! Eu amo a profissão dos meus pais e eu sei que eles também amam.

- Voltei! - Alex aparece com o meu café. Ainda bem! Eu estou morrendo de fome.

- Finalmente! - falei e ele colocou em cima da maca. - Obrigada. - comecei a comer.

- Se não se importa, eu tenho que ficar na emergência... - ele falou e estava sem graça.

- Tudo bem. - falei sorrindo. Ele acenou e foi embora. Eu estava sozinha (de novo) e não tinha nada de interessante pra fazer. Já era 7:15 e faltava só 15 minutos pra eu acabar de tomar o soro. Eu peguei o meu celular e tinha algumas mensagens da Kylie.

<><><><><>

*Mensagens com Vaca Abestada 😆*

6 de Fevereiro de 2012- 7:15

*Vaca Abestada 😆: Mana! Me desculpa! Eu não mandei mensagem porque não tinha sinal, e só agora que eu consegui pegar no meu celular. 😥😥

*Eu 😙: Tudo bem mana, eu te entendo. 😉

*Vaca Abestada 😆: A casa que a gente tá morando parece a casa do Horror em Amityville. 😨😨😂😂

*Eu 😙: Tá repreendido em nome de Jesus! 😨😨😂😂

*Vaca Abestada 😆: Sempre quando eu fico sozinha no quarto, eu rezo o Pai Nosso inteiro.👌😌😂

*Eu 😙: Lembra quando a gente assistiu esse filme? 😨😂😂😂

*Vaca Abestada 😆: Foi hilário! Até hoje eu lembro da sua caran 👌😂😂

*Eu 😙: Naquela noite eu rezei o terço inteiro. 😂😂😂

*Vaca Abestada 😆: Foram bons tempos. ❤

*Eu 😙: Tempos inesquecíveis. ❤❤

*Vaca Abestada 😆: Agora me fala de você, como tá indo aí? 🤔🤔

*Eu 😙: Tá tudo indo bem. 😗

*Vaca Abestada 😆: Eu quero detalhes. 👌

*Eu 😙: Ontem,  eu pensei que estava dormindo, mas eu tinha desmaiado e agora eu estou tomando soro. 😥😔 Ah, eu vou pra Londres. 😁

*Vaca Abestada 😆: 🗣VOCÊ VAI PRA LONDRES? 😲😲😲😲

*Eu 😙: Você leu a parte que eu desmaiei e estou tomando soro? 😑😑😅

*Vaca Abestada 😆: Li sim. 😂 Mas me explica essa história de ir à Londres!

*Eu 😙: Os meus pais querem começar uma vida nova, querem se dedicar a mim porque ninguém sabe se eu vou sobreviver. 😕😍

*Vaca Abestada 😆: Entendi... mana, eu vou ao super mercado com a mamãe e a Kendall. 😑😂 Até mais tarde. 😗😗

*Eu 😙: Ok,  até mais tarde. 😃

<><><><><>

Terminei de conversar com Kylie e mandei uma mensagem pra Leigh-Anne. À muito tempo que a gente não se fala.

<><><><><>

*Mensagens com Bebê 💞*

6 de Fevereiro de 2012 - 7:25

*Eu 🎀: Oi Leigh!

*Bebê 💞: Oi!! A quanto tempo, né? 😅

*Eu 🎀: Pois é, aconteceram alguns imprevistos. 😄

*Bebê 💞: Você está bem? 😊

*Eu 🎀: Eu tive um desmaio, estou tomando soro, mas eu estou bem sim. ❣

*Bebê 💞: Que bem que você estar bem! Tem novidades? 😃

*Eu 🎀: Sim, eu vou pra Londres. 🎉🎉

*Bebê 💞: LONDRES?! 😨😨

*Eu 🎀: Sim, por que? 😅🤔

*Bebê 💞: Esqueceu que eu moro em Londres?

<><><><><>

Caramba! Eu tinha esquecido disso completamente! Eita, o Liam também mora! 

<><><><><>

*Mensagens com Bebê 💞*

6 de Fevereiro de 2012 - 7:30

*Eu 🎀: Eita! Eu tinha esquecido sim! 😨😂😂

*Bebê 💞: Quando você vem? 🤔😁

*Eu 🎀: Eu ainda vou conversar com os meus pais. 😽

*Bebê 💞: A tá. 😁😁 Mana, eu tenho que ir pra casa com os meus amigos porque ainda estamos na escola. Depois a gente conversa. ❤❤

*Eu 🎀: Tá bom, até mais. 💕

<><><><><>

Guardei o meu celular e continuei a tomar o meu café. Cara, como eu consegui esquecer que a Leigh-Anne e o Liam moram em Londres? Eu sempre tive uma memória meio que falhada, mas com o tumor, ficou pior! 

- Já são 7:40, eu falei que era pra parar às 7:30. - Cristina disse e foi desligar a máquina que transporta o soro pro cateter até a minha veia.

- Desculpa, eu estava comendo. - disse meio que óbvio porque eu falei de boca cheia.

- Eu já percebi. - ela falou e rimos. - O seus pais pediram pra eu te avisar que eles vão passar aqui depois. - ela falou e desligou os holter's. - Você já pode tirar o aparelho do nariz. - ela disse e eu imediatamente tirei.

- Ufa! - falei e estava aliviada.

- Agora eu preciso voltar pra ala da cardiologia. - ela falou e saiu. Eu deixei a bandeja na mesinha do lado e fui mexer no celular. Que tédio hein...

Leigh-Anne Pinnock On

A Kemi vem pra Londres! Que máximo! 

Eu não contei pros meus amigos sobre ela. Sei lá, eu só achei que não devia... mas o  importante é que ela vem pra cá!

- Por que está rindo? - Louis perguntou assim que entrou na van e sentou ao meu lado esquerdo.

- Por nada! - falei e guardei o celular.

- A tá. - ele deu de ombros e o restante do pessoal foram entrando na van.

- Pode afastar? - Liam perguntou. Ele tinha aberto a porta direita da van.

- Senta do outro lado. - falei olhando pra frente. Eu usei todo o meu desprezo e Jesy percebeu. Sim, eu ainda estou chateada pela noite de ontem.

- Tudo bem. - ele falou e foi pro outro lado. Mas que merda! Por que eu não consigo desprezar ele? É, eu estou super apaixonada por ele.

Em casa - 12:40

- Cheguei dona Deborah! - gritei assim que cheguei em casa. Pra quem não sabe, Deborah é o nome da minha coroa, quer dizer, minha mãe.

- Estou na cozinha! - ela gritou de volta. Deixei a mochila no sofá e fui até a cozinha. - Seu amigos não vieram? - ela perguntou e guardou a faca que estava em suas mãos.

- Não, cada um foi pra sua casa. - dei de ombros.

- Por que está tão tristinha? - ela perguntou e sentou na cadeira que ficava de frente pra mim.

- Eu não estou triste... - falei tentando fingir estar bem, mas não consegui.

- Eu te conheço à 17 anos. - ela falou e revirou os olhos. - Eu sei que você está triste. - ela disse e pegou a minha mão. Minha mãe me conhece mais do que eu mesma.

- Tá, eu estou triste. - falei derrotada.

- Por quê? - perguntou.

- Eu gosto do Liam, mas ele não percebe. - falei tentando segurar o choro.

- Entendi... - ela falou e pensou em algo. - Eu já passei por isso, e não é fácil. - ela disse - Mas, o que é pra acontecer, vai acontecer! - ela falou e sorriu. Essa frase faz sentido e ela tem toda razão.

- A senhora tem razão! Eu me precipitei demais... - falei sorrindo e depois fiquei de cabeça baixa.

- Agora, chame as suas irmãs e vamos almoçar! - ela se levantou e beijou a minha bochecha.

- Ok. - falei sorrindo e subi as escadas. Sairah e Sian-Louise. São os nomes das minhas irmãs mais velhas. 

- A mãe tá chamando pra comer... - falei dando três batidas na porta. Elas dormiam no mesmo quarto e eu tinha o meu.

- Tá. - Sairah falou. Eu dei de ombros e fui pro meu quarto. Eu preciso de um banho! Depois de um tempo, eu já estava pronta e desci pra comer. Eu terminei tudo e fui pro quarto. Eu estou morrendo de sono, e vou ficar dormindo a tarde inteira!

Leigh-Anne Pinnock Off

Kemi On

Eu estava escutando música, até os meus pais entrarem no quarto.

- Vamos conversar? - meu pai perguntou e sentou na poltrona.

- Claro! - falei retirando os fones.

- Então... nós decidimos viajar nessa madrugada. - minha mãe disse e eu fiquei surpresa. Eu já tinha tomado a decisão de ir pra Londres por causa dos meus pais, mas eu não queria ir tão cedo...

- Ne-nessa madrugada? - perguntei.

- Sim! - meu pai falou e ele estava bem animado.

- Você gostou? - minha mãe perguntou e também estava animada.

- Claro... - falei com um sorriso forçado. Eu pensei que a gente só ia semana que vem! 

- Então vamos pra casa porque precisamos arrumar as malas! - minha mãe falou e bateu palmas. Olhei no relógio e era quase 9:00 da manhã. Pelo menos eu vou ter a tarde inteira pra me despedir de Seattle... e começar uma nova vida em Londres.


Notas Finais


*Autópsia: Uma autópsia, necrópsia ou exame cadavérico é um procedimento médico que consiste em examinar um cadáver para determinar a causa e modo de morte e avaliar qualquer doença ou ferimento que possa estar presente.

*Cateter: O cateter é um tubo que pode ser inserido em um vaso sanguíneo, possibilitando a drenagem ou injeção de fluídos ou o acesso a instrumentos cirúrgicos. Na maioria dos usos o cateter é um tubo fino, macio e flexível.

*Holter: É um dispositivo portátil que monitora continuamente a atividade elétrica cardíaca de pacientes por 24 horas ou mais.

*Oxímetro: É um dispositivo médico que mede indiretamente a quantidade de oxigênio no sangue de um paciente.

Me desculpe se houver algum erro 😗


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...