História ""Mandado para me matar ""- Taehyung - Capítulo 28


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Momoland, Seventeen, Stray Kids, TWICE
Personagens Chanyeol, D.O, Hansol "Vernon" Chwe, Jeon Jeongguk (Jungkook), Joo E, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Mingyu, Kim Taehyung (V), Lee Jihun "Woozi", Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Sehun, Soonyoung "Hoshi", Xiumin
Tags Jeon Jungkook, Jung Hoseok, Kim Taehyung, Min Yoongi, Park Jimin
Visualizações 18
Palavras 1.002
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Mistério, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 28 - Capítulo 28


Fanfic / Fanfiction ""Mandado para me matar ""- Taehyung - Capítulo 28 - Capítulo 28

  -ME CONTA O QUE TÁ ACONTECENDO! - ela começou a chorar. - D-DEIXA EU TE AJUDAR. - ela continuou chorando. 

A observei olhando em seus olhos e só consegui ver desespero e tristeza, muita tristeza, ela definitivamente precisava de tratamento pra seja lá o que ela tinha. Estendi a mão, ela olhou para mim enxugando suas lágrimas fazendo escorrer o sangue por todo o seu anti-braço pingando no carpete. Ela pegou minha mão, ajudei ela a levantar  a levei para o banheiro, peguei a ducha lavei os seus pulsos com a água, peguei álcool coloquei em um algodão e passei cuidadosamente arrancando algumas exclamações de dor de sua boca. 

- Isso é só pra desinfetar, daqui a pouco começa a escorrer de novo a gente vai precisar do quite de primeiros socorros. - ela ficou calada me olhando. - Senta aqui. - a sentei na cama. - Vou pegar, volto daqui a pouco.

Desci rápido peguei o quite e subi de volta, quando abri a porta ela estava da mesma maneira que eu havia deixado. Tranquei a porta, fui até ela e fiquei de joelhos em sua frente, peguei a gase no potinho vermelho, enrolei envolta de um braço depois do outro. Quando terminei sentei ao seu lado.

-Está melhor?

Bong Chul: -Sim. - foi rápida.

-Pode me contar o que está acontecendo.

Bong Chul: -Não sei se consigo.

-Você precisa Chul, pra eu poder te ajudar eu preciso que você me conte. - virei de frente para ela. - Ela olhou para mim depois olhou para seus pulsos voltando a me olhar depois.

Bong Chul: -Aquele lugar foi sempre muito estranho, sempre ruim, todo mundo lá era ruim.

-Que lugar.

Bong Chul: -O hospício lá! Aquela bosta que eu passei dois anos da minha vida!

-Certo.

Bong Chul: -Os médicos também eram ruins...mas um deles, um deles me maltratava...

-Como assim Bong Chul?

Bong Chul: -Durante um tempo, ele me dava os meus remédios, eu nunca tomava eu não precisava daquilo...mas nesse período ele me dava os remédios e também foi nesse período que ele me maltratou.

-Como era esse maltratar?? Ele batia em você??

Bong Chul: -Não.

-O QUE ELE FAZIA?! FALA LOGO!

Bong Chul: -ELE ME ESTUPRAVA! - depois do grito ela se pôs a chorar até se deitar na cama com as mãos tampando o rosto.

Eu realmente não acreditava, ou melhor, não queria acreditar, como alguém...um médico...como alguém poderia fazer isso?! Vê-la chorando só me deixava mais desesperada, queria consolá-la mas não sabia como se as lágrimas já escorriam pelo meu rosto. A única coisa que pensei e que fiz foi deitar ao sei lado e abraça-la forte.

-Você já disse isso a alguém? - quase sussurrei em meio ao abraço. 

Bong Chul: -Não.

-Descanse, durma, ou tente. Não se abale mais ainda. - Me levantei com o rosto vermelho, beijei sua testa para que ela se sentisse acolhida. - Eu te amo. 

Destranquei a porta e sai, foi lá que meu psicológico caiu, meu coração se apertou, quase cai em frente ao meu quarto. Corri para a cozinha daquele andar sentei em uma cadeira da mesa e lá despenquei. O que eu iria fazer...bom de qualquer forma teria que optar por contar para alguém aquilo, esse médico teria que ser punido pelo que havia feito com Bong Chul. Voltei para o quarto para ver como ela estava, ela dormia calmamente, ela era uma flor no meio de tantos espinhos, mesmo que a flor estivesse murcha, com algumas pétalas arrancadas e que precisasse de água, não deixava de ser uma flor. Fui para baixo tentando passar despercebida, meu rosto com certeza ainda estava com vestígios do meu pós choro, me deitei em uma cadeira perto da piscina, pensei em tomar banho mas minhas roupas de banho estavam no quarto e eu não queria acordar Bong Chul. Então tirei minhas roupas e fiquei apenas de roupas íntimas, era a mesma coisa de um biquíni, as pessoas só interpretavam mal. Desci pela escadinha da piscina devagar sentindo o frio se apossando da pele que entrava em contato com a água, esperei meu corpo se acostumar e mergulhei ficando um tempo de baixo d'água e voltando para tomar ar. Fui para um canto da piscina, cruzei os braços e fiquei pensando como iria resolver aquilo com uma expressão séria e pensativa em meu rosto. 

Taehyung: -O que você faz aí?

O olhei incrédula nem sei porquê, acho que porque estava com raiva do médico então fiquei com raiva de todo o resto.

-Nada. - voltei a olhar para a água.

Taehyung: -É impressão minha ou está de roupas íntimas?

-Estou. 

Taehyung: -Não está com vergonha de eu te ver assim?

-Não.

Jungkook: -O que ela tá fazendo? UÉ O QUE FOI? 

Olhei para eles e Taehyung empurrava Jungkook.

-Pelo jeito nem aqui eu tô em paz. - andei até a escada e subi.

Taehyung: -TÁ DOIDA (S/N)?! - ele tampava os olhos do Jungkook.

-Se acha tão absurdo assim para de me olhar.

Jungkook: -TOMA! - falou com os olhos tampados pelas mãos de Taehyung.

Taehyung: -Nossa o que ela tem hoje?!

-Não te interessa. - continuei meu caminho, cheguei em frente a porta me enxugeui  um pouco com as minhas próprias mãos e entrei, Jimin me viu arregalou os olhos e veio até mim me abraçando. 

Jimin: -O QUE É ISSO (S/N)?!

-O que eu vou fazer Jimin?! - disse segurando o choro.

Jimin: -O que foi?

-Eu quero acolher ela! Mas como eu vou fazer isso com algo tão grave?!

Jimin: -Calma (S/n)! Se veste e me explica Isso.

-Ela vai acordar! Onde está a Emily?

Jimin: -No meu quarto. O que tá acontecendo?

-A Bong Chul Jimin! A coitadinha! 

Jimin: -O que aconteceu com ela?! - peguei em sua mão e o levei para a cozinha, aquela sensação de estar vulnerável sem minha roupa já estava me incomodando. -Você precisa se vestir (S/n).

-Eu vou me vestir. Mas primeiro eu tenho que te contar, você vai ter que me ajudar!

Jimin: -Eu te ajudo fala!

-Ela vai entrar realmente em depressão se continuar assim, o médico estuprou ela Jimin. - ele arregalou os olhos e logo eles ficaram sem rumo.

Jimin: -Você vai ter que me explicar isso melhor (S/n)!




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...