História Maneira de Dizer - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Marinette Dupain-Cheng (Ladybug)
Tags Adrinette, Gravidez, Marichat
Visualizações 122
Palavras 968
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E agora... Tcharam, a descoberta, hehe!

Este provavelmente é o penúltimo capítulo. Surtando junto com o Adrien em 3, 2, 1...

Capítulo 5 - Marinette está... O quê???


Se Marinette empenhava-se em livrar-se de todos as suas angústias junto com a água que escorria por seu corpo, do lado de fora, Adrien, um tanto mais calmo e ainda curioso, tentou aliviar a mente distraindo-se com as atualizações de suas redes sociais. Foi enquanto deslizava o dedo pela tela de seu smartphone, que sentiu o odor inconfundível de Camembert crescer no ambiente, o que denunciava que Plagg estava se aproximando.

- Tente não brigar com ela. - Falou o felino, forjando indiferença.

- O que você sabe, Plagg? - O loiro o encarou, sabendo que, se o gato gastara alguns segundos para ser sensato em vez de insuportável, o assunto realmente possuía seriedade exacerbada.

- Pode esquecer, não vou além disso. - Respondeu, em seguida enfiando o queijo goela abaixo de uma só vez. - Mas acredite, no fim das contas, vai desejar ter ouvido meu conselho. - Completou, sumindo das vistas de seu portador.

Adrien tentou não dar importância às palavras enigmáticas, já que o peso do ataque terrorista mais a conversa misteriosa com Marinette, ainda estavam em suas costas. Frustrado, tornou a dedicar a sua atenção ao smartphone, quando uma melodia doce e irritante cortou o ambiente, acompanhada de vibrações ritmadas.

Estando a bolsa de Marinette entreaberta, pôde visualizar a foto da mãe desta, piscando no telefone cor-de-rosa, que chamava insistentemente.

- Marinette, sua mãe está ligando! - Avisou.

- Atende e diz que eu já retorno! - A jovem gritou de volta.

O loiro apanhou o celular, porém, acidentalmente, trouxe junto uma estranha folha de papel.

Sem esperar mais, deslizou o dedo pela tela do aparelho, aceitando a ligação. Afinal, os pais de Marinette estavam em uma viagem a China, e não eram frequentes os momentos que conseguiam se falar. Contudo, a folha dobrada lhe chamava a atenção, ainda mais por conter o logotipo de um laboratório conhecido na cidade.

- Oi Sabine! Tudo bem com vocês? - Cumprimentou. - Marinette não pode atender agora, mas retorna assim que der. - Anunciou, tentando desdobrar a folha com uma só mão.

- Oi querido, estamos ótimos, obrigada! - A chinesa respondeu, de forma doce. - Está tudo bem por aí? - Indagou, sem disfarçar uma nota de aflição em sua voz, que facilmente foi captada pelo loiro. - Nós vimos as notícias do ataque de hoje. - Esclareceu.

- Está tudo bem, não precisa se preocupar. - Adrien respondeu, tentando equilibrar o telefone apenas com o ombro e liberando ambas as mãos para desdobrar o papel.

- É que meu registro de chamadas indica várias ligações perdidas da Marinette. Fiquei preocupada. Tem certeza de que estão bem? - Insistiu.

- Tudo certo. - Respondeu, sentindo a curiosidade aumentar. O fato de Marinette ter tentado falar com os pais quando deveria estar em missão, só reforçava a ideia da seriedade do que estava escondendo. Afastando tais pensamentos, tornou a segurar o telefone com uma das mãos e começou a ler o papel, finalmente desdobrado.

- Então tá… - Sabine declarou, incerta.

- Pergunta para ele porque a Maninette ligou tantas vezes. - Conseguiu escutar o pai da namorada falando ao fundo.

- Então ela está bem né? - A mulher resolveu insistir uma última vez. - Ela está em casa? - Indagou.

- Sim, ela está.

Adrien respondia quase automaticamente, pois a maior parte de sua atenção estava no papel, que concluíra tratar-se do resultado de um exame. Entretanto, achou que Sabine se acalmaria se fosse mais específico, portanto, preparou-se para informar onde a namorada se encontrava:

- A Marinette está… GRÁVIDA??? - Contudo, terminou a frase de modo totalmente diferente do esperado, uma vez que a conclusão que extraíra daquele papel pipocara em sua mente e extrapolara sem permissão por sua garganta.

- O QUÊ??? - Sabine berrou do outro lado. - O que você disse? A Marinette está o quê? - Repetia, em um estado que encontrava-se entre o ceticismo e o desespero.

- Ela está bem! - Adrien cortou. - Ela está no banho, assim que sair peço para que ligue para vocês! - Anunciou, atropelando-se nas próprias palavras.

- Espera Adrien, você disse que a Marinette…

- Desculpa Sabine, preciso ir agora! Ligamos mais tarde, até mais!!! - Despediu-se e desligou o celular apressadamente, jogando-o sobre o colchão em seguida.

O loiro sequer teve tempo de sentir-se culpado por ter desligado o telefone na cara da sogra. Como se estivesse fora do controle de suas ações, nem percebeu quando deslocou-se do quarto para a sala, apenas dando-se conta por ouvir o grito da namorada o chamando.

- Adrien, está tudo bem? - Marinette indagou. - Eu ouvi você gritando. - Completou.

- Bem? Ótimo, claro! - Respondeu ele, embolando-se, como uma versão masculina de Marinette, enquanto relia o laudo, chocado.

Por mais que seus conhecimentos fossem limitados em certas áreas, não acreditava que a conclusão que tirara estivesse errada. O que significava que…

- Eu vou ser pai…! - Murmurou, catatônico. - Caramba! - Exclamou, esfregando os cabelos loiros.

Perto dali, de cima da geladeira, um minúsculo gato preto acompanhava tudo, com uma expressão de intensa zombaria, enquanto degustava mais um pedaço de seu queijo nojento. Para deixar a situação mais cômica, só se ele estivesse com um balde de pipocas.

Ignorando a presença do Kwami, Adrien começou a dar voltas circulares sobre o tapete, ora tentando assimilar a situação, ora sentindo-se um idiota, por permitir que os pais de sua namorada ficassem sabendo da pior maneira possível.

- Droga, os pais da Marinette!!! - Teve um estalo, lembrando-se que a namorada ficara de retornar assim que saísse do banho.

Desesperado e com o objetivo de evitar um estrago maior, o loiro correu para o quarto, chegando a tempo de ver a namorada já com o smarthphone em mãos, preparando-se para discar.


Notas Finais


Parece que um certo gato preto fez besteira, hehe. Será que ele vai conseguir consertar?

Espero que vocês estejam gostando. O próximo capítulo, provavelmente será o último.

Então, até mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...