História ManiacTale - Saga do Subterrâneo - Capítulo 6


Escrita por:

Visualizações 10
Palavras 1.138
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - Chapter 6 - Verdades Esquecidas


Fanfic / Fanfiction ManiacTale - Saga do Subterrâneo - Capítulo 6 - Chapter 6 - Verdades Esquecidas

30 de Maio de 201X

Grillby tem vindo aqui quase todos os dias, mas não temos muito o que dizer, então ele fica sentado em uma cadeira encostado na parede me olhando trabalhar, o silêncio as vezes é quebrado por uma pequena risada que ele solta quando me atrapalho com meus papéis e alguns caem, acabo ficando constrangida quando ele ri, me sinto uma idiota.

Como disse, sem o livro de estudo das almas não terei muitos resultados, vou ter que usar o básico que sei por enquanto, mas as pesquisas não me interessam por hora, o que me interessa esta sentado atrás de mim neste exato momento, me observando com um olhar pensativo, preciso saber tudo que ele sabe. 


----

- Entãããooo...

Viro a cadeira a empurrando um pouco para mais perto dele, que me encara com um olhar um tanto suspeito.

- Então...?

- Por que não me conta o que sabe? Adoraria te ouvir!

- Já disse que não vou dizer nada...

- Hum... Que tal um trato? Se você me contar o que eu preciso saber, eu falo o que eu pretendo fazer com as almas artificiais, você fala o que eu quero saber, e eu falo o que você quer saber, um trato justo não acha?

Senti um olhar frio me penetrar, ele parecia não acreditar no que eu dizia.

- Vamos... Você não confia em mim? 

- Não mesmo! 

- Para eu nem sou tão má assim! 

- Eu e você sabemos que sim. 

- Ta bom, eu posso ser um pouquiiiiinho má, mas não sou idiota, se eu não cumprir com o trato, você me entregaria para Asgore, então eu meio que não tenho escolha entende? 

Dou algumas voltas na cadeira com um sorriso idiota no rosto, o encarando constantemente, então Grillby para a cadeira com um dos pés me deixando de costas para ele. 

- Tá, eu falo. 

Joguei a cabeça para trás com os olhos bem abertos, o olhando diretamente nos olhos. 

- Então comece...!

Grillby virou a cadeira com seu pé me fazendo ficar de frente para ele, me arrumo na cadeira voltando minha atenção a ele. 

- Tudo começou com um acidente no laboratório real ainda na superfície, uma grande explosão de uma névoa negra afetou o rei, o cientista real, e o guarda real que la fazia proteção, essa explosão teve danos sérios no intelecto do rei e do cientista real, foi ai que começou o plano de absorção de almas humanas.
Os humanos temia ter suas almas tiradas pelos monstros, e eles não estavam errados em pensar assim, o rei Asgore tinha um plano, ele junto ao seu cientista real W. D. Gaster, criaram uma maquina capaz de retirar almas do corpos humanos sem qualquer esforço, eles iam absorve-las e com todo aquele poder, criar uma espécie de reino ditatorial onde os monstros viveriam como raça dominante, e uma porcentagem da humanidade seria usada para trabalho forçado, porém, eles não contavam com uma traição, alguém informou a família real humana sobre seus planos, e disse também que eles precisavam ser rápidos, caso o contrário, Gaster terminaria a máquina, e isso seria o fim para a vida huamana na terra.
Então... A guerra se iniciou, não demorou muito para que os guardas da familia real humana chegassem até Gaster e Asgore, humanos claramente são mais fortes que monstros, confiscando a máquina e nos isolando no subsolo.
Foram 10 anos para que nos instalassemos no subsolo de uma vez, nesse período, ouve muita fome, falta constante de recursos, até que conseguimos nos instalar e aos poucos as coisas foram se ajeitando.
Mesmo nos isolando, Gaster não desistiu de continuar com essa loucura, então, ele construiu este laboratório aqui em nevada para continuar suas pesquisas as escondidas de Asgore, mantendo contato com alguns "fornecedores", que trouxeram para ele 7 corpos humanos, para que ele pudesse estuda-los, isolando suas almas e as expondo em testes de crueldade, sem sentir qualquer remorso.
Os planos de Gaster foram descobertos vários anos depois, uma de suas cobaias conseguira fugir, sendo encontrada pelo filho do rei, Asriel era seu nome, ele levou a criança para casa com ele, onde fora adotada pelo rei e a rainha, a relação do rei com a família não era boa, eles, viviam brigando, Asgore tinha uma ambição muito grande por poder, afetando a relação dele com a família.
Ao descobrir os planos de Gaster, Asgore confiscou cinco almas, eram para ser 6, mas ela desapareceu junto a Gaster, que no dia em questão, avia desaparecido junto com uma parte de sua pesquisa.
Alguns anos se passaram, então, em uma dia qualquer de dezembro, Asriel e a criança simplismente desapareceram, ninguém sabe para onde eles foram ou como vivem, uns acreditam que ainda estão vivos, outros, ja não tem tantas espectativas em questão a isso.
A rainha entrou em desespero, sem seus filhos, ela não encontrava motivos para viver, viveu por dois anos aturando o tratamento de animal que Asgore impôs para a esposa, até que... 

- Até que...? 

- Até que, a senhora Dremurr não foi vista mais, a muito tempo, ela sumiu assim que chegamos ao subsolo, dês do dia que deixamos as ruínas, aquelas portas se matem fechadas, acredito eu que, a onde quer que ela esteja, que ela está bem, e que não chegou a enlouquecer como seu marido. 

- Explosão? O que estava sendo feito naquele laboratório? 

- Um estudo com uma força tão poderosa que pode sobreviver até mesmo fora de um corpo, a insanidade, uma matéria negra que existe em todas as almas, tanto humanos como monstros possuem ela, tendo em quantidades, enquanto algumas possuem uma taxa muito grande de insanidade, outros possuem uma taxa pequena e quase inexistente, mas que pode evoluir com o tempo, aquilo que fez o genocídio, não era humano, não mais... Seu corpo estava tomado por insanidade por causa do terror que Gaster o fez passar, e graças a isso, que os monstros criaram essa regra, "Matar ou ser Morto".

- E Gaster? Chutou o balde? Quem fez o genocídio? 

- Não... Chega por hoje... 

- Mas... Ei! Espera o que você ta fazendo? A onde vai? 

Grillby se levantou indo até as escadas, me levantei junto o segurando pela blusa, ele agarra o corrimão com bastante força. 

- Não quero continuar com isso hoje, entenda que não é fácil para mim relembrar tudo isso... 

- E-Eu... Sinto muito, eu achei que... 

- Para, não fala, por favor, fique em silêncio. 

Suas palavras foram mais agressivas que o normal, soltei sua blusa me afastando devagar, me viro de costas encarando o chão, meus olhos começam a arder, e uma vontade incessante de chorar toma conta de mim, ouvi o barulho dos degraus de ferro, até uma forte batida do alçapão de madeira, e mais uma vez... 

...O Silêncio Reina. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...