História Mantenha O Sorriso, Bendy! - Capítulo 21


Escrita por: e X-Event

Postado
Categorias Bendy and the Ink Machine
Tags Bendyandtheinkmachine, Cendysenpai, Comoser1trouxa
Visualizações 44
Palavras 1.144
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu escrevi rápido dessa vez :D

Capítulo 21 - Não confio nele....


Por sorte, eu consigo parar ele. A porta quase foi aberta, mas eu me joguei em cima dele no momento certo. 

-Por que você estava tentando abrir essa porta?- Eu pergunto, enquanto levanto e bato o pó dos meus joelhos. Ele se levanta sem ajuda e fica fitando a porta fechada.

-Curiosidade, sei lá- Ele abre um sorriso enigmático. 

-Mas Joey proibiu todos os personagens de abrirem isso!

-Eu sou novo aqui, me dá um desconto...

-OK, dessa vez passa... Mas nem tente abrir isso de novo, tá bom?

-Por que está sendo legal comigo?- A pergunta dele me surpreende um pouco, mas lá dentro, bem dentro de mim eu sabia a resposta.

-É por que Back não quer nos ver brigando, certo?- Ele olha para mim. 

-Acho que sim, deve ser por isso.

-Mas digamos que Back me odiasse também, como você me trataria?

-Sei lá... Onde você quer chegar?- Eu pergunto, olhando profundamente nos olhos dele. Ele se aproxima de um jeito ameaçador.

-Agora eu sei seu ponto fraco...- Ele sussurra para mim. Aquilo me deixa tão bravo que eu não penso duas vezes, pulo em cima dele e começo a enforca-lo. Ele me dá um soco, o que faz com que eu pule para trás, cuspindo sangue.

-Eu gosto dela, Bendy. Amo ela. E não é só por que eu quero tirá-la de você, não. Eu realmente quero ficar com ela. Então vamos deixar ela escolher, certo? Quem ela escolher ganha o jogo. 

-Que jogo?- Eu pergunto, ainda no chão.

-Tão burro...- Ele simplesmente sai dali, desaparecendo entre os corredores. 

Mas acho que ele tem razão. Eu venho falando tão pouco com Back desde que ele chegou que eu não duvido que ela vá me trocar. E começo a chorar ali no chão, mesmo. Tudo estava tão confuso e escuro...

-Bendy!!- Uma voz me chama. Eu reconheço como Back, mas eu não sei muito bem. 

Eu me arrasto um pouco para frente e viro a cabeça, era ela mesma, mas ela não estava com seu vestido normal. Estava de cabelo preso e um macaquinho jeans. Ela tinha uma meia grande e calçava tênis. Ela não parecia se importar em mostrar as pernas, pois seu vestido antigo ia até o joelho. 

Ela estava linda.

-Bendy, você está aí! Espera.. Por que você está chorando?- Ela vem pelo corredor e se joga no chão, me ajudando a levantar. 

-Você está sangrando! O que diabos aconteceu aqui?

As palavras de Yuki refletiram na minha cabeça. "Vamos ver quem ganha o jogo". Eu não queria me rebaixar ao nível dele, mas acho que...

-Ah, nada. Uma coisa minha caiu do meu bolso e veio rolando até aqui. Quando eu fui pegar, um monstro me atacou. Consegui matar ele com um pé de cabra, mas ele conseguiu acertar um soco na minha boca.

-Que horrível! Vem comigo, eu vou fazer um curativo na sua boca.

Ela me ajuda a levantar e nós vamos andando juntos até o quarto das meninas. Ela puxa uma gaveta e tira esparadrapo e um tipo de desinfetante de bactérias para cortes ou coisas assim.

Ela passa o remédio em uma folhinha e começa a passar no canto da minha boca. El vai passar em cima do corte e eu quase grito de dor.

-Desculpa, desculpa!- Ela diz, levantando as mãos.

-Desculpa eu, que dramático...

Ela dá uma risada.

-É, mas é o meu dramático favorito.

Eu tento rir, mas a dor me impede.

Ela termina de passar o remédio e se levanta da cama.

-Bom, era isso que eu queria te mostrar. O que achou?

-Você está linda.

-Obrigada. Enfim, você também tem um traje novo, vá até o gabinete do Joey. Quer que eu vá com você?

-Sim.

Nós dois vamos lá e nos deparamos com Boris de camiseta e calça jeans. Eu olho para o meu e não acredito no que vejo: Moletom largo e calça jeans, tênis cano alto maneiros e um óculos escuros. Meu sonho se realizou.

Eu visto e depois de sair do provador, me sinto muito bem. Back me abraça e me dá um beijo na bochecha, Boris aplaude e Cendy elogia.

Alice também estava de roupa nova. Ela vestia uma camiseta com uma gravata estampada e uma mini saia com a mesma estampa. Ela parecia uma colegial japonesa, mas ao contrário dos outros ela não estava gostando muito daquilo.

-Essa saia é bem mais curta que o meu vestido. E eu não gosto de usar gravata!

-Desculpe, Alice, mas eu também não gosto de sapatos sociais, e mesmo assim tenho que usá-los para trabalhar.- Henry rebate. Ao me ver, ele faz uma cara meio que de desgosto, mas ele sabe que uma hora ou outra vai ter que falar comigo.

-E então, gostou da roupa?

-Sim. Ela vestiu bem.

-Que bom.

-É.

Se passam uns minutos e eu percebo que a nossa "conversa" foi pateticamente curta e sem assunto.

-Olha, me desculpa por te irritar. Vou tentar parar com isso. 

Ele abre um sorriso e esfrega a mão na minha cabeça.

-Tudo bem. Eu te desculpo.

Joey entra na sala sorrindo e gritando.

-Que bom que gostaram das roupas! Por que, daqui a dois dias, nós iremos ao JAPÃO!

Cendy pula de alegria. Eu e Back ficamos de queixo caído. Alice faz uma cara como se tivessem acabado de dizer que ela foi demitida. Yuki abre um sorriso de canto. Boris sorri um pouco e ajuda Cendy a se acalmar.

Depois que a poeira baixa, eu resolvo fazer um comentário.

-Ei, aquela menina que o Henry pegou era japonesa, não era?

Henry me responde palavras nada agradáveis e sai da sala muito bravo, enquanto todos riem dele.

-Você deveria parar com isso, tadinho!- Back me fala entre risos.

Eu fico rindo com ela até que a piada perde a graça e Yuki a chama para o outro lado da sala.

Eles ficam conversando até que ele sai da sala com um sorriso de vilão. Ela volta rindo de algo que ele falou.

-O que ele te disse?- Eu pergunto, enquanto bebo um copo de água. 

-Ah, ele disse que sabia domar os monstros de tinta e que ia domestica um..- Ao ouvir isso eu quase cuspo a minha água e saio correndo. Back não entende o por que de eu sair correndo, e tenta me acompanhar, mas eu cruzo os corredores tão rapidamente que ela acaba se perdendo. 

Ao chegar lá, a porta estava aberta e ele estava lá dentro. Porém, os monstros não estavam torturando ele até a morte. Ele sestavam olhando atentamente para a mão de Yuki. 

Resolvo me abaixar, e só ficar olhando da porta.

-Puxa, Bendy, poderia ter me esperado!- Back me encontra e se ajoelha no chão. Eu faço um sinal de silêncio e ela fica olhando junto comigo.

Até que Yuki perde o controle dos monstros, e aí...


Notas Finais


Sei que fugiu um pouco do que combinamos, sorry Cendy, mas mudar faz parte da vida. Tanto de planos, quanto de roupas.
Bonde da Ink Machine indo para o Japão, que luxo...
Tá com você, Cendyzinha!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...