História Manual de Sobrevivência das Secretárias - Capítulo 23


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Neji Hyuuga, Sasuke Uchiha, TenTen Mitsashi
Tags Bimmbinha, Hyuuga Hinata, Hyuuga Neji, Indrasaku, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Itaino, Nejiten, Sasoka, Sasuhina, Shikatema, Tenten Mitsashi, Uchiha Sasuke
Visualizações 357
Palavras 5.280
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 23 - Case-se com ele em Las Vegas.


VIGÉSIMO TERCEIRO MANDAMENTO: NÃO CONFIE NO MADARA.

Depois do vergonhoso – e um tanto traumático, diga-se passageiramente – episódio envolvendo o Akasuna e Sasuke (que também foi socorrido, contra a vontade de Tobirama e Madara pelo Senju de cabelos longos), o diretor jurídico resolveu que estava mais do que na hora de encurralar a Yamanaka. Não podia deixar que ela continuasse agindo como se nada estivesse acontecendo.

—Nós dois precisamos conversar. — afirmou, encarando demoradamente a loira de olhos azuis a sua frente que erguia a sobrancelha ligeiramente confusa. Ele trancou a porta atrás de si discretamente e Ino fez uma careta.

—Tudo bem, eu só preciso ouvir o áudio que o desgraçado do seu tio mandou, ele encheu meu whats de mensagens — ela rolou os olhos envaidecidamente e então apertou em ouvir. Antes não o tivesse feito, é claro que Madara continuaria sendo um desgraçado até o final daquela viagem.

Eu fiquei sabendo que você está grávida — Ino arregalou os olhos, e estapeou a própria cara antes de rogar inúmeras pragas no pinto daquele idiota filho da puta.  Maldito! — O filho não é meu não, é? Se for meu eu assumo sem problema, mas, só por curiosidade ele não é meu filho não, certo?

Ino lançou um olhar receoso na direção de Itachi que respirava fundo, as mãos estremecendo na direção do coldre da arma que estava em sua cintura, ela amaldiçoou-se pela atitude impulsiva e estúpida de escutar o áudio daquele velho maldito. É claro que ela já deveria ter imaginado que aquele arrombado iria arrumar um jeito de sacaneá-la. Que ódio!  Inspirando e respirando fundo pela boca, ela resmungou em alemão.

Não, seu velho imbecil, o filho não é seu, nós transamos há anos, se eu tivesse engravidado a criança estaria com uns três ou quatro anos agora, seu velho pau no cu! Eu juro Madara, Ich werde dich töten.

E então ele enviou outra resposta.

Viu Deidara? Eu disse que o filho era do Itachi. — ela escancarou a boca, envaidecidamente antes de levar uma mão aos olhos.  Itachi estalou a língua, com os braços cruzados e uma expressão cínica estampada no rosto. — A propósito, eu provavelmente deveria avisar que a câmera da sala de reuniões em que você e o idiota do Sasuke estavam conversando, estava transmitindo ao vivo e a cores tudo para as pessoas de fora.

Ela jogou o celular longe, nervosamente, antes de levar a mão até a boca, para cobri-la, enquanto lançava um olhar de puro pânico e desespero ao diretor do departamento jurídico da S&B, que a fitava de volta com uma sobrancelha levantada em questionamento. Ela soltou uma praga, nervosamente.

— Meu Deus. — sussurrou aflitamente. — Você ouviu tudo?

—Ouvi e vi tudo. — ele rebateu, aproximando-se dela que por intuição recuou alguns passos para trás até acabar sentada na cama, ela mordeu a boca encarando fixamente o ítalo-americano que estreitava os olhos em sua direção, provavelmente esperando que ela inventasse uma desculpa genial a despeito de todas as confidências trocadas dentro daquela sala. — Por que você não me contou sobre a gravidez?

—Porque eu não queria que você soubesse desse jeito, deuses. — ela  o puxou pela gravata, trazendo-o para si.  Ino caiu sobre o colchão, com o corpo do moreno por cima de si e então inverteu as posições, sentando sobre o colo dele, que a fitou seriamente. — Eu ia esperar que ficássemos sozinhos dentro do escritório, para avaliarmos as clausulas do contrato da Akatsuki Engenharia... — ela o puxou pela gravata. — Então diria que tinha uma surpresa para você e quando você se sentasse na poltrona, todo tarado achando que eu ia te pagar um oral surpresa... —nesse ponto Itachi sorriu largamente. — Eu sorrateiramente deslizaria minhas mãos pelo bolso do seu paletó e colocaria os sapatinhos rosa e azul, e depois eu te beijaria e sussurraria no seu ouvido que você perdeu a aposta. — finalizou. — Era assim que eu pretendia contar.

O Uchiha mais velho soltou um riso em meio ao soluço, antes de levar a mão até os olhos, alargando gradualmente o sorriso que tinha em seus lábios. Ele ergueu-se brevemente e a puxou para si, a beijando apaixonadamente nos lábios.  Ino sorriu emocionada ao vê-lo chorando disfarçadamente.

—Eu amo você. — admitiu de uma vez. — E eu estou torcendo para que ela tenha seus olhos. — Ino sorriu, sentindo as lágrimas alçarem seus olhos antes de se inclinar na direção dele e o beijar novamente, apaixonadamente, segurando o rosto dele com ambas as mãos.

Ele inverteu as posições, ficando por cima, e encheu a de beijos apaixonados, abraçando-a carinhosamente e sendo imediatamente retribuído. Ele então levou a mão até o ventre da loira, tocando-o ternamente antes de erguer-se minimamente e depositar um longo beijo na região. Isso foi mais do que o suficiente para fazer Ino estremecer de felicidade, limpando as incessantes lágrimas que  caiam de seus olhos. Levou as mãos até os espessos cabelos negros de Itachi, acariciando-os amorosamente, esboçando um sorriso largo e genuíno de pura felicidade.  O advogado beijou a barriga dela, abraçando-a demoradamente, permitindo que algumas lágrimas de genuína felicidade escorressem de seus olhos e soluçou.

—Nós amamos você. — murmurou  a Yamanaka, levando-o a sorrir largamente e a inclinar a cabeça para fitá-la.

Mais tarde naquela mesma noite,  quando o advogado foi obrigado a deixar o quarto para uma conversa séria com Hashirama e os demais ceos, a loira foi terrivelmente surpreendida pela visita dos dois últimos seres que desejaria ver, ao menos naquele horário. Ela arqueou a sobrancelha, interrogativamente. Sasori e Sasuke adentraram o cômodo sem ao menos pedirem permissão e, sem que ela abrisse a boca para questioná-los sobre o que diabos estava acontecendo, o Akasuna foi mais rápido e trancou a porta.

—Boas notícias, nós vamos dormir de conchinha tripla como nos velhos tempos — exclamou sarcasticamente, fazendo-a piscar os olhos

—Espera... O que?

—Hinata não quer me ver pintado nem de ouro, e o Sasori está com ódio da Karin e não quer correr o risco de ela depilar os cílios e as sobrancelhas dele enquanto ele dorme —Sasuke explicou brevemente, arrumando a cama para que pudessem dormir.

—Aliás, eu queria mesmo agradecer vocês dois  pela aquela troca de segredinhos, seus desgraçados, Karin está me enchendo o saco para ver a van e o Itachi está achando que eu e você transávamos as escondidas, Ino.

Ela soltou um gemido frustrado, tombando a cabeça para trás.

—Essa porra dessa van ainda existe, Sasori? É sério?! — ela revirou os olhos. Sasuke chutou os sapatos e deitou-se na cama.

—O que eu posso fazer? Conheci muitas mulheres loucas o suficiente para entrarem naquela van, Ino, a pussy quer o que a pussy quer — ele deu de ombros. — E por que o Sasuke vai ser o padrinho do seu bebê? Esse animal já é tio de sangue, você não pode tirar isso de mim!

—Claro. Meu irmão vai adorar que o cara que deflorou a futura esposa dele seja o padrinho do bebê dele, genial! — Sasuke sorriu sarcasticamente e o Akasuna retirou o sapato para arremessar nele.

—Podia ser pior. — Ino pensou, ignorando a breve discussão sobre o padrinho do seu bebê; no fim das contas ela sabia que todos aqueles cornos seriam padrinhos da criança, então, deixaria para explicar esse fato óbvio ao ruivo mais tarde, no momento ela tinha outra preocupação em mente. — Nós poderíamos ter contado sobre aquele filme pornô — disse, aos sussurros.

Sasuke, Sasori e ela entreolharam-se demoradamente.

—Ou sobre o ménage — disparou Akasuna soprando no ouvido a loira, que se virou na direção dele e o encheu de tapas. Ele gargalhou e correu em direção à cama. — Eu não sei vocês,mas eu tenho certeza que o Itachi ia ficar mais nervoso pela história do filme pornô.

—Eu nem quero imaginar o que a Hinata faria comigo se ela descobrisse sobre aquele vídeo — Sasuke fez uma careta, começando a se benzer. — Nós nunca, nunca, nunca mais, vamos mencionar nosso passado obscuro ok?

—Concordo.

—Concordo. — e então a loira franziu o cenho. — Vocês vão mesmo dormir aqui? Eu pretendia, sei lá, dormir de conchinha com o pai do meu bebê?

—Ino, aproveita, que essa é a última vez em que você vai dormir com outros homens além daquele italiano desgraçado — cantarolou o Akasuna, espreguiçando-se.

—Ok, vamos estabelecer algumas regras: em primeiro lugar todo mundo vestido, e em segundo lugar, o Sasuke fica no meio.

—Por que toda vez eu tenho que ficar no meio? — gemeu frustradamente.

—Você adora ficar no meio de todos os sanduíches, Sasukinho — ela sorriu divertida e ele rolou os olhos, estendendo-lhe o dedo médio.

—A propósito, eu acho bom avisar agora que estamos nós três aqui reunidos outra vez...Eu vou usar você de escudo humano pelos próximos sete meses, aceita ou surta — e mandou beijos para a loira, enquanto arrastava-se para o meio da cama.

—Mas é claro que você vai. — ela respirou fundo, conformada e então revirou os olhos e antes de se deitar na ponta, desligando o abajur.

—Correção:nós vamos. A Karin tem o temperamento de um demônio — afirmou Sasori, em meio a bocejos.

[*]

Itachi soltou um palavrão, tentando forçar a maçaneta da porta, ao lado dele, Karin e Hinata estavam com expressões homicidas e usando pijamas de dormir.

—Esse trio filho da puta trancou muito bem trancado a porta — constatou o ceo, envaidecidamente.

—Cuzões — Hinata cuspiu no chão.

—Nós poderíamos dar o troco nesses três, e dormirmos na mesma cama — sugeriu Karin, enrolando uma mecha do cabelo. Itachi e Hinata encararam-na demoradamente. — E fingir que fizemos um ménage e mandar as fotos para eles.

—Se a Ino não estivesse grávida e eu não temesse que ela fosse me dar o troco com o sarnento do Yahiko ou com o meu tio — Itachi respondeu ironicamente. — Eu cogitaria essa oferta, mas, não. Boa noite para vocês. — e afastou-se, a passos rápidos.

A ruiva encarou fixamente a morena de olhos perolados, que ergueu uma sobrancelha, com os braços cruzados acima dos peitos.

—Se encostar em mim, eu te deito na porrada. — avisou, fazendo Karin fazer um beicinho visivelmente ofendida.

—Você magoou meus sentimentos e agora eu te odeio. É sério.

[*]

Durante a madrugada, Shikamaru e Temari trocaram mensagens pelo whatsapp, concordando de encontrarem-se no saguão.  O Nara estava deixando o quarto alegremente, pronto para mais um round com a sua nervosinha preferida, quando foi surpreendido pelo Hyuuga, que também havia combinado de encontrar-se com a namorada no saguão.

—Shikamaru.

—Neji. — devolveu o tecnólogo, desconfiado, exatamente como o Hyuuga. — O que você está fazendo fora do quarto à uma hora dessas?

Eu ia comer a Tenten em um dos cassinos, mas ao invés disso estalou a língua.

—Estava indo pegar água. — fingiu indiferença, coisa que ele fazia sem muito esforço. — E você? — estreitou os olhos.

—Também.  — ele sorriu forçadamente.   O diretor financeiro o encarou, e Nara retribuiu o olhar, resmungando diversos palavrões, envaidecidamente.  — E como está ficar sem transar com a namorada? Tem certeza que vocês dois vão agüentar ficar sem se tocarem até o final da viagem? Parecem dois cachorros no cio.

— Eu passei três anos me controlando para não agarrar a Tenten, posso ficar mais alguns dias sem tocá-la. — não agüento não.

—A única maneira de eu tocar na Temari seria se eu fosse forçado, então... — ele suspirou cinicamente. —Eu vou faturar essa grana fácil fácil.

—Claro que vai. — desdenhou o Hyuuga, com uma sobrancelha levantada.

Era praticamente cinco e trinta e cinco da manhã, quando as secretárias receberam uma mensagem extremamente desagradável do Uchiha satã maior.

Madara adicionou você ao grupo “Missão Vegas 2.0”

[Ino:]Ah não!

[Sakura:] Q porra é essa Madara?

[Madara:] Harém obviamente

[Madara:]Mentira. Gostaria de avisá-las que vocês irão recepcionar os caras da Akatsuki Engenharia amanhã. Mas, isso não deveria ser surpresa. Já que é essa a função das secretárias.

Sabugo está digitando...

*

Horas mais tarde, elas acordaram antes que os seus respectivos chefinhos, para reunirem-se com o Uchiha e o Senju, que iriam instruí-las a despeito da recepção e tudo o mais.

—Não acredito que você não nos contou que está grávida. — vociferou Sakura atrás da loira, que sorria largamente acenando alguns acionistas e conselheiros da Alta Cúpula Administrativa, que estavam substituindo Fugaku, Hiashi, Hizashi, Shikaku e Satori.

—Não acredito que você perdeu a virgindade com o nojento do Sasori — Temari reprimiu o impulso de rir.

—Eu queria ter visto a tatuagem “garagem do piu piu”, você removeu ela? — sibilou Karin, também aos sussurros, forçando sorrisos nas direções dos engomadinhos que adentravam a sala de reuniões.

—Eu tenho tantas perguntas para fazer — Tenten segurou a boca com a mão,reprimindo a gargalhada. — Sobre o Sasuke curtir fio terra — acrescentou.

—Como você pôde deixar eu me envolver com aquele canalha, Ino?

—Eu conheci o Sasuke primeiro e ele sabe de podres que podem me levar para a cadeia — ela gesticulou com os ombros, sorrindo amarelamente. — Agora, sorriem e acenem que os nossos pesadelos estão se aproximando.

Os membros da Akatsuki Engenharia passaram por elas, sorrindo-lhes maliciosamente e com um resquício de esperança. Elas recepcionaram-nos com o máximo de polidez possível, evitando a vontade de gritarem e saírem fugindo do local.

—Karin. — Darui aproximou-se da ruiva, que sorriu largamente para ele, sem perceber que, atrás dos engenheiros, arquitetos e ceos, estavam os diretores da S&B.

—Darui. — ela retribuiu, fitando-o com interesse.

—Hinata. — Kakashi sorriu-lhe charmosamente, fazendo com que a princesinha Byakugan sorrisse instantaneamente, apertando a mão dele, que ela percebeu acariciar demoradamente sua mão antes de soltá-la, e tal gesto não passou despercebido por Sasuke, que vinha atrás.

—Kakashi. — ela o fitou profundamente, e ele piscou  sugestivamente antes de adentrar a sala.

—Sakura! — Naruto  a abraçou fortemente, e a rosada riu entusiasmada, devolvendo o abraço, enquanto ao longe, Indra estreitava os olhos de forma homicida.

—Tenten. — Shisui fitou-a de cima abaixo, e ela ergueu a sobrancelha, num tom de aviso mudo.

—Uchiha. — disparou envaidecidamente. — Você vai se sentar perto do  Sasori e do Indra.

—Não seria mesmo inteligente me colocar perto do seu namoradinho — ele sorriu debochado, e ela conteve o ímpeto de esbofeteá-lo na cara, e assim ele adentrou a sala.

—Temari. — Kakuzu inclinou-se para ela atrevidamente e beijou-lhe a bochecha, fazendo com que Shikamaru ao longe, erguesse a sobrancelha. Ela sorriu sem graça e desviou o olhar.

Ino engoliu em seco, esperando o seu demônio em particular dirigir-lhe a palavra. Diferentemente de Gaara, o ruivo não perdia tempo com provocações verbais, preferia resolver sempre na base da violência.

Ela exprimiu um grito ao sentir uma palmada sobre suas nádegas e virou-se, descrente, a tempo de encarar Pain que sorriu-lhe charmosamente e, em silêncio adentrou o escritório. Ela escondeu o rosto entre as mãos, observando de soslaio, Itachi fulminá-la com o olhar do outro lado. Uh, vinha mais DR pela frente – logo agora que ela tinha achado que ele tinha esquecido-se de todos os segredos sujos dela quando mais nova –.

Ino estreitou os olhos, ao perceber que a porta do seu quarto estava entreaberta e com o cenho franzido, espiou pela porta entreaberta, deparando-se com uma mulher de cabelos longos e castanhos que fumava um cigarro escorada as persianas. Ela piscou os olhos azuis, confusa e intrigada.

— Quem é você e o que você está fazendo no meu quarto? — questionou, elevando a voz um décimo.

A mulher virou-se para fitá-la.

—Eu sou a esposa do Itachi. A pergunta que não quer calar é quem é você?!

A Yamanaka ergueu lentamente a sobrancelha e, quase simultaneamente a chegada da outra, a porta atrás de si fora aberta, revelando o advogado em pessoa. Itachi exprimiu um palavrão.

— O que caralhos você está fazendo aqui, Izumi?!

Sasuke era realmente um fodido e soube disso assim que abriu a porta do seu quarto, depois de uma longa, exaurida e bastante tensa tarde de negociações com os insípidos da AE, a última coisa de que ele precisava era de mais um motivo para querer se entupir de cachaça. Estava fisicamente e mentalmente esgotado e tudo o que ele mais queria no mundo era pegar Hinata de jeito, e depois dormir de conchinha com ela e então planejar o homicídio ou seqüestro perfeito do encosto desgraçado do seu tio, mas, ele já deveria imaginar que isso não iria acontecer facilmente e pior ainda: ele deveria imaginar que o cretino iria armar para ele, afinal, nenhum homem ia gostar de saber que foi corneado pelo próprio sobrinho. Pensando bem, ninguém iria gostar.

Cantarolando inocentemente, perambulando pelos corredores, o Uchiha paralisou num misto de pavor com incredulidade ao perceber que a porta do seu quarto estava destrancada e com ambas as sobrancelhas bem crispadas, ele exprimiu um grito.

— Aí está ele! O nosso Grande Homem!

—Não, não, não,não, porra! — ele desesperou-se, recuando alguns passos para trás. — Konan o que você está fazendo em cima da minha cama sem roupa?

—Eu passei à tarde inteirinha esperando você, para matarmos a saudade. Agora o que ela — apontou para a senhora Akasuna, que demonstrava uma confusão genuína — Está fazendo aqui eu realmente não faço a mínima ideia.

—Isso não pode estar acontecendo. É um pesadelo! — Sasuke choramingou frustradamente, antes de tombar a cabeça para trás. — Konan vista as suas roupas e dê o fora desse o quarto imediatamente — rosnou, inclinando-se para  recolher as lingeries da azulada e jogar sobre a mulher, que riu maliciosamente. — Mei...

—Uchiha. — ela estava claramente confusa como que estava acontecendo ali. — Ai Meu Deus,não me diga que é mais uma armadilha do satânico do seu tio? Eu vou matar aquele arrombado quando encontrar ele.

Sasuke abriu a boca para dizer algo, contudo Konan o agarrou pelas costas e o jogou na cama. Ele arregalou os olhos e tentou livrar-se da azulada.

—QUE PORRA É ESSA?! — ele fechou os olhos, choramingando, lutando para afastar-se de Konan.

—Hinata, eu juro, não é o que está parecendo, eu posso explicar.

A morena de olhos perolados estalou a língua, fitando-o demoradamente enquanto ele respirava fundo, hiperventilando, levantando-se da cama aos tropeços. Ele limpou bem a garganta e deu um passo em direção a ela.

Como todo castigo para Uchiha era pouco, Madara adentrou o cômodo com uma expressão de perplexidade que não combinava em nada com o sorriso arteiro que tinha nos lábios.

—Você tem sérios problemas psicossexuais, Sasuke. Traindo a namorada com a mãe do seu melhor amigo?

Sasuke fulminou-o com o olhar, se abanando.

—Hinata, não escute esse maníaco, não é o que está parecendo, é sério, eu não faço ideia de como elas vieram parar aqui e... E...  Eu acho que vou desmaiar — no minuto seguinte, ele caiu desfalecido no chão,sobre os pés de Mei.

—UCHIHA!

Indra estava bebendo um gole de sua bebida tranquilamente quando reconheceu a voz do Senju e, assim que se virou para encará-lo foi surpreendido com um soco no rosto que o desestabilizou completamente. Cambaleante, ele massageou o local atingido.

—Você inventou aquela história da ménage seu doente mental para se vingar da Sakura, e destruir meu namoro com ela! — o acusou. — Eu vou arrebentar a sua cara — e dito isso, voltou a socá-lo diversas vezes, sendo imediatamente retribuído pelo Uchiha que, sem a mínima paciência para Senjus, devolveu o soco na mesma violência.

Logo os dois estavam trocando socos, chutes e cabeçadas em pleno cassino, com alguns membros da AE os observando e uma multidão enlouquecida de turistas incentivando-os a se arrebentarem, e de longe teriam ido até o fim não fosse pela voz sempre pacifica e calma de Hashirama, que surgiu somente para puxar o irmão pelos cabelos e jogá-lo longe, antes de voltar sua atenção ao Uchiha e empurrá-lo para longe.

—Vocês dois, já basta disso. Nenhum de vocês tem vinte anos para se portarem dessa maneira ridícula e infantil...

—Toma isso Senju!

Ao se virar, qual não foi a surpresa em ver Madara quebrando uma cadeira nas costas de Tobirama? Ele respirou fundo, antes de bufar, envaidecidamente e antes que pudesse perceber, Indra já vinha em sua direção para enchê-lo de porrada também.

—Puta merda! — Hashirama estapeou a própria testa, ao ver Deidara literalmente chegando na voadora e chutar a cara de Madara. Tobirama então se levantou e voou em cima de Indra, que  imediatamente revidou.

Ele recuou alguns passos para trás, vendo os quatros se enchendo de porrada violentamente e inspirou fundo, sem saber ao certo o que fazer para impedi-los de se matar. Hashirama estava prestes a deixar aquele tumulto, adotando a filosofia do foda-se, quando foi atingido cruelmente nas costas. Ele virou-se, em meio a palavrões a tempo de se deparar com Sasuke.

—Desculpa, era para acertar o meu tio.

—Quer saber? Eu também quero matar o seu tio.

—Meu Deus! — Neji gritou do outro lado. — Eles vão matar o Madara, a gente tem que aproveitar — e não foi preciso de mais nenhum incentivo, logo Sasori, Shikamaru e Neji corriam na direção do Madara com o intuito de pisotear nele até a morte, juntamente de Hashirama.

Eles só não imaginavam que as coisas fossem sair completamente do controle.

—Tira as patas do meu tio, seu boçal! — Shisui gritou, acertando uma mesa nas costas de Neji que cambaleou para a frente antes de se virar,irado na direção do Uchiha.

E de repente, eram todos da Akatsuki engenharia contra todos os ceos da Sharingan&Byakugan.

—Nós não deveríamos chamar a polícia? — inquiriu Karin aos sussurros para Temari.

—Que polícia o cacete...PEGA ELE SHIKAMARU! — berrou a loura, subindo em cima do balcão gritando histericamente. — VAI SHIKA!

Sakura, Tenten e Karin franziram os cenhos, altamente desconfiadas, contudo, não tiveram tempo de refletirem já que todo o cassino transformara-se numa verdadeira porradaria.  Karin não podia perder a oportunidade, por esse motivo subiu em cima do balcão e começou a arremessar garrafas de bebidas em cima dos membros da Akatsuki.

—VAI SASORI! — a ruiva gritou, batendo palmas.

—PEGA ELE MOZÃO! — Tenten berrou, se contorcendo de tanto que ria.  

Sakura estava seriamente dividida para quem torcer,contudo assim que viu Indra acertar em cheio a cara de Madara propositalmente, não pôde deixar de uivar emocionadamente.

—MATA ELE INDRA!

Elas gritaram histericamente antes de esconderem-se atrás do bar, assustadas, já que mesas e cadeiras literalmente voavam pelos ares, assim como extintores de incêndio e sapatos italianos.  Temari espiou através do balcão, o momento exato em que Shikamaru empurrou a cara do Kakuzu contra a outra mesa somente para erguê-lo e enchê-lo de porrada e não pôde evitar um suspiro de deleite. Ok, o Nara não era nada frouxo como ela acreditava que fosse.

Em um momento, Madara estava trocando socos com Tobirama e no outro, estava tentando esquivar-se de Deidara, e de repente,  Sasuke estava socando Deidara.  Ele riu escandalosamente antes de receber uma joelhada na boca do estomago, uma cortesia do Hatake.

—Me pediram para fazer isso. — jurou Kakashi, e de repente suas atenções estavam voltadas para o Uchiha caçula. Sasuke estreitou os olhos e sem pensar duas vezes o socou com força.

—Me pediram para fazer isso — replicou sarcasticamente, e então os dois começaram a se socar simultaneamente.

—Isso aqui é por você ter dormido com a minha mulher — Sasori arremessou a cadeira na direção de Darui, que correu em direção a ele.

—SAAAAAASUKE! — a voz escandalosa de Naruto soou em algum ponto da multidão, e depois disso as coisas ficaram extremamente confusas. Era difícil dizer com quem eles estavam brigando, porque os adversários mudavam a todo instante.

Indra estreitou os olhos e pegou o irmão caçula pela nuca.

—Eu vou bater nesse filho da puta, com esse outro filho da puta — e então arremessou Sasuke contra o Uzumaki fazendo com que ambos rolassem pelo chão. Ele gargalhou histericamente.

—Ótima ideia, Uchiha — Hashirama exclamou lançando um olhar na direção de Madara, que instintivamente encolheu-se. Ele  chutou violentamente Madara na direção de Kakashi, e o resto foi efeito dominó, caindo um por cima do outro.

—MATA ELE SASUKE! — Hinata gritou, juntando-se as demais secretárias para assistirem aquela cena épica, que poderia ser devidamente descrita como batalha de titãs.

É claro que ela ainda estava furiosa com ele e iria matá-lo quando tudo aquilo terminasse, naturalmente, porém, ela não iria diminuir a masculinidade dele ali, deixaria para fazê-lo quando ele saísse da briga.

—Alguém deveria dar um tiro no meio da testa ou do pinto do Madara — disparou uma voz feminina sensual e desconhecida pelas secretárias, aproximando-se a elas. — Sou Mei, mãe do Sasori.

—Sogrinha! — Karin sorriu emocionada e então ergueu a cabeça para procurar seu bombozinho de morango que estava chutando vários caras aleatoriamente, inclusive Sasuke,mas ela imaginou que talvez fosse mesmo intencional.  — Que maneira estranha de conhecê-la...Mas que prazer inesperado!

—O prazer é todo meu. — Mei sorriu charmosamente. — Nós deveríamos ajudar na briga,vocês não acham?

—Eu não acho que eles precisem de ajuda. — comentou Sakura franzindo o cenho. — Mas todas as idéias são bem-vindas nesse lado do cassino.

Mei sorriu diabolicamente.

— Eu vou pegar as bombas de gás lacrimogêneos que eu trouxe na bolsa,  quando se tem um Madara na sua vida, você é obrigada a andar prevenida. — e então saiu engatinhando dali.

Elas franziram o cenho, fazendo caretas entre sis.

—Meu Deus do céu — a voz de Ino fizera-se presente. — Está parecendo Santorini outra vez — e riu escandalosamente, acomodando-se entre as demais mulheres.

—O que aquela piranha está fazendo aqui? — indagou Hinata, irritada, ao ver que Konan estava pretendendo acertar um Tobirama distraído pelas costas. — Eu vou matar essa vagabunda. — e sem pensar duas vezes, ela saiu de trás do esconderijo e correu em meio à multidão para jogar-se em cima da azulada e a puxá-la pelo pescoço, trazendo-a para trás, apertando o pescoço dela que se debatia enquanto a xingava.

—As secretárias deles também estão entrando na briga — constatou Sakura, observando através do balcão.

—Eu não acredito que tem piranha agredindo o Neji! — Tenten arregaçou as mangas das camisetas. — Secretárias, avante! — gritou histericamente e todas, com exceção da grávida obviamente desataram a correr em meio a gritos de guerra e de ameaças de mortes, agarrando tudo o que vinham pela frente para atirar neles e principalmente para agredi-los.

Foram cabelos puxados, rostos socados, chutados e estapeados diversas vezes. Tenten usou as costas do namorado como pula-pula antes de jogar-se em Shion, que gritou e rolou pelo chão.  Hinata segurou Konan pelos cabelos antes de socá-la várias e várias vezes, sendo imediatamente retribuída pela azulada que a estapeou e no minuto seguinte ambas rolavam pelo chão trocando socos e mais socos.

Temari estreitou os olhos ameaçadoramente na direção de Matsuri que exprimiu um grito de fúria e tentou correr, em vão, mas a Sabaku foi mais rápida e a puxou pelas pernas somente.

—É melhor tu começar a rezar! — gritou apertando o pescoço dela, que gritou implorando por socorro.

Karin aplicou uma rasteira em Kin antes de estapear-lhe a cara várias vezes consecutivas, para então sair rolando pelo chão com a morena que gritava inúmeras ofensas.

Sakura deu uma cabeçada em Yugão e então virou-se para acertar Guren simultaneamente.

Ino tomava um suco de laranja, observando ansiosamente o desenrolar de todas aquelas brigas, quando viu com os olhos arregalados, Deidara ser arremessado para cima dos Uchihas por Pain. Ela cobriu os olhos brevemente e no minuto seguinte, Itachi surgia arremessando Naruto em direção a Shisui.

Ela deu um demorado gole em sua bebida, meneando a cabeça negativamente, imaginando que provavelmente todo mundo iria dormir na cadeia naquela noite.

—Ino,amorzinho é melhor você se levantar agora — a voz da senhora Akasuna soou próxima a ela, e ela ergueu a cabeça para fitar Mei que tinha um sorriso psicótico nos lábios.

—Granadas com gás lacrimogêneo? — perguntou e a ruiva assentiu. Ela então se afastou a passos rápidos, afastando-se o máximo possível, antes da mulher que considerava como uma tia, virar-se na direção dos diretores executivos briguentos.

A Yamanaka correu em direção a área dos elevadores, enquanto Mei esquadrinhava a área.

—Sasori meu filho, recue!

E cerca de dois minutos depois, ela arremessou as granadas; as secretárias gritaram, sendo imediatamente abraçadas por seus respectivos namorados barra chefes, e Itachi usou Tobirama como escudo, que resmungou inúmeros palavrões.

[*]

Eles acabaram na delegacia, onde provavelmente pernoitariam.  As acusações eram as mais diversas; espalhar o caos generalizado; depredar patrimônio privado, agressão física, agressão verbal ameaças de mortes entre outros.  E  no final pelo menos boa parte dos envolvidos nas brigas chegaram a brilhante conclusão de que o que tinha acontecido ali era única e exclusivamente culpa de Madara.

[*]

—Você é genial — Sakura soluçou, bêbada, jogando os braços ao redor de Indra, igualmente bêbado que sorria entre soluços, apesar do rosto completamente machucado pela briga de uma hora antes. É, ele havia conseguido escapar minutos antes dos policiais e seguranças chegarem e arrastou a Haruno consigo, que naturalmente não protestou. Não podia ter uma ficha criminal naquela altura do campeonato.

—Um brinde a minha genialidade! — ele sorriu, e ela fungou uma risada, ele estava com o rosto bastante arroxeado e inchado e mesmo assim conseguia ser o filho da puta mais lindo em que ela tinha colocado seus olhos.  Sakura jogou a lata de cerveja longe e então o agarrou sendo imediatamente retribuída por ele, que a beijou de volta com lascívia e um desespero crítico antes de arremessá-la contra a mesa de bilhar.  Eles estavam em um cassino há várias  quadras de distância do hotel em que estavam hospedados.  Eles soltaram suspiros altos, explorando o corpo um do outro de maneira erótica e afoita. — Sakura eu te amo tanto, você é a mulher da minha vida — murmurava ele, em meio a soluços. Ela limitava-se a rir, segurando o rosto dele entre suas mãos. — Quer se casar comigo?

—Quero. Vamos nos casar  naquela capela ali do lado — sugeriu e ele meneou a cabeça em concordância, antes de voltar a beijá-la.          — E depois... Nós vamos para a lua de mel — cantarolou.

—Sim, sim. — ele voltou a beijá-la furiosamente e apaixonadamente, com ela jogando os braços ao redor do pescoço dele e então ele a pegou no colo, marchando cambaleante para fora do cassino rumando em direção a tal capela.

*

Eles sorriam apaixonadamente, de mãos entrelaçadas.

—Pelos poderes a mim investidos online — o padre se manifestou. — Eu os declaro marido e mulher, Indra Uchiha e Sakura Uchiha. Podem se beijar agora.

Não foi preciso mais nenhum incentivo, Sakura jogou-se no colo do Uchiha mais velho que a beijou furiosamente e cambaleante, afastou-se do altar, com a rosada em seu colo. Ele a deitou sobre o banco da igreja, aprofundando ainda mais o osculo.  Estavam finalmente casados.

[Na manhã seguinte]

Quando foram checar seus grupos do whats, na manhã seguinte, os diretores executivos tiveram uma péssima surpresa. Confusos, abriram as conversas.

[Madara: alguém me deve seis milhões de dólares sem choro!]

[Tobirama: Eu voto no bastardo do Hashirama!]

[Shikamaru:???]

[Neji:???]

[Hashirama]: Tira meu filho da jogada, deve ter sido o do Madara!

[Sasuke:] pera, que?

[Itachi:]meu deus

[Sasori: oq?]

[Madara: oi?]

[Sasuke: ninguém vai tirar a gente da cadeia não?!]



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...