1. Spirit Fanfics >
  2. Map of The Soul: Roses >
  3. Ódio e Vingança

História Map of The Soul: Roses - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Avisos:


Oi meus amores, então, venho presentear vocês com essa história que eu tô amando escrever até por que é minha primeira fic que eu posto aki no spirit
Espero que vocês gostem, escrevi ela cm muito carinho e dedicação
Também, que vocês entrem em um conto cheio de mistério ódio e muito amor

Tenho que agradecer também a minhas soumates, Ana Beatriz e a Gigi, que me inspiraram e me apoiaram muito pra que eu chegasse até aki

Votem e comentem bastante se vcs estão gostando

Detalhe importante:

A fic, além de ser +18 ela é Namkook, então se não gosta não tem problema se não ler
Deem muito amor ao Namjoom

Amo muito vocês 💜💜

Capítulo 1 - Ódio e Vingança


Fanfic / Fanfiction Map of The Soul: Roses - Capítulo 1 - Ódio e Vingança

LEIAM AS NOTAS!!!

A fic foi reescrita, com um novo foco e objetivo, vou tentar atualizar pelo menos dois capítulos por semana 

Eu sou um menininho que só quer dar amor a vocês, que estão aqui lendo mimha fic

Espero de coração que gostem

A fic é 18, e trataram de assuntos que podem ser perturbadores para alguns, mas é pura ficção
Além de ser Namkook, então caso você não gosta é só não ler meu bem
Deem muito amor ao Namjoom e ao Kookie

A fic também tratará de asexualidade e pessoas trans, então respeito acima de tudo mochis

É isso, espero que gostem não esqueçam de votar e comentar bastante
Amo vocês vamos lá 💜💜💜

                             XXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Três Reinos 32 A.C.

O que seria um mal inimaginável ou perigoso ao ponto de alguma coisa ser pior do que a morte? Tudo o que pensamos termos visto de surpreendente ainda não é nada perto do que Kim Namjoon possui dentro de si, uma maldição com bastante ódio e vingança no coração de quem à criou.

Antes mesmo de nascer, dentro do ventre de sua mãe, quando ninguém sabia ao certo nem qual poderia ser o sexo do feto, foi se jogado uma maldição irrefutável, de inigualável poder sem que nenhum feitiço que exista ou até o sobrenatural conhecido como magia, seria capaz de remover tal problema.

A maldição da Rosa negra, considerada um mito pra muitos incluindo seus pais, não passava de apenas um mal entendido. E foi nisso que Kim Heechul e Sra. Kim acreditavam, optaram por ignorar os sinais de que seu filho nunca seria normal e estavam decididos a criar seu filho da melhor forma possível.

Mal sabia ele, que ter uma obra maligna como aquela, tinha muitas consequências. Como o fato de pétalas avermelhadas cresceram em seu peito, além de que toda vez que chorava, suas mechas longas e bonitas mudavam a cor drasticamente, coisa que só percebeu fazer parte da maldição com seus 15 anos, quando perdeu o seu tão amado bisavô. Sentiu uma dor tão forte no peito que parecia não querer deixá-lo em paz com seu luto.

Até que caiu duas pétalas de rosas, já caíram em suas cores roxas escuras, que se despedaçaram ao tocar o solo. Entretanto tudo o que a família tinha de mais valioso eram suas plantações frutíferas e suas belas flores, quando as pétalas se soltaram violentamente do peito arrancando gotas de seu sangue todas flores valiosas do Jardim da família, enegreceram a apodreceram não sobrando nenhuma delas pra se contar história. O jovem sentiu tanta dor que seus pais resolveram levá-lo ao um antigo feiticeiro que morava em um pequeno bosque.

O feiticeiro contou que a maldição passava de geração em geração, dizimando muitos corpos por onde ela pairava. Aquele homem conseguia sentir males desconhecidos, porém aquilo era diferente, era algo mais poderoso do que qualquer outra coisa já vista. Explicou tudo o que precisavam saber, enfatizou sobre as dores que o jovem teria que evitar, os sinais mais evidentes seriam a perca de força caso seus cabelos mudassem repentinamente de cor, indicando algum possível dano a sua vida.

Em meio à muitas dúvidas pertinentes que seus pais tinham, o grande feiticeiro disse que eles só teriam mais repostas quando a maldição começasse a se apresentar para o menino. Com seus poderes, fez com que uma pequena lista fosse feita, onde dizia quais cores em seus fios, ainda bem pequeninos, indicaria uma mudança ruim em seu corpo:
Fios vermelhos: Sinal comum quando se sente feliz
Fios cinzas:  Sinais de ferimentos graves
Fios Negros: Sinal de dano irreparável para com sua vida, isso após todas as pétalas terem caído ou serem arrancadas. Totalmente letal

O clíma tenso tomado de medo arrodeou seus pais, descobriram também que seu filho não poderia perder mais pétalas de seu peito, pois elas mantinham o jovem vivo e saudável, bem mesmo podia sentir dor alguma em seu coração, a perda de pétalas significaria menos tempo em que o mais novo passaria respirando e caso os tons em suas mechas tomasse todo o seu cabelo de preto, ele passaria ao estado thorn, ele continuaria vivo, mas viveria o resto do que seria chamado dias, sendo espetado por longos espinhos repetidas vezes. Uma vez em que chegasse ao estado Thorn, seu coração, também cheio de espinhos seria tomado por uma grande rosa negra até que seus dias se findasse com seu coração esmagado.

Desde então o brilho de viver se esvaiu dos olhos do mais novo, de menino mais alegre passou a ser o mais amargurado de todos. Se esforçou a aprender todos os ensinamentos sobre sua maldição para se prevenir contra qualquer dor que fosse vir pra atormentá-lo.

Namjoom, filho de pais ricos, herdeiro legítimo de uma família de dinastias lendárias, nada mais nada menos do que filho do poderoso Kim Heechul. Já que não podia estar perto dos outros ele se fechou pro mundo, e cresceu uma pessoa ruim e má, e apesar das pessoas saberem algumas coisas de sua maldição, não ligava com o que as pessoas iria pensar dele ou não, contando que ele estivesse em paz. Seu bisavô dizia que ele tinha um propósito no mundo onde ele iria ser muito feliz, ele já nem acreditava mais nisso.

O tempo se passou e Namjoom não é mais aquele menino ingênuo que tinha medo da coisas, se tornou o tão temido Kim Namjoon, dono de uma uma herança inquestionável e pra que ninguém coloque defeito dono de seu poderoso Castelo Diff. Uma verdadeira fortaleza bastante luxuosa onde só quem mandava era ele, com seus desejos e suas vontades. Construído na época de seu bisavô, o Castelo Diff tinham grandes salões de festas, salas específicas destinados à cada assunto que surgisse ali. As paredes de pedras deixam o clima do lugar mais rústicos a cada passagem, com pouca iluminação era uma grandiosa construção deixada especialmente com o herança pra Namjoon.

Constituído de 6 andares onde somente Namjoon e seu pai tinham acesso, se alguém fosse mesmo que por um segundo seria morto na sala negra, execuções dos de dentro eram sempre realizadas naquela sala. Uma sala no subterrâneo levava a prisão do Castelo, os prisioneiros mais perigosos eram jogados ali presos que ofereciam algum perigo as pessoas ou ao próprio Reino e até que descem as informações, ele não poderiam ser executados.

O jovem durante sua adolescência, para conseguir se distrair dos problemas se concentrava em estudar as leis dos Reinos que um dia faria parte, agora cheio de dinheiro e empregados para satisfazer suas vontades.

Emretanto não foi com as melhores intenções que ele fez isso, com a mágoa de ter perdido seu tão amado avô que era sua fonte de consolo, as pessoas viviam dizendo que ele foi o responsável pela morte do ente tão querido e que ele Só iria trazer desgraça ao mundo. Mesmo não esquecendo das palavras de seu avô sobre ter um propósito no mundo, o ódio e a angústia se tornaram parte da alma do jovem; a verdadeira intenção era se isolar do mundo alheio que só o olhara com indiferença e preconceito.

E ele pôde se livrar disso conseguindo a tão sonhada liberdade, longe das pessoas que só o odiavam e o temiam pela sua maldição ainda desconexa, além de desconhecida por muitos. Agora sim as pessoas iriam temê-lo com todos os motivos possíveis, agora com seus 25 anos e dono de um império, ele vive aos arredores de Daegu onde tem tudo o que precisa.

Considerando tudo o que ele queria, nada tirava o foco dele em manter as pétalas em seu peito intactas, uma meta concluída por ele quase 20 depois que as duas primeiras caíram; 20 anos sem sentir dor alguma tampouco sentimento nenhum recheou seu coração cheio de espinhos, amor nem nada relacionado exceto o sentimento de inteireza de que não precisava de ninguém lhe dizendo o que fazer ou de como pensar. Na verdade ele era quem tinha esse papel de líder.

Sempre buscou pela melhor relação com seus pais que nunca deixaram de amar o filho tão querido por eles, tal amor que era retribuído pelo filho que possuia um amor incondicional por eles.

Sempre de preocupava com sua beleza e seu corpo, especialmente em seus cabelos cheios de longevidade e brilho, apesar de sempre amar por eles estarem longos, optou por um belo mullet, agora com seus fios em um loiro vivo.

Tendo em vista que cores evitar, não se tinha nada com o que se preocupar.

Os Três Reinos -> 7 A.C

Como integrante de um dos 3 reinos, o trabalho dele não seria nada fácil, mas ele aprendeu ainda novo comandar um reino

Silla ocupava o sul e centro do país. Fundada por Kim Heechul, seu pai em 60 A.C e, durante a maioria do tempo, que passou a ser governada pelo clã dos Kim, tendo como comandante e amigo pessoal, KimTaehyung. E como forma de sobreviver aos ataques dos outros reinos ou do Japão, o clã de Silla foram-se aliando com a China, Goguryeo ou Baekje, sendo vassalo dos dois primeiros por certos períodos de tempo, Silla é um dos Reinos mais antigos da existência. Apesar de representar e compor os Três Reinos, ambos foram formados a medida que o clã se tornava mais forte.

Goguryeo, o segundo Reino localizava-se no sul da Manchúria e na parte norte e centro da península coreana e foi fundado por Jung Hoseok em 46 A.C. Na sua maior extensão, Goguryeo ocupou cerca de três quartos do território da península, quase toda a Manchúria.

O terceiro Reino, Baekje fundada por Lee Taemin a 50 A.C, ficava localizado no sudeste da Coreia do Sul, Baekje ocupava a maior parte da zona ocidental da península, ocupando inclusive Pyongyang e a seu controle dessa zona tornou o reino um porto de comércio e trocas com a China ou o Japão.

Todos tinham Namjoom sempre como alguém malvado sem dó nem piedade para com as pessoas, e ele era assim. Quando se tratava de injustiças ou corrupções com o Reino, viam quem ele era de verdade. Entretanto, ele tinha uns resquícios de bondade e gentileza em seu coração espinhoso. Sempre tratou com bondade os pais e seus dois amigos que o admiravam muito, tal problema era o fato dele pensar que nunca seria capaz de amar ou de ser amado por alguém, sempre vivia nas sombras de que a maldição o alcançaria e morreria e deixando tudo pior, se é que isso era possível.

Levava a vida assim, tratava seus assuntos públicos de seu Castelo, onde era dono de algumas províncias e povoados onde sempre dava aos desprovidos de boa vida financeira, mas isso era só a ponta do alfinete de tudo o que ele fazia, sus grande responsabilidade que era comandar um dos Três Reinos abaixo somente do poder de seu pai, seus assistentes de confiança eram Kim Seokjin e Mim Yoongi, ambos cuidando de seus respectivos clãs.

Não era nada fácil sair de todas as reuniões calmo, seus melhores amigos que sabiam do seu segredo, sempre tentavam acalmar a situação, tinham medo de que seu amigo se machucasse ou que outros descobrissem do mal assombroso.

Nesse meio tempo, ele teve tempo pra se descobrir também de maneira sexual, já recusou algumas garotas que se atiravam pra ele no tempo escolar, até que se descobriu um homen gay, que não iria esconder isso de ninguém contudo, mantinha isso em segredo pois achava que não teria a oportunidade de expressar seu "amor" a ninguém.

Apesar das cantadas e flertes, seu coração estava destinado a sempre se reconfortar com a solidão justificada, e discreta. Seu pai queria de todas as formas que ele continuasse com mais herdeiros pro trono e pra família, entendia bem a sexualidade do filho e nunca o obrigou a nada, apesar de nem sempre ter sido assim.

Famílias com grandes parentescos, e de longas dinastias tinham um princípio de que seu filho deveria escolher sua amada esposa, ou até mesmo suas filhas esperando pelo seu marido. Mas isso era irrelevante do ponto de vista de Namjoom, para o de fios dourados, era considerado desnecessário se ter a obrigação de arranjar ou ter alguém convivendo preso por assim dizer, ao seu lado.

Já era difícil a ideia de que caso tivesse alguém, se não passaria a viver com o constrangimento de que iria perder seu companheiro por velhice ou até mesmo por medo devido à sua maldição. Sim, Namjoom era um ser imortal e poucos sabiam disso, mas todo imortal tinha seu calcanhar de Aquiles: e o dele era sentir a perda ou sentir uma mágoa irreparável que o castigaria tornando seus cabelos totalmente negros bem escuros e o abdicando ao estado Thorn.

Mais motivos para ele se afastar de romances ilusórios, mantendo-se ocupado com os afazeres reais, de sua família e dirigindo um império que constituía um dos Três Reinos ou Os Três Poderes. Uma falha poderia ser o estopim para uma crise que colocaria todo o mundo em situação emergencial, entretanto, com o conhecimento que adquiriu e à ajuda muito bem vinda de seus associados, seu reino continuaria sendo um dos mais poderosos e se mantinham intactos.

Castelo Diff, Salão Principal

-Achei que você não ia sair vivo daquela sala, eles sãos seres decreptos; -Taehyung se pronuncia ao fim de mais uma reunião exaustiva ele, Namjoon e Taemin estavam com os monges da Índia e os ministros de Tokio tratando como eles poderiam unir ainda mais os clãs deles com os Três Reinos. Tudo o que a família Kim representa, o impacto que ambos os reinos tem sobre o mundo, tudo isso tinha que ser levado em conta.

Cada um ali tem opiniões que se diferenciam muito, como os fato de Taemim não querer alianças com mundo fora dos arredores dos Reinos. Ele cuidava do Reino de Baekje, um pouco mais afastado dos outros 2 reinos, ele era o mais agitado de todos sempre queria resolver as coisas do jeito dele sem querer até mesmo vim a pedir a opinião dos outros líderes, o papel dele era manter os países do lado sul do mundo em calma para que se mantivesse a paz.

A Europa sempre foi submissa as regras dele que por mais que fossem repentinas, sempre tinham as melhores das intenções, tinha uma rixa enorme com Park Jimin, um oficial real do Reino de Silla, mais que serviam as partes mais distantes da Coreia, raramente aparecia caso isso acontecesse somente era pra dar avisos e pronunciamentos de seus superiores.

Mesmo negando, Jimin tinha uma relativa paixonite pelo Taemin, mas o mesmo não sabia que tinha esse sentimento retribuído pelo mais velho, contudo sempre que ambos se encontravam sempre dava em briga, viviam se esgalfinhando pelo Castelo.

Já Taehyung namoros à parte, era um líder nato, de excelentíssima categoria chamando a atenção de todos por onde passava e sabia bem como gerenciar um país, Taehyung era um feiticeiro submundano, porém que ninguém sabia, ninguém iria aceitar, alguém poderoso de um modo tão significativo com uma enfrentaria tão grande assim como o Reino de Silla apesar de não governá-lo totalmente sozinho, o liderava com Namjoom. O mais importante era a segurança e a paz entre os Reinos.

Não gostava de relacionamentos que pudessem atrapalhar seu trabalho que considera como muito importante. Namjoom sempre apoiava seus amigos, eram os únicos em que ele podia confiar até mesmo os segredos mais profundos, boa parte de Silla é ele que toma conta, sabia as leis de có e salteado de todo os reinos juntos e de como driblar a situação caso ocorresse um problema.

Como a última reunião em que eles estavam debatendo, estavam quase concordando quando Namjoom, descobriu uma grande conspiração do Japão para com o Reino de Taemin, um dos associados do ministro Jhosep, um japonês arrogante que sempre tinha raiva dos meninos.

Ele planejava um ataque sorrateiro contra Silla, onde eles mataram os guardas que fariam uma grande inspeção subterrânea onde transportaram ouro e grandes quantidades de diamantes equivalentes a trezentas vezes o território da China inteiro. Namjoom não deixava passar nada debaixo de seu nariz, e sentiu a intenção incorreta do ministro que estava na reunião e como ele argumentou todo o tempo que falou.

Ele tinha algumas habilidades que somente, os Três donos dos Reinos sabiam, o negócio não estava fechado e o acordo não estava selado de modo algum, Namjoom ordenou que ele fosse morto, por argumentação falsa e conspiração para conta o Reino.

-Você irá pagar por tudo o que fez, mas antes vou garantir que sua laia de ratos morram. Volte agora levando apenas sua vida como despojo e digam a eles quem é Kim Namjoon, dono de Silla alguém que não é enganado, para que eles saibam quem nós somos e o que fazemos com seres desprezíveis como você; -Quando todos foram condenados pelos seus crimes, todos acabaram incinerados em sua sala real.

Sempre precisavam estar atentos a tudo, ainda mais com a quantidade de dinheiro que os reinos produziam, não podiam baixar a guarda para nada. Hoseok dono de Goreyo não pôde ir por motivos ainda um tanto pessoais, ele era muito apegado ao marido. Como era alguém super reservado, nem mesmo os amigos sabiam de muitos de seus segredos.

-Muito bem meu filho, você fez bem em descobrir a conspiração não sei ao certo como faz isso mas os reinos agradecem a você pelos seus trabalhos e pela sua dedicação; -Disse Kim Heechul, voltou de uma viagem de negócios internacionais relacionados aos governos estaduais e algumas províncias.

-Obrigado meu pai, só fiz o que tinha que ser feito -Muito modesto como sempre, escondia a todo custo quando se tratava de sua maldição ou de suas habilidades de detecção psíquica quando se tratava de más intenções.

Todos souberam o que Namjoom fez, sempre estremeciam quando ouviam o nome dele, mas ruas seu nome nunca era pronunciando. Tinham ele como alguém que não tinha piedade, de fato ele não tinha, quando se tratava de injustiças para com as pessoas ele não perdoava quem agia de má fé.

Ele sofreu tudo e mais um pouco, para que agora, adulto e com todo o podério ao seu dispor, não iriam deixar que o fizessem de bobo novamente, teria que se blindar contra qualquer que pudesse fazê-lo adoecer.

Não tinha o poder pra fazer do mundo todo um lugar melhor, mas centrava sua atenção em ajudar com o que pode fazer, desde o início dos passos humanos sempre ouve ódio nos corações e orgulho ruim da parte de muitos, entretanto, ele acredita sim que ainda exista pessoas boas mas muitas em que ele não confia e usa a imagem que tem pra se privar de tais pessoas.
......

Província de Daegu, aos arredores do Castelo Real 7 A.C

-Mas eu não tenho dinheiro pra seus estudos Jungkook, o que você quer que eu faça, né mate de trabalhar até o final da minha vida miserável? Seu sonho não vai se realizar da noite pro dia filho, você precisa arranjar um emprego antes -Sr. Jeon diz irritado pela vida que leva, ele era carpinteiro além de pai de Jeon Jungkook, um ser adorável e de bom coração.

Jungkook queria ser floricultor, ele ama flores desde pequeno sempre tirava tempo pra observá-las, veio de uma família pobre, sem muitas condições financeiras, porém humilde de coração. Por várias ocasiões em que esteve sob pressão ou irritado, nunca maltratou as pessoas nem mesmo aquelas que o tratassem mal, tampouco descontaria sua raiva contra sequer uma formiga.

Com seus 20, queria mais do que tudo seguir seu sonho e estudar em umas das muitas escolas constituintes do local, só que até mesmo para se conseguir passar no teste intelectual para entrar na escola, exigia-se uma quantia que para Jungkook era exorbitantemente alta.

Seus pais sempre deram seu melhor para educá-lo, como não tinham os recursos optaram por encaminhar seu filho a estudar em uma escola considerada mais pública, justamente para aqueles desprovidos de dinheiro, criaram escolas como essa em muitas partes de Daegu, haviam muitas famílias plebeias e humildes mas que sempre tinham auxílios do Castelo.

Jungkook ajudava o pai com a carpintaria e nas horas vagas, trabalhando por conta própria, quando não estava de favor na casa de alguns servindo de babá ou faxineiro esperando ganhar alguma gorjeta, estava consertando bolsas de couro para os homens e mulheres que viam até ele pedindo pelos seus serviços. As pessoas que viviam ali, tirando os pais se Jungkook eram muito egoístas sempre com conspirações para obter o que não era devido muitas vezes humilhavam o mais novo até mesmo cuspindo nele ou esbofeteando seu rosto.

Ele tem uma beleza considerada rara por muitos, seus olhinhos sempre de curiosidade para aprender algo novo, seus lábios fininhos, seu grande nariz achatado, e uma cicatriz que ele não se orgulha. Aos 14 anos, pegou um homem tentando machucar sua mãe na ausência de seu pai. Quando tentou separar, o homem bateu nele o jogando longe e logo em seguida o ferindo com uma adaga.

Depôs de muitos sacrifícios só se restou um pequeno traço em seu rosto, o homem nunca mais foi visto até os dias de hoje, e isso meio que deixa o jovem aliviado. Sua família estando em segurança, então ele também estaria em paz, ele amava mais do que tudo à sua família, em especial sua mãe que fazia tudo p que podia e o que não podia pra ajudar o filho pra realização de seu sonho, mesmo sabendo que isso talvez não passasse de um mero sonho.

Jungkook nunca se relacionou com ninguém, era virgem sequer deu um selinho em alguém, ele sabia que tipo de orientação sexual o deixava confortável e tinha uma linha de comunicação aberta com sua mãe sobre seu gosto por homens apesar de nunca os terem "provado". Então optava por se distrair desses pensamentos com o trabalho ou com seu melhor amigo Sam, da mesma idade e eles eram amigos desde pequenos, Sam era asexual, não sentia atração por ninguém, contudo sempre apoiava o amigo e dizia que ele iria ser presenteado com um amor incondicional e que seria recíproco, coisa que jungkook não acreditava nem a pau.

Hoje era quarta, e era dia de inspeção nas instituições e dia que teriam um representante real verificando como andam as coisas pessoalmente, então nada deveria sair de seus conformes. Terminou cedo seus afazeres em casa e de ajudar seu pai, então optou por comprar flores novas pro seu pequeno jardim em sua casa, não imaginava que as ruas estariam tão cheias, já que nunca é assim quando há inspeções.

Mal sabia ele que o escolhido da semana para a inspeção seria nada mais nada menos do que Kim Namjoon, ele geralmente não participa de coisas tão públicas assim, só que dessa vez era diferente por motivos ainda desconhecidos.

Dada a hora da inspeção, as exatas três da tarde, Jungkook continua fascinado pelas flores cada dia mais cheirosas e belas nem notou quando os guardas começavam a passar e em seguida anunciar a passada do Kim, alguns o criticavam com olhares feios por conta da sua "falta de respeito" para com o Príncipe.

Ele só focava sua atenção pras flores que para o mais novo, eram as coisas mais lindas que já existiram, se tocou do que acontecia ao redor e logo se lembrando da inspeção, ficando em postura ao perceber a quem se aproximava.

Um dos guardas ficou a uma distância razoável para emitir um comunicado
-Atenção a todos! O grande Príncipe Senhor Kim Namjoon, Líder da dinastia Kan, e comandante de Silla um dos Três Reinos, tem o maior prazer em ajudar um dos servos desta província com um trabalho em seu Castelo pessoal, esse alguém deverá ter habilidades específicas para cozinha ou áreas externas, para que desse modo possa ajudar seus familiares com as despesas.
Tal homem deverá ter à partir de 25 anos e devoto ao Reino, e ser a escolhido a dedo pelo próprio senhor Kim; -Ele termina e se curva diante da presença do mais novo parado em seu cavalo branco, quando ele desce e todo o povo se curva em respeito, Jungkook acaba por fazer o mesmo ato, só para não perder a cabeça, Jungkook não gostava nem um pouco disso de devoção ao Reino, achava puro exagero.

Namjoon opta por caminhar com vários guardas ao seu dispor, observa vários jovens se curvando e demostrando um respeito mais do que merecido, o mais novo revira os olhos em desaprovação, sente um certo medo quando a criatura mais velha chega perto se si. Saudações a parte, Jungkook nunca tinja visto um ser tão bonito como Namjoon; seus cabelos brilhando devido a luz do sol, sua boca rosada com labios minuciosamentes belos com um certo esquilibrio, seus olhar cheio de mistério, o jovem nao conseguia decifrar o que aquilo significava. Seu coração em disparada e seus olhinhos arregalados esbarraram com o olhar do mais velho,, sentiu suas bochechas queimarem ele recua um passo e se curva, Namjoon percebe que há inquietação da parte do mais novo e se diverte com a cena, vê que nas mãos do menino, há um pequeno ramo de flores.

-Isso são rosas? -Ele sabia do que se tratava aquelas flores e de que tipo elas eram, porém para testá-lo faz essa pergunta óbvia.

-Não senhor, são Amáris do campo -Ele quase que gagueja pela aproximação do homen, Namjoon aprecia internamente os conhecimentos do garoto, ninguém conseguiria saber de que tipo seria aquelas flores, tão facilmente elas eram de um tipo raro.

-Você não deve ter muito dinheiro então teve tempo pra estudar, vou demonstrar minha misericórdia para com você, meu castelo em minha plantação de rosas minhas flores estão um tanto descuidadas, seria interesante se você cuidasse delas pra mim -Falou um tanto de forma ultrajante e irônica, Jungkook não gostou nem um pouco e cerrou os dentes com raiva, como se ele tivesse obrigação alguma de cuidar das flores daquele ser já considerado repugnante para o mais novo.

Mas recordou-se de que sua família não tem muito dinheiro, e isso seria uma forma de começar a pensar em formas de realizar seu grande sonho. "Acalme-se Jungkook, não é hora pra perder o controle, nem de ser orgulhoso" susurrava para si mesmo.

- Não tenho tempo a perder rapaz, vai rejeitar seu senhor dessa forma? Não precisa de dinheiro algum? Então para que viver aqui? -Cuspiu as palavras de maneira grossa, já estava perdendo a paciência.

-Não senhor, eu preciso do trabalho, peço desculpas pela minha falta de respeito -Jungkook já está se desconhecendo, nunca estaria submisso a alguém assim, ainda mais a um ser tão grosso.

- Melhor assim, vamos! Pegue suas coisas e se despeça dos seus pais, você só os verá daqui a um mês - Quando ia pensar em algo, um dos guardas ousou se pronunciar.

-Mas senhor, ele não tem 25 anos, e muito menos sabe nada do Reino, nem deve saber como respeitar sua presença, ele mal...-Namjoon pegou sua katana que jungkook nem sabia de onde diabos tinha vindo, e a deslizou pelo peito do soldado, tirando gotas de sangue o aspergindo ao redor, arrancando olhares cheios de medo e afastando todos que estavam amedrontados, até mesmo aos soldados que não queriam estar na pele do que já estava quase morto.

-E que respeito você tem por mim? Hã? Você ousa falar sem minha permissão e ousa questionar minha autoridade? Ou eu tenho que ensinar a todos aqui quem é que manda?; -Se antes ninguém havia visto Namjoon sendo autoritário, aquela era uma demonstração premium do que ele era capaz.

-N...não senhor, perdão meu L...lord; -O soldado saiu se curvando, sendo carregado pelos outros.

- Podemos ir, já sabe o que tem que fazer, você tem 15 minutos - Disse e indo em direção ao cavalo, Jungkook correu então pra arrumar suas coisas, que nem eram muitas sobrando mais tempo pra se despedir de seu melhor amigo.

-Se cuida amigo vou sentir saudades dê o seu melhor lá, por favor não se mete em problemas Kookie - Sam já estava com lágrimas não olhos, não esperava que o amigo fosse escolhido assim.

Se despediu e foi então em direção a carroça real parada ali, seu mundo seria totalmente diferente daquele momento em diante, um mês longe de seus pais e de seu amigo. O que lhe aconteceria, de todas as formas sua mente estava queimando em uma mistura de emoções com o medo como maior dessas sensações.

Deram partida, província com a imagem de sua mãe chorando pela partida de seu tão amado filho, logo foram ficando distantes até que as belas paisagens naturais ficassem no caminho. Era a oportunidade perfeita pra ganhar todo o dinheiro que precisa pra ajudar seus pais, e ingressar na escola pra floricultura.

Contudo, o que faria ele ao chegar lá, tinha uma vaga ideia sobre a enorme responsabilidade que tinha em suas mãos, cuidar das flores pessoas da pessoa mais importante da Coréia. Se estava tenso antes, agora estava quase desmaiando, suas pernas tremendo e soando, todo o seu corpo emitindo o nervosismo.

O que iai acontecer com jeongukie no momento em que passasse da entrada pro castelo?
Só o tempo dirá...

                             XXXXXXXXXXXXXXXXX

Então amores é isso, obrigado por chegarem até aki, deem muito amor a essa fic e caso vocês queriam que eu encontre vocês no Twitter, é só me seguir @jjkggukie

Falem no Twitter com a tag #mapofthesoulroses pra ajudar a divulgar a fic

Amo vcs

Xauu até a próximaaa 💜💜💜💜💜. 


Notas Finais


Então meus amores é isso, espero que estejam gostando
Beijos e até a próxima 💜💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...