1. Spirit Fanfics >
  2. Mar azul >
  3. • One •

História Mar azul - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que gostem do primeiro episódio, essa é a minha primeira vez colocando uma fic em prática, então perdoem qualquer erro.

Capítulo 1 - • One •


Fanfic / Fanfiction Mar azul - Capítulo 1 - • One •

Existem muitas coisas que nós trazem paz no mundo, eu penso que cada um tem a sua, e a minha com toda certeza é o mar. Em meio a tanta confusão ao meu redor, o mar consegue me trazer a paz que me falta. Eu nunca fui alguém que sempre esta sorrindo, pelo contrário, eu estou sempre com uma expressão serena e quando sorrio é sempre para fotos ou para comprimentar alguém importante. 

Mas por algum motivo eu consigo sorrir aqui, eu consigo esquecer um pouco a pose de garota “perfeita”, e ajo como quero, e não como fui ensinada. 

Sou rapidamente tirada de meus pensamentos por meu pai me chamando.

—Hana chegamos. - Meu pai diz enquanto sai do carro.

—Já vou. - Desencosto o cotovelo da janela do carro e pego minha bolsa.

Saio do carro e caminho logo atrás de meu pai, logo na entrada do hotel já haviam funcionários nós esperando, ao verem meu pai se aproximar eles se curvaram.

—Bem vindo Sr.Kang, os dois quartos já estão prontos. - Um homem que parecia ser o gerente diz.

—Obrigada, podem levar as malas.

—Venha por aqui eu lhe mostrarei seu quarto senhorita. - Uma das funcionários disse a min.

Apenas assenti com a cabeça e antes mesmo que eu falasse algo, meu pai já havia saido. Segui a funcionário até o meu quarto, a mesma me deixou na porta e me entregou o cartão da porta. Sem demora entrei e deixei minha bolsa em cima da poltrona que ali havia, me joguei em cima da cama e soltei um breve suspiro.

Me levantei da cama e fui até a varanda, a vista era simplesmente perfeita, dava pra ver o mar direitinho! E sem que eu mesma percebesse um sorriso se formou em meu rosto. Peguei minha câmera em minha bolsa e tirei uma foto daquela vista maravilhosa, não era sempre que eu podia estar em um lugar assim, então era bom ter recordações.

Ouço meu celular tocar dentro da bolsa e sem demora vou pega-lo.

—Alo? - Atendo.

—Hana sou eu a Areum.

—Areum! Pensei que você não fosse mais ligar. - Falo animada.

—Claro que eu ligaria para saber como você esta! Me conte como está tudo ai. - Me repreende e logo pergunta preocupada.

—Chegamos quase agora no hotel, você tinha que ver a vista da varanda! - Respondo.

—É tão bom ver você assim animada minha menina, tente aproveitar ao máximo! - Areum diz feliz.

—É eu vou tentar. - Dou de ombros e deito na cam.

—Você deve estar cansada da viagem, nós falamos depois, tchau e se cuida.

—Ta ta eu já sei, tchauu - Desligo.

Areum trabalha como gorvenanta na minha família desde que eu tinha 2 anos, sempre que minha mãe não podia cuidar de min por causa do trabalho, a Areum estava lá cuidando de min. E por isso ela acabou virando uma segunda mãe pra mãe, principalmente depois que a minha acabou falecendo.

Após desligar eu apenas tirei meus sapatos e cai no sono...

[...]

Acordei com o vento em meu rosto, a varanda estava aberta, por isso o vento gelado. Levantei ainda sonolenta e passei a mão no meus cabelos, o tirando do rosto. Me espreguicei e levantei, fui até a varanda e dei uma breve olhada, já estava de noite, e então fechei as portas de vidro e puxei as cortinas.

Como sempre eu não tinha nada de muito interessante pra fazer, entao decidi trocar de roupa e ir tomar um ar. Fui até uma de minhas malas e peguei um short jeans e uma blusa de manga longa azul, e então sem demora me troquei.

Antes de sair do quarto, peguei meu celular e o cartão do quarto, e os coloquei no bolso do short. Sai do quarto e entrei no elevador, junto comigo entraram mais umas 3 pessoas, e eu me mantive serena olhando para a porta. A porta se abriu e todos sairam, eu nunca havia estado nesse hotel, então fui apenas andando e vendo o que eu encontrava.

Cheguei até a área da piscina e me sentei em uma mesa ali perto, peguei meus fones e os coloquei. E assim fiquei, sentada na mesa mexendo no celular e escutando música, são nesses momentos que eu queria ter alguém pra ligar e apenas jogar conversa fora, mas é assim que as coisas são, eu não tenho ninguém.

[...]

Olhei no celular e marcavam exatamente 22:30 da noite, mesmo estando um pouco tarde, ainda tinham várias pessoas andando por ai, realmente Cuba é bem diferente da Coreia. Eu já estava cansada de ficar sentada, então levantei e decidi andar por ai um pouco e depois voltar para o quarto.

  Fui caminhando pela área externa do hotel, a brisa do mar ficava mais forte durante a noite e o vento batia em meus cabelos, era muito refrescante. A lua estava tão bonita que eu não resisti e tive que tirar uma foto, peguei meu celular e tirei umas três fotos, após isso continuei andando, mas dessa vez a minha atenção estava no celular, eu estava vendo as fotos.

De repente sentir meu corpo bater de frente com algo, olhei pra frente e dei de cara com um garoto.

—Opa! - O garoto diz quando nos esbarramos e seu copo cai no chão.

—Me desculpa por favor. - Me abaixo pra pegar os cacos de vidro.

—Relaxa. - O garoto de abaixa também.

O mesmo começou a pegar os cacos de vidro que estavam espalhados pelo chão, até que acabou de cortando. Eu não do tipo boa moça que sai cuidando de qualquer um, mas me senti culpada já que o copo tinha quebrado por minha culpa. Peguei um lencinho que estava no meu bolso e puxei a mão do garoto.

—Eu vou chamar um funcionário pra vir pegar isso. - Enrolo o lenço na mão do garoto e improviso um curativo.

—A gente já se conheceu antes? Sinto que já te vi em algum lugar. - Olha fixamente pra min.

—Você deve estar me confundindo com outra pessoa, com licença, tem um copo quebrado aqui. - Não dou muita atenção pra pergunta e chamo uma funcionária que estava passando.

A funcionária rapidamente pegou uma vassoura e eu lhe mostrei aonde o copo estava, parecia estar tudo resolvido, então eu me virei para ir embora, mas ao dá o segundo passso, senti alguém segurar minha mão.

—Não vai me dizer o seu nome? - Sorriu de canto.

—Me diz o seu primeiro. - Respondi apenas.

—Kim Taehyung prazer. - Olhou nos meus olhos e sorriu genuinamente.

— Hum Kim Taehyung... - Tentei lembrar se conhecia o nome.

—Sua vez agora, qual séria o nome de uma garota tão bonita? - Taehyung diz ainda me olhando fixamente.

—Você não precisa saber. - Soltei minha mão e me virei novamente.

—Você vai mesmo ir embora assim? - Soltou uma pequena risada.

—Até nunca mais Taehyung. - Fiz um sinal de tchau com as mãos e segui meu caminho.

Caminhei em direção ao elevador e não olhei pra trás nem sequer uma vez, entrei no elevador e apertei em um dos botões. Cheguei no meu andar e entrei no meu quarto, sem hesitar tirei aquela roupa e fui tomar um banho, coloquei meu pijama e me joguei em cima da macia de grande cama.

Não vai o seu nome?

E foi ai que Taehyung começou a vir em minha cabeça, eu não posso negar que ele era muito bonito, alto, de cabelos pretos e seu sorriso era encantor, e aqueles olhos... Poderiam seduzir qualquer uma! Mas eu não tenho tempo para perde com garotos, principalmente se forem garotos como ele.

Depois de alguns minutos, acabei dormindo...

       Até o próximo capítulo!






Notas Finais


Espero que tenham gostado! O que será que vai rolar entre esses dois em Cuba?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...