História Mar de Contos - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 1
Palavras 492
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Fluffy, Hentai, LGBT, Literatura Feminina, Mistério, Orange, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 10 - Ela se foi


Sabe como é se sentir inútil? Bem, é assim que eu me sinto. Quando ela me pediu ajuda, eu não estava disponível. Fui egoísta o suficiente pra deixar isso acontecer. Ela procurou por todos e ninguém lhe deu bola, um pingo de atenção ou apenas o prazer de lhe ter a companhia. Eu era sua última esperança. Seu último grito. Seu último suspiro. Fazia parte daquela barreira que impedia suas lágrimas caírem. Eu era...

Fui um tanto egoísta e acho que é por isso que hoje eu choro tanto por esse erro. Choro pela falta que ela me faz. Choro pela falta do sorriso dela pra completar meu dia. Sinto falta da sua pele morena e quente junto a minha durante a noite. Isso tudo dói muito. Eu poderia ter evitado isso tudo se eu apenas tivesse com o celular ligado. Apenas isso.

Ela era tão importante pra mim que ainda não caiu a ficha de que ele se matou. Ela parecia tão bem, sempre alegre e sorridente, mas por dentro ela estava um caco, absolutamente quebrada por dentro.

Ao chegar em no nosso apartamento depois da última viagem de negócio e vê-lá estirada em nossa cama, me fez ficar desesperada. Corri até a nossa cama e me ajoelhei ao seu lado. Afaguei seus cabelos macios e soltei um suspiro. Não era possível. Chamei pelo seu nome e não houve resposta alguma. Gritei por ela, chacoalhei e nada. Senti meu corpo gelar. Coloquei dois dos meus dedos em seu ponto de pulso e constatei o que não queria. Ela estava morta. Minha pequena não voltaria mais para mim. Foi então que uma lágrima solitária cortou meu rosto.

Ela se foi. Para sempre.

Não consegui respirar, era difícil. Tinha um nó em minha garganta. Subi na cama, sentei e coloquei sua cabeça em meu colo com o maior cuidado do mundo. Ela parecia ainda mais frágil. 

Queria que aquilo fosse um pesadelo, eu iria acordar a qualquer momento e vê-lá cozinhando, rindo ou brincando com nosso cachorro. Mas, infelizmente, não era. Era real.

Acariciei sua pele macia e comecei a chorar abertamente, meu coração doeu como se algo o arrancasse de mim e o esmagasse em suas mãos brutais.

Meu celular tocou, ecoando por todo quarto. Não tinha forças. Atendi relutantemente

- Alô? - Minha voz estava totalmente embargada

- Mary, encontrou a Nina? - Alice perguntou do outro lado da linha, sua voz também estava embargada e carregada de preocupação

- Infelizmente sim - Suspirei pesadamente e as lágrimas voltaram mais intensas

- Infelizmente? - Alice me perguntou confusa, ainda meio apreensiva

- Ela está morta - Não sei de onde tirei forças para dizer aquelas palavras

Do outro lado apenas ouvi um baque e encerrei a chamada.

Aproveitei os minutos que ainda tinha com a minha princesa e selei nossos lábios

- Nina, eu te amo - Beijei sua testa levemente - E esse beijo marcará o começo da nossa eternidade

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...