História Marcas de Amor - NamKook - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Lemon, Namkook, Pandexia, Twoshot
Visualizações 25
Palavras 2.081
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Estou eu aqui com uma TwoShot NamKook. Espero que gostem, e espero que o lemon saia bom no próximo capítulo. (Quem quiser me ajudar ksksks.)


Já era para ter saído a muito tempo, mas…….. né……


Enfim…

Capítulo 1 - 1


“Meu amor é somado, nunca subtraído, sendo multiplicado e contigo divido.” DC


Vocês estão ligados de alguma maneira. Por isso essas manchas. Você bate em alguém, e os hematomas aparecem nele. Não posso simplesmente dizer o porquê disso tudo, pois sinceramente, eu não sei. Me desculpe. Mas a única coisa que eu posso lhe dizer, é: se você o conhece, vá atrás dele. Se estão perto, a ligação obviamente estará mais forte. Ouviu bem? — o outro assentira — Ótimo!


*

*

*


— Aish. — o garoto resmungou de dor. Não entendia o que estava acontecendo consigo durante esses anos, esses três anos.


As manchas que se alastravam pelo seu corpo branco, mas de “bons músculos”, variavam entre vermelhas, roxas, e poderiam muitas vezes chegar ao verde. E dentre todos aqueles hematomas, a que mais lhe chamou atenção, fora dois pontinhos avermelhados, não tinha profundidade, apenas coloração, próximo à sua clavícula. Aquele hematoma, nunca saira desde quando todos os “machucados” apareceram. Não mudava parcialmente em nada, nada mesmo! Foi o primeiro a aparecer, e Jungkook julgava que poderia ser o último a ir embora.


— Vamos lá. Mais um dia naquele inferno. — balbuciou bravo, irritado. Se tinha uma coisa que Jeon Jeongguk detestava, era ir para a faculdade. Encarar pessoas que não davam a mínima para si, ou ele fazendo igualmente para com os outros. Tirar notas consideravelmente baixas, mas que ainda conseguia se salvar, e para lhe “ajudar” ainda mais, cochilar na aula, pois seu corpo ardia, latejava por descanso.


O Jeon já havia pensado várias, e várias vezes, se marcasse alguma consulta ao médico, resultaria numa solução. Mas logo desistiu. O mesmo acreditava em coisas “sobrenaturais”, então por que não acreditar mais um pouquinho? Poderiam lhe chamar de louco, estranho, e de até masoquista. Mas se tinha algum apelido que combinaria com ele próprio, seria “sonhador”. De toda forma.


Se levantou da cama, estando somente de boxe’. Era um de seus costumes, pois para ele, poderia ver seu corpo melhor, porque ao logo que se levanta, a frente de sua cama, havia um espelho de “pé”. Suspirou profundamente, sentindo suas costas e braços doerem mais fortemente. Já que suas pernas não pareciam tão afetadas, quanto seus membros superiores. Logo com seu peso sobre suas pernas, tentou ao máximo esticar seus braços para cima de sua cabeça, em um ato de se espreguiçar. Ouviu leves e fracos estalos de suas costas. Ignorou, já que era algo comum. Tirou por fim,sua última peça de pano fino, jogando em um cesto de roupas sujas que tinha perto da porta. Não se importava se alguém o visse daquela maneira tão… Exposta. Afinal, morava sozinho, as casas eram consideravelmente afastadas uma das outras, evitando qualquer tipo de “vigia”. Andou primeiramente pelo quarto, já procurando suas roupas, das quais eram seu uniforme. Olhando de forma bem desconfiada para seu guarda-roupa. Estranho. Pensou. Suas roupas estavam todas juntas no lugar certo, para que não houvesse sequer algum tipo de dificuldade para que pudesse achar as peças facilmente.


Minutos depois as encontrou, peça por peça, cada uma espalhada por cada parte de seu quarto. As deixou em cima de sua cama, pegando uma toalha pendurada em um cabide próximo a janela do quarto. Jungkook foi em direção ao banheiro, adentro o cômodo, voltando a deixar a toalha pendurada ao lado da porta e indo por fim ao box, ligando o chuveiro, deixando a água morna cair sobre seu corpo.


Sentia as marcas em seu corpo arder pelo contato, mas estava tão acostumado que nem sequer dava tanto trabalho para ele. Poucos minutos depois, terminou o banho. Pegando o tecido de linho fofo e fino, se secando.


Já no quarto, pegou sua roupa do uniforme que precisamente era obrigatório, que consistia em uma blusa branca com o brasão do colégio onde estudava, calça azul, e um blazer também azul. Era até organizado de se ver e usar. Terminando, penteou os cabelos, tentando os deixar o mais arrumado possível. Se olhou no espelho, gostando do resultado, sorriu convencido.


Desceu as escadas, indo para a cozinha, pegando apenas uma maçã, pois tinha dinheiro para que pudesse comprar algo no refeitório.


Jeon Jungkook


— Não deveria ter dado ‘pra ele então. — falei em tom de voz brincalhão.


Park Jimin, meu melhor amigo, estava me contando sua bela experiência em ter feito sexo com Min Yoongi, um conhecido meu, mas Jimin já o considerava como um namorado. Não estou dizendo do jeito de falar que Jimin pode ser iludido em pensar assim. Mas a partir do momento em que ele me desse beijinhos a qualquer hora, me abrassace por trás e até depois, fizesse sexo comigo, até eu julgaria como meu namorado. Ao contrário de Jimin, eu já sou sonhador.


— Qual é, Kook… Vai me dizer que não gostaria de perder a virgindade com o Namjoon… — me olhou sugestivo, suas palavras fizerem minhas bochechas ficarem rosadas, eu havia corado.


Namjoon também era um conhecido, apenas conhecido. Amigo de Yoongi, até. Mas nunca sequer, falou comigo ou Jimin. Meu amigo já tentou várias vezes perguntar para o Min alguma coisa sobre o Kim, porém a resposta sempre era a mesma, “Fale com ele, Namjoon não morde”. Por que corei com essas palavras? Bom, por duas coisas na verdade. Primeira, sim, eu ainda sou virgem. Algo bem deplorável. (Lê-se com ironia.) Segundo, eu tinha, tenho ainda, um crush no Namjoon. Fala sério… Quem não teria, velho? (Não me responda… Prefiro evitar)


— A-ah, você sabe que eu… Pera’... Olha o que está falando, Jimin! — lhe dei alguns tapas, fracos. Nós dois mais o resto dos alunos, estávamos no refeitório.


— Ai ai, Jungkook. — reclamou — Você sabe muito bem que mesmo sendo mais baixo, ainda é forte… — sim, eu sou mais baixo, e ele está certo. Pelo menos uma vantagem. — Para, porra! — exclamou segurando em meus pulsos.


— Sem graça. — fiz biquinho.


— Não sou seu saco de pancadas, inferno. — soltou minhas mãos, se endireitando no banco da mesa, virando para frente da mesa.


— Ui, ele ficou estressadinho… — brinquei, tremelicando as mãos a frente do meu rosto, rindo em seguida.


— É claro. Você começa me bater do nada.


— Qual é, Hyung… Você também faz coisa piores e eu não falo nada, okay? — perguntei retoricamente, pegando meu sanduíche em mãos, dando uma mordida.


— Nem vou pedir para citar essas tais coisas.


— Eu sei que não. Aliás, você está ciente que é verdade. — ri de sua incredulidade.


— Falou o santinho.


— Estamos falando de outra coisa, Jimin-Hyung. Não venha com chantagem de outro assunto. — falei antes de beber parte do meu suco de laranja.


— Seu chato!


— Obrigado.


— Não foi um elogio.


Park Jimin é uma pessoa tão insistente.


— Eu sei…


— Eu te odeio, Jungkook. Sério, não dá pra’ falar com você.


— Legal, também te amo.


Nem dei tanta bola para o que ele dizia. Talvez minha brincadeirinha de dar tapinhas nele, não deu muito certo. Mas Jimin é chato desde sempre que eu o conheço. Então já estou acostumado.


— Mas afinal, Yoongi acabou com você, né?...


— Ah sim. — falou animado, voltou ao normal essa criatura. — Na verdade, já fazia muito tempo que eu não me relacionava com alguém. Ele deveria ter me dado um desconto.


— Poderia ter falado também.


— Não queria estragar o clima.


— E acabou de ficar com o cu doendo.


— Falou como se Namjoon fosse ter dó de você.


— Pare de falar dele assim. Ele nunca ficaria comigo. — falei cabisbaixo.


— Por que acha isso? Yoongi diz que talvez, você possa ter uma chance. — falou, se jogando de leve para cima de mim, fazendo nossos ombros se encostarem.


— Acredito muito.


— Em falar no Namjoon… E essas manchas que quase sempre eu vejo em você? Estou ficando preocupado já, Jungkook. Não só eu quanto Yoongi. Ele pode não conversar direito com você, mas se é meu amigo, ele já se preocupa. — falou calmo, porém em súplica. — Me conte, por favor, o que está acontecendo, sim? — sorriu confortável. — Parece até que foi espancado. Realmente não estou entendendo.


— Hyung… Para falar a verdade, nem eu sei o que está acontecendo comigo. Todo dia eu acordo, e novas manchas aparecem. Você sabe como eu sou. Tanto sonhador quanto teimoso. Não sei o que faço mais, ainda mais para fazer sumir. Mas Hyung… O que isso tem a ver com o Namjoon?


— A-ah nada. Nada mesmo. Não se preocupe. Vou tentar te ajudar com essas coisinhas roxas. Vem, vamos para a aula, e depois eu passo na sua casa.


— Ok.


Eu havia ficado confuso, afinal, o que isso tinha haver com Kim Namjoon?


Nos levantamos dois minutos antes de bater o sino do horário acabado. Jimin e eu éramos de salas diferentes,por isso ele ficava no andar de cima, e eu no de baixo. Sozinho, já que Jimin, Yoongi e Namjoon ficavam na mesma sala. Não que eu não fosse muito social, mas também não tinha tantos amigos. Apenas colegas mesmo. E um deles era Kim Taehyung. Eu já estava quase o considerando como amigo mesmo, sempre andava comigo, falava na sala, e tal… Hoje isso apenas não aconteceu porque ele faltou. Ele sabe muito bem que não pode simplesmente faltar porque quer, espero pelo menos que tenha alguma justificativa.


— Vou subindo, ok? Quer que eu te espero aqui, ou na entrada? — Jimin perguntou quando paramos na porta da sala, da qual eu estudava.


— Não sei, Hyung… — ele riu. — Se quiser me esperar aqui, não vejo nenhum problema.


— Vou ver com Yoongi, e se der, te espero aqui. Tá bom?


— Sim. Sem problemas.


— Ótimo! Boa aula, Kookie.


— Igualmente, Jimin-Hyung. — falei sorrindo.


O fato de que o Hyung, tivesse que falar com Yoongi, era que, nesses dias ele estava saindo um pouco mais cedo com o mesmo, então por isso que eu ia com o Tae. Jimin nunca me disse o porquê de ir com ele, mas também nunca de fato me interessei por esse assunto.


Entrei na sala, indo em direção a minha carteira, me sentando na mesma. Olhei em volta, vendo ainda, poucas outras carteiras sendo ocupadas. A de Taehyung ficava ao meu lado, e como eu havia comentado, estava vazia. Ele não havia me falado o motivo de ter faltado, mas não é como se eu pudesse fazer algum milagre.


*

*

*


Jimin andava apressado pelos corredores da instituição, para então chegar a escada, e subir a mesma para se aproximar a sua sala. Avistou Namjoon e Yoongi na porta, conversando normalmente, seu sangue ferveu em raiva e nervosismo. Jimin já havia “sacado a parada”. Andou as pressas até os dois, com os punhos fechados, podia sentir e jurar que seu rosto poderia estar vermelho.


— Eu te avisei, Namjoon! — exclamou, atraindo a atenção do dois mais velhos. O último citado enrugou a testa em confusão.


— O que é, Jimin?


— Você deve saber muito bem do que eu estou falando!


— Qual é o problema, Minnie? — Yoongi se intrometeu.


— Não se mete, Suga. — falou seu apelido. — Meu assunto é com ele. — apontou com o queixo.


— Nossa, desculpa aí. — o Min levantou as mãos, se rendendo, saindo dali.


— Fala então, estressadinho. — Namjoon provocou o menor.


— Não sei se você sabe, mas Jungkook está com as manchas.


Namjoon vacilou a expressão, que antes desafiadora, agora em espanto.


— J-Jungkook? Seu a-amigo? Ele, ele mesmo?


— Sim! Jungkook, meu amigo.


— Olha, Jimin… — tentou argumentar.


— O que foi que eu te avisei, Namjoon? Eu te falei milhares de vezes, mas você simplesmente me ignorou. Sabe o que fazer? Sabe por acaso o que vamos fazer? Eu espero que sim. Você, — enfatizou — irá fazer algo. Entendeu? Eu não irei meter um dedo meu sequer nisso. É problema seu, e dessa ligação de vocês. Ouviu bem? Me deixe longe disso. Ele é meu amigo, mas não faço a mínima ideia de como fazer parar.


— Escuta Jimin… Você sabe que eu nunca quis que isso tudo tivesse acontecido. Sentir que Jungkook tem essas manchas por minha causa, também me machuca demais. Ele deve pensar que tem algo de errado com o próprio corpo. Mas…— deu uma pausa, respirando fundo — Você e Yoongi são os únicos que sabem como eu faço isso parar. — sussurrou cabisbaixo.


Como, Namjoon-Hyung?


Ouviram uma terceira voz falar um pouco mais ao fundo, se viraram em direção a tal voz, espantados, congelados no lugar.


— Como, Hyung?


Jungkook



“Eu te amo, e é pra valer. Ou aprende a me amar, ou me ensina a te esquecer.”


Notas Finais


Então? Ansiosos?

(Me desculpem os erros)

Me (per)siga: @Pandexia


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...