História Marcas do medo- 1° temporada - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Misterios, Romance, Suspense, Terror
Visualizações 7
Palavras 739
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Decidi postar um hoje... Eu não ia, porém o mistério tem que acabar.

Leiam as notas finais.
Boa leitura❤👌

Capítulo 20 - Brincadeira tem limite!


    

Apartir daí Dora fica nervosa...

Voz: É um jogo de consequências Dora... Mantenha a calma.

Isadora: Como vou ter calma com um desconhecido ao telefone, com brincadeiras macabras?

Voz: Nem sou tão desconhecido.

Isadora: Ah não? E quem é você?

Voz: Eu disse que revelaria quando ganhasse... Você perdeu uma pergunta. Agora vem a próxima com consequência... Agora vamos jogar de verdade. Do meu jeito.

Isadora: O que quer seu idiota?

Voz: Olhe bem as palavras que quer usar... Hahaha

Ele rir de uma forma psicopata.

Voz: Eu tenho várias pessoas para escolher. Hnnn... Deixe-me ver.

Ele para... Hesita um pouco e logo volta a falar...

Voz: O querido pai da Kath. A consequência será ele.

Isadora: O que vai fazer com ele?

Voz: Se errar vai saber.

Isadora: Você é louco.

Voz: Talvez.

Isadora: O que quer?

Voz: Minha pergunta. Quero diversão. Estou tão carente.

Isadora: Eu não quero mais jogar.

Voz: Kkkkk você entrou... Agora não saí mais.

Isabela já estava chorando em um canto ao lado da tv.

Isadora: Comece então seu imundo.

Ele faz a pergunta para ela... Ela para e olha pra mim dizendo que não sabe se vai acertar. Eu a apoio e digo para seguir em frente.

Ela então fala e ouço uma risada maligna ao outro lado do telefone.

Voz: Uma pena querida. Errou!

Isadora: O que vai fazer?

Voz: O pai da Kath logo sofrerá as consequências.

Isadora: Pare pare... Não há nada que eu possa fazer?

Voz: Sim... Há uma coisa.

Isadora: O que?

Voz: Saia para fora... Quero vê-la melhor.

Ela olha pra mim com lágrimas nos olhos eu digo que não. Eu comecei a desespera-me. Não posso deixar que nada aconteça com ela. Estou sem reação. Não sei o que fazer.

Isadora: É a única forma Kath.

Katherine: Não pode ser. Deve haver outra maneira.

Isadora: Sinto muito. 

Isabela: Prima não faça besteira.

Isadora: A besteira começou quando entrei nesse jogo.

Katherine: Você não tinha escolha... Merda!

Ele então avisa que irá deixar ela pensar um pouco e logo ligará para saber a resposta.

Isadora: Vai ficar tudo bem. Eu só vou sair para que ele possa me ver. Ele não pode fazer nada, afinal ele tá carente e ainda quer jogar.

Ela chora e tenta conter as lágrimas. Falou aquilo só para que a gente não se preocupasse. Mas ela mesma sabe o que irá ocorrer se sair.

Eu nada falo. Não sei o que fazer a minha cabeça dói.

Alguns minutos passam e ele retorna a ligar.

Voz: E aí meu anjo?

Isadora: Eu vou. Mas com uma outra condição!

Voz: Qual?

Isadora: Que a Kath vá comigo.

Voz: Melhor ainda. Ver o amor da minha vida. Melhor coisa.

Isadora: Ok então... Eu vou desligar e já saio.

Voz: Não. Deixe o telefone com a Isabela.

Isadora: Ok ok

Ela entra o telefone pra isa a mesma está trêmula. Eu então fico de frente para a porta tremendo. Abri a porta devagar e saio, não há ninguém. Eu estou chorando muito. Dora logo saí atrás de mim e fica ao meu lado, ele então no telefone com Isa atrás da porta fala...

Voz: Como ela está linda. Cresceu muito desde o dia em que saiu daqui. Ah como eu a amo.

Eu deixei as lágrimas caírem. Então em questão de segundo aparece alguém de máscara á poucos metros da gente. Eu arregalei meus olhos e chorei mais ainda.

Katherine: Por favor, não nos machuque.

Voz: Eu seria incapaz de machucá-la.

Suspiro com lágrimas.

Voz: Mas a sua amiga... Preciso que se aproxime.

Katherine: Isso não.

Voz: Vocês não tem escolha. Faça o que eu digo.

Dora se aproxima dele e eu abaixo a cabeça... Então ele a mata em minha frente eu fiquei imóvel. Não sabia o que fazer... Ao levantar minha cabeça ele já estava em minha frente. Então eu choro mais ainda e ele rir.

Ele coloca sua mão em meu rosto... Se aproxima e fala ao meu ouvido.

Voz: Eu disse que não te machucaria.

Katherine: Por que a matou? Ela fez o que você queria.

Voz: Era ela ou seu pai.

Katherine: Porquê? Você não me ama... Mata quem eu amo então não me ama.

Eu grito.

Voz: Desculpe-me Kath isso não funcionará comigo. 

Ela levanta um pouco a máscara e me segura.

Katherine: O que está fazendo?

Voz: Acalme se.

Ele me beija, mas inválido. Eu não correspondo. Ele para o beijo.

Voz: Você tem 10 segundos pra entrar para dentro.

Ele se vira e eu corri para dentro e fechei a porta atrás de mim.

Isabela: Cadê a Dora? Cadê a Dora?

Eu começo a chorar mais.

Isabela: KATH! CADÊ A DORA?

Ela grita.

Katherine: ELA TA MORTA. ELA A MATOU!

Isa fica louca e chora muito. Ela então diz que quer sair para matar ele. E eu a impesso.

Alguns minutos e alguém toca a campainha.



Notas Finais


Ficou meio terror...
Espero que tenham gostado.
Será que ele voltou?
Não percam o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...