História Margaridas - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~kyunginho

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Xiumin
Tags Fluffy, Maispowerfluffyporfavor, Mpfpf, Xiubaek
Visualizações 50
Palavras 2.156
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: FemmeSlash, Fluffy, Shoujo-Ai, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom dia, boa tarde, boa noite!
Como o meu bloqueio/desânimo para com as minhas fics em andamento continua firme e forte, cá estou com essa OS maravilhouser do projeto MPFPF sz
Como meu casal sorteado foi XiuBaek, fiquei toda animada já que nunca tinha feito nenhuma estória com os dois kkkk por isso espero que esteja boa o suficiente (aaaaaa)
Boa leitura sz

Capítulo 1 - Jardim de margaridas


O ranger da porta ganhou a atenção de todas as garotas que já se preparavam para dormir e descansar, fazendo com que aquele mundaréu de pares oculares encarasse a pequena novata que tentava a todo custo se esconder nas pernas da freira que sorria para si.


— Está tudo bem, minha querida. — a jovem mulher disse tentando confortar a recém chegada que tinha um biquinho nos lábios. — Vamos, te apresentarei para suas novas irmãs. — tentou apaziguar a pequena.


A irmã caminhou até estar no meio das duas fileiras de camas, se abaixando e encorajando mais uma vez a menina de maria-chiquinhas. Com um aceno tímido da mesma, a madre voltou a se pôr em pé, olhando em volta para as outras garotinhas que lhes encaravam curiosas. Fazia tempo que o orfanato não recebia novas meninas.


— Boa noite, meninas. Sei que está um pouco tarde, mas vim lhes apresentar Byun Baekhyun. — a garotinha tentou sorrir, repuxando os lábios em um retângulo meio forçado. O que poderia fazer? Estava nervosa e com medo que não gostassem de si. Baekhyun não queria ficar sozinha novamente. — A partir de hoje ela irá morar conosco. Sejam boazinhas. — sussurrou em um tom alto, como se a pequena não pudesse ouvir.


Algumas garotas deram de ombros — as mais velhas, no caso —, enquanto outras lhe sorriam animadas.


Baekhyun queria que as demais gostassem de si, afinal nunca tivera amigas no curto tempo que conviveu com o pai. Mesmo com os cinco anos de idade, temia muito a impressão que poderiam ter de si. Sobressaltou no lugar quando a freira lhe segurou o ombro, indicando uma cama vazia. Não demorou muito a se sentar ali, balançando os pezinhos antes de ter a atenção revogada por uma garota de sorriso gengival e olhos bem puxadinhos que lhe estendia a mão.


— Oi, meu nome é Minseok. — sem saber muito como reagir, fez o melhor que conseguiu: sorriu e apertou a mãozinha alheia.


— Eu sou Baekhyun.


Os sorrisos compartilhados eram doces e inocentes, assim como a amizade que não demoraria a desabrochar entre aquelas duas pequenas margaridas.





Baekhyun já estava com seus quase quinze anos completos quando teve aquela conversa com a melhor amiga no jardim florido um pouco afastado do orfanato onde ainda moravam. Mesmo sendo proibido, as duas sempre fugiam juntas para deitar no gramado e imaginar as nuvens como animais e objetos.


— Baekkie, e se nunca nos adotarem? — a mais velha perguntou assim, de forma aleatória. Minseok estava tocando no mesmo assunto ultimamente, deixando a Byun preocupada.


— De novo com isso, Minie? — suspirou pesadamente antes de focar em uma nuvem que em sua cabeça tinha o formato de uma flor. — Se não formos adotadas vamos morar juntas quando sairmos daqui. — respondeu convicta. — Eu já não te disse? — se virou para encarar a garota que olhava para o céu de forma pensativa.


— Disse, mas… eu já tenho quase dezoito, Baekkie… — murmurou tristonha, arrancando um franzir de cenho alheio.


— Kim Minseok, eu te proíbo! — ameaçou recebendo a atenção dos olhos da outra garota. — Não quebre a nossa promessa. — mudou o tom para um mais pedinte, agarrando a mão da Kim de forma delicada e entrelaçando os dedos juntos. — Eu por ti e tu por mim.


Minseok não conseguiu segurar o sorriso, presenteando Baekhyun com aquele repuxar de dentinhos à mostra enquanto se colocava sentada, apertando as mãos juntas.


— Eu por ti e tu por mim. — repetiu, esquecendo os problemas e admirando, não mais o céu, mas sim o rosto bonito da melhor amiga. — Eu amo você. — deixou escapar, tão natural que só percebeu que a voz em sua cabeça criou vida quando o olhar da mais nova arregalou-se. Balbuciou algumas negativas de forma frustrada, até sentir a grama novamente em suas costas junto dos braços magros que lhe envolviam em um abraço apertado. Tão quentinho e confortável; tão Baekhyun.


As mãos voltaram a se unir e os olhares passaram a se cruzar, até que as duas se colocaram deitadas uma ao lado da outra, sorrindo como cúmplices.


A verdade é que Minseok sempre estaria ali por Baekhyun e Baekhyun sempre estaria ali por Minseok.





Minseok por fim fechou o zíper da pequena mala, ainda sentindo o coração bater forte dentro do peito. O dia em que deixaria o orfanato onde cresceu havia chegado, seus dezoito anos estavam completos e como não havia sido adotada, precisava ir.


As freiras foram atenciosas como sempre, mas como a menina não queria se tornar uma, a única escolha que tinha era viver por si mesma no mundo lá fora.


Minseok conseguiu um emprego e um lugar para morar depois da ajuda de Kyungsoo, a madre superiora que felizmente simpatizava consigo. A Kim seria eternamente grata.


— Você precisa ir mesmo? — Yixing perguntou tentando segurar as lágrimas, não estava pronta para dizer adeus à amiga de longa data.


— Preciso. — respondeu simples. Não havia muito o que se fazer, era como as coisas deveriam ser. — Onde está Baekhyun?


— Não sei, não a vi o dia todo.


Mas Minseok sabia, e com um sorriso rápido para a chinesa se colocou a caminhar para o lugar onde Baekhyun estava: o jardim de margaridas.


Como o esperado, a garota estava ali, depenando uma das flores enquanto tinha seu rosto contorcido em uma careta descontente.


— Achei você. — Minseok disse ao se colocar sentada na frente da menina, que se forçou a sorrir mesmo que não quisesse. A mais velha sorriu verdadeiramente, fazendo questão de apertar a mão da garota que tanto gostava. — A nossa promessa, lembra?


— Minnie, vai ser tão chato sem você aqui. — apertou o entrelaçar, fazendo um biquinho.


— Eu sei que vai. — concordou, recebendo um estreitar de olhos alheio. — Também vou sentir sua falta. — disse em tom sério. Baekhyun se obrigou a segurar o choro, ao invés de tal coisa, decidiu por outra.


— Minnie, eu amo você. — confessou, sentindo as bochechas esquentarem. — Espere por mim. — pediu, recebendo um sorriso radiante junto de um acenar positivo. — Eu por ti e tu por mim.


— Eu por ti e tu por mim.


Mesmo que aquele momento devesse ser triste por se tratar de uma despedida, as duas garotas sabiam que nada e nem ninguém mudaria o amor que ambas sentiam uma pela outra.


O tempo e distância se tornavam meros detalhes diante de Minseok e Baekhyun.





Minseok preparava o almoço ainda de pijama. Era sábado e a preguiça sempre falava mais alto na vida da garota após aquela longa semana de trabalho e faculdade.


Se pegou sorrindo ao lembrar que amanhã veria Baekhyun, a garota finalmente havia completado seus tão desejados dezoito anos e poderia enfim morar com Minseok. Afinal, as duas haviam prometido que o fariam.


Nesses dois anos longe, cartas foram trocadas, e até mesmo algumas visitas permitidas. Kyungsoo deixou claro que Minseok poderia vir quando quisesse, mas com a faculdade de Letras lhe tomando todo o tempo ficava difícil. Porém, todas as escapadas de suas obrigações universitárias de bolsista eram muito bem aproveitadas e valiam a pena quando o sorriso de Baekhyun se fazia presente. Minseok se sentia a mulher mais sortuda do mundo por tê-lo para si.


Foi em meio a tais lembranças que se assustou com o toque da campainha. Estava distraída, mas também não estava esperando visita alguma. Meio contrariada a atender por ainda estar de pijama, foi até a porta. Provavelmente era apenas um vendedor ou coisa parecida ali do outro lado.


Destravou a mesma e abriu, sentindo o coração falhar uma batida ao ver a garota de seus pensamentos e lembranças felizes bem ali, em sua frente com um sorriso grande e uma mala ao lado.


— Baekkie… — não demorou a apertar a menina em um abraço apertado. — Mas eu achei que você fosse vir só amanhã.


— Kyungsoo me deixou sair um dia antes. — disse inalando o cheiro que sentiu tanta falta no pescoço da mais velha, que não evitou sentir-se arrepiar. — Eu senti tanta saudade que vim correndo. — confessou apertando o abraço ainda mais.


Ficaram um bom tempo assim até Minseok sugerir que as duas entrassem. Baekhyun não demorou a se instalar, admirando cada cantinho da casa pequena, mas muito aconchegante. Minseok fez questão de mostrar tudo e ainda ajudar a Byun a desfazer a mala e ajeitar tudo na parte do guarda roupas destinada a elas. Já haviam algumas peças ali, presentes da Kim, que foram aceitos com muito entusiasmo pela mais nova.


Após isso, as duas almoçaram e depois se acomodaram no sofá enquanto se refrescavam com sorvete de creme. Passaram a conversar sobre tudo o que havia acontecido no tempo em que estavam longe uma da outra e também sobre os planos para o futuro — esses claro, incluindo as duas; sempre.


— Eu… tenho uma coisa para você. — a mais velha disse, meio hesitante. Havia esperado tanto pelo dia em que Baekhyun e ela finalmente poderiam se reencontrar, que agora que estava enfim acontecendo, se sentia um tanto receosa.


— O que é? — a mais nova abandonou o pote de vidro vazio na mesa de centro e sorriu animada. Baekhyun se sentia empolgada demais para tudo, Minseok e ela ali juntas era a melhor coisa que ela poderia imaginar.


Logo a Kim sumiu de vista, entrando no único quarto da casa para voltar em seguida, sentando-se ao lado da mais nova com uma pequena caixinha vermelha em mãos. Por mais que conhecesse a Byun a mais tempo do que poderia contar, aquela situação era totalmente diferente. Claro que já havia dito que amava a mais nova inúmeras vezes, mas nunca teve a certeza se o sentimento era recíproco — exceto pela vez quando Minseok saiu do orfanato, mas mesmo que Baekhyun tenha dito para si as três palavras ainda era difícil imaginar reciprocidade; na cabeça de Minseok era amor de amizade.


Baekhyun sorriu grande, adorava receber presentes, ainda mais se fossem de Minseok. Foi com os braços em direção ao embrulho de forma afoita, fazendo um biquinho quando este foi tirado de sua visão.


— Antes de tudo, promete que não vai me achar esquisita? — Minseok perguntou apreensiva, Baekhyun só pôde arquear a sobrancelha para depois franzir o cenho.


— Estou te achando esquisita agora.


— Baekkie, é sério! Promete. — a Byun rolou os olhos.


— Eu prometo Minnie. — apertou a mão livre da garota tentando passar algum tipo de conforto. — Você é minha melhor amiga e eu te amo, jamais te acharia esquisita por causa de um presente. — respondeu como se fosse algo óbvio.


Minseok mordeu o lábio inferior e esticou a caixa novamente, sendo prontamente pega por Baekhyun. A Byun retirou a tampa se deparando com uma outra caixinha — dessa vez de veludo vermelha —, sorrindo ao imaginar o que teria ali dentro.


Abriu e não conseguiu evitar o sorriso ao se deparar com a correntinha prateada com aquele pingente de flor.


— É uma margarida! Meu Deus, Minnie, eu adorei! — colocou o colar, se virando para que a mais velha lhe ajudasse com o fecho. Quando se virou, percebeu Minseok ainda um tanto quanto aflita. Também notou que ela tinha no pescoço um colar exatamente igual. Baekhyun sorriu, sentindo o coração bater mais rápido dentro do peito. — Você tem um igual!


— Tenho… — mordeu mais uma vez o lábio inferior, evitando olhar para o rosto da mais nova.


— Minnie, devo considerar um acessório de casal? — perguntou, vendo Minseok retesar o corpo levemente, ainda evitando o contato. — Você é minha namorada agora?


— E-eu… — o estômago se contorcia em medo. Essa era a hora em que a mais nova iria levantar, arrumar suas coisas e ir embora? Por Deus!, estava tão nervosa que ao menos notou o tom alegre na voz de Baekhyun, e muito menos o sorriso que rasgava a face da garota que lhe amava na mesma proporção.


— Minnie, olha para mim. — pediu, vendo a garota engolir em seco e lhe encarar daquela forma apreensiva. Baekhyun segurou a mão da mais velha e se aproximou, colando as bocas em um selar suave, sentindo o aperto em sua mão intensificar. Quando se afastou, viu os olhos da menina arregalados e sua face tornando-se cada vez mais rubra. Baekhyun sorriu e reafirmou as palavras de dois anos atrás: — Eu amo você. E é bem mais que amiga.


— Baekkie…


— Eu por ti e tu por mim, lembra?


O sorriso de Minseok só foi quebrado quando a garota abraçou a mais nova com força, para logo em seguida colar os lábios juntos mais uma vez.


As duas margaridas floresciam juntas em meio aos sorrisos trocados, beijos roubados e dias compartilhados. Dessa vez sem interrupções do tempo ou da distância.


Afinal, Minseok sempre seria por Baekhyun e Baekhyun sempre estaria ali para Minseok.



Notas Finais


Muito obrigada às meninas do projeto por me proporcionarem a oportunidade de abrir meus horizontes para novas possibilidades kkkk >< existe um mundo inteiro além de chanbaek, meu povo! E é real oficial!

Quem quiser participar é só ir nesse jornal e escolher os números para o ship, esperar a MP e ser feliz: https://spiritfanfics.com/jornais/power-fluffy-month-10823607

Espero que tenham gostado e obrigada por ler ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...