História Margaridas (JiKook) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Park Jimin (Jimin)
Tags Bangtan Boys (BTS), Jikook
Visualizações 19
Palavras 1.248
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem!

Boa Leitura!❤

Capítulo 1 - O princípio


Fanfic / Fanfiction Margaridas (JiKook) - Capítulo 1 - O princípio

Olá, eu sou Park JiMin, e eu vou contar uma história, a minha história 

E não, não é aquela história que eu esbarro em uma menina, peço o seu número, marcamos um encontro, transamos, casamos e temos um casal de filhos...Espera aí que agora eu fiquei emocionado 

Enfim, voltando a minha (miserável) história, a maioria dos casais ficam muitos emocionados e felizes com a chegada de um novo membro da família...não foi o meu caso 

Minha mãe teve complicações no parto e...Não resistiu, eu infelizmente sobrevivi e sai intacto...Quer dizer, não tão intacto, pois, nos primeiros minutos da minha vida eu tive que fazer uma cirurgia, por causa da minha doença, sim, eu tenho uma doença muito grave e rara

Eu quase morri na minha primeira cirugia, infelizmente, não foi o caso, eu infelizmente sobrevivi, infelizmente..!


Infelizmente!


Tá, parei  

Como eu dizia, eu não trouxe felicidade para o meu pai, afinal, sua esposa, minha mãe morreu por minha culpa

Se eu não tivesse existido...Se eu pudesse voltar no tempo, quando eu ainda não existia, eu iria encontrar meu pai e dizer: "Pai...Usa camisinha!" 

Mas mesmo assim meu pai cuidou de mim, quer dizer, quem cuidou de mim foi as enfermeiras, porque eu passava mais no hospital do que em casa, na verdade eu nunca, de fato, morei em uma casa

E mesmo passando meses no hospital, meu pai não ia me ver, as vezes uma ou duas, mas nunca foi presente, as enfermeiras até diziam que quando eu estava fazendo uma cirugia ou até mesmo dormindo ele ia me ver sem que eu percebesse, mas acho que elas falavam isso só para me animar, não que elas conseguissem me animar

Mas eu não culpo ele, eu tirei dele o seu bem mais precioso, a minha mãe 

Eu não sabia o que era ter um lar, amigo ou até mesmo uma família, à cada dia que passava eu me sentia mais solitário e culpado pela minha mãe ter morrido, afinal, realmente era a minha culpa

"Poxa! Será assim? A minha vida toda eu vou passar num hospital?" Era o que eu mais me perguntavam 

Eu queria ser um adolescente normal, queria ter o meu "grupinho de amigos", queria ir pra escola, queria um pai que acendesse a luz quando eu chegasse tarde em casa, não que eu pensasse em fazer esse tipo de coisa, claro que não

Mas a realidade era eu em uma coma fazendo a minha terceira cirugia em um mês 

Eu estava melhor e o tratamento estava mostranrdo resultados bons, bons ao ponto de conseguir alta, finalmente consegui a desejada alta  

Depois de 13 anos, eu finalmente ia poder ir pra escola, talvez o meu pai não iria acender a luz, mas eu iria ter amigos! Ou não...

Eu estava muito feliz que ia para casa, mas o que eu realmente estava ansioso era para o meu primeiro dia de aula, "Como será?" Eu me perguntava, hoje eu respondo "Amigo...É horrível!"

Hoje eu sei que é horrível, mas eu descobri isso da pior maneira 

No meu primeiro dia de aula, eu estava andando em pulos, eu mal poderia esperar a hora de entrar naquela tal escola 

E a hora chegou, meu motorista me levou para escola 

Quando ele me largou eu percebi o quanto era grande

Estava cheia, eu estava perdido, aquilo era gigante, mas eu tinha que entrar, né? Eu não podia ficar lá fora pra sempre

E foi o que eu fiz, eu entrei

Ninguém pareceu ter notado a minha desnecessária existência, ou quase ninguém 

O grupinho do NamJoon, que naquele estante eu não conhecia, me notou 


Flashback On

-Oi, eu sou JiMin, Park JiMin- Eu falei com um sorriso largo 

HS(Hoseok)- Olhá eu sou u J-Hope- Ele fala tentando "imitar" a minha voz, e todo dão risada, eu não havia achado a menor graça 

Percebi que nem todos riam, um menino alto com cabelos escuros me olhava com um ar de preocupado

NJ(NamJoon)- Nós vemos mais tarde baixinho!- O loiro fala e vai embora

Flashback Off


Eu não tinha dado muita atenção para eles, pois era o meu primeiro dia de aula! E nada iria me desanimar

Naquele momento eu não sabia, mas o menino alto de cabelos escuros era o JungKook

O "grupinho do NamJoon" era composto por o NamJoon (Óbvio), HoSeok, TaeHyung, YoonGi, SeokJin e JungKook

Eles viviam me pertubando, o quê não estava me incomodando muito no princípio, mas foi piorando 

O pior de tudo é que me peguei apaixonado pelo JungKook, logo ele! "Eu sou gay? Não, a Laura! Eu gostava da Laura" foi o que eu pensei quando decidi admitir que eu olhava a aula inteira para o Junkook porque gostava dele

A Laura era filha de uma das enfermeiras, eu sempre admirei muito ela, mas nunca conversei com ela, provavelmente seria assim com o JungKook também 

Eu não conseguia acreditar que estava gostando dele! Ele fazia parte daquele grupinho idiota, ELE era um idiota! Não tinha motivos para eu gostar dele, mas mesmo assim, eu não podia evitar! Eu gostava muito dele 

Algo me fazia pensar que ele não era que nem os outros meninos, que ele era diferente, mas eu estava enganado...

Eu já estava exausto, antes eu desejava tanto aquela vida, mas agora, eu desejava voltar para o hospital

O tempo todo que eu estava na escola, eles vinham para me chetear, até mesmo em aula, e os professores pareciam nunca notarem 

Agora já não era só apelidos, mas sim, empurrões, eu já estava de saco cheio

Eu aturei por muito tempo sim, mas acabou

A doença estava mais forte, ela havia voltado

E eu voltei ao hospital, de novo 

E como antes, eu tinha que fazer mais cirugias

Mas eu conheci uma garota, a Rosé

Eu juro! Nunca tinha visto menina mais bonita!

Ela tinha câncer e ficava no mesmo quarto que eu 

A gente começou a se falar, descobri que ela gostava de margaridas, seus pais a abandonaram quando descobriram sua doença e que nunca tinha saído do hospital, e que como eu antes, desejava ter uma vida normal

Então eu falei pra ela que não era assim, que não era fácil, e as pessoas não eram boas, falei que era tudo uma ilusão

E sabe o que ela falou? "Foda-se"

Cara, como alguém podia ser tão bonita falando "foda-se", como?

Me descobri bi, pois eu tenho certeza que havia realmente gostado do JungKook, e agora amava a Rosé

Ela era muito forte, nunca vi ela lamentando por sua doença

Todos dias a gente se falava, a gente ria pra caramba! Eu não queria mais nada, minha vida estava perfeita

Pela primeira vez eu estava sendo feliz




Agora, depois de mais 3 anos no hospital de novo, eu ganhei alta, porém não é por isso que eu vou deixar de vê-la, prometi pra ela que, todos os dias, depois da aula eu vou visita-la no hospital 

Ela vai fazer uma cirugia muito arriscada, então decidi ficar mais essa noite, e vou pra casa amanhã de manhã 

Algo me fala que eu tenho que ficar  

Então ela foi para sala as 7:00h, fiquei no lado de fora, onde havia 5 cadeiras azul, eu me sentei

Já deitado naquelas cadeiras desconfortável, morrendo de nervosismo, pois já era 03:15h da madrugada e eu não havia recebido notícias dela 

Então, finalmente eu vejo o cirurgião e as enfermeiras saindo meio desanimados da sala e vou correndo perguntar para o médio como ela estava 

- Como ela está, doutor?- Pergunto ansiosamente

Dr- Sinto muito

Não! Não pode ser! Por quê? por quê?

Eu estava no chão do hospital entre lágrimas, eu não conseguia acreditar que, de novo, perdi tudo




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...