História Margaridas para você. - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT), Wanna One
Personagens Daehwi, Guanlin, Jaehwan, Jaehyun, Jihoon, Jinyoung, Jisung, Kang Daniel, Seongwoo, Taeyong, Woojin
Tags Doeil, Doil, Hyungseob, Jaeyong, Johnten, Justin, Luwoo, Minhwan, Ongniel, P101, Produce101, Samhwi, Samuel, Seonho, Seonlin, Winkdeep, Winkun, Wooseob, Yaoi, Yukwoo, Yusol
Visualizações 82
Palavras 3.650
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Não me perguntem o que deu em mim, só sei que sexta-feira de madrugada me bateu uma vontade de escrever sobre esse couple, que man, um dos meus shipps preferidos do p101, que vocês já vão descobrir, somente pela foto do cap cbdcbhv
Eu escrevi isso mais para explicar o que rolou entre eles, e espero que gostem, talvez, mas só talvez, possa ter mais cap. como este, que foca somente em um couple. A gora deu de enrolar, e bora ler.
obs: desculpa qualquer erro.

Capítulo 8 - Capítulo especial - Primeiro o bv, agora o bvl!


Fanfic / Fanfiction Margaridas para você. - Capítulo 8 - Capítulo especial - Primeiro o bv, agora o bvl!

— Você pensa que vai aonde? - empaquei no mesmo lugar quando escutei a voz de Guanlin.

— Vou pegar umas florzinhas pra mim, por quê? - cruzei os braços e encarei o mais velho.

— Porque eu tô tomando conta de você, e por lei, tenho direito de saber aonde o senhor pretendia ir – ele também cruzou os braços e ficou me encarando, suspirei cansado e somente sai porta afora.

Advinha quem tá de castigo? Sim, eu, eu tô de castigo, tudo por culpa do Woojin.

Querem saber o porquê? Então eu vou explicar:

Ontem, por volta das sete da manhã eu sai de casa para ir na escola, mas antes, não esqueceria de passar na casa do Justin para pegar ele, já que todo dia é assim, mas hoje foi diferente, quando eu estava descendo o pequeno morro que tem para chegar na casa do meu amigo, eu vi Woojin de longe, ele parecia em seu próprio mundo, olhando pro nada enquanto estava sentado no ponto de ônibus, admito que foi uma surpresa ver ele ali, até onde eu sei, Woojin não costuma pegar ônibus por essas redondezas, ele é do tipo que vai andando mesmo.

Eu na hora pensei em ir falar alguma coisa, dizer um oi, mas eu ainda estava nervoso desde a última vez que a gente se viu, vamos dizer que aconteceu umas coisas meio, estranhas, mesmo que essas tais coisas tenham acontecido por volta de um ano atrás, mas os meus comportamentos não foram um dos melhores, já que passei a falar bem menos com Woojin e comecei a evitar o mais velho, infantil? Sim, eu sou bem infantil com certas coisas, mas entendam meu lado antes de terem pensamentos negativos ao meu respeito.

Depois da minha sessão de secadas em Park Woojin, Justin chegou me cumprimentando, e como meu amigo não era burro ele já foi perguntando: ´´Ainda gosta dele?´´, e lógico que eu respondi a coisa mais ridícula do mundo: ´´Claro que não, tá louco?´´, mesmo dizendo isso, Justin percebeu que era mentira, quem eu queria enganar, eu ainda sentia algo por Woojin e isso estava nítido, se não fosse essa merda de insegurança, eu conseguiria ter a mesma amizade de um ano atrás.

O trajeto até a escola, foi algo bem chato e entediante, Justin só falava de como estava cansado de ser trouxa pelo crush de ouro dele, e eu, como amigo dele, concordei, porque ele realmente precisa, URGENTEMENTE, parar de gostar daquele bacaca, eu nem gosto de dizer o nome do indivíduo, vai que traz má sorte, uma coisa como aquela nem deveria ser considerado humano, mas o que eu posso fazer se meu amigo gosta dele? Nada, só jogar na cara dele o quão babaca aquele cara é.

Na escola, foi mais chato ainda, eram duas, DUAS AULAS, de física, só pra piorar o meu dia, e ainda ver a cara daquelas cretinas, aka Izzie e Sungwa, piorou mais ainda.

Agora o colégio inteiro tá nesse negócio de baile de formatura, por estar no final de ano e tal, pena que eu não estou tão empolgado pra esse baile, pelo simples motivo, que eu não tenho par, pessoas tendem a me ignorar por ser muito hiperativo, do tipo que fala mais que a própria boca, mas não é algo que eu possa mudar, vida injusta essa, até um chinelo tem par, e eu não.

Outra coisa ruim que me aconteceu nesse dia – ontem – foi a aula de matemática, tipo, sério, matemática é uma matéria que eu não consigo compreender, e eu estou achando, tendo quase certeza, que se eu não me sentar atrás de alguém inteligente até o final do ano, as possibilidades de eu reprovar vão ser grandes, e não pensem que euzinho não estudo, eu estudo sim, e bastante, mas já viram? Na sala de aula é 1+1=2. No dever de casa é 2+2+2=6. E na porra da avaliação é: ´´Matheus tem 4 maçãs, ele come uma e dá a outra pro seu amigo. Calcule a massa do sol´´. Não nasci pra isso não.

Agora a aula de português, nossa, essa foi tensa, porque ninguém, mas tipo, ninguém mesmo, fez o dever de casa, sabe o que é a sala inteira mentindo pra professora que ela não tinha passado nada na aula anterior? Eu juro que até escutei um ´´Nunca nem vi´´, só pra rir mesmo. Nas duas aulas de física eu descobri que Justin pode ser um ótimo filósofo quando crescer, já que meu amigo, disse a frase mais certa e mais verdadeira que um dia o ser humano já disse em uma aula de física qualquer: ´´Interessante, não tô entendendo nada, mas interessante´´. Eu diria isso mais pra química, porque física não tem tanta emoção como química tem, eu já coloquei fogo na cortina em química, isso de fato, foi bem doido, só depois que eu quase apanhei, mas nada que um pouco de aegyo resolvesse.

Na última aula, e pior de todas, tivemos educação física, A MELHOR MATÉRIA ENTRE TODAS, isso se eu não estivesse um caco depois de uma aula de matemática, duas de física e uma de português, e pra piorar, em educação física nem foi aquilo tudo, a gente teve que fazer um trabalho em grupo, que eu, sinceramente quase enlouqueci, a cada 5 minutos eu pedia a Deus para que aquilo acabasse logo, caso contrário, alguém sairia morto daquela roda.

E isso basicamente foi meu dia chato e sem emoção, mentira haha, que não acaba por aqui não, primeiro que Justin não voltou pra casa comigo, ele disse que tinha coisas para se resolver – e que eu, fiquei bem puto quando descobri o motivo – e como eu não sou do tipo curioso – outra mentira – eu simplesmente dei de ombros, é que assim, eu sou curioso, porém, tem assuntos que é melhor não ficar tocando, Justin disse que ia se encontrar com o @ dele, e quem sou eu pra ficar pedindo detalhes, por isso que eu deixei ele ir, mas depois que eu descobri o que fizeram com o meu bebê gigante, eu tive um ataque de raiva, minha vontade era de pular na cara de todos aqueles trogloditas que machucaram o meu amigo, mas isso não chega ao caso agora, tudo já foi resolvido.

Continuando… Eu sai da escola, bem triste, porque meu dia estava indo de mal a pior, eu estava com vontade de chorar desde o momento que vi Woojin no ponto de ônibus, ele está tão bonito, tão charmoso, aquele jeito dele quieto e misterioso, talvez eu esteja caindo de amores pela pessoa errada, ou talvez não, quando o assunto é Woojin, eu nunca posso ter certeza de nada, ele me confunde, uma hora diz que gosta de mim como amigo, e na outra me dá selinhos, e sim, eu já juntei meus lábios nos de Woojin, mas isso foi há um ano atrás, e por causa desses selares, que eu me distanciei dele, sou um merda mermão. Com a vida – e com o Justin, nosso amado filósofo – eu aprendi uma coisa: Nem todo mundo que você considera, tem a mesma consideração por você. Então antes de eu me iludir pelo Woojin, primeiro preciso saber se ele realmente gosta de mim.

Mas voltando com o resumo do dia de ontem, eu fui de pé pra casa, porque meus pais estavam no trabalho, e não tinha como virem me buscar, eu me lembro ainda, que eu estava com uns pensamentos muito profundos, eu tava até começando a achar que o Justinvírusfilosofo havia passado pra mim, ainda mais quando eu vi, de novo Woojin, ele estava com alguns livros na mão, uma maleta para guardar o notebook em outra, e eu juro que tentei desviar o olhar quando o mesmo começou a me fitar do outro lado da rua, mas não dava, eu fiquei igual um tonto parado, olhando Woojin, tô me perguntando até agora o que ele deve ter pensado de mim naquela hora, já que deve ter sido engraçado, mais engraçado ainda foi a minha reação quando Woojin atravessou a rua e veio em minha direção, eu não sei o que me deu na hora, mas eu perguntei se ele gostava de batatas, isso foi a coisa mais aleatória que eu já disse na minha vida, pelo menos ele riu, a gente ficou conversando por horas e horas, saímos para comprar sorvete, ou melhor, só o Woojin comprou, porque eu não tinha dinheiro, tenho que me lembrar de depois pagar pra ele, não gosto de ficar dependendo das pessoas, eu me sinto mal.

O tempo, passou mais rapido que o normal, andamos, brincamos, foi uma tarde sensacional, muito boa mesmo, tanto que eu mesmo nem percebi quando começou a escurecer, a gente parou em um banco da praça principal, e ficamos mais um tempo conversando, me lembro até de Justin ter me mandado mensagem, explicando tudo que aconteceu, e olha só, eu fiquei enraivecido, Woojin disse que eu não precisava me preocupar porque tudo já estava bem, e depois de dizer palavras reconfortantes pra mim, ele se aproximou, muito, o rosto dele tava tão pertinho, igual no ano anterior, quando ele me deu um selinho, e eu juro, que na hora, minha intenção não era sair correndo quando nossos rostos estavam próximos, eu não sei o que deu em mim, fiquei nervoso e com medo, não queria, e nem quero, acabar de vez com o pouco que nos restava, mas depois de ontem, quando eu simplesmente virei o rosto e sai correndo, Woojin deve ter ficado magoado.

Eu voltei pra casa com pesar na consciência, me xingando por ter feito essa babaquice, tanto que eu até chorei no percurso, e pra piorar meu dia, meus pais ficaram furiosos pelo horário que eu cheguei, brigaram e agora me deixaram de castigo, o que foi injusto, eu já sou grandinho, já tenho 16 anos e não posso chegar em casa tarde, isso se fosse BEM tarde, mas não, era por volta das 19:30. Só sei que agora estou magoado com os meus pais, e possivelmente Woojin deve estar magoado comigo, isso sim que eu chamo de dia ruim, única parte boa foi quando eu estive com Woojin, ele não reclama de nada, só dá aquele sorrisinho meio tímido dele e me escuta, ele tem paciência comigo.

Agora eu estou aqui, no jardim, recolhendo folhas enquanto o ridículo do meu irmão tá me vigiando, queria entender, o Guanlin é só dois anos mais velho que eu, e meus pais já acham ele O – até usei letra maiúscula – adulto, enquanto eu sou tratado como um bebê, e por incrivel que pareça, todo mundo me trata como criança, isso é meio chato, mas dependendo da pessoa, tipo o Woojin, eu gosto de ser tratado igual um bebê, quando Woojin se preocupava comigo, era tão boa a sensação, quando fazia cafuné pra mim dormir, ou quando ficava massageando meus pés enquanto eu devorava um pote de nutella sozinho, esses tempos eram tão bons, se não fosse aquele selinho,

— Seob, appa acabou de ligar – Guanlin apareceu na porta de casa. - Ele disse que eles não vão conseguir chegar em casa cedo, possivelmente nem vão conseguir chegar em casa, porque o avião que ambos estavam deu defeito e foram obrigados a parar em um aeroporto lá, não sabem quando o avião vai ficar pronto e até então não tem nenhum voo agendado.

— Okay – dei de ombros e continuei a tirar as folhas.

— Woojin vai vir cuidar de você por essa noite – parei – Já combinei de ir dormir na casa do Samuel e tanto o appa como a omma concordaram – eu fiquei em silêncio, sabe quando você para e começa a pensar em tudo que já fez na vida, principalmente nas burradas, e uma delas fora a burrada de ontem, quando eu simplesmente sai correndo.

— Por que o Woojin? - disse simples, tentando não parecer nervoso.

— Porque sim? - ele perguntou retoricamente, me fazendo revirar os olhos – Vai dizer que vocês dois brigaram?

— Não.

— Então por que isso? - suspirei cansado, eu não queria dizer nada pra Guanlin, ainda estava de mal com ele por ter roubado o meu pôster do SNSD.

— Se você não tivesse roubado o meu pôster do snsd e, ainda por cima, ter vendido ele na esquina por dez reais, eu até te contaria – fechei a cara, só pra mostrar como eu estava brabo com ele.

— Eu estava precisando de dinheiro, foi necessário!

— Se era tão necessário assim, porque você não vendeu alguma coisa tua? - me levantei do chão.

— Porque não tinha nada de importante – okay, tenho que concordar que Guanlin tem nada que preste naquele quarto.

— Vou deixar passar, mas só dessa vez. Vem, vamos para dentro, porque tô ficando com frio – sai puxando o mais velho para dentro de casa.

— É o seguinte, você promete, que não vai contar para ninguém? Nem mesmo para o Samuel, ou qualquer outro amigo? - me sentei no puf que tinha na sala.

— Prometo – ele se sentou no sofá.

— De mindinho? – levantei meu mindinho, que logo foi entrelaçado pelo mindinho de Guanlin.

— De mindinho!

— Tá vamos começar, você sabe que eu e o Woojin somos amigos de infância, e que depois de um tempo, ele passou a tomar conta de mim enquanto nossos pais não estavam em casa, e nem você, isso até ano passado, teve uma noite que ele veio cuidar de mim, e a gente acabou dando um selinho – era estranho contar isso para o meu irmão, é vergonhoso.

— Não acredito, mas ele deu contra a tua vontade?

— Não – cocei a nuca, sentindo meu rosto queimar – Eu me aproximei e ele também, tanto que depois, a gente se beijou.

— De língua?

— Não, foram somente selinhos, eu que pedi. - percebi Guanlin soltar o ar pela boca aliviado. - Ciumento – soltei uma risada baixa.

— Tenho direito como teu irmão mais velho, mas o que eu não entendi, foi o porquê de vocês terem brigado.

— É que a culpa foi meio que minha, eu não sabia como olhar para Woojin no dia seguinte, e comecei a ignorá-lo por conta da vergonha e medo, depois de um tempo, ele pareceu se cansar de ficar indo atrás de mim e eu sempre fugir. Ai ontem, quando eu tava vindo da escola, eu encontrei ele e ficamos a tarde toda juntos conversando, ele me pagou um sorvete, pipoca doce e ainda por cima me aguentou falando sem parar.

— Você tá corado, que fofo, gosta dele, não é? - assenti com um sorrisinho no rosto, mas que logo foi tirado quando me lembrei do final do passeio.

— O problema é que, Woojin tentou me beijar, eu também queria, porque também estava chegando mais perto, o problema foi que eu sai correndo, não sei o que deu em mim, fiquei muito nervoso e deixei Woojin sozinho lá, nessas horas ele deve estar me odiando – suspirei cansado, voltando aquela vontade de chorar.

— Por isso você não quer que ele venha cuidar de você – Guanlin entendeu em que ponto eu queria chegar – Mas, se ele aceitou, é porque não deve estar tão bolado assim, ele te conhece, aposto que nessas horas Woojin deve estar rindo se lembrando de você correndo ontem.

— Queria acreditar nisso.

— Não se preocupa – Guanlin se aproximou e bagunçou os meus fios – Vai dar tudo certo. Agora eu preciso ir me arrumar – se levantou e saiu da sala, eu fiz o mesmo, mas diferente de Guanlin que foi para o quarto, eu fui para a cozinha comer.

Só comida mesmo para me acalmar.

[…]

— Seob, tô saindo, daqui a pouco Woojin chega, beijos e boa sorte! - escutei Guanlin gritar, e somente respondi com outro grito.

— Obrigada!

Agora é a parte que eu fico deitado no sofá e me finjo de morto até Woojin chegar.

Como eu queria ser assim.

Levantei na velocidade da luz e fui correndo para o meu quarto, quase caindo, mas eu fui, cheguei lá e me arrumei, sim, eu me arrumei, mas não foi algo exagerado, no final das contar eu tinha que parecer natural, então só foi necessário um lápis fraco no olho, um pouquinho de base, e uma roupa mais apresentável do que uma calça de moletom rasgada e uma blusa toda machada de cloro – esse era o meu pijama. Coloquei uma bermuda bem soltinha da cor preta, e aproveitei para fazer estreia da minha camisa nova, eu ganhei ela no dia das crianças, advinha, dos meus pais, mas quem sou eu pra reclamar, é uma blusinha muito linda cheia de unicórnios, eu usaria ela para sair, mas Guanlin disse que se eu saísse com uma blusa rosa pastel, enfeitada por unicórnios, as pessoas iriam me estranhar e também chamaria muita atenção, de acordo com meu irmão. Mas como eu gosto muito dela, e acho ela a coisa mais lindinha, vou usá-la, Woojin também pode gostar! Ele sempre gostou do meu estilo, não acho que seja problema.

Por fim, passei um perfuminho apenas para ficar cheiroso, Que eu estou nervoso, vocês já sabem, mas quando a campainha tocou, pareceu que meu pobre coração tinha parado de bater, só fui me dar conta que estava viajando quando escutei pela sétima vez o som ecoar pela casa inteira.

— Já vai! – gritei e fui em disparada para a porta de entrada, dei uma última checada no visual, é tá ótimo, melhor do que nada – Olá Woojin – disse olhando pra baixo, porque se eu olhasse pra cima, sairia correndo pro meu quarto.

— Oi, Seob – ele falou tão desanimado, mas tão desanimado, que eu senti a desanimação.

Dei passagem para que entrasse, já fechando a porta em seguida. Quando ele foi pra cozinha, fazer sei lá o que, eu fiquei sentadinho e quietinho na sala, terminando de assistir Universidade Monstro, não tinha nenhum barulho se quer de Woojin, o que estava me preocupando, vai que ele tá pensando em se matar na minha casa, para depois a culpa cair sobre mim? Tipo uma vingança por eu ter saído correndo, isso não pode acontecer, não passarei minha vida numa prisão por um crime que eu não cometi.

Levantei do sofá e fui em pisadas cautelosas até a cozinha, esperei um pouco antes de derrapar no chão – eu estava de meia – e parar em frente a mesa que Woojin estava sentado, apontei o dedo no seu rosto e disse sério:

— Você não vai se matar para colocar a culpa em mim no final! - fiquei encarando o mais velho que levou um belo de um susto.

— Quê? - Foi a única coisa que ele disse.

— Não se faça de desentendido Park Woojin, já saquei o teu plano.

— Que plano? - ele parecia mais perdido ainda, vejamos aqui um ótimo ator.

— Sei que você pretende se suicidar na minha casa, para que depois eu fique como o culpado da tua morte. - Tudo ficou em silêncio, até Woojin começar a rir do nada, se a risada não fosse tão gostosinha de se ouvir, eu juraria que era um daqueles risos malignos.

— Seob, da onde você tira essas coisas?

— Eu tô falando sério! Você ficou aqui na cozinha em silêncio, eu pensei no pior! - puxei uma cadeira e me sentei junto ao seu lado na mesa.

— Claro que não.

— Então por que você não ficou comigo lá na sala?

— É que… Bem, não sei se estava em um clima bom – ele começou a olhar pras próprias mãos.

— Desculpa – disse meio baixo, começando a encarar o vaso de flores que tinha sobre a mesa, uma ideia se formando na minha cabeça.

— Quê? Eu não escutei, pode-

Tá não entra em desespero Moon Hyungseob, não tenha um ataque de pânico por você ter simplesmente, TER BEIJADO PARK WOOJIN! Socorro, o que tá dando em mim, eu tô beijando o Woojin, eu não acredito nisso, e não acredito mais ainda que ele tá aprofundando o beijo, abrir a boca ou não? Abrir a boca! O que me custa, eu gosto dele mesmo, eu admitir isso pra mim mesmo é quase mais desesperador do que sentir a língua dele tocando na minha, olha gente, não vou narrar esse beijo porque primeiro, é vergonhoso e eu não faço a mínima ideia de como narrar isso, segundo; Não tô raciocinando direito, quarto; Não tem quarto porra, para de pensar nisso Hyungseob, foca no beijo, e foca aonde as mãos do Woojin estão tomando rumo.

Talvez eu tenha ficado mais desesperado quando ele segurou nas laterais do meu tronco, aka, cintura e pra piorar a situação, foi descendo as mãos até as coxas, dando um leve aperto nelas, aquilo foi o máximo para eu perder o ar restante, o que fez a gente se separar ofegantes, na hora eu só conseguia pensar em…

— Eu perdi meu bvl – coloquei a mão direita sobre a boca – Não acredito nisso, você primeiro tira o meu bv ano passado, agora tira meu bvl, o que vai ser a próxima? Vai tirar a minha virginda-

— Não fala nada Seob – ele soltou uma risada, me abraçando em seguida – Você que me beijou primeiro.

— Era pra ser um selinho, até eu sentir a tua língua tocando o meu lábio.

— Abriu a boca porque quis, ninguém te obrigou – ele continuava agarrado na minha cintura, e com o o rosto enterrado no meu pescoço, conseguia sentir o maior dali cheirando aquela parte, o que me causava alguns arrepios.

— Okay, você venceu, mas não tira o fato que você tirou meu bv, e agora meu bvl.

— Ainda não acredito que você nunca tinha beijado de língua, pra uma primeira vez foi mais que ótimo – deixou um selar no meu pescoço. - Você tem um cheirinho de bebê tão bom.

— Obrigado, e eu sei que tenho cheirinho de bebê, eu uso Johnson´s baby – ele voltou a rir, ainda com o rosto enfiado na curvatura do meu pescoço – Aigoo, isso tá me deixando arrepiado Woojin – reclamei.

— Eu sei – ele riu novamente – Talvez seja essa a intenção.


Notas Finais


qUAL O Maior OTP e por que Jinseon/wooseob?
PORQUE ELES SÃO LINDAMENTE FOFOS E LINDO E EU AMO MUITO
pena que agora eles não estão mais juntos, mas a gente segue o baile assim mesmo
Espero que tenham gostado desse cap. eu fiz o Hyungseob do jeitinho que eu imagino aquela criaturinha, com cheirinho de bebê e ainda mais, com carinha, já que man, ele tem muita cara de feto, sonho de vida ter Seonho e Hyungseob como meus filhos, só sonho tbm, sortuda é a mãe verdadeira deles, tenho inveja dela.
po gente é isso, até o proximo
beijinhos szsz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...