História Mariana - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 6
Palavras 1.451
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Mutilação
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - Roman


Fanfic / Fanfiction Mariana - Capítulo 3 - Roman

Sou Roman trabalho como segurança há algum tempo, mas especificamente em uma agência de seguros. Um dos meus superiores me chamou em uma sala e fiquei meio assustado, uns funcionários tinham sido mandados embora e eu estava apreensivo.
Quando entrei havia um homem com ele.
Alto, forte que me acenou.
-Roman esse é o senhor Elanos, ele gostou dos seus serviços e quer lhe fazer uma proposta. Aceite isso como uma promoção. Por agradecimento pelos seus serviços.
Falou meu chefe saindo e o senhor Elanos me indicou a cadeira.
Sentei.
-Seu chefe Falou muito bem de seus serviços e gostaria que trabalhasse pra mim, mas na área de segurança particular. Estou precisando de alguém para amanhã. Você entrará no lugar de uma pessoa lá. Posso contar com você? Te passo o endereço depois por mensagem.
Falou ele me olhando.
Balancei a cabeça feliz.
Eu estava sendo promovido.
-Vou falar com quem na casa? Perguntei direto, não gosto que enrolem.
Ele me olhou sorrindo.
-Bom falará com a senhorita Hallsted. E terá que usar social.
Falou ele ainda com ar de riso.
Bufei mais aceitei e curioso perguntei.
-O que houve com o qual irei substituir?
Ele se levantou e começou andar pra cá e pra lá.
-Foi mandado embora por justa causa. Foi pego roubando e foi preso. Também insultou a dona da casa.
-Uau!!
Eu falei e ele riu.
-Bom te mando o endereço por celular, aqui está meu número.
Falou ele me dando o seu cartão.
Então meu chefe entrou na sala e falou.
-Se você aceitou, pode arrumar suas coisas e ir embora.
Falou ele apertando minha mao.
-Obrigado senhor.
Falei apertando sua mao e saindo da sala dele.

Arrumei minhas coisas, me despedi de algumas pessoas e fui embora.

Quando cheguei em casa, logo procurei uma roupa social preta e meus documentos e fui tomar banho.
Nunca me imaginei trabalhando para uma família, mas ele me disse que eu trataria somente com uma pessoa. Espero que ela não seja chata e nem mimada.
Tomo banho, tenho que voltar pra academia. Saio com a toalha enrolada na cintura e vou caçar algo para comer.
O bom de morar sozinho é que posso fazer o que eu quiser, a hora que eu quiser.
Como teria que estar no endereço logo cedo, não sai. Como costumo fazer nas minhas folgas.
Pedi três pizzas meio a meio e cacei algo na netflix pra ver.
Por volta das 23h00 horas fui dormir.

Sábado de manhã acordei com o celular tocando as 06h00. Como não sabia onde era o endereço ainda, não quis chegar atrasado.
Levantei, tomei banho, enquanto a cafeteira fazia seu trabalho, arrumei minha cama e coloquei minha roupa na máquina. Tomei café e fui me trocar.
Peguei a pasta e os documentos e sai trancando tudo e indo em direção ao carro.
Entrei no carro e vi a mensagem, o endereço era meio longe, uns 40, 50 minutos de casa.
Coloquei o endereço no GPS e fui embora.
Para minha sorte não peguei trânsito no caminho.

Quando cheguei vi que era aqueles bairros nobres da cidade com suas casas enormes. Mas quando cheguei a casa do endereço, abri minha boca.
-Isso parece mais um forte.
Muros altos, cercas elétricas, câmeras e também ouvi latidos.
Estacionei o carro embaixo da frondosa árvore ali, me ajeitei , peguei a pasta, sai do carro ligando o alarme.
A casa intimidava.
Fui até o portão e apareceu um homem forte cabelos grisalhos e barba que me olhava de cara fechada.
-Bom dia.
Falou ele.
-Bom dia. Me mandaram para o lugar do antigo chefe de segurança.
O homem me olhou mais um pouco e abriu o portão saindo.
-Tem algum papel ou documento?
Abri a pasta e lhe entreguei o papel.
Ele olhou e me mandou entrar.
Eu entrei e ele me revistou.
-São ordens!
-Tudo bem!
Ele só estava fazendo o trabalho dele. E confesso que eu numa casa dessas revistaria até os donos.
Enquanto eu pensava na casa ele falou.
-Não encare os cachorros.
Eu olhei.
Eram cinco que ficavam em um espaço. Todos policiais.
Acenei a ele e fomos andando até a casa. Ele abriu a porta e entramos.
Estranhei que na porta não havia degrau.
O chão era reto, mas não liso. Enquanto eu olhava o chão e a porta,o homem a minha frente falou.
-Espere aqui.
E saiu pelo corredor a fora.
Eu olhava tudo ao meu redor. A parede branca, lisa não tem fotos na sala, somente quadros, vários quadros, lareira, mesa de centro, alguns vasos de plantas,sofá branco, uma TV grande e um piano.
Também há uma escada parecendo longa.Quando me sentei no sofá, que parecia couro, ouvi vozes e passos.
Quando olhei em direção ao corredor, vi dois homens de preto. Mas não era social. Bufei mas não demonstrei.
-Bom pelo menos é pontual. Bom dia.
Fala uma voz saindo de trás de um dos homens me olhando.
Uma garota bonita. Rosto bonito. Cabelos coloridos e belas pernas.
Vi que ela também me olhava.
-Perdoe-me por não levantar. Fala me olhando.
Fico quieto.
Por isso a porta não tem degraus.
-Fique no meio da sala.
Estranhei mais fui. Ela começou a me rodear e ficou muito tempo olhando minhas costas. Ou seria minha bunda?
-Qual seu nome?
-Roman Adams, senhorita Hallsted.
Falei e ela sorriu.
O que deixou o rosto lindo.
-Augusto mandou você. Sente-se!
Não sabia se era esse o nome dele mas sentei.
Enquanto me sentava novamente ouvi barulho de saltos e o rosto da ruiva a minha frente mudou.
-Bom dia a todos.
Falou uma mulher muito bonita.
Todos responderam menos a ruiva.
-Faça sua reunião em outro lugar da casa, meu marido irá receber visitas. Regina coloque a mesa para o café.
A mulher loira falou saindo e a ruiva cruzou os braços.
-Vamos para a ....
Ela começou a falar e uma voz a interrompeu.
-INÚTIL!!
Gritou uma loira descendo as escadas e me olhando.
-Homem novo e gostoso, que infelizmente não vai durar muito. Querido se ela maltratar você suba as escadas e entre na 3 porta a direita e ...
-Filha vem tomar café e chame seu pai.
Falou a outra mulher loira.
-Bill leve-o para a biblioteca. Falou a ruiva, o tal Bill me acenou e uma moça de branco foi até ela.
-Se acalme!
-Estou acostumada!
A ruiva falou.
Segui Bill pelo corredor, vários quadros e várias portas.
Que casa comprida!
Pensei.
Nisso vi um homem musculoso saindo de uma sala que nos acenou e saiu.
Continuamos andando e Bill parou em frente a uma porta grossa e pesada e a abriu.
Aquilo era enorme com muitos livros e ouvi gritos.
Entramos e olhei Bill e o outro homem que falou.
-É normal! Vai se acostumar!
Ele falou e a ruiva e a mulher de branco entraram na biblioteca.
-Bom senhor Adams, Bill e Aaron vão vigia-lo por um tempo, acho que sabe o motivo.
Falou ela e acenei com a cabeça.
-Terá total acesso a casa.
Ela fala e suspira.
-Você conheceu Mônica, a mais velha e Érica, a birrenta. No almoço conhecerá Sérgio e Lucas.
Ao fundo da propriedade tem uma casa para os empregados, lavanderia, churrasqueira e a sala da segurança.
A olhei espantado.
-Fora de seu expediente poderá usar a pequena academia no subsolo e também a piscina. O valor que receberá esta no envelope, e eu sou Mariana Hallsted Calemanns. Alguma pergunta?
Perguntou ela falando o último nome com raiva e me entregando o envelope.
-Prefere começar hoje ou segunda?
Ela perguntou alongando o braço.
-Estou a sua inteira disposição, senhorita Calemanns. O senhor Elanos disse que só responderei a uma pessoa aqui.
-Sim, a mim. Mas senhorita Calemanns é Érica, me chame por Hallsted ou Mariana.
Acenei com a cabeça não entendendo.
-Meu Castelo é minha prisão. O Dragão tem que ficar preso, pois envergonha a família real. Bill lhe dará um papel com seus horários, memorize-os.
Falou ela estalando o pescoço e indo em direção a porta, falou.
-Os gritos são normais. Logo nem os ouvirá mais. Se começar hoje, pode ir em casa e trazer suas coisas, pode pedir ajuda a Bill. Cuidado com os cachorros. E o almoço é servido 12h30.
Falou ela olhando uma foto na parede, onde um casal sorria com uma menina nos braços.
As pessoas na foto estavam felizes.
-Vamos Barb, Heitor já chegou. Rapazes expliquem como funcionam as coisas aqui. Até.
Falou ela saindo a com a tal Barb que devia ser uma enfermeira.
Eu conhecia o nome Calemanns. O homem um empresário e a mulher mexia com artes.
Abri o envelope e quase soltei um grito. Os dois homens riram e saímos dali.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...