1. Spirit Fanfics >
  2. Marido de Aluguel (Jeon Jungkook) >
  3. II; aesthetic and intense.

História Marido de Aluguel (Jeon Jungkook) - Capítulo 2


Escrita por: e kooklittle


Notas do Autor


Olá, meus anjos, como vocês estão? Desculpa a demora, estava eu tentando criar um hot legal

Acrescentando aqui que o enredo está totalmente diferente de como era na minha conta antiga, dessa vez eu preferi deixar apenas como Twoshot para que não ocorra incidentes novamente, se é que estão me entendendo 🙁

Mas enfim, contém +18 e tudo não passa de ficção, espero que gostem e todos os personagens são maiores de idade. Boa leitura ❤️

Capítulo 2 - II; aesthetic and intense.



II; aesthetic and intense.

— Ah, é? — Percebo que o moreno morde os lábios disfarçadamente. Ele riu rouco e me lançou um olhar estético e intenso que me fez estremecer. — Tudo mesmo? — Mordeu o cantinho do lábio inferior.

Essa situação está me deixando tão constrangida que a minha única vontade era me enterrar naquele piso branco.

— Se importa se eu tomar um banho? — Tento mudar o assunto, desvio o olhar e passo a mão na nuca de maneira desconfortável.

— Tudo bem, enquanto isso eu acabo tudo por aqui. — Ele respondeu.

Certamente o mundo tinha uma certa conspiração contra mim, quando me virei para ir ao quarto acabei batendo os calcanhares quando pisei em uma pequena poça de água e acabei caindo de bunda no chão. Doeu e eu senti vontade de chorar, mas com certeza o nó em minha garganta era por vergonha e não por causa da dor.

Jungkook correu até mim e segurou meus ombros, posso perceber que ele está preocupado mas ele está se segurando para não rir de mim.

— Você está bem? — Permaneço quieta, ignorando a pergunta do rapaz. — Tome cuidado da próxima vez, venha, eu te ajudo.

E então, em um gesto de cavalheirismo o Jeon me ajudou a ficar de pé novamente e me abraçou de maneira indireta por mais alguns segundos para se certificar que eu não cairia novamente.

— Eu sou tão desastrada. — Coloquei as mãos no rosto tentando esconder o quão ele estava totalmente vermelho, eu estava prestes a me transformar em um pimentão maduro.

— Quer ajuda para chegar ao banheiro? — Eu não sei decifrar ao certo o tom de voz que ele usou, é uma mistura de preocupação e provocação, mas eu preferi acreditar que era mesmo um tom provocante. Olhei-o com cinismo. — O que foi? Você disse que somos amigos e muito mais que amigos.

— Cretino. — Ameacei bater em seu ombro e o vi encolher com um pouco de medo e receio. — Não adiantaria me levar ao banheiro se não vai tomar banho comigo, Jungkook.

Mas que merda??

O que diabos eu estou pensando?

— E quem disse que não vou?

O moreno logo tratou de me puxar com rapidez me fazendo soltar um gritinho assustada com tal atitude, não vou negar que gostei, mas preferi testar uma falsa reação de pânico naquele momento. O Jeon me prensou na porta da geladeira assim e me olhou perverso, intenso demais ao ponto de me fazer delirar, engolir em seco por um fogo que começa a subir por minhas pernas.

— O que foi, meu bem? Você ficou muda de repente… — Riu baixo e irônico que fez uma pequena pitada de raiva me dominar.

— Você é um marido de aluguel abusado, Jungkook. — Fecho os meus olhos quando sinto sua boca grudar em meu pescoço, inclino a cabeça para um contato mais direto que de certa forma me fez arrepiar.

— Não, eu não sou, você que é. — Dessa vez não consigo evitar de soltar um gemidinho quando seus dentes prendem a carne da minha mandíbula, ele espalha beijos e mordidas em toda aquela região. — Mas não se preocupe, eu vou adorar colocá-la na linha.

Me sinto estremecer.

A vontade de beijar aquela boca vermelhinha me consumia de maneira inexplicável, minha destra pousou em seu ombro enquanto a canhota foi de encontro com os pequenos fios da nunca do rapaz, o contato visual coberto de trevas e luxúria era tão delirante. Deslizei meus dedos até a clavícula desnuda por causa dos primeiros botões do macacão laranja abertos, sentindo aquela parte bem desenhada com atenção, cada mínimo detalhe do coreano era viciante e de alguma maneira, sufocante.

Eu o beijei.

Sua boca macia em contato com a minha me faz bambear as pernas e eu segurei os braços musculosos do Jeon para me manter equilibrada, mas isso me fez falhar ridiculamente quando ele invadiu a língua quente por cada mínimo cantinho da minha boca, então eu abracei o seu corpo com rapidez e o coreano acabou me erguendo para que eu pudesse rodear as pernas ao redor do seu tronco. Eu pensei que ele iria me levar para o quarto ou algo do tipo, mas ele caminhou as cegas para o pequeno cômodo onde estávamos a minutos atrás, a área de limpeza e me deixou sentada sobre a máquina de lavar qual ele concertava até um tempo atrás.

Isso é tão peculiar.

— Confortável para você, amor? — Sua boca quente desceu de encontro ao meu pescoço e agora ele sugava aquela região com vontade e desejo. Apoiei meus braços em cada lado da lavadora e abri pouco das minhas pernas quando senti suas grandes e gélidas mãos apertarem minhas coxas com firmeza.

— Sim, Kook!

Eu nunca transei em um lugar que fugisse do conforto entre quatro paredes, talvez fosse por isso que eu não sentia prazer a um bom tempo, eu precisava conhecer coisas novas e estar ali naquele cômodo pequeno e um pouco abafado já me fazia sentir o líquido pastoso invadir minha calcinha. O Jeon está começando a suar e a euforia no corpo másculo está presente, ele não consegue esconder, tampouco controlar. Suas mãos deslizam ferozmente pelas curvas do meu corpo e logo ele consegue tirar a peça principal do meu corpo, o vestido curto e velho de cor rosa, agora me deixando apenas com a lingerie da mesma cor citada, mas a renda deixa-a um pouco mais chamativa.

— Tão gostosa…

Jungkook me faz delirar com o cheiro forte, cheiro de homem… Eu estava amando tudo aquilo. O soar dos nossos gemidos em sincronia era tão agradável.

— Esse macacão cai tão bem em você, Jungkook.. — Observei o tecido laranja e senti meus olhos arderem por tamanha perfeição, a peça ficava um pouco apertada no seu corpo definido e eu notei um certo desconforto pelo órgão que cresce rapidamente no meio das suas pernas. — Tire para mim, amor, quero guardar essa cena na minha memória.

Ele me olha um pouco espantado.

— Por que você não vem tirar? — Morde o cantinho do lábio inferior e em segui sorri sapeca.

Filho da puta!

Me aproximo lentamente do corpo alheio e pouso minhas mãos no primeiro botão do uniforme e enquanto meus dedos brincam ali eu mantenho um contato visual penetrante com ele, suas íris estão um pouco mais escuras que o normal e as pupilas estão dilatadas o suficiente para me mostrar que ele está completo e repleto de luxúria. Me surpreendo quando a peça cai aos seus pés e o Jeon não estava usando cueca, seu pau rígido e grande saltou para fora e me fez salivar querendo provar aquilo.

— Eu posso te chupar, Kook?

— Só se você fizer gostoso. — Acaricia lentamente minha bochecha, suas palavras me intimidam de maneira inexplicável, cada simples ato me faz tremer. Deslizo as mãos pelo tórax definido e sinto cada gominho do abdômen bem trabalhado na palma da minha mão, o corpo do rapaz é deveras delicioso e eu tenho vontade de beijar cada minúsculo cantinho dele.

Dobro os meus joelhos na cerâmica branca e gelada, levo minha mão direita até a extensão peniana do homem a minha frente e o ouço suspirar com esse simples toque. A esquerda permanece a coxa musculosa do rapaz e eu aperto um pouco ali em uma tentativa de amenizar a tensão do meu corpo.

Deixo um pequeno selar na glande rosadinha e um pouco inchada antes de colocar tudo que consigo na boca, minha mão masturba o resto da extensão peniana e vez ou outra massageava os testículos rosados dele; eu consigo perceber que Jungkook gosta do que eu faço. Minha boca faz movimentos vaivém deixando seu pau molhado e escorregadio, Jungkook está prestes a ir à loucura, seus joelhos estão tremendo e os gemidos roucos saem instintivamente dos lábios do homem.

— Gosta assim, Kook? — Sorrio provocativa para o homem que quase entrava em êxtase, tirei a boca do seu pau e o vejo resmungar irritado, parece que ele estava prestes a gozar e quando parei de chupá-lo foi uma tortura para o maior.

— Filha da puta.

Me apronto em ficar de pé e abraço o corpo másculo e suado e ele logo trata de levar uma das mãos até os meus cabelos puxando-me para atacar os meus lábios com volúpia e vontade. Nossas bocas brincam em ritmos descontrolados e acelerados, a sua língua quentinha me faz tremer quando está em contato com a minha. Seu beijo é viciante, sua boca tem um encaixe maravilhoso com a minha e acaba deixando tudo mais gostoso com a conectividade.

Seus braços bem trabalhados me viram com frivolidade deixando-me prensada na máquina de lavar, suas mãos brincam no fecho do meu sutiã e em poucos segundos a peça já estava fora do meu corpo. Os enormes dedos do coreano brincam com meus biquinhos rígidos me fazendo morder os lábios tentando não gemer com o contato tenebroso.

— P-Por que você não me fode logo, Kook? — Clamei por piedade. Minha boceta estava pulsante e toda melada pelo pré-gozo.

— Então fica empinadinha para mim, porra! — Sussurrou rente ao meu ouvido e em seguida mordeu o lóbulo da minha orelha, fazendo-me instintivamente fechar os olhos pela sensação frívola que me percorre ligeiro.

Fico na posição pedida deixando minha bunda empinadinha em direção a ele e posso ouvir ele murmurar um “gostosa” antes de rasgar a calcinha com brutalidade e jogar aquele tecido recém estragado em qualquer canto por aí.

— Você é deliciosa em todos os sentidos, garota.

Colou o corpo ao meu, uma das suas mãos apertaram firmemente minha cintura quando a outra segurava o pau grande guiando o membro na minha entradinha molhada. Soltei um gritinho quando ele me invadiu sem aviso prévio, ouço ele rir atrás de mim e em seguida gemer arrastado, puxando o ar entre os dentes. Rebolei pedindo para que ele começasse logo e assim ele fez, mas consequentemente ele fazia movimentos fracos tentando e conseguindo me torturar.

— M-Mais rápido, Jungkook!

— Pede com jeitinho, florzinha. — Continuou na mesma velocidade, mas dessa vez parecia estar um pouco mais lento. Merda!

— Kookie, m-me… fode fundo e forte, por favor.

O moreno atende ao meu pedido e agora o pau rígido me invade com rapidez, o quadril do moreno se movimenta ligeiramente e posso sentir batê-lo no meu pontinho de prazer e isso me faz gritar, sem dar importância para mais ninguém. Naquele momento uma bolha envolvia eu e ele, estávamos no nosso mundinho ofegante e realmente não nos importamos com mais nada ao meu redor.

Minha boceta contrai rente ao pau quente e latejante do moreno e isso é bom para mim e para ele, sinto minhas pernas perderem um pouco o equilíbrio e me apronto em segurar com firmeza cada lado da lavadora onde eu estava apoiada.

Meu corpo enrijece e eu já não posso ouvir mais nada, é como se eu estivesse entrando em uma espécie de paraíso, a sensação que o meu corpo tem é de extremo prazer e contentamento e a cada segundo isso fica mais intenso, mais profundo. O Jeon puxou meus fios sedosos para que minha cabeça se encaixasse na curvatura do seu pescoço suado e quando sua boca gostosa vai de encontro com a minha pele úmida é o ápice para mim, tenho um orgasmo que me faz, por um momento pensar que estou flutuando sobre as nuvens e essa sensação é deveras satisfatória, gozei no pau que ainda está em movimento dentro de mim.

Minhas pernas já estão mais intensamente fracas e o Jeon se apronta em me segurar firme pela cintura, então depois de me estocar por segundos breves, sinto o líquido quente viscoso me invadir e é tão gostosa a sensação de preenchimento, estamos ambos eufóricos e a respiração descontrolada parece não ser o suficiente para os nossos pulmões. Me viro de frente para o moreno e laço meus braços em seu corpo definido e agora acelerado, inquieto, e meus olhos vão de encontro com os dele, que ainda permanecem com aquele brilho que me deixa tão encantada.

O Jeon me beija calorosamente, mas dessa vez era algo tão delicado e eu consegui pouco me acalmar, nossas bocas deslizam em sincronia e isso é tão harmônico.

— Porra, você quase me deixou louco! — Beijou a pontinha do meu nariz em um gesto carinhoso.

— Eu que devia dizer isso, mas tirando o “quase” da frase, você me deixa louca, Jungkook.

— Ah, é? — Sorriu, fico um pouco espantada ao ver o moreno corar lentamente.

— Você é perfeito.

— Você é mais ainda. — Colou nossas testas. — Espero que me chame para concertar o seu chuveiro da próxima vez, S/n, eu iria adorar fodê-la enquanto a água quente cai sobre nós.

— Farei isso com todo prazer, se é que me entende. — Rimos.

Que loucura!

Eu havia acabado de foder com o cara que veio concertar a minha máquina de lavar e isso foi tão gostoso que eu não pensaria duas vezes antes de chamá-lo novamente para trabalhar em meu apartamento.

Eu estou tentada por você, Jungguk, em tão pouco tempo.


Notas Finais


E aí? Queria colocar um pouco mais de conteúdo mas eu realmente não consegui, então espero muitíssimo que tenham gostado do hot dessa maneira.

Essa última frase do Jungkook me fez ter algumas ideias para bônus, me falem se vocês querem que eu trabalhe com mais um capítulo!

A capa novinha e maravilhosa feito por essa pessoinha incrivelmente incrível: @bigwanjeog ❤️😍

Enfim, amo muitíssimo vocês, obrigada por por todos os favoritos e os comentários do capítulo anterior ❤️

Meu perfil: @gguktiti


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...