História Marido Dominador - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Casal Gay, Dominador, Fetiche, Gay, Maduro, Marido, Novela, Pés, Romance
Visualizações 180
Palavras 2.143
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drabs, Famí­lia, Ficção, LGBT, Policial, Romance e Novela, Saga, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Capítulo 1 - Tarde tradicional


Fanfic / Fanfiction Marido Dominador - Capítulo 1 - Capítulo 1 - Tarde tradicional

Somos casados a 1 ano, tenho 23 anos e meu marido 43! Homem alto, forte, olhos azuis, bastante robusto, cabelo baixo(Loiro). Moramos na cidade de EverWood no Novo México em uma casa afastada da cidade, meu marido não gosta de ambientes urbanos! Ben(Meu marido) é xerife! Ele sempre foi um homem com pouca paciência, ao me casar com ele tive de me adequar a algumas de suas regras!

 1 - Não o incomodar quando assiste TV! 

 2 - Deixar sua farda pronta sempre antes do trabalho(Ele saía por volta das 8 da manhã e retornava as 6 da tarde! No almoço as vezes levo sua comida no escritório, as vezes ele mesmo vem pra casa comer.) 

3 - Lavar suas roupas de maneira que fiquem macias!(Meu marido odeia quando as roupas fazem seu corpo coçar.) 

4 - Tirar seus sapatos sempre que ele chega!(Caso eu não fassa ele mesmo me manda pois diz; " Eu trabalho o dia todo então você tem a obrigação de fazer isso pra mim. "

 5 - Fazer massagem sempre que ele pedir(Isso ele nem precisa mandar! Adoro fazer massagem nele! Sentir suas costas, sua respiração ofegante. É um momento no qual posso me deliciar com sua rara calmaria.)

 6 - Obedecer seus desejos na cama(Meu marido é um homem bem ativo na cama, não posso reclamar do nosso sexo! Ele sempre me satisfaz, mais o que ele gosta mais é de me dominar! Vezes até depois do trabalho ele chega com seus desejos sexuais aguçados e eu tenho de acatar suas ordens ou a consequências! Caso eu não cumpra, ele se torna mais frio, distante, mais impaciente que o normal.)

 7 - Colocar comida, levar água onde ele estiver, e fazer coisas que ele gosta de comer sempre que ele me mandar!

 8 - Não o acordar cedo nos fins de semana! Ele trabalha de segunda a sexta-feira, portanto no sábado ele dorme até tarde, caso eu o acorde tenho que tolerar um homem mal humorado o dia todo! E já é difícil aturar um marido dentro de casa o tempo todo!

 Eu acho que já citei todas as regras dele, mais meu marido sempre cria novas, portanto caso apareçam mais eu vou inserir na narrativa! Quero escrever aqui nosso convívio diário para que vejam como é ter um marido que te ama de maneira mais rude, um marido que você tem que servir e adorar! Um marido dominador mais acima de tudo que eu amo mais que qualquer coisa no mundo. 

 Início... 

 Já eram quase 6 da tarde e eu esperava meu marido chegar do trabalho, estava preparando seu jantar pois como de costume não queria contrária-ló de maneira nenhuma! Mal podia esperar pra que ele chegasse, queria tanto dar meu tradicional beijo de boa tarde! Sentir sua boca rude, de contornos retos, quente! Seu rosto que sempre me fazia cócegas com sua barba por fazer! Ah eu queria tanto isso pois mais cedo ele estava com pressa e não me beijou como sempre fazia antes de sair para trabalhar. Enquanto cozinho minha tradicional galinha a bolonhesa(o prato que ele mais aprecia.) Ouço nossa caminhonete chegando. Ele abriu a porta e logo entrou, deixando seu chapéu no porta casacos ao lado da porta, como sempre fazia! Eu rapidamente apaguei o fogo e fui lhe dar um beijo! Me aproximei dele, ele sorriu rapidamente! Então coloquei minhas mãos em volta de seu pescoço(Tão quente estava) e o beijei, primeiro seu lábio inferior, depois sua boca por um todo, pude finalmente sentir aquilo que tanto desejava! Tão molhado e acolhedor. Coloquei minhas mãos em seu rosto e comecei a ter contado com sua quase barba! - 

Foi tudo bem hoje?(Perguntei) 

 Ele envolveu suas grandes e fortes mãos em minha cintura e completou com voz calma, baixa e rouca.

 - Nunca esteve tão calmo! E como foi o seu dia? 

 Sorriu de maneira carinhosa. 

 - Ah, você sabe! Lavei as roupas, arrumei nossa casa, e esperei você chegar. 

(Disse com voz calma) -

 Que bom. 

(Disse ele voltando a me beijar, de maneira mais rústica, apertando minha cintura contra seu corpo.)

Podia sentir seu cinto encostando em minha barriga de maneira desajeitada. Ele então tirou minhas mãos do seu rosto e tirou as suas de minha cintura! Então se afastou de mim se sentando no nosso sofá! Esticou as pernas! Ele esperava que eu fizesse o ritual diário de retirar seus sapatos antes que ele se dirigisse pra cima para tomar banho.

 - Amor, porque não toma banho?

 (Questionei vergonhoso pois sinceramente estava com preguiça de me ajoelhar diante dele como todos os dias.)

 - Eu to mandando você tirar minhas botas e não vou falar de novo!

 Ele respondeu. De maneira a começar uma leve irritação. 

 Logo com medo de sua reação caso eu não o obedece-se me ajoelhei diante dele! Me sentia dominado nesse momento, como se ele tivesse controle total sobre mim, como se ele fosse um rei e eu um mero súdito que se ajoelha em sinal de respeito para com seu superior. Pude então observar as mesmas botas para as quais olhava de manhã, quando arrumava sua farda e a tarde, mesmo momento no qual estava vivendo agora! Eram botas de couro sintético pretas! Semelhantes a botas militares, porém de cano baixo, cadarços também negros e não tinham marcas de uso pois ele cuidava muito bem delas além de eu engracha-lás uma vez por mês(A seu mando). Coloquei então minhas mãos em seu pé esquerdo, pude sentir o coro da bota em minha mão e desamarrei o cardaço de maneira rápida! Então coloquei minhas mãos, uma na sola de sua botas, outra na ponta, para que eu pudesse puxa-lá(Tira-las sempre me irritou pois muitas das vezes eram difíceis de sair.) 

Então puxei e depois de algumas tentativas ela finalmente saiu! Ele suspirou profundamente como de costume!(Imagino que pelo alívio de ter os pés livres daquela confirmação de 13 horas seguidas, andando pela delegacia, indo de casa em casa acompanhando casos, etc. Coloquei a bota em meu colo e fiz o mesmo procedimento no outro pé, lhe arrancando mais um suspiro. 

Me levanto com suas botas em minhas mãos e digo; 

 - Pronto! 

 Ele se levanta e diz de maneira rude;

 - Vou tomar banho! Pode servir meu jantar! 

Ele sai e sobe para o nosso quarto para tomar banho! Eu aguardo uns minutos e quando ouço o chuveiro sendo ligado vou em direção ao nosso quarto, para guardar suas botas e pegar sua farda que com total certeza estaria jogado rente a porta do banheiro, calça, cinto, cueca, blusa da farda, blusa branca que ele sempre usava por baixo e suas meias negras! Tamanha era minha certeza que se concretizou, o cenário que eu descrevi estava na minha frente! Tudo jogado, como sempre eu me sentia um servo com essas ações que era obrigado a fazer. Coloquei suas botas no chão e logo me ajoelhei encaichando suas meias nelas, como um bom servo que organiza as coisas de seu senhor! Logo peguei sua cueca e atirei na cama(Pra lavanderia/Pensei), peguei sua camisa branca e atirei junto a cueca! 

Ela teria o mesmo destino! após isso peguei o restante, calça, cinto e camisa da farda de uma vez só com uma das mãos peguei novamente suas botas e as coloquei no canto do quarto junto aos seus outros sapatos! Aproveitei o momento e peguei seus chinelos e os coloquei na porta do banheiro, para que quando ele saísse pudesse calça-lós e se dirigir a mesa de jantar. Dobrei sua farda e a coloquei no porta casacos do quarto, já a cueca e a camiseta coloquei no cesto de roupas sujas, perto do banheiro! Deixei nosso quarto e fui para a cozinha preparar o prato do meu marido! Coloquei a galinha de maneira farta porque imaginava que ele estava com muita fome! Então ouço passos lentos descendo as escadas! Ele estava bem a vontade, um short preto e chinelos, como ele sempre ficava todas as tardes! 

Meu marido era dono de um corpo muito gostoso, peito largo, com poucos pelos no meio de seus peitos mais que já eram o suficiente pra demonstrar sua masculinidade viril! Barriga levemente definitiva, isso era mais perceptível quando ele estava recostado na cama! mamilos bem vermelhos, braços fortes e mãos repletas de veias que saltavam. Pernas bastantes grossas e pouco peludas! Pés tamanho 43, fortes, bem cuidados, unhas perfeitas e dedos bem retos, também repleto de veias que saltavam pela sua pele e era possível observar isso muito bem pois ele usava apenas sandálias de dedo! 

 Ele vem em direção da cozinha, bastante perfumado como de costume! Se senta na mesa e olha pra mim com feição serena e doce;

 - Eu tó morrendo de fome! 

 Falou tranquilamente. 

 Logo sorri pra ele e coloquei seu prato na sua frente!

 Ele fez um gesto de agradecimento e logo começou a comer! Coloquei um pouco de comida pra mim e também comecei a jantar! Ele me elogiava pela boa comida;

 - Você sabe como me agradar!

 Esses elogios, momentos em que eu o agradava de alguma maneira, isso me fazia bem, me fazia sentir que meu papel de esposo estava sendo cumprido de maneira adequada. 

Conversamos bastante durante o jantar, sobre o trabalho do meu marido, sobre planos para sairmos no fim de semana, etc. Apesar de ser um homem duro em alguns aspectos ele nunca deixou de me dar atenção e me ouvir. Ele comeu três vezes! Após o jantar servi um pouco de água pra ele! Ele tomou, se levantou e foi em direção a sala para assistir o jornal noturno como de costume! Ele se esticou no sofá. Logo fui na direção dele para ajeitar suas almofadas e fiz isso! Aceitei a primeira almofada em suas costas, após isso coloquei outra almofada como apoio de pés na mesinha de centro! Ele a usou dessa maneira, colocou seus pés sobre ele e esperava que eu lhe entregasse o controle como fazia de costume! Fiz isso e ele começou a ver TV! Sem trocar uma palavra. 

Então, lhe dei um beijo no rosto, suave, sua quase barba só fez o leve beijo se tornar mais agradável ainda! Após isso fui para a cozinha cumprir com minhas obrigações! Lavei a louça, limpei a pia e a mesa! Vez ou outra trocávamos algumas palavras nesse tempo! Como disse meu marido gosta de silêncio total quando assiste TV! 

Após uma hora vendo TV ele a desligou, colocou suas almofadas nos devidos lugares e se levantou bocejando! 

 - Amor, vamos pra cama?

 Ele me disse se aproximando da cozinha!

 - Pode ir querido, eu vou terminar de limpar a cozinha, depois tomar um banho e estou indo me deitar também. 

 Disse enquanto lavava a travessa onde a deliciosa galinha havia sido posta.

 - Tranca tudo? Disse ele subindo lentamente para nosso quarto!

 Concordei com a cabeça. 

 - Assim que eu gosto. 

 Disse em voz calma e rouca e logo depois desapareceu nas escadas da nossa casa. 

 Após cumprir com minhas obrigações no andar de baixo subi para nosso quarto. Meu marido já estava deitado na nossa cama, coberto com um cobertor pesado, de barriga pra cima, olhos fechados e feição seria, e um dos braços jogados para o meu lado da cama! 

 Após um banho longo saí e vesti meu pijama tradicional, mal podia esperar pata me deitar ao lado do meu marido, eu sempre gosto de repousar minha cabeça em seu peito e sentir sua respiração nos meus cabelos. Nesse momento o sinto perto de mim. E como ele parece cansado imagino que não queira transar, pois quando quer ele me espera recostado.

 Me sento na cama com cuidado para não acorda-ló e ele abre os olhos surpreendentemente.

 - Te acordei amor? 

 Digo me deitando e unindo meu corpo ao dele, o abracei e ele começou a afagar meus cabelos! A sensação era deliciosa! Podia sentir seu peito quente em meu rosto e suas mãos mesmo enormes, tão delicadas em meus cabelos. 

 - Não! Eu tava acordado. Me dá um beijo? 

Tirei a mão com que o abraçava e coloquei em seu rosto, logo virando meu corpo de maneira com que pudesse beijar sua boca! Fiz isso. 

Enquanto minhas mãos estavam repousadas em seu rosto áspero nos beijamos intensamente, ele enfiou sua língua na minha boca e eu a entrelaçei com a minha! Ele mordia meus lábios e eu os dele, o beijo molhado, doce e rústico do meu marido durou muito tempo, mais de 10 minutos! 

Mais de 10 minutos sentindo a boca que mais me excitava, a boca mais doce, rude, selvagem e macia que eu já sentirá. Após o longo beijo voltei a minha posição, minha cabeça em seu peito! O sabor e a sensação do beijo ainda perpetuava em minha boca. Meu marido apagou a luz do abajur e eu adormeci.   


Notas Finais


Espero que gostem! A avaliação desse piloto vai decidir se um próximo capítulo será postado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...