1. Spirit Fanfics >
  2. Marinero - Short fic, Justin Bieber >
  3. Silêncios que gritam "Adeus"

História Marinero - Short fic, Justin Bieber - Capítulo 1


Escrita por: Daemon_Lili

Notas do Autor


Oi gente, bom como sabem essa é uma história reescrita, fiz algumas adaptações e mudanças, originalmente foi postada no Wattpad e então estou trazendo para cá agora!

Boa leitura espero que gostem

Capítulo 1 - Silêncios que gritam "Adeus"


Fanfic / Fanfiction Marinero - Short fic, Justin Bieber - Capítulo 1 - Silêncios que gritam "Adeus"

Era noite, corrigindo, madrugada! Eram três horas da madrugada e cá estava eu, acordada superando o cansaço do dia apenas para esperar meu marido chegar da gravadora. Justin saiu hoje bem cedo, umas sete da manhã, passou em casa de tarde, pegou uma pasta e uma muda de roupa e saiu porta fora novamente. Se não me engano nesse processo ele disse bom dia, oi e tchau. Fazia quase um ano que era apenas isso, chegamos a fase em que o relacionamento esfriou, não o culpo de forma alguma, eu também foquei minhas energias em minha marca de roupas e Justin estava cuidando de sua gravadora. Apesar dos pesares sempre tentamos almoçar juntos ou somente dormimos agarrados, não pense que não tentamos conciliar nosso casamento com nossas vidas profissionais.

Chovia lá fora e as luzes de casa estavam apagadas, apenas o abajur e a TV iluminavam a sala, estava frio eu usava um vestido preto simples de seda, descalça e com meu cabelo cacheado preso em um coque frouxo deixando alguns fios caírem. Olhava fixamente para a mesa de centro, especificamente no envelope em cima dela, sentia ansiedade refletida em minhas mãos trêmulas e no balanço de minhas pernas. Deveria estar fazendo aquilo? Meu casamento era um sonho, a vida ao lado da pessoa que me amava era meu porto seguro, onde eu me apoiava e onde recebia motivação para seguir em frente. Não sou o tipo de esposa que espera o marido, não importa a hora que ele chegar, não mais, mas hoje é por um motivo em especial.

Era tirada de meus pensamentos pelo barulho do carro adentrando os portões. A porta é aberta revelando a silhueta forte e grande de Justin, ele entra e fecha a porta atrás de si com uma feição de confuso em seu rosto ele se encosta na parede cruzando os braços em seu frente de seu peito estufado, como se quisesse me intimidar, e honestamente eu não ligava para seus jogos, queria resolver aquilo e me deitar.

--Por que me esperou? Se for pra perguntar onde eu estava eu lhe digo logo: Reunião -- Ele disse dando de ombros, se encaminhou para subir as escadas já tirando seus olhos de mim.

--Está errado, Justin Bieber -- Me pronunciei com a voz baixa, me inclinei pegando o envelope, engolia em seco e sentia o nervosismo ao falar.

--Então por que está acordada até essa hora, Ashley Bieber? -- Ele questionava parando seu trajeto, finalmente colocando seus olhos sobre mim. Bieber, meu sobrenome de casada, nem mesmo conseguia senti-lo como meu, o carregava agora como se fosse uma cruz. Ele me olhava como se tentasse me ler, será que ele me conhecia? Ainda se lembrava de meus gostos, meus costumes, será que ainda tinha o mínimo de respeito por mim?

--Deveria ter deixado isso com sua secretária, me desculpe-- Dizia sem o olhar, entregando o envelope para o mesmo. Justin o pegou devagar, podia observar a curiosidade e confusão em seu olhar, sentimentos esses que logo foram substituídos por algo que eu descreveria como surpresa. Seus olhos percorreram a foto de si mesmo aos beijos com uma modelo, curvava as sobrancelhas ao continuar investigando afoito o envelope, achando extratos bancários que constavam uma série de compras caras de presentes, os quais eu nem mesma queria saber sobre o destinatário, viagens para locais que eu não fazia ideia, compras em bares boates etc...Não me leve a mal, não estava o espionando! Apenas queria entender o comportamento de meu marido e infelizmente eu descobri. 

--Ash...-- Sua voz saiu baixa, mas eu logo o cortei, não queria desculpas ou uma cena dramática de novela mexicana, queria sair daquele inferno. Não me importava se estava arrependido ou não, não me importava se era um mal entendido, queria apenas por um fim em meu casamento e nunca mais ver o homem que um dia me amou, isso sendo otimista, mas agora me causava tanta dor. –Não diga nada Justin, já está tudo certo, eu já entendi tudo. Você não está feliz no nosso casamento, e tudo bem é compreensível, eu também estou cansada disso – Dizia com uma voz pesada de cansaço, emocional e físico, me virava pegando uma caneta e um papel que estavam guardados comigo e estendi a ele. Seus olhos estavam perdidos e sua expressão de confusão se misturava com melancolia, não sei explicar o que via, por que ele queria continuar esse jogo de fingir que se importa quando sei que não? -- Nosso divorcio, só falta sua assinatura, quando fizer isso deixe o documento com meu advogado.

–O que lhe faz pensar que eu assinaria isso? -- Ele deu uma risada baixa, via sua tentativa de me enrolar com seu sorrio --Sente- se Ash, vamos conversar...– Dizia baixo e com cautela, diferente de outras vezes onde um Justin histérico e tentava impor sua opinião a mim.

–Você me odeia tanto ao ponto de querer que eu fique nesse casamento onde não tenho amor, atenção e nem mesmo respeito? – Dizia incrédula, Justin não era exatamente a pessoa mais caridosa do mundo, mas me negar o divórcio por egoísmo eu nunca imaginei. Apesar de tanto esforço para não ceder, acabei derrubando lágrimas, estava exausta daquela situação, exausta de chorar baixinho durante a noite o desejando ao meu lado. Minhas palavras pareceram fazer algum efeito sobre ele, que abaixou sua cabeça olhando o documento e apertando a caneta entre seus dedos.

--Me desculpe, o documento estará assinado e em suas mãos até amanhã – Ele disse por fim, seus olhar foi levantado até mim e o pude ver dando um suspiro pesado, aquilo talvez não estivesse sendo tão fácil para ele quanto eu  imaginei que seria, sei que temos uma história e que eu poderia continuar fingindo que nada estava acontecendo como vinha fazendo a alguns meses, mas eu não poderia, eu o amo mas me amo muito mais. – Sei que não tenho moral pra isso, mas peço que me desculpe por meus erros, eu fui fraco, e me deixei levar por momentos de felicidade temporária ao invés de lembrar que tinha você ao meu lado, eu sei que errei e por isso estou te perdendo agora. Eu me arrependo, não por causa do divórcio, e sim pelo sofrimento e desgastante que lhe causei, eu assinarei o divórcio assim como desejar, não vou insistir nisso pois sei que está decidida e eu não tenho o direito de a prender a mim.

Ele disse calmo e baixo, suas palavras me fizeram chorar de culpa, culpa por não conseguir perdoar e permanecer. Mas ao mesmo tempo feliz, por sua atitude e suas palavras, pensava em o responder algo, dizer que não queria que fosse assim ou qualquer coisa do tipo, mas me limitei apenas a murmurar um "Boa tarde" e subi as escadas em direção ao meu quarto, e não, não havia um nosso quarto a muito tempo.

Terminei aquela noite difícil e exaustiva olhando o teto do quarto que estava, não ouvia nem sequer um ruído na casa, não haviam sons de gritos ou de coisas sendo quebradas como eu imaginei enquanto arquitetava esse momento, por fim de deitei de lado abraçando o travesseiro, e para completar o pacote de coisas inesperadas da noite as lágrimas rolaram por meu rosto em mais um choro baixo abafado pelo travesseiro e ao som do silêncio de meu quarto.

 


Notas Finais


Obrigada por lerem até aqui, em breve teremos mais atualizações.
Se se sentirem a vontade para comentar algo a respeito eu fico agradecida


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...