1. Spirit Fanfics >
  2. Mario e Luigi: Destiny Bound >
  3. Capítulo 4: Um tempo pra descansar

História Mario e Luigi: Destiny Bound - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Vocês devem ter notado que demorou alguns poucos dias pra postar esse capítulo, mas é eu tive uns probleminhas em casa, mas já tá tudo resolvido. Não se preocupem, eu estou bem, mas eu acho que vou deletar o negócio de explicações, pois todo mundo já sabe os motivos de eu ter cancelado Mario X Castlevania. Bem, bora pra história!

Capítulo 5 - Capítulo 4: Um tempo pra descansar


Fanfic / Fanfiction Mario e Luigi: Destiny Bound - Capítulo 5 - Capítulo 4: Um tempo pra descansar

Todos estavam prestes a entrar na Odisseia, porém Cappy os informou que a viajem pra Hikari acabou desgastando muito ela e era nescessário algumas poucas Power Moons para ir até o próximo destino. O grupo já estava preparado para a busca, menos Luigi, que não queria ir caçar essas tais Power Moons.

Mario: Você vem, Luigi?

Luigi: Não, não! E-eu acho que vou ficar na Odisseia mesmo, sabe? É que não é muito minha praia e meu braço ainda tá machucado. Eu não vou poder usar o meu martelo ou executar alguns Bros. Attacks e...

Starlow: Ah, Luigi! Para de ser medroso! Você também precisar ir conosco, mesmo com o braço machucado. Você é o único capaz de executar os Bros. Attacks com o Mario, além de poder usar o Thundhand, algo que pode ser bem útil. Então você vem e ponto final!

Luigi: Mas... Bem... É que... Eu...

Abby: É que... Eu preciso que ele me acompanhe para eu me despedir do meu vovô, eu não tenho muita coragem pra dizer adeus a ele. Tipo, ele cuidou de mim a vida toda e me despedir dele é muito difícil, preciso de um apoio pra isso e o Luigi é a melhor pessoa que eu conheço pra isso.

Luigi: Eu sou...? Digo, é eu sou sim! Eu sou sim!

Peach: Oh, pobrezinha! Não sei nem o que dizer!

Starlow: Tem certeza, Abby?

Abby: Absoluta, estrelinha! Aproveitando e eu acho que talvez eu fique aqui com o Luigi e o Polterpup também pra cuidar da Odisseia. É que tem vários goblins que podem rouba-la embaixo dos nossos narizes. O que vocês acham?

Mario: (respira fundo) Ok! Talvez seja melhor vocês ficarem aqui pra cuidar da Odisseia e...

Abby: Valeu, Mario! Você não vai se arrepender, parceiro! Boa sorte na aventura!

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Depois de todos do grupo terem ido na busca por combustível pro seu dirigível, Luigi começou a ficar um pouco entristecido. Ele não queria ir com eles, mas algo dentro dele o chamava de covarde por não o acompanhar em algumas de suas aventuras por estar com medo de fracassar, com as vozes daqueles que o mal trataram na sua estadia no reino, sendo apenas a Abby que o tratou bem. A jovem caçadora logo nota a expressão de tristeza dele, e com um sorriso em seu rosto, ela pensa em algo que podia anima-lo.

Abby: Sabe o que eu faço quando estou deprimida?

Luigi: Hã... Não...?

Abby: Eu dou um passeio pela cidade! Vem cá, eu quero te mostrar algo!

Luigi: M-mas e os tais goblins que você falou?

Abby: Fala sério, o que eles iriam fazer com um dirigível? Eu só inventei isso pra poder ficar sozinho com você e pra eu poder te mostrar algo. Fora que eu vi que você não queria ir, então decidi te tirar dessa situação!

Luigi: E deixa eu adivinhar! Você tinha se despedindo de seu vovô antes?

Abby: É... Acertou! Vamos logo!

Depois de caminhar por alguns lugares, eles chegam no que parecia ser um playground, mas a jovem estava o levando pra um brinquedo em específico em formato de gato e com uma bandeira vermelha e branco no topo. Isso deixou o encanador verde ainda mais confuso, Abby então sobe em cima do brinquedo e chama o bigodudo, que, junto com seu cãozinho, o faz.

Luigi: Então... Pra que me trouxe aqui?

Abby: Lembra quando eu disse que eu, o garoto e a Espella tínhamos nos conhecido quando a princesa interceptou o conflito quando ainda éramos crianças? Então, foi bem onde ocorreu. Eu me lembro com clareza daquele dia... Aqui onde estamos sentados estava aquele mimadinho do Dante! Eles estava todo pomposo, dizendo que era filho do capitão da guarda real e que será o melhor de todos os soldados. E bem alí estava eu, perto da frente dele e... Eu acabei o chamando de mauricinho! He, he, he...

Luigi: Nossa, você era tão encrenqueira assim?

Abby: Ah, ele tinha me chamado de camponesa insignificante! Além disso ele era um moleque mimado que não sabia o que era limites. Mas continuando... Antes que nos dois íamos brigar, a princesa interrompeu o conflito na hora e deu uma lição no Dante, dizendo que soldados não podem se achar superiores, pois ainda são humanos e que eles tem que proteger esses camponeses insignificante. E foi bem aqui onde toda a nossa amizade começou e esse lugar era o nosso ponto de encontro quando criança.

Luigi: Bom, você teve seus motivos, mas não foi certo chamar ele de mauricinho! Seria bem mais fácil se vocês tivessem tido uma conversa civilizada.

Abby: Atá, fala o cara que briga com seu rival por causa de uma garota!

Luigi: O quê?!?! Não é verdade! É que... O Waluigi tem a tendência de sempre me irritar quando ela está entre nós dois.

Abby: Pra vê quem é o melhor pretende dela, né?

Luigi: N-não, é que... Hã... V-você tinha dito que a Espella interceptou a briga e falou algo de igualdade?

Abby: Sim, ela acreditava em um futuro onde todas as raças parassem de se comparar umas as outras. Ela queria que todos entendesse o quão importante foram as outras raças no período da guerra. Quero dizer, ela queria isso até agora!

Luigi: Nossa, ela deve ter sido uma boa pessoa!

Abby: E era, mas é que... (suspiro leve) Deixa pra lá! Eu não quero mais falar sobre isso!

Luigi: Entendo...

Ambos ficaram em silêncio por um tempo, até o Polterpup pular em cima de Abbigail e começar a lamber ela, com um intuito de anima-la. Essa situação fez Luigi começar a rir baixinho com a mão na boca, enquanto Abby começava a gargalhar. Ambos mudaram para uma expressão alegre em seus rostos, até bigodudo verde pegar seu cachorro fantasma e descer do brinquedo.

Luigi: Bem, é melhor voltamos pra Odisseia! O pessoal já deve ter pego as Power Moons e não vão gostar de ver que nos dois estavamos fora deixando-a exposta para os goblins roubarem.

Abby: Ha, há! Muito engraçado, mas tem razão! Vamos lá!


Notas Finais


Um clima bom (ou entediante, depende do ponto de vista) antes da viagem dos nossos heróis! E eu já tô até vendo o que vocês vão falar! Primeiro, teve muito diálogo sim, mas a fanfic é baseada em um RPG, e esse estilo de jogo tem muito diálogo, então não reclame, eu tinha dito isso muito tempo atrás; e segundo, onde estava o Polterpup na edição anterior (não que importe, mas vai que alguém reclama)?
Simples, ele não teve utilidade no capítulo anterior e eu não sabia onde o colocar, só isso. Enfim, eu vejo vocês no próximo capítulo, tchau!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...