1. Spirit Fanfics >
  2. Married With The Fame >
  3. Capitulo 1: O Encontro

História Married With The Fame - Capítulo 1


Escrita por: e Dreblack


Notas do Autor


Olá pessoal!
Esta é uma fanfic de minha autoria em parceria especial com a Dreblack, é a nossa primeira história juntas e a minha primeira aqui no spirit, esperamos que gostem das loucuras que bolamos juntas e por favor não esqueçam de nos dar um feedback sobre o que estão achar das nossas ideias por favor. Beijinhos.

PS: link do trailer estará disponível nas notas finais.

Capítulo 1 - Capitulo 1: O Encontro


Fanfic / Fanfiction Married With The Fame - Capítulo 1 - Capitulo 1: O Encontro

O Encontro 

 

 

Daenerys 

 

Após andar por horas a fio pelas ruas, finalmente percebo que a noite havia caído, eu estava começando a sentir fracos pingos de chuva caindo sobre minha pele, parecia um incentivo da natureza para fazer-me tomar vergonha, me recompor e ir para casa. No entanto esse lugar não existia mais, até isso Daario teve coragem de me roubar, aquele mentiroso, ladrão, pelos deuses, como eu o odiava agora,  estava me sentindo envergonhada demais para incomodar Missandei, segui pelas ruas com meus sapatos nas mãos, após ter retirado devido ao grande incômodo que o saltos causaram a meus pés, depois de horas de caminhada, meu lindo vestido de noiva, cujo eu demorei semanas para escolher estava com a barra suja, resultado do meu pequeno passeio noturno, mas não me importei, agora meu vestido de noiva não tinha mais serventia nenhuma, eu poderia doar, no entanto quem iria querer um vestido de noiva de uma mulher que foi deixada no altar? Eu com certeza não.

Escuto a buzina alta de um carro e me assusto ao perceber que ele freou bem em cima de mim, minha cabeça estava um completo caos, pois nem havia percebido que estava atravessando a maldita rua até esse momento, eu sigo após levantar meu vestido um pouco e subo novamente na calçada entrando no bar que havia me chamado atenção devido as grandes e iluminadas luzes prateadas "All Night Pub". Continuar andando sozinha pela rua não parecia muito seguro, talvez eu conseguisse um drink ou dois, talvez um pouco de álcool ajudasse a aliviar um pouco da dor em meu peito, esquecer nem que fosse por alguns minutos a maior humilhação da minha vida.  Atravesso as portas do pub e sigo meu destino para o interior do recinto e caminho entre as mesas para chegar ao bar, recebo vários olhares da clientela, que me observava como se eu fosse de outro planeta, ignoro cada olhar e sento-me em um dos bancos do bar largando meus sapatos ao lado.

— Uma dose dupla de tequila -- O garçom me serve e bebo tudo de uma vez sentindo a garganta e o estômago arder, sinalizo por mais e após a oitava rodada dupla espero pelo garçom que estava ocupado. 

 

— Não sou um expert em casamentos, mas não deveria estar numa igreja nesse momento ? --  A voz masculina ao meu lado surge em meio a música do local, me assustando.

 

— Eu estou onde deveria estar -- Respondo olhando pela primeira vez para o homem ao meu lado, percebo que ele é lindo, um pouco mais alto que eu, seus cabelo é uma bagunça de cachos negros selvagens, barba fechada, no entanto, o que me rouba o fôlego é o mar negro que são seus olhos.

 

— Noite difícil?-- Questionou olhando para os copos vazios no balcão. 

 

 

— Dia difícil – Digo soltando um suspiro frustrado, me lembrando de todas aquelas pessoas na capela me olhando com pena depois que descobrimos que Daario não estava atrasado ou sofrera um acidente como eu já estava começando acreditar, e sim, que tinha fugido do país com todo o meu dinheiro, sabe lá os Sete para onde. Dando mais uma olhada no estranho, sinto uma sensação estranha quase como um dejavu. -- Eu te conheço? Tenho a sensação que já te vi antes em algum lugar. – Eu indago. Ele me olha parecendo um pouco surpreso, então a sombra de um sorriso cruza seus lábios.

 

— Todos têm essa sensação -- Responde antes de virar seu whisky de uma vez e pedir mais uma dose — Está servida? – Pergunta educadamente balançando o copo em minha direção, faço uma pequena careta antes de negar com a cabeça.

 

— Não obrigada, na verdade para ser sincera, preciso sair daqui antes que o garçom perceba que não tenho um centavo para pagar o que bebi -- Minha resposta o faz rir e ele é tão bonito, mas a sensação de que o conheço continua a me perturbar, seus cabelos escuros e cacheados, amarrados, olhos cinzas, nariz pontudo e proporcional ao seu rosto mediano, sua camisa preta não deixa muito para imaginação, apertando seus músculos nos lugares certos, me fazendo perceber que ele realmente é um belo pedaço de mau caminho, que diabos, eu precisava lembrar da onde conhecia esse homem.

 

— É por minha conta, não precisa fugir eu pago todos os drinks que você tomou, para ser sincero você realmente parece está precisando, noiva em fuga -- Ele brinca e depois chama pelo Barman. Respiro aliviada por ter sido salva de um último constrangimento nesse dia infernal e aceito sua proposta, eu definitivamente não era o tipo de garota que aceitava que estranhos pagassem minha bebida, muito menos do tipo que bebe com eles, no entanto eu poderia abrir uma pequena exceção depois do dia de cão que tive hoje. 

 

— Geralmente eu não costumo misturar bebidas, mas foda-se, necessito disso – Explico e o Barman nos serve novamente, bebo o liquido de cor âmbar fazendo uma pequena careta com o gosto amargo.

- Aii meu Deus eu sou sua fã, na verdade nós somos, será que poderíamos tirar uma foto? – Uma mulher ruiva baixinha diz, ela estava acompanhada por um homem negro, alto e magro, os dois estavam cheios de sorrisos em direção ao desconhecido ao meu lado. 

- Sempre. – Jon responde sorridente. 

- Você poderia? A mulher pede entregando o celular na minha mão. 

- Tudo bem. –  Digo. Aponto o celular para eles, tento não me distrair com o sorriso arrebatador que o desconhecido abre, deixando a mostra seus dentes brancos perfeitos. Com certeza, eu não fui a única a notar sua beleza, porque a ruiva está praticamente babando ao seu lado. Bato duas fotos e devolvo o celular, antes de saírem eles repetem mais uma vez que são seus fãs e que não acreditam que conseguiram uma foto com ele. 

- Você é algum tipo de famoso? –  Pergunto quando seus fãs já foram embora, então ele me olha atônito.  

 

— Eu sou? Não sabe mesmo quem eu sou? -- Ele questiona e eu nego, o observando levantando do banco ao meu lado e seguindo pelo corredor de mesas — Vai ficar aí parada? – Ele indaga estendendo sua mão na minha direção, encaro o desconhecido que aparentemente todo mundo sabe quem é, menos eu. Mordo o lábio inferior enquanto pondero se é uma boa ideia segui-lo, então ele sorri aquele sorriso que roubou o meu fôlego alguns instantes atrás, finalmente tomo minha decisão.

 

— Tudo bem, não vou deixar você sozinho após ter pago minha bebida -- Falo levantando e tropeço no meu próprio vestido, após me recompor pego meus sapatos e o sigo enquanto ele me olha rindo. Apenas caminho atrás dele até as portas duplas no final do pub e descubro um novo pub dentro do pub, se é que isso é possível, descemos uma escadaria em espiral, após passarmos por dois seguranças enormes eu compreendo o que estava acontecendo a minha volta, é um local Vip e havia poucas pessoas diferentes do andar onde eu havia entrado, a música era um pouco mais baixa e a iluminação era prateada, havia um grande e oval bar espelhado repleto de bebidas com dois barmans  fazendo acrobacias incríveis enquanto preparavam os drinques, havia garçons servindo as mesas que possuíam uma boa distância entre elas, o sofá em volta das mesas do canto era estofado e no escurinho, enquanto nossos pés eram cobertos de fumaça falsa, eu nunca imaginaria que havia essa extensão do bar. 

 

— Ei lobo branco, você sai para atender uma ligação e volta com uma dançarina noiva ? -- Um homem nos para e eu quero responder a ele que não sou dançarina, mas quando um garçom surge com dois whiskys na bandeja eu me contento com a bebida,  me concentrando em esvaziar o líquido do meu copo e esquecendo o que ele disse. 

 

— Vem, vamos sentar ali -- O famoso que até o momento não consigo recordar, muito menos agora quando a bebida começa a nublar  a minha mente, pega minha mão na sua, seu aperto é firme e seus dedos são ásperos, apesar disso eu gosto de como sua mão se encaixa sobre a minha, eu só poderia estar ficando louca para estar sentindo esse tipo de coisa por um homem que acabei de conhecer, ele me leva até uma mesa vazia e sentamos lado a lado no estofado em torno da mesa, era confortável, admito. 

 

— Então, eu poderia saber qual é o nome do homem que salvou a minha pele pagando meus drinques? -- Questiono e vejo ele rir. 

 

— Jon Snow. – Ele responde, então eu puxo na minha mente de onde eu já escutei esse nome, me vem à cabeça a memória de Missandei me ajudando a montar a playlist do casamento, finalmente me atinge, então me lembro de todos os olhares sobre ele no bar, o casal pedindo uma foto com ele.

- Perdão, você quer dizer Jon Snow? Tipo Jon Snow, o cantor? – Pergunto ainda incrédula com a conclusão de que homem na minha frente é o cantor internacional, o novo príncipe do pop rock, por quem minha melhor amiga nutre uma pequena obsessão. Ele balança a cabeça confirmando o que eu acabei de perguntar, bebendo em seguida um gole de sua bebida, como se não houvesse nada demais em sua revelação. 

 

— Puta que pariu, Missandei não vai acreditar quando eu contar, vai dizer que eu delirei --- Falo o fazendo rir — Para de rir de mim Jon Snow, tive um dia difícil caramba.

 

— Então estranha, me fale o seu nome e me conte o motivo do seu dia ter sido difícil. --- Diz  me incentivando a falar, normalmente eu não beberia com estranhos e nem desabafaria, no entanto, depois de ser abandonada no altar, roubada, despejada e acabar com um  cantor famoso em um bar, só demonstra como esse dia de hoje não tinha sido nada de normal, na verdade, esse era o dia mais louco que tive na minha vidinha comum.

 

— Eu sou Daenerys Targaryen, e estou assim vestida de noiva nesse estado patético e bêbado, aceitando ajuda de um estranho no bar que acabei de descobrir ser uma estrela do pop rock,  porque o cretino, filho da puta, salafrário, com quem eu casaria hoje, me deu um golpe e me deixou esperando no altar, ele levou tudo que eu tinha e ainda me deixou sem casa, sem dinheiro e aparentemente levou com ele toda a minha dignidade também.--  Digo. Logo após isso começo a rir, já alterada pela bebida que tomei, quando paro de rir percebo que estava chorando também e que Jon não sabia o que fazer.

 

— Eu sinto muito – Diz, adotando uma postura condescendente em relação a minha dor, me fazendo sorrir enquanto limpo minhas lágrimas com o dorso da mão. Eu bebo mais, pelos deuses, eu me sentia no fundo do poço, tamanha a humilhação que Daario me fez passar.

- Você deve me achar uma fracassada agora né? Uma burra que caiu no papinho de um homem bonito, eu deveria ter desconfiado quando ele disse que fazia questão dele mesmo cuidar dos detalhes mais importantes do casamento, que homem faz isso? – Questiono me sentindo cada vez mais idiota quando penso em tudo que aconteceu. 

- Não, claro que não, escuta, eu não te conheço muito bem, mas você parece ser uma boa pessoa, tenho certeza que não merecia  o que ele fez para você, na verdade você deveria denuncia-lo o quanto antes para as autoridades, sabe lá quantas pessoas ele enganou, esse homem deve ser um golpista profissional. Só espere ficar sóbria para ir até a polícia, está bem? – Pede tocando minha bochecha com seu polegar, seu toque causa uma vibração estranha sobre minha pele. 

- Jon Snow, você acha que a polícia não me levaria nesse estado? –  Brinco me levantando, então me desiquilibro, mas ele é rápido em me segurar, rio feito uma idiota, sem nem entender porque.

- Melhor você ficar sentadinha aí enquanto eu peço uma água para você. –  Diz enquanto me senta de volta no sofá e faz um sinal para o garçom. 

- Eu não quero água, quero tequila. – Eu digo fazendo um biquinho com os lábios.

- Porque a gente não faz assim, você bebe uma água primeiro e depois eu pago quantas tequilas você quiser. – Ele propõe. 

- Tudo bem. – Respondo.

- Então o que te traz até essa cidade, Jon Snow? Sei que não é nenhum show, porque minha amiga provavelmente teria comentado comigo, eu já te disse que ela te ama? – Levanto o fazendo sorrir antes de responder.

 

Jon conta que veio para cidade relaxar e passar um tempo de qualidade com  irmão, cá estava eu tomando o tempo dele enquanto o irmão tinha que se contentar em dançar na pista de dança cercado de pessoas.

 

— Ele não parece se importar -- Jon me diz quando comento que seu irmão estava sem sua companhia e observamos o homem nem notar nossa presença na mesa dançando no meio de duas mulheres lindas. — Você precisa de companhia.

 

— Não me conhece, poderia me largar aqui -- Sugiro e ele nega pegando minha mão sobre a mesa e apertando.

- De jeito nenhum eu te deixaria sozinha aqui nesse estado, eu sou um cavalheiro. –  Fala me fazendo sorrir com sua gentileza, encaro seus olhos que apesar de bonitos, carregam uma sombra triste.

— Então Jon Snow conte-me o que te aflige, eu posso estar alterada pela bebida, mas consigo ver que não está feliz. – Questiono depois de beber todo o copo de água que o garçom me entregou.

- Às vezes é difícil ser quem eu sou, basta um rumor, um pequeno erro para as pessoas se sentirem dignas de te transformar em um vilão por causa do fim de um relacionamento, tudo mundo acha que me conhece bem, mas a maioria deles não têm ideia de quem eu sou de verdade. Sempre tem alguém apontando os meus erros, os expondo como se fossem um crime capital, como se o resto do mundo fosse perfeito e eu não me encaixasse nele, existem muitas coisas que eu amo na minha vida, coisas que a fama me proporcionou, no entanto existe muita merda nesse meio também, então é difícil ser feliz o tempo todo, como muitos acham que eu tenho que ser só porque tenho dinheiro. – Desabafa me pegando de surpresa, seu rosto adota um semblante magoado, eu sinto pena dele.

 

— Sinto muito Jon -- Falo apertando a mão dele em seguida, enquanto viro um shot de tequila que o garçom acabou de deixar na nossa mesa,  ele era tão eficiente que trazia duas doses para cada, deixando os dois copos reservas na mesa e levando os vazios, seguimos bebendo e conversando, rindo de nossas desgraças, até que Jon se ofereceu para pagar um quarto no hotel em que estava hospedado.

 —Escuta, você é muito bonito, gentil e engraçado, mas eu não vou dormir com você Jon Snow. – Eu digo adotando uma posição defensiva, eu poderia estar bêbada desesperada, ele podia ser tudo isso que eu acabei de dizer e muito mais, no entanto nada disso era o suficiente para mim, ir para a cama com um homem que eu acabei de conhecer, Jon era famoso e um belo pedaço de mau caminho, provavelmente as mulheres caíam em cima dele o tempo todo, mas eu não era uma dessas mulheres, ele ser famoso não significava nada pra mim, Daenerys Targaryen não era o tipo de mulher que fazia sexo sem compromisso com um homem que conheceu apenas algumas horas, e que provavelmente desapareceria da minha vida no dia seguinte como se a noite anterior não tivesse acontecido.

 

— Não pedi isso, eu só estava tentando te ajudar, você é igual a todos eles, já está tirando suas próprias conclusões sobre mim Daenerys, baseada no comportamento de outros  homens. -- Responde com raiva me deixando sem graça. 

 

— Desculpa Jon, eu...eu tô um desastre hoje, é só que.. eu também ajo como uma idiota as vezes.- Falo me desculpando e me aproximo mais dele no estofado em que estávamos sentados, pego a mão dele sobre a mesa a apertando — Você só tem sido gentil comigo desde o  momento que nós conhecemos, me desculpa mesmo Jon, Deuses eu sou uma péssima companhia, é melhor eu ir agora. Só para você saber, essa sua ex namorada não te merecia, você parece ser mesmo um cara legal. – Digo soltando a sua mão me levantando para sair, talvez eu conseguisse que o porteiro do meu antigo prédio me deixasse dormir pelo menos num banco na recepção, porque eu não iria incomodar Missandei nesse horário, sua colega de quarto nunca foi com a minha cara, e eu não queria envolve-la em problemas. Jon então segura me braço me impedindo de sair.

- Ei, também não precisa sair assim, você nem tem para onde ir, esqueceu? Só porque você teve um dia fodido eu vou te perdoar dessa vez, relaxa floco de neve, minha proposta ainda está de pé. – Ele diz e eu franzo o cenho quando o escuto se referir a mim com esse nome idiota.

- Floco de Neve? De onde você tirou isso? – Eu questiono e ele toca um cacho solto na frente do meu rosto. 

- Eu não sei, seu cabelo me faz lembrar um pouco do Norte, e você é toda pequenininha como um floco de neve. – Fala entre risos, eu acabo o acompanhando.

- Você só pode estar muito bêbado, para ter começado a falar coisas como essas. – Eu acuso e ele arqueia a sobrancelha em minha direção.  

- Eu não estou bêbado, você que está. – Retruca.

- Então prove. – O desafio. Eu poderia não conhecer esse homem direito, no entanto alguma coisa nele, no seu jeito simples e debochado, havia sido capaz de me fazer esquecer um pouco das minhas preocupações, até mesmo sorrir, o que parecia impossível nesse dia que fora repleto de desventuras em série.

- Como? – Ele pergunta. Seus olhos negros estão brilhando cheios de expectativas, aquela sombra negra finalmente tinha abandonado seus olhos, aparentemente eu também tinha o ajudado a se distrair de seus próprios problemas, saber disso me fez sorrir, uma vez que ele me ajudou tanto, me fazia feliz perceber que tinha feito ainda que de forma inconsciente, algo por ele também. 

- Duvido que você é capaz de dançar sem cair. – Eu desafio e ele solta uma gargalhada que o faz inclinar a cabeça e encarar o teto. 

- Você realmente não sabe quem eu sou. – Jon diz antes de me puxar em direção a pista de dança. Okay, isso não fazia parte do plano, entretanto não me sinto insegura, eu tinha feito semanas de aulas de dança para a festa do casamento.

Jon se mexia com talento na pista, eu tentava o acompanhar segurando uma parte do vestido com o braço direito. Quando a música mudou para uma com uma batida mais sensual, ele deslizou as mãos até a minha linha do quadril me puxando contra ele. Me deixo levar, soltando o vestido eu coloco meus braços envolta do seu pescoço, nossos olhos estão trancados um no outro, a forma que os olhos escuros de Jon me encaram fazem com que eu me sinta exposta, eu me sinto nua diante do seu olhar, nesse momento meu estômago dá um nó, apesar do tecido do vestido, que o impede de ter contato direto com a minha pele, sinto aquele local pegando fogo, então desvio o meu olhar do seu, virando de costas antes que faça alguma besteira, a respiração quente de Jon contra o meu pescoço só piora a situação, causado pequenos arrepios na minha espinha,  quando mexo o meu quadril contra ele no ritmo da música tenho a impressão de ouvi-lo soltar um pequeno gruído, suas mãos antes comportadas, agora estão deixando um rastro de fogo em cada parte do meu corpo. Eu deveria acabar com essa dança agora, porém ele me vira de novo para a frente, colocando o joelho entre minhas coxas e me puxando em direção ao chão, então subindo de novo para repetir o movimento mais uma vez, minhas mãos estão sobre seus ombros agora, e estamos tão próximos que nem consigo raciocinar mais direto, encosto o meu rosto contra o seu ombro, então aspiro com força o seu cheiro, pelos deuses, Jon é tão cheiroso, seu cheiro é forte como uma mistura de madeira, floresta, ele ofega com meu gesto e se afasta para encarar meu rosto, levantando a mão seus dedos traçam a pele do meu rosto com cautela, seu olhar é quase predatório, no entanto ele congela me desafiando a prova-lo, o olhar em seu rosto é claro, ele não vai dar o primeiro passo, eu ignoro cada pedacinho do meu cérebro que me avisa para não fazer isso e encosto meus lábios contra os seus fechando os olhos, sinto ele hesitar por alguns segundos antes de começar a mover seus lábios contra os meus, sua língua invade a minha boca com talento, explorando cada pedacinho dela com louvor, parando apenas para me incitar com pequenas mordidas sobre meu lábio inferior antes de iniciar tudo de novo, puta merda, Jon Snow realmente sabe como beijar uma mulher, eu penso quando ele cola nossos corpos subindo a mão direita contra a minha nuca puxando ainda mais minha boca contra a sua, roubando meu fôlego e meu juízo, nenhum homem me beijou assim antes, infelizmente me separo dele quando o meu pulmão começa a reclamar por oxigênio, Jon mantém um mão em minha cintura me segurando firmemente no lugar, agradeço mentalmente por isso porque minhas pernas estão moles feito gelatina.

— Eu acho .. acho que se você não fosse famoso e tivéssemos nos conhecido antes, provavelmente hoje seria nosso casamento Jon Snow – Eu brinco ainda com minha testa colada a dele, eu o ouço suspirar. 

— Teria sido um sonho casar com uma mulher tão bela Daenerys, eu com certeza nunca a deixaria no altar como aquele imbecil fez. -- Ele responde me fazendo suspirar — Eu adoraria ter me casado com você. – Digo o fazendo sorrir, beijando levemente os meus lábios antes de dizer: 

- E quem disse que a gente não pode? - 

 

 

.......

 

Observo o buquê em minhas mãos, logo depois de ter calçado meus sapatos ao sair do taxi, após uma da manhã,  que foi o horário em deixamos a boate,  Jon fez  seu segurança, cujo o nome eu nem lembrava mais, nos levar até uma daquelas capelas de casamento, desde então, eu estava rindo feito uma idiota, pelo fato de que eu estava aqui me casando após ter sido abandonada no altar, todo o álcool que eu consumi estava começando a me deixar tonta. As portas do salão da capela abrem e vejo ele me esperando próximo ao Elvis gordo, enquanto o som da marcha nupcial vinha de um teclado no salão, o irmão de Jon sorria na primeira fileira, nosso único convidado,  desvio o olhar dele e volto a prestar atenção no homem que me aguarda no altar, seu sorriso cresce a cada passo meu, não consigo segurar meu próprio sorriso, afinal era um momento e tanto, mesmo que um casamento de mentirinha, ainda assim era meu casamento e provavelmente o único que eu  teria por um bom tempo, solto uma risada alta quando pego a mão de Jon, aparentemente o Elvis não se importava quanto as nossas emoções. 

 

Já em sua frente, seguro o buquê com uma mão e a outra  mantenho segurando firmemente a mão dele, enquanto o Elvis gordo falava sobre amor, nos fazendo rir bobamente com o realismo da cerimônia.

 

— Jon Snow, você recebe Daenerys Targaryen como sua legítima esposa?  - O homem pergunta.

 

— Sim, eu recebo. – Jon responde brincalhão piscando para mim

 

—Daenerys Targaryen, você aceita...

 

— Aceito -- Falo o interrompendo e um flash de luz surge em nossas caras. 

 

— Eu precisava registrar esse momento -- O irmão de Jon diz animadamente, sacudindo o celular em nossas caras após interromper e volta ao seu lugar .

 

— As alianças -- O Elvis pede as alianças e quem nos entrega é o irmão de Jon, nossos anéis foram comprados junto ao meu buquê na lojinha da capela e elas eram bijuterias, mas eram fofinhas — Pelo poder a mim investido pelo estado de Essos e o distrito de Braavos, eu vos declaro casados, pode beijar .. 

 

Antes mesmo do Elvis terminar Jon e eu estávamos nos beijando intensamente, então mais um flash de luz surge durante o beijo, quando nos separamos eu jogo o buquê e o irmão de Jon o chuta caindo na risada e nos fazendo rir. 

 

— Robb não...

 

— Elvis tira uma foto nossa por favor -- O tal Robb fala pegando o buquê e Jon puxa-me pela cintura beijando meus lábios levemente. Eu sorrio no beijo ao ver seu irmão cheirando o buquê após ter tirado uma foto séria, ele estava tão bêbado quanto nós e estava se divertindo do mesmo jeito que meu novo marido e eu estávamos, isso era o nosso conto de fadas de uma noite, regada a muito álcool e fantasia, afinal nada disso era real, e tudo acabaria amanhã. 

- Quem quer champanhe? – Robb diz após estourar a garrafa que estava inclusa no pacote, pelo visto a noite estava apenas começando

 

 


Notas Finais


Isso é tudo pessoal!
Esperamos de coração que tenham gostado deste primeiro capítulo, aguardamos ansiosas pelo feedback de vocês e em breve estaremos de volta com mais um capítulo fresquinho.
Ps: Dreblack pediu para avisar que em breve postará o ultimo capítulo de recomeço ( estou em lágrimas escrevendo isso) e que também arualizará O Retorno do Dragão.

Link do trailer: https://youtu.be/1DY_d8AIexM

Beijinhos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...