1. Spirit Fanfics >
  2. Married With The Fame >
  3. Capítulo 4 : O Contrato Part. I

História Married With The Fame - Capítulo 4


Escrita por: e Dreblack


Notas do Autor


Olá meus queridos! Voltamos com mais um capitulo fresquinho para vocês. Esperamos que gostem pois escrevemos com muito carinho, aguardamos o Feedback de vocês. Boa leitura!

Capítulo 4 - Capítulo 4 : O Contrato Part. I


Fanfic / Fanfiction Married With The Fame - Capítulo 4 - Capítulo 4 : O Contrato Part. I

— Quanto tempo seria este casamento? – Pergunta me fazendo soltar um suspiro de alívio, embora ainda parecesse um pouco insegura.

— Um ano, é tudo que precisamos -- Davos determina e me sinto obrigado a concordar com ele, um ano não parecia muito tempo afinal, mas eu teria a chance de conhecê-la melhor ao menos.

—Um ano? – Ela repete parecendo extremamente pensativa, por um minuto temo que Daenerys decida que tudo isso é demais para ela, antes que eu possa falar algo Davos dá um passo a sua direção.

— Isso e ao final do contrato, teria sua conta recheada – Diz e sinto vontade de esgana-lo quando noto olhar incrédulo no rosto da platinada.

—Eu não sou nenhuma interesseira meu senhor eu vou aceitar somente o suficiente para um apartamento pequeno, o meu foi vendido sem que eu soubesse, enfim é uma longa historia e no momento eu não tenho para onde ir, quero apenas isso e nada mais.-- Ela se explica e Davos concorda embora pareça extremamente surpreso afinal não é todo o dia que vemos alguém recusar uma quantia de dinheiro dessa forma, Daenerys continuava a me surpreender positivamente é claro então sorrio aliviado por ela ter aceitado esse plano maluco— O que é um ano né? – completa então a surpreendo lhe dando um abraço apertado.

— Obrigado Daenerys, isso significa muito pra mim. – Digo a soltando então ela me dá um pequeno sorriso tímido que acho encantador.

— Ninguém pode saber desse casamento relâmpago, vamos montar uma história de romance as escondidas e abafar o fato de serem desconhecidos, ninguém fora deste quarto pode saber de nada -- Davos comunica seriamente e meu irmão e eu concordamos.

— Entendeu Daiane? -- Robb questiona pronunciando seu nome errado me matando de vergonha.

—É Daenerys -- ela o corrige — Minha amiga Missandei ela é minha confidente eu não escondo nada dela, eu não vou começar a fazer isso agora. – Decreta.

Eu escuto por cerca de cinco minutos seguidos meu assistente tentando explicar a ela o que implicava outra pessoa saber de toda esta história e a mesma respondia " Não vou mentir para Missandei" convicta do que queria e a minha vontade de rir aumentava conforma eu via Davos vermelho feito pimentão quando teve que concordar com ela.

— As duas assinarão um contrato de confidencialidade por isso-- Davos diz e a platinada concorda com ele.

— Eu vou conseguir o N.a e o contrato de casamento -- Davos fala saindo do quarto e batendo a porta.

— As vezes me pergunto como Davos não sofreu um ataque cardíaco ou um AVE por nossa causa -- Robb comenta assim que o homem saiu do quarto e então meu irmão cai na gargalhada. Daenerys levanta e esta em busca do seu telefone o encontrando mas o mesmo estava descarregado.

— Usa o meu e pode pôr o seu pra carregar se quiser meu carregador está ali em cima. – Ofereço notando pela primeira vez como ela tinha ficado sexy com as minhas roupas, eu sabia que a situação era totalmente inapropriada mais porra eu não era cego.

— Obrigada -- ela agradece e sai com o telefone em mãos para dentro do banheiro imagino eu em busca de privacidade. Então Robb me joga na cama me pegando de surpresa.

— Eu achei que era brincadeira o casamento, o que fizemos? -- ele questiona baixinho.

— Eu também achei, e eu nem lembro de mais nada após a champanhe a caminho até aqui, quando eu acordei ela estava no chão e estávamos só de roupa íntimas. – Revelo enquanto encaro a aliança em meu dedo.

— Sabe quem vai surtar? O alfa e a mamãe, nós estamos fritos Jon, fritos -- ele se joga na cama ao meu lado e encara o teto. Deuses eu tinha esquecido completamente desse detalhe, porra meus pais iam me matar, eles ficariam tão decepcionados com toda essa história, depois de toda a preocupação que eu causei a eles, não, não, eles não poderiam saber de nada.

— Não vamos contar a verdade a mais ninguém, muito menos aos nossos pais, precisamos de uma história que seja convincente e menos maluca que a verdade. -- Falo e escuto ele suspirar dramaticamente. Fico longos minutos encarando o teto enquanto jogamos defeito no plano um do outro até que Daenerys sai do banheiro perguntando o nome do hotel.

— Braavos Gran Palace -- Respondo e ela agradece voltando para dentro do banheiro ainda com o telefone na orelha. — E se...

Conto minha ideia ao Robb e ao finalizar ele apenas dá uma melhorada e temos a desculpa perfeita para responder aos questionamentos sobre o meu casamento. Vejo ele questionar meu nome no google e logo lá as novas noticias sobre meu casamento e uma loira desconhecida, que maravilha o mundo todo já sabe.

— Missandei esta vindo, ela vai pegar minhas malas no meu antigo prédio se é que não já as jogaram fora -- Daenerys comunica ao sair do banheiro e me entrega o telefone — Obrigada pelo empréstimo.

Eu a vejo caminhar de um lado ao outro, visivelmente nervosa e gostaria de falar algo para a acalmar mas não sabia o que. Robb esta aparentemente desconfortável com os movimentos dela e antes que ele faça um comentário desnecessário eu decido intervir ao ver ele abrir a boca.

— Nós pensamos em uma história para abafar os boatos do casamento repentino -- comunico a fazendo parar de andar e ele guarda o comentário para si fazendo-me suspirar aliviado. — Decidimos dizer que nos conhecemos a um tempo, e enquanto eu estava em Essos, mais especificamente em Braavos nos aproximamos mais e mais, nós apaixonamos e depois de tudo que me aconteceu eu percebi que a vida era curta demais eu não queria viver nenhum minuto da minha vida longe de você. – Digo encarando seus olhos claros ela franze a sobrancelha parecendo encantada com minhas palavras então seus olhos ficam tristes ela olha para o chão, eu fico sem entender, ela não gostou do plano?

— Parece um bom plano, muitas garotas vão suspirar quando ouvirem essas palavras de você. – Diz então vai na direção do celular tentando liga-lo.

— Eu vou para o meu quarto tomar um banho, até mais tarde pombinhos. – Robb disse se levantando saindo do quarto deixando eu e Daenerys sozinhos.

Me aproximei dela que estava em pé mexendo no celular.

— Muito obrigado por me ajudar, sério eu nem sei como te agradecer. – Digo tocando uma de suas mãos e ela me dá um pequeno sorriso.

— Você parecia bem desesperado, eu não queria te prejudicar, eu posso não me lembrar ainda de tudo que aconteceu mas eu sei que você me ajudou naquele bar, e que também tenho minha parcela nessa loucura toda, eu acabei de perder tudo, e não quero ser a razão pra você perder tudo também. – Ela responde eu não sabia muito ainda sobre a minha esposa mas estava claro que ela tinha um grande coração.

— Eu serei grato por isso todos os dias da minha vida floco de neve. – Brinco ela faz uma careta ao ouvir o apelido, puxa a sua mão da minha mexendo nervosamente no cabelo.

— Ei acho que precisamos esclarecer algumas coisas sobre o contrato. – Ela diz mordendo lábio inferior de um jeito encantador.

— Claro, quando Davos voltar discutiremos os detalhes. – Digo ela arregalando os olhos parecendo surpresa.

— Não, acho que precisamos discutir alguns pontos entre nós, tipo sobre o que rolou ontem. – Daenerys diz apontando para nós dois eu sorrio entendendo finalmente onde ela quer chegar.

— Você quer voltar para onde paramos hoje de manhã? Acho que temos tempo para um banho rápido antes deles voltarem. – Sugiro tocando a barra do moletom que a platinada usava ansioso para continuar o que não acabamos hoje de manhã. Daenerys deu um salto para trás como se tivesse visto um fantasma.

— Qual é o problema floco de Neve? – Perguntou sem entender sua reação.

— Primeiro não me chame assim, segundo seja lá o que rolou entre nós dois ontem a noite isso não vai se repetir, eu não sou esse tipo de garota sabe que faz sexo sem compromisso, não que tenha alguma coisa contra quem faz, é só que eu não sou assim, e pelos deuses eu acabei de sair de um relacionamento, você é lindo, muito bonito mesmo. – Ela diz me olhando de cima abaixo me fazendo me sentir quase um doce na vitrine de uma padaria, eu não daria a mínima se ela quisesse provar um pedaço então Daenerys balança a cabeça negativamente voltando a falar feito uma metralhadora : — O que estou querendo dizer é que se estamos fazendo isso eu quero manter as coisas profissionais, então nada de coisas físicas entre nós. – Diz me pegando completamente de surpresa, aparentemente eu tinha acabado de levar um fora, ironicamente da minha esposa.

— Essa é a minha condição. – Diz firmemente.

— Tudo bem prometo não fazer nada que você não queira, no entanto em público teremos que fingir então espero que você possa lidar com alguns carinhos e beijos. – Digo afinal eu nunca forçaria uma mulher a fazer algo que não tivesse vontade, eu era um cavaleiro.

Havia uma química entre nós e eu estaria disposto a mostrar a platinada o belo estrago que poderíamos fazer juntos se ela quisesse, lembro-me de como seu corpo encaixou contra o meu durante aquela dança puta merda eu tinha que parar de pensar nessas coisas.

— Tudo bem apenas para o público então. – responde eu concordo com a cabeça, eu tinha que parar de pensar com a minha cabeça debaixo, ela tinha passado por muita coisa, talvez quando me conhecesse melhor, se sentisse segura para tentar algo mais. Por um momento me assusto com a direção dos meus pensamentos eu havia acabado de conhecer essa mulher, então porque eu estava pensando essas coisas?

— Bem agora que nos entendemos eu vou tomar um banho. Fica a vontade, só não foge. – Brinco tentando quebrar o clima tenso ela ri.

— Tenho certeza que seu amigo iria me achar, aparentemente ele descobriu toda minha vida em algumas horas, não que tivesse muita coisa pra procurar. – Responde dando os ombros.

— Acho que você tem razão, bom então eu vou tomar o meu banho agora tudo bem? – Pergunto me sentindo um pouco inseguro em deixá-la sozinha, se Daenerys pensar melhor e desistir? Esses são os pensamentos que invadem minha cabeça.

— Pode ir Jon, eu prometo que estarei aqui quando você voltar, não se preocupe eu não vou desistir, eu te dei a minha palavra. – Fala então percebo que provavelmente deixei transparecer meus medos.

— Tudo bem, ei tem certeza que não quer ir comigo? - Brinco ela joga um almofada na minha cara, era o segundo fora que Daenerys me dava naquele dia ainda sim era impossível não rir com a mulher na minha frente.

— Tudo bem eu entendi o recado, se mudar de ideia sobre onde me encontrar. – digo apenas para provocá-la.

— Cale a boca antes que eu desista desse casamento homem. – Responde tentando parecer seria no entanto não consegue conter seu próprio sorriso.

Depois de algumas horas estamos todos reunidos numa sala de reuniões do hotel amiga de Daenerys ainda está me encarando como se eu fosse um fantasma, ela tinha tagarelado horas como era minha fã, porém quase teve um ataque cardíaco quando a platinada lhe informou que estávamos oficialmente casados.

Davos deixou claro que Daenerys teria que ir morar comigo percebendo sua agitação com a nova informação propôs a sua amiga ser sua assistente e morar nesse ano na casa da piscina que tinha nos fundos da minha residência, minha esposa ficou extremamente aliviada quando sua amiga aceitou.

Também acertamos que seria melhor que eu viajasse na frente isso daria mais um tempo para Daenerys se acostumar com a ideia de que estava casada comigo.

— Bem talvez vocês devessem postar algo para os fãs, algo discreto e claro vamos manter o seu lindo rosto no escuro por enquanto Daenerys, mais talvez uma postagem pudesse dar algo para os repórteres especularem e mudarem o foco da pequena cerimônia que vocês do seu casamento. – Davos sugere então pego o celular de Daenerys ela geme ao meu lado tentando tirá-lo de mim.

— Calma esposa vou apenas ver se alguma foto útil aqui que eu possa usar. – Digo a fazendo bufar passo por algumas fotos dela com um homem imagino que seja o babaca de seu ex noivo.

— Você não perdeu grande coisa. – Digo balançando o celular na sua direção então puxo de volta então acho a foto perfeita a enviando direito para o meu celular.

— Que foto você escolheu? – Pergunta quando devolvo seu celular, pego o meu abrindo meu Instagram penso numa legendada perfeita então posto.

— Jon eu não acredito que você postou essa foto. – Reclama olhando por cima do meu ombro.

— Essa era a foto perfeita esposa. – Respondo observando a linda imagem na tela do meu celular, após isso milhares de mensagens da minha família começam a chegar, troco um olhar com Robb que está com o próprio celular na mão, sua expressão e a mesma que a minha: Fodeu.

......

Jon:

Após deixar Daenerys no apartamento da amiga, onde ambas estavam seguras nós seguimos para o aeroporto, o trajeto até o mesmo foi silencioso e talvez fosse pelo simples fato de que cada um estava em sua própria bolha de pensamentos, afinal muita coisa mudaria nos próximos dias, por enquanto tudo parecia o mesmo e eu estava evitando sair do hotel mas a realidade estava batendo a porta tão forte quanto Davos há dois dias atrás quando descobriu sobre o casamento. Assim que o carro para em frente ao embarque no aeroporto, saio do veiculo com os óculos escuros protegendo meu rosto dos papparazis assim como meu irmão sai em seguida, recebo minhas malas e saio as puxando conseguindo caminhar mesmo cercado pelos mesmos sem a necessidade de seguranças, mantenho minha cabeça baixa ignorando cada pergunta feita por eles enquanto tento chegar a porta e entrar no aeroporto.

Como você esta jon?

Esta mesmo casado?

Porque casou?

Cadê sua esposa jon snow?

Consigo atravessar as portas e entro no aeroporto os deixando para trás enquanto aumentava meus passos assim como meu irmão ao meu lado com suas malas, Davos estava logo atrás relaxado afinal ninguém fazia essas coisas com ele. As vezes eu gostaria de ser um pouco mais normal, principalmente em momentos onde minha vida esta tão exposta e as pessoas só parecem querer me julgar e não ajudar, chega ser doloroso e sufocante mas ai me imagino sem a música e penso que não valeria a pena ser normal, eu amo o que faço e amo quem eu sou. Assim que atravessamos os portões de embarque entramos no carrinho que nos levaria até o jato privativo, assim que estamos os três próximos ao Boeing 787 branco com as minhas iniciais em preto nas laterais da grande e bela aeronave deixamos as malas encarregadas da equipe e entramos no jatinho, Robb logo esta se jogando no sofá em frente a televisão de plasma ficando totalmente largado, Davos é mais contido e senta em uma das poltronas para relaxar, e eu faço a mesma coisa, cerca de cinco minutos depois a porta da aeronave já estava fechada, a aeromoça estava se apresentando e o piloto passando as instruções de voo e logo a aeronave estava taxiando na pista para levantar voo. Quando já estamos altos o suficiente permito-me ir ao quarto do jatinho descansar, meu irmão estava vendo série e Davos dormindo na poltrona como se não houvesse amanhã, deito na minha macia e confortável cama king com lençóis cinza e branco no meu confortável quarto, nele tinha meu próprio banheiro, um pequeno closet, uma espaçosa a área com as poltronas e uma sala na mesma com uma grande televisão de plasma, um banheiro para visitas, e um mini bar , esse jatinho valeu todo o dinheiro gasto nele.

Não consigo dormir, há tantos pensamentos girando em minha cabeça como um trenzinho de brinquedo no qual o botão de desligar havia pifado. Encaro o teto da aeronave após retirar meus sapatos e meias, e fico a pensar em tudo que eu precisava fazer até a chegada de Daenerys, em alguns dias ela estaria embarcando para vivermos sob o mesmo teto como um casal de recém casados apaixonados, precisava conversar com minha família e os convencer de que nossa relação havia iniciado a um tempo pois se eles não acreditassem quem mais o faria? Precisava de alianças novas e boas para usarmos, conversar com Margery para ajudar Daenerys com um novo guarda roupa, preparar a casa de hospedes para a amiga dela e verificar segurança para Dany, além de apresentá-la a família e a sociedade como minha esposa. Precisava conversar com ela sobre as mudanças em sua vida e rezar aos deuses para que ela não saia correndo assustada sobre o que implicava estar casada comigo. Todos esses pensamentos eram de tirar meu sono totalmente. Penso em mexer em minhas redes sociais mas lembro do meu combinado com Davos, somente quando fosse anunciar Daenerys e mostrar o rosto dela, esperar que parem de comentar sobre isso e inventarem rumores ou teorias sobre meu casamento, a foto dela que postei de costas “ roubada” do seu telefone até o momento era o suficiente, me pergunto se ela estava bem lá sozinha com a amiga e se alguém descobriu sobre ela? Seria o fim do nosso plano e eu estaria na lama juntamente a minha carreira.

Foram cerca de três horas e meia de voo até pousarmos no aeroporto metropolitano Harenhall Internacional, um aeroporto privativo para jatinhos e Tormund nos aguardava com o carro na pista de pouso, nossas malas são levadas a um segundo carro e então meu segurança nos leva para casa e meus pensamentos sobre me isolar pelo resto do dia e somente enfrentar tudo no dia seguinte vão por água abaixo ao ver os dois carros da família estacionados na frente da minha casa dentro da minha propriedade. Tormund olha-me pelo retrovisor sem dizer uma única palavra e sai do veículo abrindo a porta do meu lado para que eu saia, e em seguida faz o mesmo com Robb, o planejado seria ele me deixar em casa e depois levar meu irmão para casa mas se a família já estava aqui não havia necessidade alguma de fazê-lo, caminho sem muita vontade até a porta da minha própria casa pois eu não sabia exatamente o que iria enfrentar lá dentro.

Assim que estou dentro dos limites da minha casa o som dos latidos de Fantasma são capitados por meus ouvidos e logo eu tenho a bola de pelos gigante desesperado a minha volta. É impossível não sorrir para a imagem feliz do meu amado Fantasma, ele tem sido um amigo e tanto por anos, e estar a meses longe dele foi difícil devo ter sentido a falta dele tanto quanto ele sentiu a minha mas saber que ele estava bem cuidado com minha mãe e minha família deixava-me aliviado, abaixo-me para receber lambidas de saudade e acaricio seu pelo macio, de fato minha mãe o levou ao pet shop toda semana para estar dessa forma, beijo seu rosto e ele late me lambendo novamente.

— Já entendi, senti sua falta também amigo – ele gira e então para e senta a minha frente esperando que eu faça algo mas apenas o olho e novamente ele o faz — Não posso brincar agora amigo, tenho assuntos a resolver

Como se entendesse o que falei Fantasma balança a cabeça mas não late e coloca-se ao meu lado enquanto eu sigo até a minha sala de estar para deparar-me com minha família a falar com Robb. Assim que estou no campo de visão deles sou quase derrubado por minha mãe ao me abraçar, ela aperta-me em seus braços e depois aperta meu rosto averiguando se eu estava bem enquanto falava o quanto sentiu minha falta.

— Eu estou ótimo mãe, foi como férias mas sem uma grande liberdade – explico-me e ela me abraça novamente — Acredite, eu estou bem e pronto para voltar a minha vida

— Eu senti a sua falta – Arya fala se lançando em meus braços, minha irmãzinha, a minha eterna garotinha não importa o quão grande Arya esteja sempre será a menininha dos meus olhos, dona de mim mais que qualquer pessoa no mundo.

— Eu também senti sua falta pirralha – bagunço seus cabelos e ela me acerta um soco na barriga, abraço Sansa, Bran e Rickon que se joga em meu colo como Arya, super empolgado em me ter de volta em casa — Agora que estou de volta, estou ansioso para seguir com meus planos de turnê e por o pé na estrada novamente

— Acabou de voltar filho, não acha que precisa de um tempo a mais? – meu pai questiona após me abraçar. Ele me encara ao me soltar e sei que esta buscando algo que diga em minha expressão que eu ainda não estou bem, sei que todos eles tem essa incerteza em suas cabeças.

— Bom, eu só vou dar tempo para Daenerys vim a Harenhall se estabelecer, mas essa semana já quero uma reunião com a equipe para começar os preparativos, não quero demorar tanto, enquanto Dany se instala e fica mais a vontade posso ensaiar e cuidar de toda a preparação para iniciar o mais breve possível a Dark Tour

— Era sobre isso que queríamos falar querido, que maluquice de casamento foi esse? Assim tão repentino – minha mãe questiona sem filtros e suspiro sentando em um dos sofás, seria melhor por um ponto final na confusão deles para seguir com o plano.

Observo cada um deles me olhando aguardando minhas explicações, Arya sentada de forma relaxada e despojada em uma das poltronas brancas, mas ela não conseguia esconder a curiosidade em seus grandes olhos claros, assim como Sansa que estava sentada no braço desta mesma poltrona, meus pais sentados lado a lado no sofá e ele tem uma mão sobre o joelho dela enquanto aguardam e Bran estava com Rickon em seu colo enquanto o pequeno tem fones no ouvido mexendo em seu telefone. Acaricio os pelos de Fantasma que senta ao meu lado no sofá enquanto Robb esta na outra poltrona vazia ao lado de Arya e finalmente começo a falar o que foi planejado.

— Eu conheci Daenerys em uma das viagens a Braavos mas nós éramos apenas amigos, e a minha ida a reabilitação nos aproximou um pouco mais, quando percebi estava perdidamente apaixonado por ela, acho que sempre teve um sentimento reprimido pela minha relação e a dela mas ambos estávamos solteiros e acabou acontecendo, nos mantínhamos contato e quando eu conseguia sair sem chamar atenção nas ruas nós conseguíamos nossos momentos as escondidas, Robb sabia de tudo...

— É verdade, eu sabia de tudo – meu irmão confirma convicto para passar mais certeza e confiança ao que contávamos e até o momento ninguém nos questionava.

— Certo até ai é compreensível mas casar assim tão rápido ?—Sansa questiona confusa

— Não podiam esperar mais? Tem pouco tempo esta relação meu filho – minha mãe esta aparentemente preocupada — Por que tão rápido?

— Estamos perdidamente apaixonados, não queríamos esperar apenas queríamos estar juntos e tentarmos ser felizes.--- respondo o mais convicto possível e eu espero por um surto do meu pai ou da minha mãe e tudo que eu escuto é a risada de Arya.

— Meu irmão esta caidinho, esta casado e não é pela falsiane .. os deuses são maravilhosos – ela fala fazendo Bran rir do seu comentário maldoso. Reviro os olhos ao que ela fala e vejo minha mãe sorri quando concordo ao questionamento de Arya sobre estar caidinho realmente.

— Bom.. se é assim, seja feliz querido—minha mãe é a primeira a me apoiar mas seu sorriso logo some — Poderia pelo menos ter feito uma cerimônia familiar Jon, que despeito com o seu próprio sangue

— Não se preocupe mãe, Dany e eu casaremos da forma correta com toda a família e amigos presente e uma bela festa, nós só não queríamos esperar e fizemos esta loucura de amor.

Eu me assusto quando Sansa grita e esta de pé pulando animada ao ouvir que haverá um outro casório sim. Ela vibra com a ideia de me ver casando e de poder usar um belo e extravagante vestido de festa, já se colocando no posto de madrinha.

— Não, eu sou a madrinha Sansa – Arya parece disposta a brigar pelo posto

— Eu sou a mais velha – Sansa exclama óbvia

— E eu não tô nem ai caramba

— Olha a boca Arya Stark – Meu pai a repreende divertindo-se com as duas a se encarar na minha sala.

— Jon fala a ela que eu sou a madrinha

— Bran é a madrinha .—respondo fazendo Bran e Robb, e nossos pais explodirem em risos enquanto elas me encaram esperando que eu escolha uma das duas e dessa forma eu nunca estive tão ferrado, não podia escolher entre minhas duas irmãs, mesmo tendo maior afinidade com a Arya devido sua personalidade, ainda assim não podia escolher.

— Sinceramente, Daenerys nem chegou ainda para saber quantas madrinhas ela vai querer e vocês já estão em pé de guerra? Pelos amor dos deuses —Robb comenta revirando os olhos para a ceninha de nossas irmãs.

— Vou conversar com a Dany, falar que quero as duas como madrinhas

Assim que comunico isso ambas concordam já sorrindo como se a segundos atrás não estivessem dispostas a se estapearem pelo posto no meu casamento. Conto um pouco sobre Daenerys para eles, não falo com tantos detalhes sobre a personalidade dela pois digo que quero que eles a conheçam pessoalmente, eles acreditam nisso e nem imaginam que seja somente por eu quase não saber sobre a personalidade da minha esposa, “você é um ótimo mentiroso Jon Snow” penso conforme vejo minha mãe sorrir com a ideia do casamento e eu quero falar a eles que estou cansado e preciso do meu tempo sozinho mas vê-los falando e falando em minha sala animados e contando-me tudo que perdi na família e na mídia diverte-me e me faz manter o cansaço de lado apenas para estar nesse momento com eles. Escutar as risadas de Bran e de Arya preenchendo o cômodo ou os gritos exaltados de Rickon quando o assunto é a nota baixa dele faz-me vibrar por dentro de felicidade, estar entre eles novamente é tão reconfortante, a sensação de estar de novo em casa e não falo da propriedade em si, falo do sentimento interno que por meses havia adormecido.

— E a Sansa que surtou ao acordar com conjuntivite? Foi um fim de semana divertido vendo ela reclusa e surtando em casa – Bran comenta risonho enquanto a ruiva revira os olhos.

— Eu achei que meu olho nunca mais pararia de inchar e coçar – Sansa se defende

— Você só é a rainha do drama – Arya a provoca e recebe um tapa da mesma que esta sentada no braço da poltrona.

— Ninguém fotografou ela com o olho deformado pra postar no dia do aniversário? – questiono e ouço Sansa gritar que não indignada com a minha ideia.

— Como eu não pensei nisso? – Bran fala batendo na própria testa e eu escuto Rickon rir gostosamente com a conversa sentado em meu colo nesse momento.

— E você pequeno? Recuperou a nota baixa? – ele confirma com acenar de cabeça satisfeito pelo que posso ver e então ele sussurra algo em meu ouvido me fazendo sorrir — Também senti sua falta campeão

Rickon sai do meu colo e sai correndo da sala quando Arya diz que ele é uma garotinha sentimental e Fantasma o segue achando que é para brincar. Eu conto um pouco sobre a minha internação e como foi essa segunda vez na clinica para deixá-los atualizados do meu quadro atual e de como eu me sinto nesse momento, sou sincero quando meu pai questiona sobre isso, eu de fato sai da clinica querendo iniciar um novo capitulo e deixar toda a toxicidade da minha antiga relação no passado, e introduzo novamente Daenerys em minha resposta para passar mais convicção de que estava apaixonado.

— Ela me faz tão bem, nunca havia me sentido tão bem em anos mas ela entrou em minha vida e tudo mudou – falo e sinto meu telefone vibrar, verifico a mensagem e era de Margery afirmando que poderia me ver ainda amanhã se eu quisesse respondendo a mensagem que enviei a ela quando estava no carro a caminho de casa e eu confirmo o encontro. Nós comemos todos juntos uma grande e deliciosa barca de sushi encomendada por meu pai quando Arya e Bran começaram a expressar a fome que sentiam e após essa deliciosa refeição em família, eles seguem para casa e Robb vai junto já levando sua mala, e eu posso enfim descansar, fecho a porta atrás de mim e quando vejo o animal de quatro patas esta a me encarar sentado esperando por um movimento meu — O ultimo a chegar no quarto é uma tartaruga

Falo e saio correndo e ele vem atrás após latir, Fantasma ganhou somente porque eu abri a porta e ele entrou me atrapalhando, jogo-me na cama e ele vem deitar ao meu lado recebendo meu carinho, sentia uma tremenda falta do meu companheiro e sei que ele sentia a minha também, Fantasma sempre foi especial desde o seu primeiro dia quando nosso pai chegou com uma caixa e os filhotes dentro mandando que escolhêssemos o nosso preferido e eu o vi ali o menor da matilha e o único totalmente branco, quietinho e encolhido no canto da caixa , eu levei minha mão até o mesmo e ele se aproximou e lambeu animadamente, foi ali que ele me ganhou totalmente, e ele passou dois dias sem nome até decidi-lo chamar de Fantasma devido a cor dos seus pelos e o fato dele ser o mais quieto e hoje aos dois anos ele continua chegando silenciosamente e matando muita gente do coração, sem falar no fato de que a cor do seus olhos são avermelhados junto aos seus dentes afiados o deixando assustador a muitos mas para mim, ele é apenas uma criança a minha criança.

— Eu casei amigo, é uma longa história mas .. é isso me casei

Fantasma late ao ouvir isso como se compreendesse o que falo.

— Ela é linda, como uma rainha – falo acariciando seus pelos e ele sobe em cima de mim fazendo-me rir, o mesmo lambe meu rosto por vezes seguidas — Ta bom, chega .. chega.. fantasma chega

Eu consigo sair do ataque dele e levanto da cama ainda rindo do seu momento de loucura e carência, ele coloca-se de pé na cama esperando meus movimentos e corro pro banheiro fechando a porta enquanto ele late por estar irritado e querer companhia. É isso que dá Jon Snow largar a criança por meses, ele esta carente e você esta lascado até que ele supere esse sentimento de carência. Quando saio do banho enrolado com a toalha na cintura o mesmo levanta-se do chão e segue-me para o closet como uma sombra peluda, coloco uma box e uma calça de moletom, desço para ver se há algo na cozinha e agradeço aos deuses pela minha equipe, a dispensa estava repleta assim como a geladeira, pego uma caixa de suco e bebo um pouco do mesmo enquanto corto uma fatia de bolo, mando um rápido mensagem a tormund e Verme cinza e em menos de cinco minutos eles estavam na cozinha da minha casa.

— Já sabem do casamento não é? – questiono sentado a bancada da mesa enquanto como meu bolo e tomo meu suco de laranja. Ambos confirmam, estavam com roupas normais e sei que os tirei do descanso deles mas precisava já me organizar com os chefes da minha segurança, eles eram meus amigos e cuidavam da minha segurança junto a outras pessoas e quanto mais cedo me programar com eles para a chegada de Daenerys melhor seria.

— Ela estará chegando ainda essa semana, e eu quero muito que montem um plano de segurança para ela, quero um de vocês com ela -- falo empurrando o bolo na direção deles para que se sirvam mas eles permanecem parados — Deixem de frescura, são meus amigos além de segurança e estou pedindo que comam o bolo que minha mãe comprou com tanto carinho pra mim

Eles se servem quando Tormund pega talheres e pratinhos de sobremesa em um dos armários e ambos sentam no lado oposto da bancada para desfrutarem do delicioso bolo de frutas vermelhas.

— Posso ficar como segurança chefe dela e ter mais dois acompanhando quando necessário , mas creio que no dia a dia, eu posso de conta de protegê-la, posso ter um parceiro mas imagino que uma dupla de segurança seja o suficiente para ela – Verme cinza comenta após provar do bolo e Tormund apenas concorda com ele enquanto come.

— Prescott pode ser o outro segurança – Ele sugere e eu concordo — Mas e você Jon?

— Tormund e Cyrus me acompanham no dia a dia, e quando necessário maior reforço levarei uma equipe maior – respondo e ambos concordam comigo — Vai buscá-la no aeroporto Verme, eu não quero chamar atenção para ela ainda por favor tente não fazê-lo também

— Pode deixar chefe, vou ser invisível e não chamarei atenção

— Ela vem com uma amiga, quero que avisem a Milisandre que organize a casa de hospedes para ela, pois a amiga morará lá por tempo indeterminado e quero que mande um dos seguranças com ela ao mercado e encha a dispensa de lá com tudo que for preciso

— Amanhã mesmo senhor – Verme responde e pego mais uma fatia de bolo

— Tormund amanhã iremos sair pela manhã, tenho algumas coisas a resolver e Verme vem conosco pelo menos até Dany chegar – comando e eles concordam, quando terminam o bolo saem após deixarem os pratinhos na pia sem necessitar lavar a meu comando e eu termino meu lanche ali sozinho deixando a louça suja na pia também antes de desligar as luzes da cozinha ativar o alarme da casa e subir para um descanso merecido. Pela manhã ao acordar estou sendo observado por fantasma e ele late ao me ver de olhos abertos, desejo bom dia a ele e sigo para o banheiro, enquanto escovo os dentes observo minha banheira decidindo se coloco a mesma para encher mas tenho muito o que fazer hoje e provavelmente iria querer ficar de molho nela ao entrar na mesma.

Após enfiar-me embaixo do chuveiro quente e finalizar meu banho, coloco uma box branca, jeans de lavagem clara e rasgado nos joelhos, uma camisa de mangas curtas brancas e sapatos brancos, por cima da camiseta coloco uma jaqueta de tecido jeans leve, escondo meu rosto sobre os meus óculos escuro e desço para dar de encontro com Tormund e Verme cinza já prontos para os compromissos do dia. Aguardo no carro enquanto Verme Cinza vai comprar café para nós em uma lanchonete, recebo meu café com um sorriso no rosto quando meu segurança entra no carro no banco de trás enquanto eu estou no banco do passageiro, e bebo meu café quentinho o aprovando.

— Segue para a Tiffany’s

Tormund segue meu comando saindo da frente da lanchonete e eu volto a tomar meu café quieto enquanto repasso mentalmente os meus planos para o dia de hoje, tudo que eu precisava fazer até a noite cair mas a parte mais importante do dia era comprar novas alianças para Daenerys e eu usarmos. Entro na loja escoltado e acompanhado pelos dois homens que permanecem apaisana em roupas normais mantendo-se um pouco distante para dar-me espaço pessoal porém estavam sempre alerta, observo a vendedora se aproximar com um enorme sorriso no rosto.

— Jon Snow, que prazer em tê-lo aqui – ela fala oferecendo-me a mão em um cumprimento

— Elizabeta, quanto tempo ... Preparou o que eu pedi?

— Temos as melhores alianças a sua espera para escolher, gostaria de uma champanhe ?

— Por favor

Seguimos mais a dentro da loja e mesmo sem olhar para trás sei que Tormund e Verme me seguiam e cuidavam, apesar de haver os seguranças da loja dispostos por toda ela, a Tiffany’s é uma das melhores e mais famosas lojas de joias do mundo, sua fama faz jus a beleza e exclusividade de certas peças. Sento-me em uma dos sofá e recebo a minha taça de champanhe geladinha por uma das atendentes, agradeço com um sorriso educado e ela sai toda derretida, e logo Elizabeta surge com um atendente masculino e um mostruário de alianças sobre uma palheta de prata, todas em suas caixinhas, e logo atrás uma moça com outras peças, estar na Tiffany’s era como estar no paraíso dos diamantes.


Notas Finais


Isso é tudo por enquanto queridos!
Esperamos que tenham gostado, nos contem nos comentários e em breve estaremos com a parte 2 do capitulo 4, beijinhos e até o proximo.

Link do trailer:

https://youtu.be/1DY_d8AIexM


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...