História Married Without Love (TaeKook) HIATUS - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Abo, Bts, Casamento Arranjado, Jungkook Alfa, Kooktae, Kookv, Namjin, Taehyung Ômega, Taekook, Vkook, Yoonmin
Visualizações 568
Palavras 2.114
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ecchi, Famí­lia, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


O que o título do capitulo sugere?
Boa leitura ^^

Capítulo 17 - Capítulo XV- Descoberta


Fanfic / Fanfiction Married Without Love (TaeKook) HIATUS - Capítulo 17 - Capítulo XV- Descoberta

Chapter XV- Descoberta




Dois meses haviam se passado desde o cio de TaeHyung. Os herdeiros acabaram se afastando, os compromissos de ambos tomaram todo o tempo que tinham. Mal se viam ou conversavam, os horários não batiam, um tomava café da manhã sem o outro e o tempo que tinham juntos era somente a noite quando ambos estavam cansados demais e somente se abraçavam para dormir confortavelmente nos braços um do outro.

Havia noites que JungKook chegava e via seu ômega dormindo serenamente, somente deixava um selar na testa do menor e o abraçava. Quando o alfa chegava antes, fazia o possível para esperar seu esposo, quando este chegava trocavam algumas palavras carinhosas e alguns selinhos, para logo depois caírem no sono. 

TaeHyung se sentia carente dos toques do marido e das palavras doces sussurradas para si. Sentia falta das brincadeiras que faziam pelos corredores do castelo quando tinham um tempo livre. Se sentia incomodado também pelo fato dos compromissos terem aumentado somente depois da chegada do Min, este que acompanhava JungKook em todos. Parecia fazer de propósito, marcar compromissos para ambos e os afastar o máximo possível. 



Era noite de Lua Cheia. JungKook lia um livro enquanto esperava seu esposo chegar. Finalmente teriam um tempo juntos, aparentemente Haruna iria cuidar dos compromissos junto de Anyliin apenas para o casal ficar junto novamente. O quarto era ilumidado apenas por uma vela e a luz fraca da Lua que entrava pela janela. As cortinas brancas tomavam um tom amarelado, fazendo o alfa suspirar ao lembrar dos cabelos loiros de seu ômega, os lençóis vermelhos o faziam pensar besteiras ao imaginar a pele acobreada coberta de marcas feitas pelos seus dedos e boca. Mordeu o lábio inferior ao olhar para o lado e ver a caixinha de jóias de seu marido, numa cor rosa igual a cor de seus lábios bem desenhados. Suspirou alto fechando o livros e bagunçando os cabelos. Sentia tanta falta de seu ômega que o via em cada lugar que ia. Abraçou o travesseiro do loiro se inebriando com seu cheiro, este que se tornou mais forte.

—JungKook?— a voz doce se fez presente no quarto antes silencioso, fazendo o alfa sorrir e se levantar para abraçar o corpo do menor.

—Temos finalmente um tempo para nós dois.— sussurrou apertando o mais velho contra si e cheirando o pescoço do mesmo. TaeHyung retribuiu o abraço com um sorriso bobo nos lábios. O alfa se deliciava com o cheiro de morango e chocolate vindo do ômega, mas percebeu uma fragrância diferente ali. A marca não deixava o cheiro de baunilha tão forte no corpo do outro, mas seu cheiro chegava a encobrir o do ômega. Algo estava errado ali, e JungKook iria descobrir o que era. Mal percebera quando seu corpo foi deitado na cama e o mais velho o beijava de modo calmo. Levou as mãos até os fios loiros e emaranhou seus dedos ali enquanto sentia as mãos delicadas do outro massagearem seus ombros.

—Está tenso... Aconteceu algo?— TaeHyung perguntou se separando do beijo e apoiando as mãos no peito rijo e trabalhado do alfa.— Gukkie seu cheiro está tão forte... Quando é o seu cio?

—Gukkie?— sorriu com o apelido vendo o ômega assentir com a cabeça.— Eu não lembro quando é o meu cio, acho que em alguns dias...

—E o que acha de irmos até aquela casa que passamos o meu cio...?— perguntou baixo e manhoso selando a boca do alfa. 

—Tae eu não sei se é uma boa ideia passar o meu cio com você...— o mais novo murmurou recebendo um olhar repreendedor do outro.

—Nós já conversamos sobre isso. Seu lobo mesmo se estiver no controle não vai me machucar.— TaeHyung revirou os olhos bufando e saindo de cima do outro. O alfa vendo aquilo, puxou novamente o loiro para seus braços.

—Tudo bem... São três dias quando passo meus cios sozinho, mas se for com você acho que dura apenas um.— murmurou beijando os cabelos do ômega.— Para não correr riscos, vamos amanhã tudo bem?

—Sim. Agora vamos dormir, nosso dia foi cheio e ambos estamos cansados.— se ajeitou nos braços do alfa e selou uma última vez seus lábios.— Boa noite meu Gukkie...

—Boa noite...— suspirou baixo, a vontade de dizer três palavrinhas travada na garganta. Fazia algumas semanas que não diziam mais "eu te amo" um para o outro. JungKook estava quase pegando no sono quando escutou um sussurrar em seu ouvido. 

—Eu te amo meu amor.— a voz rouca de TaeHyung o fez sorrir mínimo.

—Eu te amo meu Hyung...— mumurou de volta e se rendeu ao mundo dos sonhos. 


[…]


As costas do loiro colidiram com certa força contra a parede. Mal teve tempo de pensar quando seus lábios foram atacados com ferocidade. JungKook entrara no cio no momento que chegaram a casa de madeira.

—Aah Hyung... Vai obedecer seu alfa?— perguntou rouco no ouvido do ômega o fazendo estremecer. A chuva do lado de fora deixava o ômega com certo medo. Os olhos de JungKook estavam tomando uma cor amarelada, seu lobo estava tomando o controle.

—G-Gukkie...— murmurou com sua voz falha e um tanto rouca. 

TaeHyung não queria confessar, mas agora estando frente a frente com um alfa no cio, sentiu o medo se apossar de seu corpo. JungKook nunca faria mal a si... Não é? 

Algo dentro do loiro lhe dizia para tomar certo cuidado, mas não temer. Era seu alfa que estava precisando de ajuda. 

—Alfa...— gemeu manhoso.— Irei ser seu bom menino.— apertou os ombros largos do moreno com pouca força. E com isso, o mais novo perdeu qualquer resto de sanidade que ainda existia em si, se é que tinha.

Suas mãos foram para as coxas fartas do loiro que enroscou as pernas na cintura do alfa. A boca de JungKook foi para o pescoço do ômega, chupando com violência a pele amorenada, justo no ponto sensível de seu esposo. TaeHyung arfava com os toques do moreno, os apertos em suas coxas e nádegas o tiravam de órbita.

O corpo delicado do mais velho fora jogado com brutalidade na cama e logo teve o alfa por cima de si novamente, atacando seus lábios com vontade.

—Aah Tae... Senti tanto sua falta... Me deixa matar essa saudade huh? Me deixe te marcar mais e mais... Me deixe te dar o meu nó mais uma vez...— o alfa rosnava baixo no ouvido do ômega enquanto chupava a orelha do mesmo. TaeHyung assentiu freneticamente, não conseguia pensar direito. Era apenas ele e seu esposo ali. De repente o moreno saiu de cima de si e se sentou ao seu lado.

—Tire suas roupas. De-va-gar.— ordenou, porém de modo suave sabendo que o ômega gostava daquele jeito. O loiro mordeu os lábios e corou. Se levantou devagar, retirou suas roupas de modo tímido e lento. Apesar de já ter feito isso com o alfa, fazia tempo que não se tocavam ou se viam desse jeito.

—Bom garoto.— sorriu satisfeito vendo as curvas de seu esposo.— Agora meu amor, tire as minhas.

TaeHyung engoliu em seco sentindo seu rosto corar ainda mais. Se aproximou e tirou as vestes do alfa com certa pressa, não iria provocar mais. Após terminar, JungKook fez o loiro ficar de quatro na enorme cama e ficou em pé na frente do mesmo.

—Me chupa bebê?— pediu acariciando os cabelos de TaeHyung com um pequeno sorriso. Timidamente, o ômega lambeu a glande inchada e lentamente colocou o pênis na boca. Relaxou a garganta e no mesmo instante o alfa começou a estocar a boca fo menor. TaeHyung sentia sua garganta arder quando a glande atingia diversas vezes com força o local, fazendo seus olhos lacrimejarem. Engasgava as vezes, consequentemente babando no membro alheio.

—Já chega.— JungKook puxou o queixo do mais velho e lhe deu um selinho. Se posicionou atrás do ômega e viu a entradinha piscando para si e expelindo lubrificante em abundância. Sorriu satisfeito e se enterrou com força dentro do loiro, que soltou um grito sofrido. JungKook fechou os olhos, com força e encostou seu peito nas costas do menor, aproximando a boca de seu ouvido e sussurrando palavras doces e alguns pedidos de desculpas por ser insensível. Chupou o lóbulo esquerdo do loiro causando um gemido abafado e manhoso.

—Gukkie-ah!— gemeu quando o moreno começou a se movimentar lentamente. JungKook retirou seu pênis e se enterrou novamente, com mais força dessa vez. 

O moreno estapeava as nádegas do esposo com força desmedida enquanto mantinha um ritmo frenético com o quadril. Acertava várias vezes a próstata do loiro e era agraciado com os gemidos manhosos do mesmo. 

Em um momento de lucidez, parou os movimentos e virou o ômega de frente para si. Acomodou o menor nos travesseiros, envolveu as pernas acobreadas em seu quadril e entrelaçou os dedos das mãos. 

—Eu te amo.— proferiu fitando intensamente os olhos do ômega.— Lindo.— beijou as bochechas vermelhas.— Gostoso.— beijou a pintinha na ponta do nariz.— Fofo.— beijou a testa suada.— Perfeito.— beijou a boca ao mesmo tempo em que invadia novamente o mais velho. Apertou as mãos de TaeHyung ao lado de sua cabeça enquanto mantinha um ritmo frenético nas estocadas, o que acabava tornando o beijo bagunçado. TaeHyung sentiu o corpo ser tomado por espasmos e logo veio forte, sujando o abdômen de ambos. O nó de JungKook atou dentro do ômega, o fazendo resmungar pelo incomodo de ter um inchaço dentro de si.

—Eu te amo.— disseram juntos ao que o alfa caiu ao lado do loiro. Sorriram bobamente um para o outro e se beijaram de modo mais calmo. 


[…]


As 24 horas do cio de JungKook haviam acabado, agora ambos estavam deitados conversando, com o ômega sobre o peito musculoso do esposo. 

—Estou com fome...— murmurou com um bico manhoso. JungKook se levantou com um sorriso e saiu do quarto. Haviam destruído outro quarto, sorte que a casa tinha alguns de sobra...

Foi para a cozinha pegar algo para seu ômega comer e resolveu mimá-lo um pouco, pegando morango e chocolate. Sabia que seu esposo amava aquela guloseima, e com isso em mente voltou ao quarto, não encontrando o ômega lá. Deixou a tigela em cima do criado mudo e correu para o banheiro encontrando o ômega escorado no vaso sanitário. 

—Tae?!— se aproximou rapidamente vendo o loiro vomitar mais uma vez. TaeHyung tossiu secamente e começou a respirar com dificuldade. Afastou JungKook com uma das mãos e limpou a boca com a outra. Respirou fundo e fechou o vaso se sentando no mesmo e puxando a descarga.

—Tae...— chamou tentando tocar a testa do menor, porém fora afastado novamente. 

—Eu estou bem.— murmurou com a boca trêmula e se levantou para escovar os dentes. Saiu do banheiro e se deitou na cama olhando para o teto.— Gukkie... Vem aqui por favor...— e como pedido, o alfa foi até si ficando por cima do mesmo.— Me toque.

—Como?— perguntou confuso e viu os olhos azuis se encherem de lágrimas.

—Me toque JungKook!— se exaltou puxando as mãos do alfa para tocar seu corpo.— Me toque! Me toque!— implorou começando a chorar assim que aos mãos do alfa foram para seu quadril. Agora, JungKook em sã consciência, pode perceber uma diferença. O quadril de TaeHyung estava um pouco mais largo.

O choro do ômega era a única coisa que se podia ouvir no local. JungKook, apenas para confirmar suas suspeitas, levou o nariz até a barriga de TaeHyung e cheirou o local, sentindo a essência de baunilha muito mais forte ali. Arregalou os olhos e saiu de cima do ômega, se sentando ao seu lado na cama.

—TaeHyung... V-você es-esta g...— travou sua fala vendo o loiro soluçar alto e tapar o rosto. Podia sentir o que seu esposo sentia: medo, insegurança, rejeição. TaeHyung estava com medo de que JungKook não aceitasse...

—M-me de-descu-culpe!— pediu em meio aos soluços altos. O moreno simplesmente começou a rir alto.

—Obrigado! Obrigado! Obrigado! Eu te amo tanto Tae!— abraçou o corpo do mais velho enquanto ainda ria bobamente.— Por favor não chore, eu te amo tanto, obrigado por ser meu esposo e obrigado por me dar um filho!— sussurrou suave para o loiro, agora derrubando lágrimas tamanha sua felicidade.— Irei cuidar de vocês, irei proteger vocês com a minha vida. Eu juro, vou sempre estar ao lado de vocês, meus bens mais preciosos.— beijou os lábios rosados com carinho. TaeHyung ainda estava processando tudo. Havia uma vida dentro de si. Estava esperando um filho de JungKook. 

—E-eu te a-amo!— proferiu em meio as lágrimas, somente ele sabia o quanto amava JungKook e o quanto se sentiu completo ao ter aquelas palavras ditas a si. 


E agora, JungKook teria duas vidas para cuidar, duas vidas para amar. E TaeHyung tinha uma semente sua e de seu marido dentro de si, e nada o tiraria de si. 




















Ou talvez tiraria... 


Notas Finais


NÃO ME MATEM
O especial de 200 favoritos vai começar a ser feito e a maior parte dos votos foi para escrever o passado de alguns personagens


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...