História Marte - Geomione - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Draco Malfoy, Hermione Granger, Jorge Weasley
Tags Draco Malfoy, Dramione, Geomione, George Weasley, Hermione Granger, Scabior
Visualizações 156
Palavras 1.579
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá.
Capítulo de transição.
Espero que gostem. E comentem!

<3

Capítulo 4 - Capítulo 03


Fanfic / Fanfiction Marte - Geomione - Capítulo 4 - Capítulo 03

Dois dias.

Hermione dormia há malditas quarenta e oito horas.

George estava em seu limite... Ele foi interrogado exaustivamente por um cético Ronald Weasley, além disso, foi obrigado a rever toda sua extensa família. Ou seja, muitas lágrimas, abraços, broncas e silêncios constrangedores.

 

- Você não precisa ficar. - Malfoy afirmou frio, tocando com afeto os fios encaracolados de uma adormecida auror. - Eu posso oferecer uma vida muito melhor para Hermione.

- É verdade. - George confirmou, entediado. - Acontece que isso não é uma escolha sua. - Eles se encaram firmes. – Hermione Granger me ama e você sabe disso. - Constatou com arrogância.

- Ela amava aquele extraordinário gêmeo Weasley, porém você não pode mais ser ele... Não é? - Draco destilou seu veneno, abrindo a ferida e esfregando sal.

- Hermione já ama o bruxo que eu me tornei. Quem eu sou - Apertou as mãos em punhos.

 

Ronald entrou no quarto do Saint Mungu’s com feições sobrecarregadas, acenou friamente para Draco e ficou ao lado do irmão. Nesses dois dias, tinha-se montado um verdadeiro circo em torno da prisão de Scabior, o auror fez questão de nublar os detalhes e acreditava que tudo daria certo... Um sorriso vingativo adornou seus lábios quando acertou os detalhes da vida infernal que o snatcher teria em Azkaban... Ele apodreceria lá antes de receber o beijo do Dementador, garantiu isso.

 

- Lee está lá fora. - Avisou cansado. - Eu faço companhia para minha melhor amiga. - Ron garantiu olhando com desagrado o ex-namorado da morena.

- Caso ela acorde, me chame. - George disse tocando o ombro do irmão.

 

O melhor amigo de George Weasley sorriu ao reencontra-lo, nunca perderam o contato, mas, não era igual. Eram dois ao invés de três, dupla e não trio. Caminharam até a lanchonete do hospital num silêncio confortável.

 

- Eu imaginei que sua determinação cairia se a encontrasse novamente. - Lee exclamou com um sorriso implicante. - Anos evitando qualquer notícia e por coincidência, ela reaparece gloriosa. - O negro riu do leve rubor que apareceu no rosto do amigo.

- Eu a subestimei. - Revelou com uma careta. - Hermione aguentaria minhas merdas durante esses anos.

Lee Jordan analisou rapidamente as feições do outro. - Não importa porque agora você retornou, mesmo que não fique. Eu tenho certeza que será tão feliz quanto pode ser.

- Que sentimental, Jordan. - George zombou. - Eu o convido para ser meu padrinho de casamento. - Eles trocaram um sorriso cúmplice.

 

Nesse momento Ron surgiu com um sorriso aliviado, e antes que ele abrisse a boca, George já corria entre os corredores atrás de sua Hermione. Abriu a porta num rompante, estacando ao notar que o loiro filho da puta abraçando a morena enquanto sussurrava algo em seu ouvido.

 

- Chega, Malfoy! – O Weasley rugiu. - Eu quero ficar sozinho com ela. – Mandou, cruzando os braços.

 

O bruxo loiro revirou os olhos, beijou a testa da ex-namorada e saiu sem cruzar seus olhos com o ruivo babaca. Definitivamente, tinha perdido a batalha pelo coração da auror.

George encarou com um sorriso petulante a mulher pálida deitada, ele se aproximou, com ternura distante de seu habitual, ele a beijou. Quando separou seus lábios dos dela, beijou sua testa e suas mãos.

 

- Eu fiquei. – Apontou o óbvio. - Você quer que eu permaneça?

- Sim. - Ela sorriu puramente, os olhos repletos de afeto.

 

#

 

Hermione deixou uma vida cheia de perigos e relatórios para trás, abriu mão dos acolhedores braços de sua família postiça, Weasleys, desistiu da vida cinza que levava em Londres. A ex-auror fitou as águas cristalinas à sua frente, com um sorriso feliz aproveitou os últimos raios de sol em sua pele, depois de meses, bronzeada.

 

- Você está linda. – George aproximou-se com um sorriso torto, sentou ao lado da mulher na areia. - Esse lugar desabrochou a Vênus escondida em você. - O ruivo falou galanteador enquanto beijava os lábios macios da noiva.

- Eu curti muito a Nova Zelândia, contudo eu realmente amo morar no Mediterrâneo, a ilha de Malta é fantástica. – Ela sorriu. - O mundo é muito mais bonito do que eu imaginava. – Refletiu.

- Eu concordo. - Ele pegou sua mão. - Eu compreendo a motivação de Potter e Lovegood em viajar tanto, por isso, enviei uma carta os convidando para uma visita. – Contou admirando a expressão surpresa da morena. - Também pedi que Lee chamasse nossa família. – Agora ela definitiva o encarava, embasbacada.

 

Após Hermione sair do hospital, o ruivo quis imediatamente ir embora. Ele não se sentia confortável com a ideia de convívio com os parentes, a bruxa apenas prometeu a Molly que cuidaria de George e mandaria notícias. Então, entregou o cargo de chefe dos aurores para o melhor amigo e partiu com o homem que amava para uma vida nova.

 

- E qual seria essa ocasião tão especial? - Ergueu uma sobrancelha, intrigada.

- Eu jamais te privaria das pessoas que ama em nossa cerimônia de casamento. – George exclamou quase com aborrecimento. - É importante para você.

- E para você? - Ela pressionou, gentilmente.

- Tudo que é vital para você também é para mim. - Ele declarou com aquele sorriso debochado que a deixava louca. - Eu procurei em muitos lugares algo que me fizesse feliz sem Fred, e descobri que tudo o que me faz feliz é estar contigo. – O ruivo encarou o horizonte.

- Eu me arrependo de nunca ter ido atrás de você. - Confidenciou também, olhando o mar. - Eu tinha meios para isso, entretanto achava que devia respeitar sua escolha. E, quando eu o vi na Travessa do Tranco, esqueci qualquer promessa que tenha feito em deixa-lo seguir sua vida.

- Eu agradeço o sequestro. - O homem ironizou. - Agora eu sei que não estava seguindo em frente, estava apenas procurando formas de morrer... E devo dizer, Fred teve muito trabalho preservando minha vida, eu me meti em muita encrenca nesses longos anos.

- É passado. - Ela amenizou. - O importante é que estamos juntos, e nós nos amamos. – Hermione o beijou apaixonadamente.

 

#

 

A família Weasley e agregados estava inteira presente, o casamento ocorreria à beira-mar e Molly não poderia estar mais emocionada. Ela agradecia imensamente Hermione por ter resgatado seu filho e o conduzido a uma vida mais tranquila e afortunada. Lee e Ginny eram os padrinhos por parte de noivo e Harry e Luna por parte da noiva.

Hermione entrou acompanhada por Ronald, seu melhor amigo. Ela estava deslumbrante num vestido esvoaçante, os cabelos trançados e um sorriso confiante... George sorriu verdadeiramente. E a matriarca Weasley derramou-se em lágrimas.

 

You're just too good to be true

Can't take my eyes off of you

You'd be like heaven to touch

I wanna hold you so much

At long last love has arrived

And I thank god I'm alive

You're just too good to be true

Can't take my eyes off of you

 

George enlaçou a cintura da esposa e a rodopiou, a música continuava ao longe... Contudo, tudo que interessava ao homem ruivo era a bela bruxa em seus braços.

 

- Feliz? – O bruxo perguntou num sorriso torto.

- Bastante, ruivo. – Hermione o beijou rapidamente.

- O suficiente para sairmos daqui e começarmos a verdadeira comemoração? – George mordiscou a orelha da morena e riu ao notar o estremecimento dela.

- Apressadinho você. – A mulher o encarou com bom humor. - Ansioso por algo?

- Somente para arrancar esse vestido, Sra. Weasley. – Exclamou malicioso e a beijou apaixonadamente.

 

#

 

George acordou com o cabelo de Hermione fazendo cócegas em seu nariz. Sorriu. Não seria ruim acordar daquela forma pelo resto de sua vida. Ela estava nua e com metade do corpo jogado no dele, passou um dedo sobre uma pequena cicatriz na altura do cotovelo da mulher. Então, uma coruja começou a bater insistentemente na janela, o homem soltou um palavrão e tentou levantar sem acordar a morena.

 

- Durma, baby. – Falou ao vê-la abrir os olhos ainda sonolentos. Hermione virou-se abraçando o travesseiro, deixando o ruivo sair de seus braços.

 

George deu passagem para a coruja que despejou uma carta em sua mão, ele deu umas migalhas de pão para o animal e o liberou. Encarou com curiosidade o envelope pardo e sem paciência o rasgou.

 

Weasley,

 

Claire Fontaine está morta.

E ela tem algo seu.  

Procure-me com urgência.

 

Charlotte Benoit.

 

- Droga! – George praguejou. E jogou a primeira coisa que viu contra a parede, uma garrafa vazia de champanhe.

 

Hermione sentou-se alerta, o lençol caiu em seu colo revelando pedaços de pele macia. Ela observou com crescente preocupação o ataque de raiva do esposo. Decidida, pulou da cama e caminhou até o ruivo.

 

- O que houve, Georgie? – Ficou na ponta dos pés, pegou o rosto sardento entre suas mãos. Ele estava possesso. - Conte-me! – Pediu, firme.

- Eu tinha uma amiga, uma pessoa que me apoiou durante algum tempo,... Claire. – Respirou fundo, buscando a calma perdida. - Ela morreu, ainda não sei do quê. – Contou puxando a morena para um abraço. - Eu desabafava sobre o quão brilhante você sempre foi, como eu tinha saudades e como eu te amava,... Ela era realmente boa ouvinte.

- Eu sinto muito, George. – Hermione buscou os lábios dele num beijo para consolá-lo. O casal permaneceu vários minutos abraçados assim. A bruxa sentiu um calafrio ao encarar novamente os olhos azuis, sua intuição lhe dizia que a calmaria estava perto do fim.

 


Notas Finais


N.B.: Ahhh Esse Malfoy apaixonado me deixa aqui com vontade de um certo loiro rsrsrs. Fico feliz que tudo tenha se acertado e que George tenha um pouco de paz... E a gente vai achando que seria assim até que... Uma super reviravolta! O que será que nos aguarda? Bjs bjs. Ártemis


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...