História Mary - Uma "Deusa" Dominadora - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 16
Palavras 1.546
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - Segredos...


Filipe: Está tudo muito quieto nessa escola.

Igor: Como assim?

Filipe: Eu não vi nenhum aluno desde que chegamos.

Igor: Eles podem estar nos dormitórios.

Filipe: Mas eu também não vi nenhum funcionário além da vice-diretora.

Igor: É verdade...

Filipe: Você lembra o número do quarto dos outros?

Igor: Não, você lembra?

Filipe: Não...

Igor: Vamos falar com a vice-diretora, talvez ela possa nos passar os números.

Filipe: Precisamos procurar uma enfermaria primeiro.

Igor: Você sabe onde fica a enfermaria?

Filipe: Não, por isso vamos procurar.

Igor: Não seria mais fácil perguntar a vice-diretora e ir direto para a enfermaria?

Filipe: Pode ser.

Os dois vão até a diretoria para tentar falar com a vice-diretora. Eles chegam a diretoria batem na porta e esperam.

Igor: Está demorando bastante.

Filipe: Não é melhor a gente procurar?

Igor: Ela estava aqui alguns minutos atrás.

Filipe: Ela pode ter ido resolver algo na escola.

Igor: Cara, meu olho tá começando a doer muito.

Filipe: Então vam...

Antes que Filipe terminasse de falar, a porta da diretoria se abre, mas não havia ninguém lá.

Filipe: Como isso aconteceu?

Igor: Você acha que eu sei.

Igor tenta entrar na diretoria mas Filipe o impedi.

Igor: O que foi?

Filipe: Você quer mesmo entrar?

Igor: Claro! Deve ter alguma coisa que mostre onde fica enfermaria.

Filipe: Tá... Vamos...

Os dois entram na diretoria e começam a procurar que possa ajudá-los.

Igor: Achou alguma coisa?

Filipe: Não...

Igor: Calma... isso é um mapa?

Filipe: Mapa?

Igor: Essa escola é tão grande assim?

Filipe: Isso importa agora? Olha logo onde fica a enfermaria!

Igor procura a enfermaria no mapa e, após encontrar, tira uma foto do mapa e sai da sala junto com Filipe.

Filipe: Será que vai ter alguém lá?

Igor: Eu acho que sim...

Filipe: E o seu olho?

Igor: Doendo cada vez mais.

Os dois chegam a enfermaria e batem na porta mas não aparece ninguém.

Igor: Talvez não tenha ninguém.

Filipe: O que a gente faz agora?

Igor: Sei lá...

Os dois estavam prestes a ir embora quando a porta se abre.

Igor: De novo?

Filipe: Que estranho...

XXX: Podem entrar.

Igor: Dessa vez tem alguém lá.

Filipe: Vamos!

Os dois entram e encontram uma moça de cabelos curtos e negros usando um vestido totalmente branco.

Igor: Você é a enfermeira?

Enfermeira: Sim.

Filipe: Eu achava que vocês usavam jalecos ou algo assim.

Enfermeira: Bem, eu uso o que eu quiser, principalmente hoje...

Filipe: Nossa...

Igor: Por que principalmente hoje?

Enfermeira: Porque eu só trabalho amanhã.

Igor: Putz...

Enfermeira: Aconteceu algo?

Igor: Um escorpião me ferroou.

Enfermeira: O que!?

Filipe: A senhora poderia nos ajudar?

Enfermeira: Eu só começo amanhã... Mas eu vou ajudar.

Igor: Filipe...

Filipe: Que?

Igor: Espera lá fora por favor.

Filipe: Por que?

Igor: Só vai.

Filipe: Tá...

Filipe sai e Igor olha para a enfermeira de uma forma seria.

Enfermeira: Vamos, pergunte...

Igor: Preste atenção, é uma pergunta bem séria...

------xxXXxx------

Abneval: Não tem nada pra fazer aqui...

André: Será que eles estão fazendo alguma coisa?

Abneval: Eu acho que não.

Os dois sem fazer nada quando escutam alguém batendo na porta.

André: Você abre a porta...

Abneval: Nada disso, você abre...

André: Vai lá Abneval sério...

Abneval: E você acha que eu estou brincando?

André: Que saco...

Novamente se escuta alguém batendo na porta e André vai abrir a mesma.

André: Mas... Como assim?

Abneval: Quem é?

André: Ninguém.

Abneval: Brincadeira infantil essa...

André: Mas tem uma carta.

Abneval: E o que diz?

André: “Só você vai conseguir ler Abneval, você sabe como e sabe quem eu sou, quando terminar, sabe o que fazer não é?” diz isso.

Abneval: Me da a carta...

------xxXXxx------

Filipe: Por que você queria que eu ficasse aqui fora?

Igor: Nada demais... preciso falar com todos vocês juntos.

Filipe: Nós não sabemos onde ficam os quartos deles.

Igor: Eu perguntei a enfermeira, ela tem a ficha de todos nós e sabe dos quartos...

Filipe: Você parece desanimado... Aconteceu alguma coisa?

Igor: Quando todos estiverem reunidos eu conto.

Filipe: Certo...

------xxXXxx------

André: Como assim tem mais coisas escritas aqui?

Abneval: Eu já disse um milhão de vezes...

André: Mas...

Abneval: Eu ganhei uma lente especial de um amigo...

André: Sim...

Abneval: Essa lente consegue ver uma tinta especial...

André: Certo...

Abneval: Escreveram o resto desta carta com essa tinta!

André: Essa parte eu entendi, mas eu não entendo porque só você pode ler essa carta.

Abneval: Segredos!?

André: Eu sei... Mas... Igor não confia em mim?

Abneval: Que?

André: Essa letra da primeira parte é de Igor.

Abneval: Não estou afirmando nada...

André: Você sabe de algo que eu não sei?

Abneval: Eu sei de várias coisas que você não sabe.

André: Interessante...

Abneval: Eu vou pegar a minha lente especial e ler o que tem na carta, então, licença.

André: Toda...

André sai do quarto e tenta lembrar o número do quarto de Marcos.

André: Lembrei!

André vai em direção ao quarto do seu amigo, mas encontra uma pessoa que ele “adora”...

André: Você também está aqui...

XXX: Todos fomos mandados para cá, nossa escola está em reforma esqueceu?

André: Claro que não, mas, além do pessoal do meu grupo, você foi o único que eu encontrei aqui.

XXX: Por motivos óbvios...

André: Como assim?

XXX: As verdadeiras aulas só começam daqui uma semana, os alunos que já estavam matriculados aqui chegam daqui uma semana...

André: E os nossos colegas?

XXX: Eu explicarei, se me deixar terminar... Continuando, os nossos colegas combinaram de deixar as coisas aqui e viajarem juntos para alguma cidade do litoral.

André: E você não quis ir?

XXX: Como assim? Eu vou... Vai me dizer que você não sabe...

André: Sei do quê?

XXX: É, não sabe, nós entramos em contato com Igor e Filipe, eles vão hoje e eu vou junto.

André: O que?

XXX: Eu acho que eles não querem vocês com eles, não sei porque. Bem, estou indo para o meu quarto...

André: Eu não vou confiar em você Gustavo, vou perguntar se isso é verdade, vou perguntar a eles.

Gustavo: Eu não ligo...

André e Gustavo começam a andar mas andam na mesma direção e acabam parando de frente a porta de Marcos.

Gustavo: Está me seguindo até o meu quarto André?

André: Não me diga que...

Antes que André terminasse sua fala, Marcos abre a porta e se assusta com as pessoas que estavam a sua frente.

Marcos: Caramba! Que susto! O que vocês estão fazendo aí parados?

Gustavo: Oi pra você também Marcos.

Marcos: Desculpe, oi Gustavo.

André: Eu preciso falar contigo e ele vai ser teu colega de quarto.

Gustavo: Eu gostaria de passar, então, sai da frente por favor.

Marcos: Claro...

Marcos abre passagem para Gustavo que passa e nem mesmo da tchau para André ou Marcos.

Marcos: O que você quer André?

André: Eu te garanto, é algo muito interessante...

------xxXXxx------

Abneval: Interessante Igor...

Abneval pega um isqueiro e coloca fogo na carta.

Abneval: Se depender de mim, ninguém vai saber disso.

------xxXXxx------

Filipe: É aqui?

Igor: Sim, esse é o quarto de Abneval e André.

Filipe: Então eu vou bater na porta.

------xxXXxx------

Marcos: Então eles estão escondendo coisas de nós...

André: Sim, e Igor e Filipe sabiam sobre o internato antes da chegada das cartas no nosso apartamento.

Marcos: Sério?

André: Sim, como eu já disse, nossos colegas combinaram de viajar hoje e chamaram Igor e Filipe...

Marcos: Como você ficou sabendo?

André: Gustavo vai junto com eles dois para a cidade do litoral.

Marcos: Mas, como eles iriam para essa cidade do litoral sem que a gente soubesse?

André: Não sei, talvez eles inventassem uma doença para que pudessem sair daqui sem que a gente desconfiasse.

Marcos: Mas por que? Eles não querem a gente por perto?

André: Eu acho que não...

------xxXXxx------

Abneval escuta batidas na porta e vai até lá abri-la.

Abneval: Vocês...

Igor: Preciso falar com vocês.

Abneval: O que é isso no seu olho?

Igor: É isso que eu quero explicar a vocês.

Abneval: Então, André saiu.

Igor: Você sabe onde ele está?

Abneval: Não.

Filipe: Então vamos chamar pelo menos Marcos.

Abneval: Como?

Filipe: Cada quarto tem um telefone fixo, para ligar para eles, é só colocar o número do quarto deles.

Igor: Vamos ligar para Marcos...

------xxXXxx------

O telefone do quarto de Marcos e Gustavo começa a tocar e Gustavo vai atendê-lo.

Gustavo: Alô...

Igor: Essa voz não é de Marcos, mas eu conheço bem...

Gustavo: Será que conhece... Igor...

Igor: Você também me reconhece pela voz, interessante.

Gustavo: Vamos Igor, não enrole, diga o meu nome...

Igor: Não estou enrolando Gustavo...

Gustavo: Acertou.

Igor: Você é colega de quarto de Marcos?

Gustavo: Sim, por que?

Igor: Preciso falar com ele.

Gustavo: Vou chamá-lo.

Gustavo chama Marcos e diz que Igor queria falar com ele.

Marcos: O que aconteceu?

Igor: Venha até aqui e saberá.

Marcos: Realmente aconteceu alguma coisa?

Igor: Eu já disse, venha ao quarto de Abneval, se encontrar André traga-o.

Marcos: André está aqui.

Igor: Melhor ainda, venham os dois agora.

Igor desliga e Marcos chama André para irem de encontro a Igor.

Gustavo: Aconteceu alguma coisa...?

------xxXXxx------

Igor: Quando eles estiverem aqui, eu vou explicar tudo...

Filipe: Espero que eles não demorem.

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...