História Mas cê tá bravo? - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Adivinhe O Passivo, Jihope, Jin!omma, Tortura Apenas No Amor, Vmon, Yoonkook
Visualizações 65
Palavras 1.480
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


9)
( Oi
9)

hehehehe capítulo novinho saindo do forno pru cês heheheh

boa leitura :v desculpem os erros sz

Capítulo 2 - Piranhas e rejeição


Eu passei o resto da minha tardinha pensando no meu açúcar, olhava para o céu pela minha janela, vendo o céu limpo mostrando as estrelas mais brilhantes do que nunca, será isso um sinal ? Para que eu aproveite enquanto meu azar não está presente, e pule no meu neném?


Olhei pela janela do quarto do meu amor, vendo que a luz tinha acabado de ser apagada, e a sombra do meu mozão desaparecer, normalmente ele sempre aparece na janela para mandar um aceno ou algo do tipo, ou perguntar se eu não gostaria de dormir no quarto dele (apesar que eu dormia no chão, enquanto isso ele no colchão confortável), mas o que valia era apenas sua presença perto da minha. Estávamos nos distanciando aos poucos, o ensino médio, as malditas garotas, e agora o meu maldito sentimento por ele, estava fazendo ele se distanciar cada vez mais.


Na manhã seguinte, quando passei pela sua casa, sua mãe tinha dito que ele saiu mais cedo. Tá. Pela primeira vez em anos, ele não vai me acompanhar até a escola. Tô chateado.


Cheguei a escola olhando para todos os lados procurando meu mozão, cumprimentando os friends e as piranha, querendo ou não eu era popular, meu rostinho bonito deixa muito claro isso, mas a presença de Suga também fez com que eu fizesse parte do clubinho dos populares.


— Hey Taehyung


— É hyung pra você!


— Então Taehyung, viu Yoongi hyung por ai ? — sorri vendo a cara de cu que ele fez.


— Ele foi pra lá — apontou pro final do corredor — Com a Trina, e na próxima vez que se sugerir a minha pessoa, sem o hyung — respirou fundo — Pego esse rostinho lindo que você têm, e enfio em uma privada cheia de mijo e merda. ..


Eu deixei ele no vácuo? Deixei. Essa não foi a primeira, e nem será a última vez de suas ameaças, fui em direção aonde ele tinha apontado, Trina galerinha, era nada mais, nada menos que a piranha, cachorra e puta da escola, uma das piores, não se contenta com um na semana, nem mesmo um por dia, essa vagabunda pra se contentar, têm que ficar com pelo menos uns três por dia e dar a bunda pelo menos quatro vezes na semana.


E isso é a minha preocupação. Yoongi adora ela, até porque eles têm o pensamento igual, de pegar e largar no mesmo dia.


Yoongi era um filho da puta (sem ofensas sogra), mas ele era mesmo.


No final do corredor se encontrava as salas de informática, a biblioteca a sala de experiência e bem no final mesmo a porta para a quadra de esportes. A quadra sempre foi cheia de gente (gostosa) fazendo exercícios, e Yoongi odiava exercícios, a não ser aquele pela qual um come ao outro, então descarto facilmente essa opção, por não dar pra fazer sexo na quadra cheia de gente.


Sala de informática e a de experiência, cheia de nerds, não. Biblioteca? Fácil pra se esconder, pouca movimentada e sem supervisão pela manhã, perfeito.


Fui em direção a tal biblioteca, e vejo Trina sair de lá furiosa, esbarrando em minha pessoa delicada, e com sua educação dada pelas hienas do rei leão sorri e fala um “desculpa cuzão viado do caralho” e saí pisando fundo.


Dei uma voadora na cara dela, e com ela no chão subi sobre seu corpo e comecei a dar vários tapas naquela vadia desgraçada, vem mexer com Jungkook que te levo pra cova sua ratatouille sem sal.


Bem era isso que eu queria ter feito.


Apenas respirei fundo ignorando a putiane e adentrei a biblioteca, vendo um Yoongi sentado com as mãos no rosto. Ele viu minha aproximação, e seus olhos correram para todo o lado.


— Suga. ..


Ele se levantou e passou direto por mim. Virei o homem invisível agora? Mas que porra tá acontecendo? Primeiro ele aceita me beijar. Depois me rejeita. Legal. Legal o caralho.


— Volta aqui peste — corro atrás daquele destruidor de coraçõeszinhos sensíveis como o meu.


— O que você quer Jeon? — agora é assim? Me chamar pelo primeiro nome? Abusado — Estou atrasado, depois conversamos.


Entrou em sua sala, sem nem ao menos um toque de brothers como fazíamos. Fí de zéfa.


[...]


Educação física seria a minha matéria favorita. Ouvi um amém? Essa matéria além de me manter gostoso pros cremoso, ainda me dá o privilégio de ver gostosos do terceiro e segundo ano jogando basquete, vôlei, futebol e etcetera.


Eu não sei se é sorte ou azar minha aula ser junto com a sala de Yoongi, seria sorte por ser junto com “o crush”, mas seria azar com cada tiro que aquele garoto me dá.


Que tiro foi esse viado? Que tiro o que, de Yoongi é logo bomba nuclear na minha vida, na minha alma, e se pá’ até no meu cu.


Tá certo que ele odeia aulas de educação física, mas se não tivesse rejeitado, seria um ótimo líder do time de basquete. Os jogadores imploram pra ele entrar no time, e a única coisa que ele faz é passar a língua entre os lábios, arrumar o cabelo molhado se suor com as mãos e lançar uma risadinha sacana dizendo uma frase de efeito antes de fazer cesta no último segundo de fim de jogo.


— Eu não sou pro seus bico


Viu só? Ele é perfeito em tudo, essa peste .. . Que eu amo é claro.


Eu vou morrer de amor
Eu gosto tanto dele, alguém diz pra ele
Oh como é que eu tô

Todo fudido de amô


Aish. É claro que as música de corno Brasileira me influencia em sofrer por esse baixinho cada vez mais.


Eu não sei se é imaginação minha ou algo do tipo, mas toda vez que eu o vejo em minha frente, meus olhos param sempre em um lugar, sim, sua bunda. Aquele bunda, hmmm adoraria deixá-la roxa com a marca de minhas mãos.


Teve uma vez que eu dei uma apertada quando nos abraçamos, ele quase me deu um soco, mas a única coisa que fez mesmo, foi tentar me estrangular como o Homer faz com o Bart nos Simpsons.


[...]


Até agora não consegui falar com ele, ele me evita até onde pode, ele foi sentar até com o maldita da Yuna (outra puta), pra não falar comigo.


Mas não vai ser dessa vez que ele vai conseguir usar das puta dele para escapar de mim, vou até a mesa onde estavam o bando das cucuica (nome que acabo de inventar pras vadia que dá o cu, por falta de cérebro), e me sento ao seu lado, ganhando sorrisos das vadia louca pra dar pra minha pessoa, mal pensam elas que da fruta que elas gostam, eu chupo ate o caroço. hi hi hi.


— Kookie-ah, faz tanto tempo que não senta com a gente, estávamos com saudades — fez biquinho junto com as outras, se fingindo de inocente, bandida. Por mim não te via nunca cachorra.


—  Eu só vim conversar com o Suga hyung — lanço um sorriso fechado bem falso.


— Ahh gostaria de privacidade? —  todas me encararam tristonhas


—  Por favor — continuo com meu sorriso falsiene que Yoongi tinha me ensinado no primeiro dia de aula.


—  Okay então — fez sinal pras meninas se retirarem — Mas vai ficar me devendo uma —  mandou um pisca se retirando.


— Devendo o caralho —  sussurro, voltando a encarar Yoongi, que só dava atenção a sua comida, ele estava meio rubonizado, fazendo eu achar ele a coisa mais fofa do mundo, e querer apertar aquelas bochechas cheinhas dele.


— O que foi? Perdeu o cu na minha cara? — me encarou sério.


— Bem que eu queria perder meu cu na sua cara hyung, mas você não facilita — faço um biquinho choroso e logo depois sorrio com ele tentando disfarçar sua cara que ficava cada vez mais avermelhada.


Aish Jungkook, o que você quer? — tomou um gole de seu suco de laranja, voltando a me encarar.


— Porque está me rejeitando ? — bora se fingir de magoado, e colocar o biquinho choroso em prática, ele vai ter dó e vai me mimar o dia inteiro. hi hi hi.


— Eu não estou te rejeitando, só estou com o dia atarefado — falou simplista.


— Ahaaam, de paquerar vadias —  ele mentiu pra mim na cara dura.


— E qual o problema an ? Só porque nos beijamos ontem, não quer dizer que já estamos namorando ou algo do tipo, foi um erro, apenas isso, um erro.


— Um erro? —  falo como um sussurro, com a voz já chorosa, atraindo atenção dele que arregalou os olhos vendo que a primeira lágrima acabará de descer.


— Kookie? Está Chorando? — me olha preocupado.


— Não, é apenas água saindo dos meus olhos — falo limpando elas com minhas mãos, sorrindo fechado — Tenho que ir Suga hyung, minhas aulas já vão começar — tenho  o acentimento dele e aceno em despedida.


Que aula o que, eu vou é chorar no banheiro isso sim.


Notas Finais


pq eu sou um kookie da vida? aaaaaaaaa
cês é trouxa igual ele não né? pq eu sou ;-;

gente a música em itálico e pá é do João Neto e Frederico (se eu não me engano) e o nome dela é (claro) "Eu vou morrer de amor".
Ps: A parte em negrito não faz parte da música! lskdkskkdk

Me inspiro muito em sofrencia genten!!!

AAAAAAAAAAA EU TÔ AMANDO MUITO FAZER ESSA FIC szszs Espero que estejam gostando szsz Até a próxima ♡♡♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...