História Mas é pavê ou pacumê? - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Kim Seokjin (Jin), Park Jimin (Jimin)
Tags Jinmin, Piada Do Pavê, Tema 29, Tyjgalaxy
Visualizações 237
Palavras 1.475
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Slash
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, gente, como estão? Estou aqui com uma Jinmin um tanto engraçada para vocês. Espero que vocês gostem, porque eu me dediquei MUITO pra essa fanfic.

Capítulo 1 - Para, SeokJin!



Era dia da festa junina na empresa do grupo Bangtan. Salgados, doces e diversas comidas estavam naquela mesa. Porém, todos estavam á espera da sobremesa surpresa. A barriga de todos chegavam a roncar de tanta curiosidade que estavam para saber logo desta pequena sobremesa surpresa. Aquilo estava uma verdadeira bagunça: Yoongi havia deitado no chão e estava dormindo, como sempre; Hoseok estava dando gritos histéricos; Taehyung, Namjoon e Jeongguk apenas fazendo cada palhaçada.

E, enquanto isso, Seokjin fazia piadas horríveis para todos. O único que dava ouvidos para as mesmas era Jimin, no qual ria de todas as piadas que o mais velho contava.

— Qual é o cúmulo do astronauta distraído? Bater a nave e dizer que foi por falta de espaço. — disse, fazendo o Park morrer de rir.

— Quando o cachorro fica desconfiado? Quando está com a pulga atrás da orelha. — contou a piada e em seguida, deu sua famosa risada.

— Jin-hyung, pelo amor de Deus… Sossega esse fogo. — Jeongguk falou, mordendo o lábio fortemente, se segurando para não rir. Porém, o Kim negou com a cabeça e continuou contando piadas — mesmo que elas fossem horríveis.

O clima estava engraçado, já que as piadas de Kim Seokjin eram engraçadas, até demais. O garoto dos cabelos cor-de-rosa ria a cada piada que dava, fazendo Jimin rir mais ainda. O mais novo de cabelos loiros se curvava enquanto ria; Kim estava achando aquilo fofo, e ao mesmo tempo, engraçado.

Era hora da sobremesa surpresa que tanto esperavam. A mesma foi colocada na mesa, e o pior aconteceu: era pavê — ou melhor, pacumê.

— Lá vem… — Jimin sussurrou para si mesmo, esperando a querida piada velha, típica de idosos.

— Ô gente, mas isso é pavê ou é pacumê? — Seokjin recitou a velha piada, fazendo com que o garoto dos cabelos loiros risse.

— Jin, Jin… — disse rindo.

— JIN, JIN, JIN, PAGA UM LANCHE ‘PRA MIM! — gritou Hoseok, rindo da piada velha.

Enquanto todos comiam o pavê, Jin recitava várias vezes a piada do “pavê ou pacumê”. Afinal, não tinha culpa do doce ter o nome de pavê e sua pronúncia parecia que era “para ver”.

Era hora das brincadeiras: E a primeira delas era a dança das cadeiras. Todas as cadeiras estavam organizadas, a playlist de música estava pronta para ser tocada e todos estavam prontos para começar a brincadeira. O mais velho colocou uma música e todos giravam em torno das cadeiras, quando a música finalmente parou, o Taehyung havia perdido.

A cena foi se repetindo até que chegou o final: Seokjin vs Jimin. Quem perdesse, teria que dar um beijo no vencedor. A música, enfim começou e ambos giraram em volta da cadeira. Jin acabou ganhando o jogo e o mais novo teve que dar um beijo no mais velho. Foi uma bitoquinha de leve, mas não era nada demais.

Quando Jin fitou a mesa e viu que o pavê havia desaparecido, ficou chocado e desesperado. Ele queria o pavê!

— Cadê o pavê? Não era pavê, era pacumê! — irritou-se e fez beicinho, porque ele queria “cumê” o seu pavê, que não era só para ver, e sim para comer.

Irritado, procurou pelo pavê por todos os lugares da casa. Não o encontrou, fazendo com que o mais velho se estressasse cada vez mais. Quando voltou para a pequena sala que estava rolando a festa, percebeu que o pavê estava nas mãos do Jimin.

— Oi, hyung… — disse o menino, inocentemente. Ele sabia que estava errado e havia se arrependido de ter comido o pavê, ou melhor, pacumê do Jin.

— PARK JIMIN! O QUE ACONTECEU COM O MEU PAVÊ?! — gritou bravo, se segurando para não bater no mesmo.

— Desculpa, hyung… — fez beicinho bem fofo inocentemente, para tentar conquistar o mais velho com a sua fofura.

— MOLEQUE DO CÉU, NÃO ERA PARA TER COMIDO O PAVÊ! ELE ERA PRECIOSO DEMAIS PARA MIM! — gritou.

— Não era tão precioso pra mim não. — disse Yoongi.

— Eu disse pra MIM com M NO FINAL, e não para MIN YOONGI! — Era muito perceptível o quão irritado estava Jin, com o fato de terem comido o seu pavê.

— Jin, dá pra fazer outro… — Jimin fez biquinho, se lamentando. — Não me bate, por favor.

— Me dê uns três motivos para eu não bater em você, sua criança. — Seokjin falou sem paciência.

O rapaz tentou explicar os motivos para o melhor amigo, mas o mesmo não lhe deu ouvidos. Acabou encontrando um outro pavê dentro da sua geladeira e comeu, fazendo aquela mesma piada do pavê ou pacumê.

— Jin… Para com essa piada, pelo amor de Deus. Isso já é coisa de velho. — riu o jovem, se curvando.

— Mas eu não tenho culpa se a pronúncia é pavê! Para ver é igual a pavê, mas isso é um doce, então é pacumê. — tentou explicar para o mais novo. — Oxe, abestado!

Riram por vários minutos de Kim Seokjin tentando imitar a pronúncia nordestina, já que era engraçado a forma que o mais velho tentava pronunciar a língua portuguesa, do Brasil. Jin e Jimin se divertiram por horas e horas, até se cansarem. E a piada do pavê foi recitada várias e várias vezes pelo rapaz dos cabelos cor-de-rosa.

Anoiteceu e ambos estavam em volta da fogueira, esquentando gravetos com marshmallows na ponta dos mesmos. A barraca já estava pronta para ser usada, o brilho cintilante da lua e das estrelas ajudavam Kim e Park a enxergarem. Mal sabia Park Jimin que Kim Seokjin tinha guardado um pedaço do pavê e levado para o pequeno acampamento a doisassim, o mesmo estava pronto para recitar toda hora aquela mesma piada de sempre.

— Jin — chamou o mais novo, dando um sorriso bobo. E o menino dos cabelos cor-de-rosa olhou para o mesmo. — Você deve estar aprontando algo que eu sei.

— Eu, aprontando? Nunca nem vi. Que dia foi isso, Park Jimin? — brincou o rapaz, arrancando uma risada alta do garoto dos cabelos loiros. — Ri baixooooo, menino! Tu quer acordar os outros, pirralho?

— Eu não sou pirralho! — resmungou de forma fofa, cruzando os braços. — Eu sou um bebê!

— É sim, é o MEU PIRRALHO! O pirralho que eu amo, o meu anão. — sorriu fofo, bagunçando o cabelo do jovem.

Já estava ficando tarde, os marshmallows haviam queimado e os dois estavam ainda observando o céu azul, repleto de estrelas cintilantes. Para um método melhor de segurança, decidiram apagar o fogo que saía da fogueira. Seguravam as mãos um do outro e o Kim se segurava para não pegar o pavê, guardado dentro de um pote na sua mochila da mesma cor que o seu cabelo. Já eram três da manhã e nada do sono chegar no casal, porém, a vontade de ir até a mochila cor-de-rosa e pegar aquela bendita sobremesa era enorme. Tão enorme que supera o tamanho de um cérebro do ser humano. Já estava lambendo os próprios lábios de tanta fome que estava, o ronco em sua barriga — que antes estava baixo —, tornou-se um barulho muito alto que até o além deve ter escutado.

— Meu Deus, carambolas! Você só vive com fome, rapaz! — brincou o Park, rindo feito um palhaço.

— Não gostei do bullying. — fez beicinho e cruzou os braços, virando de costas. Ficou irritado com a brincadeira sem-graça do mais novo, afinal, não se achava tão faminto assim. Seu lema era: A boca foi feita pra comer. Se a comida existe, é porque é um bom benefício para todos e muitos gostam desse hábito.

E quem negasse, levaria uma porrada. Ok, isso já eram brincadeiras a parte do garoto dos cabelos cor-de-rosa, mas quem o criticasse… A chinela ia voar. Não aguentava mais a sua grande ansiedade e parou de segurar a mão de Jimin, foi até a mochila e pegou o pote que estava o pavê que tanto amava. Abriu o mesmo e logo, o rapaz abriu a boca para pedir um pedaço do hyung.

— Não. Você já comeu O MEU PAVÊ, nem vem. E era PAVÊ, e não PACUMÊ. — disse extremamente irritado, mastigando e engolindo aos poucos os pedaços da sobremesa.

— Mas hyung, eu já pedi desculpas… — lamentou-se enquanto um beicinho se formava em seus lábios. O mais velho murmurou um “tá” e deu um pequeno pedaço para o mais novo, que ficou encarando a sobremesa por muito tempo.

— Anda, é pacumê e não pavê! — falou irritado e fez Jimin mastigar e engolir a sobremesa. — Mas é pavê ou pacumê?

— Ah, não… Jin, você já disse essa piada várias e várias, eu já estou cansado. — o Park continuou com o seu beicinho, demonstrando estar extremamente cansado com a piada de sempre.

— Iti malia, meu deus, eu juro que parei com essa piada ruim só por conta de você. — beijou o beicinho do mais novo, parando de contar a piada ruim. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado (e que não tenham ficado com fome, hehe.) Dêem muito amor ao TYJGalaxy, gente. sz Agradeço a @Lah_Jiminnie pela capa e a @Minesa pela betagem.
Até /0/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...