História Mas não era de Mentirinha? - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Abo, Bangtan Boys (BTS), Comedia, Humor, Jimin Alfa, Jungkook Alfa, Jungkook Top, Kookv, Kth + Jjk, Namoro De Mentira, Omegaverse, Taehyung Bottom, Taehyung Ômega, Taekook, Universo Alternativo, Vkook, Yoongi Ómega, Yoonmin
Visualizações 208
Palavras 9.931
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá meus lindos Algodões Doces 💙

Até que eu não demorei tanto dessa vez, não é kkkk

Quem está esperamos por atualizações das minhas outras fics, não se preocupem que logo elas saem kkk

Eu não sei muito o que falar, além de agradecer por todos os favoritos e todo o apoio que recebo de vocês!

Eu espero que vocês estejam todos bem e Felizes.

Boa leitura e vamos lá!

Morram de amores ❤️

Capítulo 7 - Vocês realmente não gostam de mim, não é, divindades?






Apenas um tombo não é o suficiente quando às divindades não gostam de você. Se prepare porque é capaz de em vez do chão você cair em uma vala.




Mas uma vez eu andava pelos longos corredores da Universidade, dessa vez eu estava impossibilitado de ir para o lado de fora, a tempestade que caía do céu não era nada simpática e isso estava me deixando entediado de uma forma que eu já estava começando a ficar irritado.

Me sentei em um dos bancos espalhados pelo corredor e encostei minhas costas na parede, me afundando mais nos casacos que agasalhavam meu corpo. Estava frio demais. E estava mais frio ainda para os Ômegas. E eu infelizmente sou um Ômega.

— Tae você está bem? —  Olhei para cima vendo que Jimin me observava, com uma expressão preocupada no rosto.

Ele sabia bem o quanto o frio me afetava.

— Sim, estou. Está apenas bem frio. — Murmurei, me afundando o máximo possível nos casacos. Meus dentes batiam minimamente uns nos outros.

— Sim, está frio mesmo, isso porque nem chegou o inverno completamente. Bem que eles podiam já começar a ligar os aquecedores dos corredores — O alfa se sentou ao meu lado e puxou meu corpo, me fazendo se aconchegar a ele e consequentemente me esquentar. — Por que você não está na sua sala?

— O professor não veio, por isso estou com duas aulas vagas. — Resmunguei  me lembrando que ficaria quase três horas sem fazer nada.

— Mas isso não explica o motivo de você estar aqui no corredor em vez de dentro da sala quentinha.

— Aish! Aquelas Ômegas ridículas ficaram me provocando e decidi sair, não posso manchar meu histórico perfeito com elas. — Balbuciei sentindo uma raiva crescer aos pouquinhos só em lembrar daquelas putas.

Como eu queria arrastar a cara daquelas varas secas  no asfalto molhado! Só para tirar aquele reboque da cara delas!

Sorte delas que estou com o braço engessado, porque minha cota já acabou!

— Tae, sabe que não deveria se importar com elas, você é melhor. Melhor que todas elas juntas. — Proferiu fazendo um carinho em meus cabelos.

Eu sabia que ele estava certo, mas é difícil colocar na cabeça que você é melhor que todas quelas Ômegas, quando você meio que está com a auto estima meio abalada. Não que eu não me ache lindo, perfeito e maravilhoso, mas não sei, não sou igual os outros Ômegas... sou diferente. Mais agressivo, falante, espontâneo, estressado,  tenho mais corpo e é difícil quando quase todos ficam jogando isso na sua cara.

Não que eu me importe tanto, mas... é complicado.

— Eu sei... — Suspirei. — Mas é difícil, muito difícil...

— Mas você precisa manter sua calma, sabe que se envolver em confusões não vai melhorar às coisas, só vai piorar... Eu sei que elas são umas putas mal amadas e vivem te infernizando, mas você é muito especial e tem brilho de mais e elas se incomodam com isso. — Jimin fez uma cósquinha em minha barriga e continuou. — Porque porra, Tae! Você é praticamente o melhor aluno dessa universidade, é criativo, incrivel, independente, lindo, muito inteligente, engraçado, um amorzinho e sempre tem Alfas atrás de você.... como você quer que aquelas invejosas gostem de você? — Indagou forçando uma voizinha meio irritante, me fazendo gargahar e me ajeitar no banco, fitando seu rostinho de bochechas fofas.

— Obrigado, Chimie... por tudo. — Sorri, recebendo um carinho na bochecha.
Jimin afastou sua mão de meu rosto e tirou um de seus casacos, o colocando sobre meus ombros logo em seguida.

— Aqui, fique com ele e não reclame — Ditou, já sabendo que eu iria negar. — Eu não estou com tanto frio e nem tenho a saúde tão frágil como você, Tae.

— Aish! Odeio ser um Ômega!  — Resmunguei emburrado, cruzando meus braços e escutei a risadinha do de madeixas vermelhas, me deixando ainda mais irritado.

— Eu sei. Você fala isso quase todos os dias — Sorriu mexendo em meus cabelos — Mas você é um Ômega e não á como mudar isso. — Falou mais sério e eu apenas suspirei, sabendo que o cabeça de fósforo tinha razão, como quase sempre.

— Eu sei... mas não dói nada reclamar. — Sorri sapeca e o Alfa apenas balançou a cabeça negativamente.

— Agora eu preciso voltar para sala, tome cuidado e se aqueça ou volte para sala. — Advertiu se levantando do banco .O Alfa beijou minha testa carinhosamente e eu apenas ciciei um
" me manterei aquecido" e logo o mesmo se afastou pelo longo corredor, me deixando sozinho.

  Eu odeio ser um Ômega!  Ser tão delicado, fraco, ter que ser submisso e ser tão vulnerável aos Alfas.

Se eu tivesse nascido um Alfa com certeza nada do que aconteceu na minha vida teria acontecido, porque tenho certeza que Ômega nenhum faria o que aquele Alfa  fez comigo.

Acho que o maior motivo de me odiar tanto é ter sido tão vulnerável e patético perante ele. Se eu tivesse sido mais forte... suportado mais... lutado mais... ele não teria conseguido fazer o que fez.

Talvez eu seja realmente patético.

Ridículo

Trouxa e

Esquisito.

Me enrolei no casaco gigante de Jimin, me encolhendo ali, com o cheiro de terra molhada e laranjas do Alfa me acalmando minimamente.

Eu odeio ter essas lembranças!

Puta que pariu! Como odeio!

Odeio! Não suporto me lembrar de cada momento, cada coisa, cada toque , tudo!

Eu queria poder perder minha memória e esquecer!

Esquecer tudo sobre ele!

Porque tudo até aquele maldito dia foi mentira!

Tudo mentira... — Sibilei, sentindo uma lágrima caminhar por minha bochecha. Tirei meus dedos do casaco e a sequei rapidamente, respirando fundo.

Calma, Tae. Calma.

Ele não merece uma lagrima sua!

Ele não pode te machucar. Não pode te ferir. Não pode te alcançar.

Está tudo bem... enquanto Jeon JungKook continuar fingindo ser meu Alfa ficará tudo bem...

Me levantei do banco e decidi andar pela faculdade. Eu tinha duas aulas livres e ficar sentado, ali, sozinho, com todas essas lembranças pertubando minha mente não ia me fazer bem, eu tinha certeza, por isso caminhar por ai me parece muito melhor.

Segui pelos longos corredores e logo avistei o elevador, entrei no mesmo e apertei em qualquer andar. Eu não estava acostumado a andar desse lado da universidade, pois todas as minhas aulas ficavam do outro, nem me lembro da última vez que andei por esse lado.

A universidade era realmente grande, o que não me admirava se levar em conta seu método único. O gigantesco prédio de 9 andares consistia em 224 salas , 36 escadas, 5 quadras espalhadas pelo Campus sendo elas três fechadas e duas abertas, 12 elevadores, 5 piscinas, 6 salas de auditórios, jardins, diversos clubes, fora outras coisas que não me recordo agora, mas a faculdade é gigante e bem, só os " melhores e mais fortes " estudam aqui, se levar em conta a seleção rígida que fazem, ou seja, não basta você apenas ter dinheiro, tem que mostrar que realmente está disposto a estudar aqui, porque não é fácil, eu por exemplo estou cheio até o pescoço de trabalhos para fazer e agora com esse braço engessado não vai ser tão simples os terminar, ou melhor, os começar, se levar em conta que alguns eu nem sequer comecei.

Sai do elevador assim que as portas abriram e segui pelo corredor gigante e cheio de portas do lado esquerdo, e do lado direito diversas janelas que mostravam a chuva que caía do lado de fora. Continuei andando, olhando pelo vidrinho das portas os diversos alunos de cada sala que eu passava, alguns mexendo em computadores, notebooks e tablets, enquanto outros mexiam em cabos e fios e logo me surpreendi ao ver um dos alunos mexer em seu notebook e logo um mini robô que estava em cima de uma das bancadas começar a se mexer e andar pela bancada, os estudantes passaram a sorrir e festejar.

Realmente incrível.

Sorri por eles e continuei andando pelos corredores, vendo outras salas com alunos fazendo suas atividades com atenção e sorrindo quando conseguiam alcançar seus objetivos. Parei em frente a uma sala vazia e entrei na mesma, me surpreendendo ao ver um piano e outros instrumentos espalhados pela sala, provavelmente era onde os estudantes de música guardavam seus materias.

Me sentei em uma das cadeiras, tirando o casaco de Jimin dos meus ombros, e peguei um violão, o ajeitando em meu colo. Passei a tocar pequenas notas conhecidas por mim. Fazia tanto tempo que eu não tocava em um violão... tanto tempo que não sentia meus dedos deslizarem por suas cordas e meus ouvidos degustarem seus sons. As notas passaram a serem tocadas praticamente no automático e eu nem percebi quando comecei a cantarolar uma música que eu gostava muito.

— Sua voz é muito bonita. — Uma voz soou derrepente. Me fazendo pular e soltar o violão, que teria caído no chão se uma mão forte não tivesse o segurado. — Desculpe te assustar.

Levantei meu olhar e fitei o rapaz que estava a minha frente, me assustando um pouco ao perceber que o mesmo é um Alfa.

— T-tudo bem... eu estava distraído. — Me afastei do rapaz e me levantei rapidamente, colocando o casaco de Jimin novamente em meus ombros. A presença do Alfa estava forte e isso fazia meu corpo se arrepiar de forma negativa.

— Você é aluno novo de música, nunca tinha te visto aqui. — O Alfa que tinha olhos castanhas e me olhava um tanto curioso Indagou, dando um passo para frente.

— Não... eu só estava passando, vi os instrumentos e senti vontade de tocar o violão. — Resumi o máximo possível, me sentindo nervoso ao estar sozinho naquela sala com aquele Alfa totalmente desconhecido.

— Entendo. — Balançou a cabeça e fitou parede.

— Eu já vou. Tchau e desculpe ter entrado sem permissão.  — Sai da sala rapidamente sem nem ao menos escutar a resposta do Alfa, com algumas gotas mínimas de suor causadas pelo nervosismo descendo por minhas têmporas.

Meu coração estava acelerado e minha respiração estava pesada, eu odiava me sentir tão desconfortável perto de Alfas. O engraçado é que quando fiquei sozinho com JungKook na sala do diretor quando fui o propor o acordo, não me senti assim. Talvez eu nunca tenha o visto como um Alfa assustador. Mentira, quem eu quero enganar, aquele dia que eu falei com o JungKook pela primeira vez quase morri de medo, porque vamos admitir, JungKook é um Alfa, tem uma presença poderosa e marcante, um físico forte com músculos muito visíveis e um olhar bem penetrante. Qualquer um se assusta com ele, e eu estou falando isso sendo que nunca o vi nervoso. Imagina só ele putasso?

Cruzes!

Que Zeus e todas às divindades me protejam e nunca permitam que o Jeon fique nervoso perto de mim.

Meus passos eram rápidos pelo corredor. Talvez eu tenha ficado realmente assustado com a chegada inesperada daquele Alfa. Continuei seguindo pelo corredor, fitando o chão, e quando eu estava  quase chegando ao elevador meu corpo bateu em algo, me fazendo quase cair no chão.

Hoje é o dia em!

— M-me desculpe, eu... eu não estava prestando atenção. — Pedi, me equilibrado novamente, sem olhar de fato para a pessoa que eu tinha esbarrado.

— Kim? — Levantei meu olhar e me senti meio aliviado ao ver JungKook parado a minha frente.

— Ah, oi, Rosinha. — Sorri brevemente para o Alfa, arrumando o casaco de Jimin em meus ombros.

— Você está bem? Está pálido e parece assustado. Aconteceu algo? — Indagou me olhando com atenção, como se procurasse algum machucado ou sinal de que alguém tivesse me machucado.

— Não aconteceu nada. Está tudo bem. — Neguei o lançando um sorrisinho, mas o Alfa não pareceu acreditar muito, já que continuou me observando com atenção e seu olhar só ficou mais afiado quando a porta da mesma sala onde eu havia acabado de sair se abriu e o som de passos ecoou perto de mim, logo se afastando.

— Tem certeza que não aconteceu nada? — Interpelou novamente, com o tom de voz mais sério e um olhar mais frio enquanto o mesmo fitava algo atrás de mim.

— Não. Não aconteceu nada. Está tudo bem, eu só me assustei com um trailer de terror que eu estava vendo. — Sorri novamente e desse vez JungKook pareceu ter desistido de questionar, já que relaxou sua postura e suspirou.

— O quê você está fazendo desse lado da faculdade? Nunca te vi por aqui. —  Questionou, colocando suas mãos nos bolsos da calça em seu corpo.

— Eu estou com duas aulas livres e não quis ficar na sala com aqueles babacas, então decidi andar, mas acho que me perdi um pouco. — Contei, mentindo na última parte. Não é bem uma mentira porque eu realmente acho que não me lembro do caminho, mas também não era uma verdade por inteira.

— Isso é bem a sua cara, Kim. — soltou uma risadinha, mostrando seus dentinhos da frente, que eu nunca tinha reparado, mas que são bem fofos. — Você vai voltar para a sua sala agora? Porque eu vou lá em baixo e te acompanho, assim evitamos um Kim Taehyung completamente perdido no meio da faculdade. — Sorriu mais um pouco, sendo acompanhado por mim dessa vez.

— Cala a boca, Jeon. Mas sim, eu aceito. — Me dei por vencido e segui JungKook pelo corredor, logo entramos no elevador e o silêncio entre nós, não estava sendo tão confortável como das outras vezes...

— Então, suas salas são desse lado? — Perguntei curioso, e também tentando tirar um pouco do clima estranho que se instalou entre nós.

— Sim. Grande partes das aulas que frequento estão desse lado, mas tem algumas que faço no outro lado, como desenhos digitais. — Explicou, apertando o botão do primeiro andar e logo se escostou na parede metálica novamente.

— Oh, você também desenha? — Perguntei não escondendo meu tom surpreso. — Pensei que você apenas mexia com a parte dos computadores e tudo mais.

— Bem, sim, mas como tinha algumas coisas que eu já sabia pelos cursos que fiz antes de entrar na faculdade, às troquei por aulas de desenho e designer gráfico e ninguém viu problema nisso. — Abriu um sorriso de lado, dando de ombros.

— Aaaa, entendi. Não sabia que dava para fazer isso. — Resmunguei. — Qual sala que você faz desenho digital e que dia ? Nunca tinha te visto nas que eu frequento.

— Faço na sala 113, nas sextas e quartas.

— Hum, é por isso que eu nunca te vi, faço desenho digital no quinto andar, na sala 512, nas Terças, quartas e sextas.

— Entendi. — JungKook resmungou.

Eu  não sabia ao certo porquê hoje parecemos meio incomodados com a presença um do outro, mas está estranho...

Me afundei no casaco de Jimin, me sentindo meio desconfortável com o olhar do Jeon sobre mim. Fitei o chão esperando que as portas se abrissem, apertando às bordas do casaco do Alfa de madeixas vermelhas.

O elevador finalmente parou no primeiro andar e se abriu, sai sendo seguido pelo Alfa e me virei para o mesmo, que parecia pensativo e longe.

— JungKook, hoje Jimin vai lá em casa, vamos estudar para a prova mensal que vai ter semana que vem, se quiser pode aparecer lá em casa. — Convidei o mesmo, que me olhou surpreso.

— Por que? — Indagou fitando meus olhos.

Me senti meio confuso com sua pergunta, mas logo a compreendi e sorri.

— Porque podemos ser amigos. Sabe, você parece legal e eu não sou tão chato assim. — Soltei uma gargalhadinha, sendo acompanhado por JungKook.

— Hum, eu tenho algumas coisas para fazer, não tenho certeza se vou poder.

— Tudo bem, mas se conseguir aparece lá. — Sorri, vendo o Alfa balançar a cabeça em concordância. — Vou voltar para minha sala, está muito frio hoje. — Proferi e passei a me afastar do mesmo, mas antes que eu me afastasse por inteiro me virei para trás, vendo o Alfa na mesma posição de antes, olhando em minha direção. — E não se preocupe, eu pago o Táxi! — Gritei e virei o corredor, seguindo em direção a minha "adorada" sala.
_________________________

O dia seguiu calmo de certa forma, tirando a parte que eu quase fiz aquela puta da minha sala lamber o chão.

Sério! Ela estava me provocando muito e eu não tenho sangue de barata!

Eu sei alguns alunos me zoam também, mas nossa? Ela se superou.

Sorte que por um milagre de Zeus, Chimie apareceu bem na hora e me impediu de amassar aquela lá, porque se não meu gesso ia ter uma ótima ultilidade!

A chuva continuava a cair e eu já estava ficando estressado com toda aquela água caindo. Não é por nada, tipo, eu gosto da chuva, mas prefiro dias nublados e friozinhos. Ouvi a campainha tocar e me levantei do sofá, onde eu estava esparramado e fui abrir a porta, dando de cara com um Jimin meio molhado e emburrado, segurando um guarda-chuva rosa pink em uma das mãos.

— Odeio dias chuvosos! — Grunhiu irritado e entrou, molhando todo meu chão.

— Pelo menos você não está todo molhado. — Comentei fechando a porta e me joguei novamente no sofá.

— Sim, vim com o carro do meu irmão. — Respondeu, jogando a mochila que estava em suas costas no chão.

— E pelo amor de Deus, Chimie, limpe esse chão. — Apontei para às pegadas molhadas espalhadas pelo chão da minha sala.

— Tudo bem... só vou pegar uma toalha primeiro. — Exprimiu e sumiu em meio ao corredor, logo aparecendo mais seco, com o peitoral bonito nú e um rodo, acompanhado de um pano nas mãos.

— Você não está com frio, não? — Questionei olhando para o Alfa que havia acabado de começar a secar meu chão.

— Não.

— Sério? Porque você está aí, praticamente semi-nu, molhado e eu estou aqui, seco, e agasalhado até os cabelos. — Apontei para o meu corpo que estava encapado com três blusas de frio e uma toca em meus cabelos, e depois para o peitoral cheio de cominhos do Alfa.

— Mas você é dramático, não é mesmo? — Indagou aleatoriamente e soltou uma risadinha. — Só você mesmo para ser tão friorento.

— É. E só você mesmo para estar semi nu nesse frio. — Rebati me encolhendo nos edredons que estavam sobre minha perna.

Jimin terminou de limpar o chão e se sentou no sofá ao meu lado, sem colocar uma blusa se quer. Não é como se eu ligasse já que já nos vimos nús quando éramos mais novos, então realmente não ligavamos para esse tipo de coisa, mas eu estava preocupado com o foguinho, não queria que ele pegasse uma gripe, ou algo assim.

— Okay, vamos colocar esses neurônios pra fritar! — O Alfa exclamou, abrindo um de seus cadernos e começando a fazer seus exercícios, assim como eu.
_______________

Já fazia três horas e meia que Jimin e eu estavamos sentados no sofá, respondendo e lendo diversas questões, que provavelmente cairiam na bendita prova da semana que vem. Praticamente joguei o livro e o caderno que estavam sobre às minhas pernas na mesinha de centro, e estiquei meu corpo, sentindo o mesmo doer em algumas partes por ter ficado tanto tempo na mesma posição.

— Cansei... — Informei ao ser ao meu lado, que se encontrava na mesma situação e me levantei, com minha perna formigando. Estiquei meus braços, ouvido minhas costas instalarem e doerem minimamente.
Girei meus pés e lentamente segui até a cozinha, escutando Jimin dizer que arrumaria a bagunça que estava na sala. Abri minha geladeira e peguei uma garrafa d'água, pegando um copo logo em seguida e o enchendo com a água gelada da jarra. Ouvi a campainha tocar e em seguida o grito de Jimin, dizendo
" Eu abro".
Levei o copo até meus lábios, sentindo a água gelada descer pela minha garganta. Deixei o copo sobre a pia e guardei a garrafa, voltando para sala, ouvindo mais de uma voz vindo da mesma. Parei na porta da cozinha, encontrando um JungKook levemente molhado, com uma mochila preta nas costas e uma carranca no rosto enquanto fitava o peitoral nú do Alfa de madeixas vermelhas.

— JungKook! Pensei que não fosse mais vir, mas que bom que veio.— Sorri para o Alfa, tendo a atenção do mesmo sobre mim.

— Sim, eu realmente não iria vir, mas acabei terminado o que tinha que fazer e estou aqui.

— Hum, você precisa do dinheiro para pagar o táxi, não é? — Indaguei já me virando para pegar minha carteira, mas a voz do Alfa me parou.

— Não precisa, Kim. O motorista do meu pai me trouxe. — Avisou, me deixando meio surpreso.

— Oh, entendi.

— Não sabia que você tinha convidado o Jeon, Tae. — Jimin comentou, fazendo uma mine careta, me encarando.

— Acho que esqueci de comentar isso com você, Chimie.

— E por quê você está praticamente nú? — Jeon questionou, encarando o outro Alfa com os olhos semicerrados.

— Eu não estou "praticamente" nú! — Chimmie fez aspas com os dedos fofos e devolveu o mesmo olhar para o moreno. — Eu só estou com a parte de cima nua... e por que está tão incomodado, JungKookie? Está com ciúmes do seu Ômega? Provocou debochado, lançando um sorrisinho pingando escárnio para o outro. JungKook rosnou irritado para Jimin e entrei no meio dos dois, lançando um olhar sério para o Alfa de madeixas vermelhas.

Qual o problema desses dois?

É só o que me falta, ficar tentando impedir uma briga, ou discussão sem lógica entre dois marmanjos.

Ms eu tenho azar mesmo, viu!

Em outro situação eu até cairia na gargalhada, porque suas expressões de raiva eram meio engraçadas e estava óbvio que um não ia com a cara do outro, mas eu não quero dois cavalos brigando no meio da minha sala!

JungKook, pode tirar sua mochila e colocar ela no sofá, ou em um dos quartos, você que sabe. — Expliquei, apontando nas direções dos quartos ou da sala para o alfa de cabelos castanhos escuros. Esse que seguiu em direção ao sofá, sem antes mandar mais um olhar fuzilador para o de madeixas vermelhas. — O quê foi isso, Park Jimin?! — Exclamei, tentando controlar minha voz para que o outro Alfa não escutasse.

Ele só pode estar perdendo o pouco juízo que ainda tinha!

Qual foi essa necessidade dele em ficar provocando o Jeon?

Essa cena toda foi muito desnecessária

— Sei lá, eu só não gosto muito desse Jeon... — Deu de ombros, me deixando confuso.

Jimin não é assim.

— Por quê?

— Eu não sei... desculpe. Acho que eu só estou com medo dele te machucar ... — Suspirou forte, me fazendo olha-lo com atenção. — Sabe, seu último relacionamento com aquele desgraçado começou assim, com vocês sendo amigos, e no final ele só te feriu, não quero que aconteça o mesmo bem diante dos meus olhos.

Meus olhos arderam minimamente, e abracei Jimin, o apertando contra meu corpo.

Como pode esse Alfa ser tão especial para mim?

— Hey, está Tudo bem , Chimie... eu e o Jeon não temos nada e nem vamos ter, e mesmo que tivéssemos sinto que não seria o mesmo com ele. Eu não conheço muito bem o Jeon, mas ele tem atitudes diferentes.

— Acho você tem razão... — Se afastou de mim e respirou fundo. — Eu vou lá vestir uma blusa antes que o seu querido Jeon arranque meu pescoço. — Se afastou totalmente e seguiu pelo corredor, entrando no quarto de hóspedes.

Suspirei e segui até a sala, onde JungKook estava sentado no Sofá e me sentei ao seu lado, observando o mesmo que mexia em seu celular.

— Quer uma água? Um suco? — Ofereci e o Alfa apenas negou com a cabeça sem me fitar, me fazendo suspirar — Desculpe, pelo Jiminnie, JungKook. Ele só fica preocupado comigo. — Proferi em tom baixo, vendo os olhos do Alfa se erquerem e pousarem sobre mim.

— Não sabia que ele tinha algo contra minha pessoa.

— E ele não tem. Ele só tem medo de você me machucar de alguma forma.

— Eu não vou. Na verdade nem sei como eu poderia te machucar da maneira que vocês tanto falam, sendo que não namoramos de verdade e nem se quer somos amigos. Somos só duas pessoas que precisam uma da outra para benefícios próprios. — JungKook exprimiu de uma forma debochada e fria que eu acho que ainda não tinha visto nele. Me calei, ficando sem respostas para o dar, porque ele tem razão. Não somos nada um do outro, apenas conhecidos e nada mais... Mas o tom de voz dele realmente me incomodou um pouco.

— Você tem razão... — Ciciei, com o Alfa ainda me olhando.  Quando eu ia acrescentar mais algumas coisas na minha fala meu celular começou a tocar, me fazendo olhar ao redor, até  o ver ao lado da televisão. Me levantei e peguei o mesmo, não me importando em ver quem era e apenas atendi, escutado uma voz levemente aguda soar do outro lado:

Hey, Tae! — A voz gritou animada,me levando a afastar o celular  do meu ouvido.

Yoongi? — Questionei duvidoso.

A não, Taehyung! Não se lembrar da voz do seu primo já é demais!  — O Ômega do outro lado da linha fez manha, me dando certeza que sim, era ele. Essa manha toda é de família.

Desculpe , Yoon. É que eu estou meio avoado hoje. — Soltei uma risada sem jeito.

Hum, sei. — Seu tom acusador não passou despercebido por mim. — Está em casa?

Sim, estou. Com Jimin e JungKook comigo.

Hummmmm ... Taehyung e seus dois Alfas, espero não ter interrompido algo. — Falou com seu melhor tom malicioso e tenho certeza que meu rosto enrubesceu, pois JungKook fitou bem meu rosto e arqueou uma de suas sombrancelhas, me deixando ainda mais envergonhado.

Yoongi! — O repreendi, ouvido sua risada escandalosa e um tanto maldosa.

Desculpe, desculpe... — Pediu, mas eu sabia que não era sincero. — Então que tal você vir aqui em casa?

O quê? Pirou de vez, Yoongi? — Indaguei confuso. — Eu não vou até Daegu só porque você quer.

E quem disse que eu estou em Daegu? — Rebateu, me deixando ainda mais confuso. — Jin! Onde nós estamos? — Gritou, parecendo estar se movendo, já que ruídos passaram a ser ouvidos. — Seul! Nós finalmente chegamos, Tae! — A voz de Seokjin, irmão de Yoongi também soou, aguda e ainda mais animada.

O QUÊ?! — Gritei, me levantando do sofá com tudo.

É isso aí, meu querido velho amigo! E eu acho bom você vir para cá agora junto com teus Alfas! — Exigiu, fazendo um nervosismo começar a crescer dentro de mim.

Mas... mas... agora?

Sim, agora! Até seus pais já estão aqui!

Meus pais?

Sim, Taehyung. Agora venha logo. Vou te enviar o endereço e acho bom você chegar aqui em menos de uma hora! — Exclamou por fim e desligou, não me dando nem a chance de retrucar.

Afastei meu celular do meu ouvido, sentido-o vibrar em minha mão, avisando-me que a tal mensagem de Yoongi já havia chegado.

— Kim você está bem ? — JungKook questionou, me fitando com atenção.

— Tae? Era o Yoongi? Aconteceu alguma coisa? — Olhei para a porta e fitei Jimin, que estava parado já devidamente vestido e me olhando com o mesmo olhar de atenção do Jeon.

— Sim, era... Eles já chegaram e querem que a gente vá pra lá agora! Até meus pais já estão lá! — Exclamei começando a andar em círculos pela sala, tendo o olhar confuso de Jeon sobre mim e um desesperado de Jimin. — O quê vamos fazer? Jimin me ajuda a pensar em algo! Eu não estou pronto para isso! Com os meus pais já foi complicado imagine só com aqueles idiotas! — Comecei a divagar nervoso, passando minhas mãos pelos meus fios castanhos claros e tirando a toca que estava em minha cabeça.

Eu não estou pronto para isso ainda!

Eles tinham que chegar justo agora?

Meus primos e Namjoon me conhecem muito bem e qualquer errinho meu, de Jeon ou Jimin eles vão descobrir toda essa farsa e aí o caos vai estar feito. Eles vão tentar voltar a me empurrar para o meu ex e todo meu inferno particular vai voltar ... e eu não sei se vou suportar tudo de novo.

Não tudo de novo...

— Hey, Tae! Esta tudo bem, calma. Vai dar tudo certo. — Jimin se aproximou de mim e segurou em meus ombros, parando meu corpo e me fazendo fita-lo com meus olhos cristalizados. — Respira, se desesperar não vai ajudar, calma. — A voz serena do Alfa soava tranquilizadora, me fazendo respirar fundo.

— O quê está acontecendo? — Jeon indagou, me lembrando que ele também estava ali.

Me sentei no sofá com a ajuda de Jimin e continuei a respirar e inspirar com dificuldade.

— Ele está bem? — JungKook voltou a questionar, mas não conseguia o ver, minha visão escureceu e a dificuldade de começar a puxar o ar estava ficando maior.

— Ele está tendo um ataque! JungKook tá vendo aquela molhila preta ali no chão? No último bolso tem uma bombinha de ar, pegue ela pelo amor de Deus!  — Ouvi Jimin gritar ao longe, mas eu estava mais preocupado em tentar puxar o ar desesperadamente para meus pulmões que já estavam começandoa doer. — Tae, calma! Por favor.

Senti a bombinha ser colocado em minha boca e o oxigênio começar a ser inserido em meu organismo, me acalmando e normalizando minha respiração aos poucos.

Eu odeio ser um Ômega! E odeio mais ainda ter esses ataques de asma!

— D-droga! — Resmungo, apertando meus olhos e respirando com mais facilidade.

Definitivamente não existe alguém mais azarado que eu!

— Taehyung, você está bem ? — A voz de JungKook soou calma e claramente preocupada.

Abri meus olhos e fitei o Alfa, que estava agaichado a minha frente, me olhando com seus olhos ônix e seus lábios crispados. Não sei porque, mas aqueles poucos segundos que ficamos nos encarando, parecendo horas e eu tenho certeza que não vou tirar aqueles olhos tão cedo da minha mente. Não porque gosto dele , ou algo assim, mas porque seus olhos são muito bonitos e intensos. Parecia que tinha uma galáxia inteira dentro das pequenas bolinhas negras dos olhinhos do Jeon. Era algo muito lindo de se ver e era algo que eu nunca tinha reparado antes nele. Talvez porque a gente nunca tinha estado tão perto assim, como agora...

— Taehyung, você está bem? — O Alfa questionou novamente, me fazendo balançar minha cabeça negativamente e piscar diversas vezes.

— Hã? S-sim, sim... estou melhor, foi só uma crisizinha.. — Sorri sem jeito para o mesmo a minha frente.

— Kim Taehyung! Você tem que parar de ficar me dando sustos assim, caramba! — Jimin me puxou para um abraço de urso, me apertando e beijando meus cabelos.

— Desculpe, Chimmie!  — Balbuciei com minha voz sendo abafada pelo peitoral do Alfa.

— Caramba! Eu já estou vendo o momento que eu vou cair durinho no chão de tanto susto que você me dá! — Exclamou dramático - como sempre.

Okay, talvez ele tenha um tiquinho de razão, afinal asma é uma coisa meio seria, mas não é para tanto assim também.

— Jiminnie eu estou bem... está tudo bem agora. — Me afastei do mesmo e sorri. — Já está tudo bem, mas o que vamos fazer?

— Calma, não se desespera, apenas respira! — Mandou apontando seu indicador em minha direção, e eu apenas balancei a cabeça concordando.

— Será que vocês podem me dizer o quê está acontecendo? — Jeon indagou, parecendo já meio impaciente com a situação.

Erqui meus olhos até o mesmo e suspirei pesadamente pensando em uma maneira de o explicar sem surtar novamente.

— Bem, hum... meus primos de Daegu se mudaram para Seul também, e agora querem que eu vá lá com você e o Jimin... eles querem conhecer meu novo " Alfa", até meus pais já estão lá no novo apartamento deles. — Fiz aspas com os dedos, respirando fundo, tentando ao máximo não pensar muito em tudo que pode dar errado nessa história toda.

— E o que isso tem de tão ruim assim? Se eu já conheci seus pais? — JungKook indagou com uma das sombrancelhas arqueadas.

Por que tudo tem que ser tão complicado?

Por que poxa vida... tudo poderia ser muito mais fácil.

— É que... meus primos e o Namjoon, são pessoas muito, muito próximas de mim e Jimin. Eles nos conhecem muito bem, não é atoa que somos todos melhores amigos... qualquer erro que cometermos eles vão descobrir que esse namoro é uma farsa e aí as coisas não vai ficar muito boas. — Expliquei para o Alfa, diminuindo minha voz ao final da frase, sentido a mãos de Jimin em meu ombro, tentando me confortar.

— Por que você tem toda essa necessidade de ter um Alfa? Seus pais me pareceram ótimas pessoas. —  JungKook comentou, confuso com tudo isso.

— E eles são... todos eles são, mas... mas ... — Eu não sabia e nem queria como contar ao Jeon que tudo isso era para o meu ex não voltar a me atormentar... tudo bem que ele sabe de algumas coisinhas graças a Junhui, mas não conseguiria o contar os  reais motivos.

— Está tudo bem, Tae... você não precisa explicar isso. — Chimmie sorriu reconfortante, fazendo um carinho em meus cabelos.

— Okay... por mim tudo bem, fizemos um acordo afinal e a parte mais complicada já passamos eu acho, que era me apresentar para os seus pais. — Deu de ombros como se não fosse nada.

— Então, nós vamos agora? — Indaguei hesitante, eu não sei mais se isso era certo. Me sentia culpado por estar enganando todos assim. Não sei se é algo egoísta, mas eu realmente preciso continuar com isso.

— Mas nessa chuva? — JungKook questionou olhando pela janela, vendo o pé d'água que caia lá fora.

— Isso não é um problema, eu vim de carro. — Comentou o de madeixas avermelhadas.

— Então vamos, ou Yoongi irá cortar nossas cabeças! — Exclamei brincalhão, tentando ao máximo disfarçar o quão tudo isso era doloroso para mim.

Me levantei e peguei apenas meu telefone, o colocando no bolso da calça de pijama que eu vestia e voltei a colocar minha touca de Pandinha que eu havia tirado.

— Você vai assim mesmo? — Jeon indagou, apontando para meus pijamas e a pantufa preta fofinha em meus pés.

— Sim. Só vamos ficar no novo apartamento deles e mesmo se fossemos sair eu iria assim. Poxa tá um dia frio, chuvoso, e meus pijamas são extremamente quentinhos, ninguém irá se incomodar e se incomodar não posso fazer nada. — Dei de ombros, vendo o Jeon apenas assentir e fazer sinal de que iria pegar sua mochila do chão. — Não precisa levar sua mochila, JungKook. Deixa ela aí, quando nós voltarmos você pega. — Sorri.

— Mas...

— Mas nada. Vamos, vamos bovino. — Peguei no braço do Alfa, sentindo o mesmo parar instantâneamente e me fitar com as sombrancelhas arqueadas.

— Bo-bovino? — Interpelou confuso.

— Sim, Bo. Vi. No.  Agora vamos. — Tentei puxar o Alfa novamente, mas esse não voltou a se mover.

— Está me chamando de Corno ou boi? — Indagou ainda me olhando, com seu tom de voz beirando a indignação.

Soltei uma leve gargalhada, ouvido a risada de Jimin também.

— Não. Mas se você quiser interpretar dessa forma , tudo bem. — Sorri mais ainda.

— Então qual interpretação devo levar com você me chamando assim?

— Ah, isso você não precisa saber. — Lancei uma piscadela para o mesmo e sai o puxando para fora do apartamento, sendo seguido por um Jimin que vinha com um grande sorriso malicioso nos lábios.

Que safado viu!

Talvez eu tenha realmente chamado Jeon de bovino com a interpretação que Jimin entendeu, mas ele não precisa ter certeza disso, né?

Descemos do meu apartamento com o elevador e saímos do prédio. O frio que estava do lado de fora era absurdo, ainda mais para mim, por isso praticamente corri até o carro do irmão de Jimin, me sentando no banco de trás, me afundando no banco ao máximo que eu conseguia, tentando me aquecer. Estava tão frio, que as pontinhas dos meus dedinhos doíam, mesmo eu estando com três blusas.

Droga! Eu devia ter trazido um bendito casaco!

Mas tudo bem que nem parecia estar tão frio assim.

— Tae, você está bem? — Jimin indagou assim que entrou no carro no banco do motorista, com Jeon ao seu lado no banco da frente.

— S-sim...

— Tem certeza daqui estou ouvindo seus dentes baterem. — Continuou, ligando o aquecedor do carro, me fazendo sentir um pouquinho da quentura no ar, mas não era o suficiente para me deixar mais quente. — Por que você não pegou um casaco ? Você é muito teimoso, Kim Taehyung!

— Aish, c-cala a boca, Jimin...  — Resmunguei, querendo dar um tapa no mesmo.

— Aqui, toma. — JungKook tirou seu moletom e me estendeu, fazendo meu olhos se arregalarem minimamente com seu ato inesperado.

— O quê? — Indaguei ainda meio surpreso e perdido.

— Pega e veste. — Explicou como se fosse óbvio — Você está morrendo de frio. — Completou.

Peguei seu moletom e o vesti, me sentindo aquecido pelo tecido grosso. Voltei a me aconchegar no banco, encostando minha cabeça no vidro gelado e encolhendo minhas pernas, sentindo o aroma forte e muito bom que vinha do moletom do Alfa moreno. Aquele cheiro estava me embriagando e estava me deixando ainda mais estasiado por ser o Aroma natural de JungKook.

Como um alfa pode cheirar tão bem? Credo!

Nem meu ex ou Jimin tem um aroma tão bom...

Por Zeus, Kim Taehyung! Que pensamentos são esses?

Você tá doido?

Se controle !

Puxei a gola do moletom do Alfa para baixo, em uma falha tentativa de evitar um pouco do cheiro do Jeon, mas claramente não funcionou, já que o cheiro do mesmo estava  impregnado por todo o carro e no moletom. Fechei meus olhos me entregando ao cheiro do Jeon, e quando me dei por mim já estavamos em frente ao novo endereço dos meus primos, ou melhor, em frente ao novo ninho das minha queridas cobrinhas.

— Vamos, Tae. — Chimmie me chamou, batendo na minha perna.

Respirei fundo e sai do carro, vendo como o moletom de JungKook havia ficado gigante em mim, com suas mangas tampando minhas mãos e sua barra chegando apenas um pouquinho acima dos meus joelhos.

— Você está muito fofo assim, Tae! — JungKook se aproximou de mim e apertou minhas bochechas, me deixando vermelho com seu comentário.

Entramos pelos portões do prédio, nos dirigindo ao porteiro, que logo nos deu passagem, falando que já tinha sido avisado sobre nós. Entramos no elevador, subindo até a cobertura onde meus primos e Namjoon estavam morando.

Assim que as portas do elevador se abriram, minha respiração se acelerou e um nervosismo começou a subir pelo meu sangue, disparando meu coração e quase me fazendo entrar em um mine surto.

Respira, Kim Taehyung!

Agora não é hora de entrar em pânico!

— Hey, Você está bem? — JungKook indagou, voltando alguns passos, percebendo que eu havia parado um passo afora do elevador.

— Si-sim...

— Relaxa, vai ficar tudo bem. — Sorriu, segurando em minha mão.

— Qual é o número do apartamento, Tae? —  O Alfa de cabelos avermelhadinhos, que até o momento apenas estava observando Interpelou, olhando ao redor, vendo apenas 4 portas no longo corredor, duas em cada lado do mesmo.

— 445

— Okay, vamos.

Jimin foi na frente pelo longo corredor branco, com diversos vasos de plantas e algumas mobílias, como pequenos bancos de madeira espalhados pela extenso corredor de paredes brancas com pequenos detalhes em dourado. Paramos em frente a porta branca com o número 445 em dourado. Respirei mais uma vez fundo, tentando ao máximo me concentrar e não entrar em pânico.

— Calma, Kim, vai ficar tudo bem. — A voz do Jeon soou mais próxima, quase me dopando com seu cheiro forte.

— Okay...

Jimin tocou a campainha, e logo a mesma foi aberta, revelando Namjoon, o Alfa bem alto, que agora tinha os cabelos loiros.

— Nam! — Soltei da mão do Jeon e pulei nos braços do Alfa, sentindo o mesmo me abraçar com carinho.

— Como é bom ver vocês novamente! Eu já estava com saudades. — Proferiu, gargalhando levemente.

Me afastei do mesmo e entrei no apartamento, sendo seguido pelos outros e logo senti a mão de JungKook  se entrelaçar com a minha novamente.

— É bom que estava com saudades de todos nós, querido amigo. — Jimin debochou, fitando Namjoon com os olhinhos semicerrados, arrancando risadinhas do Alfa loiro, que revirou os olhos.

— Dramático como sempre, não é? Se deixar de ser dramático, deixa de ser Park Jimin! — Namjoon gargalhou mais alto, me fazendo acompanha-lo ao ver a cara que Jimin fez — Você sabe que eu só estou matando a saudade do meu filhote. — Se aproximou de mim novamente e beijou minha testa delicadamente, me fazendo sorrir.

Como eu estava sentindo saudades desse desastrado.

Namjoon se afastou de mim e se aproximou de Jimin, o abraçando forte, o levantando do chão, arrancado protestos indignados do de madeixas vermelhas. O loiro soltou Jimin e me fitou, logo fitando o Jeon com atenção.

— Ah, você deve ser o Alfa do Tae, não é mesmo?  — Indagou assim que se afastou de Jimin, fitando JungKook com os olhos levemente cerrados. — Olhei para JungKook, que parecia incrivelmente tranquilo, enquanto eu estava quase tendo um ataque.

— Sim. Sou Jeon JungKook. — Estendeu sua mão, está que logo foi apertada por Namjoon, que o olhava surpreso.

— Jeon. Hum. — Namjoon balbuciou pensativo. — Parece que meu bebê só gosta de Alfas poderosos, não é mesmo Kim Taehyung? — Me fitou com um olhar malicioso e senti meu rosto enrubescer , ouvindo a risada exagerada de Jimin.

Aish! Vou matar o Namjoon!

Poxa, o quê custa ficar calado ?

Pra quê me fazer passar tanta vergonha?

— Calado eres poeta, Namjoon! — Resmunguei, sentindo o olhar do Jeon sobre mim. — Onde estão os outros? — Indaguei tentando mudar o assunto.

— Estão na estufa. Jin insistiu que o Jantar fosse lá. — Nam abriu um sorriso de lado. Provavelmente Jin-hyung  havia feito a maior birra para convencer Namjon e Yoongi.

— Isso é bem a cara dele. — Jimin comentou rindo levemente.

— Mas lá não está frio? — JungKook questionou, me lançando um olhar de solaio.

— Não. Instalamos um aquecedor lá. Não se preocupe, moro com dois Ômegas, e sei bem o quão friorentos eles são. — Nam, respondeu, sorrindo para o Jeon. — Vamos até lá, todos estão animados para conhecer você, Jeon, principalmente Jin.

— Pode me chamar apenas de JungKook.  — Proferiu rindo.

— Okay.

— Nossa! Estou com dó de você JungKook. — Jimin sorriu meio pesaroso e JungKook parou de súbito, encarando Jimin.

— Por que?

— Você vai descobrir. — O ruivo sorriu divertido e saiu andando logo atrás de Namjoon.

— Não liga para ele. — Proferi, vendo que JungKook me fitava parecendo meio nervoso. — Vem, vamos lá.

— Sai puxando o Alfa pelos corredores que vi os outros seguindo, e logo saimos pela porta da cozinha, que dava para os fundos, vendo a grande estufa de vidro a nossa frente, e a linda visão da cidade, já que estávamos no último andar, ou melhor cobertura.

— Aqui é lindo. — Comentei, olhando para os lados.

— É realmente bonito, mesmo. — JungKook concordou.

Seguimos pelo pequeno caminho até a estufa e a primeira coisa que senti assim que entrei foi um abraço em minhas pernas, vindo de Junhui.

— Hyung! — O Alfinha exclamou, assim que o peguei no colo, o apertando em meus braços. — Pensei que você não fosse vir mais por causa da chuva e do frio. — Junhui fez um biquinho fofo, me fazendo beijar suas bochechas fofas e rosadas.

— Você é muito dramático. — Sorri para o mesmo.

— Você está muito fofo,hyung. — O Alfinha sorriu adoravelmente, apontando para a toca de panda em minha cabeça.

— Você que é muito,  muito fofo! — O apertei mais, mordendo sua bochecha, o ouvindo gargalhar.

— Tigrinho, chegou na hora certa! — Minha Omma apareceu ao lado do meu pai, sorrindo abertamente, assim como meu Appa.

— Aigoo! Para de me chamar assim, Omma! — Reclamei, ouvindo JungKook sorriu discretamente ao meu lado.

— Por que você é o meu Tigrinho, Ué.

— Aish!

— Kookie-hyung! Por que você tem um sorriso tão fofo? — Junhui indagou do nada, arrancando risadas de quem estava perto.

— Eu não sei, mas por que você é tão fofo? — JungKook o devolveu outra pergunta sorrindo, pegando Junhui do meu colo, apertando às bochechas do pequeno Alfa, o deixando levemente vermelhinho.

— TaeTae! — Uma voz animada soou alta, antes que eu pudesse ao menos abraçar meus pais, e pudesse ao menos perceber, Jin-hyung apareceu, me agarrando em seus braços, quase me sufocando. — Você não sabe como eu estava com saudades meu filhote! — O Ômega continuou a me apertar, me fazendo sentir seu cheirinho doce de chocolate e morangos.

— Hyung... também senti muito a sua falta. — Murmurei com dificuldade, quase morrendo sufocado.

— Jin você vai acabar matando o garoto. — Uma nova voz soou, dessa vez menos animada.

— Assim, desculpe. — O Ômega de cabelos castanhos me soltou um pouco envergonhado e sorriu sem jeito.

— Se eu fosse o Alfa do Taehyung já tinha te dado um soco. — A nova voz saiu debochada.

Como essa criatura pode se assim, tão bipolar?

Ele deveria ser o par perfeito do Jimin, isso sim!

— Cala a boca Yoongi! — Jin exclamou com as bochechas vermelhas.

— Yoon! Como é bom te ver de novo! — Sorri e abracei o outro Ômega, que retribuiu meu abraço.

— Posso dizer que também senti sua falta, Tae. — Se afastou e sorriu. — E aí? É esse bonitão que é seu novo Alfa? — Questionou curioso e um tanto  malicioso, fitando JungKook.

— Sim, esse é Jeon JungKook e JungKook esses são meus primos: Kim Seokjin e Min Yoongi e esse é Kim Namjoon Alfa do Seokjin. — Os apresentei, vendo todos  sorrirem.

— É um prazer conhecer todos vocês e podem me chamar apenas de JungKook. — O Alfa sorriu e se curvou levemente.

— Oh, é um prazer conhecer você e pode me chamar apenas de Yoongi e o Seokjin de Jin. — Yoongi proferiu, sorrindo gentil e fitei JungKook se curvando e cumprimentando meus pais.

— E de mim, ninguém sente falta? — Chimmie indagou alto, chamando a atenção de todos para si.

— Mas você gosta mesmo de pintar o cabelo em. O quê te fez mudar de o loiro da farmácia para o ruivo de menstruação? — Yoongi questionou Jimin jocoso.

— Há.há.há. Não achei graça. — O Alfa resmungou.

— O JungKook não é uma graça? — Minha mãe indagou para Jin e Yoongi.

— Mãe! — A repreendi, vendo a mesma sorriu.

— Não é por nada não, mas o Tae tem uma puta sorte, vocês não acham? Só arruma Alfa bonitão. — Jin soltou, falando para os outros dois Ômegas que concordaram com si e arrancando um olhar indignado de Namjoon.

— Jin! — O Alfa loiro exclamou ciumento.

— O quê? — O Ômega indagou se fazendo de inocente. — Ele é bonito mesmo. — Deu de ombros.

— Não vai falar nada, Tae? — Jimin me questionou debochado.

Você deveria limpar a boca, 'tá pingando veneno Jiminnie!

— Não. — Dei de ombros. — Ele é bonito mesmo.— Admiti, evitando olhar para JungKook.

— Eu acho que essa é a primeira vez que vejo uma tensão sexual tão forte vindo do Tae.— Jin voltou a falar e eu o fitei com meu rosto ardendo.

Como assim tensão sexual?

Seokjin só pode estar pirando de vez!

É só o que me falta!

Oh, minhas divindades, por que permitem que eu passe por essas coisas?

— Do quê você está falando? — Indaguei, vendo JungKook tampar os ouvidinhos de Junhui, que olhava confuso para nós.

— De você e do JungKook, e toda essa tensão exalando de vocês dois. Até parece que nunca transaram. — O Ômega soltou de forma jocosa, me fazendo arregalar meus olhos, sentindo o sangue subir por todo meu rosto. Fitei JungKook que também parecia meio envergonhado.

Como foi que chegamos nesse assunto?

A sala ficou em silêncio, sendo o único som a se ouvido eram as risadinhas de Jin.

— Mentira! Vocês ainda não transaram? — Jin exclamou depois de alguns segundos, com uma cara completamente surpresa.

— P-podemos não falar da minha vida sexual na frente dos meus pais e do meu irmãozinho?  — Indaguei envergonhado, olhando para eles e depois para JungKook que ainda tampava os ouvidos de Junhui.

— Claro, mas ainda não tô acreditando nisso.

— Aish! — Suspirei ainda envergonhado.

Por que essas coisas sempre acontecem comigo?

—  O assunto está bom, mas vamos comer. — Minha mãe nos chamou e apenas assentimos.

Agradeci mentalmente por minha mãe ter cortado de vez esse assunto e me sentei na grande mesa de vidro no centro da estufa. JungKook se sentou ao meu direito e Junhui se sentou do meu lado esquerdo, tendo os outros a nossa frente  .

Jin serviu a comida para todos e passamos a comer, tendo todos fazendo perguntas a JungKook, tentando o conhecer melhor e o Alfa sempre  os respondia naturalmente, tranquilamente. Me perguntava como ele conseguia se tão calmo assim.

— Mas então ? Como vocês se conheceram? — Namjoon nos questionou curioso.

— Na faculdade. — Respondi levando um pedaço de carne até minha boca.

— Na faculdade? Pensei que tivessem se conhecido na rua. — Minha  Omma comentou meio confusa.

 Meu coração disparou e fiquei levemente nervoso, senti uma cutucada em minha coxa vindo do Jeon e me lembrei da história que JungKook tinha falado para os meus.

— Sim, foi na rua, mas como sempre fomos da mesma faculdade sempre acho que já tínhamos nos visto antes, apenas não nos falávamos. — Tentei inverter o estrago que eu poderia estar causando e me senti aliviado quando minha mãe apenas assentiu.  Contei a mesma história que o Jeon contou aos meus pais, me sentindo satisfeito por me lembrar de tudo.

— Hum, parece até coisa de Dorama. — O Ômega  de cabelos castanhos comentou.

— Parece mesmo, né? — Jimin concordou debochado.

Nem para esse cabeça de fósforo me ajudar!

— E então, JungKook. Você sabia que Jimin e Taehyung já tiveram um rolo? — Yoongi indagou como quem não quer nada, me fazendo cuspir o suco de uva que eu tomava, me engasgando, assim como quase todos que estavam na mesa. Arregalei meus olhos e fitei Jimin, que também tinha suas orbes bem abertas e tossia. Senti uma das mãos do mesmo dar leves batidinhas em minhas costas e respirei fundo, fitando JungKook, que tinha suas bochechas vermelhas de tanto tossir.

— O QUÊ?!!!  — Praticamente todos gritram ao mesmo tempo.

— COMO ASSIM VOCÊS TIVERAM UM ROLO?!! — Jin gritou, alternando seu olhar entre mim e o ruivo, com seus olhos arregalados.

— Então eu realmente sempre estive certa em apoiar você e Jiminnie? — Minha progenitora Indagou surpresa e com um leve sorriso no rosto.

— Não, Mãe! — Bebi meu suco tentando voltar ao normal e conseguir explicar isso.

Puta que pariu!

Como esse branquelo sabe disso?

E por que ele tinha que falar isso justo agora?

Vocês realmente não vão com a minha cara, não é, minhas queridas divindades?!

Porque olha, se essa for a ajuda de vocês não quero nem saber qual são os castigos!

— Taehyung! Deveria ter me contado que você e meu genrinho dos sonhos tinham dado meio que certo! — A Ômega mais velha exclamou, se possível me deixando mais vermelho que eu já estava com toda essa situação.

— Oh, então ninguém sabia disso? Me desculpe, pensei que vocês já tinham contado. Ops, foi mau.— Yoongi colocou a mão na boca, como se ainda estivesse surpreso com isso.

Criatura falsa!

Porque eu ainda o considero meu amigo mesmo?

— Nós não tivemos rolo nenhum! E como você sabe disso sua cobra? — Interpelei ainda indignado com o fato de Yoongi saber disso.

— Uma vez eu vi vocês dois se catando. — Deu de ombros, fazendo Namjoon me olhar malicioso, e Jin, assim como minha mãe ficarem de boca aberta.

— Jin eu tô começando a concordar com você que nosso Filhote realmente tem sorte, porque nossa, Oo menino que só cata Alfa bonito! — O Alfa loiro proferiu sorrindo ladino.

— Eu não tô falando que ele tem uma puta sorte! — O Ômega concordou.

— Calem a boca! — Jimin mandou, pegando uma das uvas que estava em um prato e jogando em Namjoon.

— Hyung, então você e o Chimmie- hyung já se beijaram igual nas novelas? — Junhui perguntou todo fofinho, cutucando meu braço.

Até você, Junhui meu amor? Poxa.

— Está vendo o que você fez, Min Yoongi?! — O fuzilei com o olhar.

— E o quê eu fiz? — Quentionou inocente. Piscando seus olhinhos escuros como se realmente não tivesse ideia.

— Jun, é... sim, mas... — Tentei começar a explicar, mas não sabia como explicar isso para uma criança.

  Gente, o quê eu fiz de tão errado para passar por essas coisas?

— Então o hyung,  Chimmie-hyung e Kookie-hyung namoram? — O Alfinha questionou claramente muito confuso, me obrigando a arregalar meus olhos, assim como JungKook e Jimin.

— N-não, Junhui! Pelo amor de Zeus, não! — Jimin proferiu o olhando como se isso fosse algo absurdo e realmente era.

— Mas só pessoas que se beijam namora e se você e o TaeTae-hyung já se beijaram e ele agora namora o Kookie-hyu—

— Não, Junhui, eu só namoro o JungKook. Jimin e eu somos só amigos. — O cortei antes que ele continuasse com sua linha de raciocínio absurda.

— Depois dessa revelação bombástica eu não sei não. — Jin comentou.

— Aish! Eu e Jimin só nos beijamos uma vez. Éramos dois adolescentes curiosos e achamos que seria uma boa ideia darmos nosso primeiro beijo um com o outro. Só isso. — Tentei explicar da forma mais pacífica que eu conhecia, mas estava difícil, minha vontade era estrangular cada um deles, principalmente uma cobrinha chamada Min Yoongi. — E mesmo se quiséssemos eu e Jimin nunca poderiamos ter algo. — Dei de ombros, vendo o ruivo ao meu lado balançar a cabeça concordando.

— E por quê não?  — Namjoon Interpelou curioso com minha afirmação.

— Eu e Jimin tivemos um caption assim que nos beijamos, quando tínhamos catorze anos.

— Oh! Isso explica muita coisa — Meu Appa fez um barulhinho de surpreso.

— E o quê é um Caption?  — JungKook finalmente perguntou algo, olhando para mim  e depois para o meu pai.

— É, o quê é isso? — Jin perguntou também.

Caption é quase como uma marca, mas não é levado para o lado romântico e sim ao lado de proteção e muita afinidade. É um laço de amizade e proteção inquebrável, ou seja, Jimin e Taehyung nunca conseguirão ver um ao outro como algo mais que um melhor amigo, ou irmão de outra mãe como ambos já se tratam. É como se eles tivessem assinado seus nomes no interior um do outro, uma rública inapagável, eterna, assim como uma marca de um Alfa. — O Alfa mais velho explicou detalhamente, deixando todos surpresos, menos Jiminnie e eu.

— Eu não sabia que algo assim existia. — Nam proferiu surpreso.

— É algo bem raro de se acontecer. É como se a genética de lobos fosse mais forte em Jimin e Taehyung, fazendo ambos se conectarem dessa forma. Não se preocupe, meu genro, eles nunca terão algo a mais um com o outro e  tenha em mente que você irá conviver com Jimin pelo resto da vida, porque eles nunca irão se afastar, é um laço inquebrável. — Meu pai continuou, rindo em seguida da pequena careta que JungKook fez.

— Parece que terá que aprender a me suportar , Jeon. —  Jimin provocou o moreno, fazendo JungKook o fitar com os olhos semicerrados.

— Parece que sim. — Resmungou, arrancando risadinhas dos demais. — Mas poxa, você não podia ter se conectado com um Ômega por exemplo, Taehyung? — Indagou meio indgnado, me deixando meio confuso com sua reação. Eu não sabia se ele estava falando sério ou só atuando.

— Não são eles que escolhem isso. Esse tipo de coisa é algo que não tem explicação, só acontece, assim como o  Imprinting. — Meu Appa sorriu.

— E por que vocês nunca nos contaram isso? — Minha progenitora questionou.

— Não achamos que era algo realmente importante, ou que precisasse ser exposto. — Dei de ombros.

— Hummm, mas e aí? O Taehyung beija bem, ex loirinho de farmácia? — Yoongi perguntou ao Alfa ruivo ao meu lado  e mais uma vez cuspi o suco que eu estava bebendo.

Mais que porr...

Quando eu penso que não pode ficar pior vem essa cobra e faz isso!

Valeu pela força divindades!

— Ah, desculpa, JungKook. Não queria te deixar com ciúmes.

Fitei o Alfa e percebi o momento exato em que o mesmo torceu o nariz desgostoso.

— Yoongi! Cala a merda da boca! — Rosnei, enervado.

— Aí, tá, tá!

— E para sua informação eu beijo muito bem!

—  Aé? — A cobrinha sorriu maliciosamente. — Você concorda com ele , JungKook? — Indagou e eu fitei o Alfa com os olhos semicerrados, vendo o mesmo me olhar brevemente e engolir em seco.

— S-sim. O meu Ômega beija muito bem. — Afirmou.

— Se bem que você não conta, né? Você é apaixonado pelo, Tae. Eu quero saber de você, Jimin. — Yoongi continuou.

Que vontade de esganar ele!

Me dêem paciência divindades!

— Aish, Yoongi! Eu não sei. Só nos beijamos uma mísera vez, e quando nos beijamos  foi um fracasso porque não sabíamos beijar! — O Alfa de madeixas vermelhas gruniu, ficando com às bochechas levemente avermelhadas. — Satisfeito?

— Não muito, mas vou deixar passar.

Sinceramente, o quê eu fiz para merecer isso?

Eu devo ter colado chiclete nas paredes dos templos de vocês, não é divindades?
Por que sinceramente viu...

Suspirei, tentando me preparar ao máximo psicologicamente para conseguir passar por essa noite sem cometer algum tipo de crime contra meus primos e Namjoon.



Notas Finais


E é isso!

Espero que tenham gostado de mais uma capítulo dessa fic que eu estou adorando escrever ^^

Nos vemos logo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...