História Mas Que Droga Eu Me Envolvi...(SCISAAC) - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Allison Argent, Chris Argent, Corey Bryant, Danny Mahealani, Derek Hale, Ethan, Isaac Lahey, Jackson Whittemore, Jordan Parrish, Liam Dunbar, Lydia Martin, Malia Tate, Mason Hewitt, Melissa McCall, Meredith Walker, Scott McCall, Sheriff Noah Stilinski, Theo Raeken
Tags Corason, Crislia, Dackson, Dannek, Danniles, Ethanny, Ethorey, Etiles, Isyles, Jackira, Jacksiles, Jordia, Jordiam, Kirydia, Liason, Lydan, Masordan, Masott, Scanny, Scisaac, Scorey, Scottiam, Scottira, Scottson, Sterek, Stheo, Stia, Theliam, Theson, Thorey
Visualizações 140
Palavras 3.411
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Orange, Poesias, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


AEEEEEH MEUS PUTOS. NOVAMENTE AQUI. AÍ VAI MAIS UM. ESSE FOI UM POUCO CURTO. MAS ESPERO QUE TENHAM UMA BOA LEITURA

Capítulo 8 - Can't stop the feelling


Fanfic / Fanfiction Mas Que Droga Eu Me Envolvi...(SCISAAC) - Capítulo 8 - Can't stop the feelling

POV ETHAN.

 

‘’Vamos logo amor’’ eu digo impaciente para Danny ‘’Você já viu que isso não vai dar certo. Nós só estamos perdendo tempo’’

Mas de nada adianta como nas outras vezes que eu disse.

Danny estava sentado ali a horas. Tentando fazer aquele ritual dar certo. Ele nunca tinha se interessado por aqueles livros velhos do seu avô. Eu não entendia por que agora ele tinha vasculhado o sótão da sua casa e resolvido investigar o passado. A verdade era que ele estava tentando descobrir se seu avô era mesmo um bruxo como ele suspeitava. As historias que ele tinha ouvido a respeito da sua linhagem. As provas que ele tinha encontrado em sua casa. E o mais novo fato que o impulsionava a querer respostas: as visões que ele estava tendo nos últimos dias.

Sim, Danny sempre foi um adolescente muito normal. Mas ele estava agindo feito um louco ultimamente. Aquilo estava me assustando. Eu estava preocupado com ele. Não queria meu namorado possuído por aquelas coisas.

Mas Danny insistia em fazer aqueles rituais de bruxos. Eu não podia simplesmente impedi-lo. Mas estava ali para protege-lo de qualquer desgraça.

Nós dois estávamos na montanha de Beacon Hills. Naquela parte no alto onde dava para ver toda cidade. Onde corriam ventos frios. De onde a lua estava enorme. Eu não estava gostando de estar ali e por isso já tinha chamado ele um monte de vezes para sairmos dali.

Ele estava em posição de Hioga, tinha desenhado vários círculos no chão ao seu redor. Tinha outros símbolos desenhados também. Ele passou tinta pelo seu corpo e desenhou algumas coisas que eu não conhecia, mas tinha medo do que podia ser. Aquilo tudo parecia um ritual satânico.

Ele começava a dizer palavras que estavam escritas no livro. Recitando uma oração que claramente era maligna.

Estava concentrado nisso. Vestindo apenas o seu jeans. Sem blusa com seu peito a mostra. Sem sapatos. Haviam também velas distruibuidas ao seu redor. Haviam vasos, ossos e joias que eu não entendiam para que serviam ali. Mas Danny tinha estudado muito a fundo como funcionavam aquelas coisas e sozinho conseguiu pegar cada artefato, reuni-los ali para fazer seu ritual.

As visões que ele andava tendo também o ajudaram a saber dessas coisas.

Ele continuava falando coisas em uma linguagem que eu não conhecia. Aumentando o tom de voz cada vez mais. Me assustando cada vez mais.

Era uma visão que eu não gostava nem um pouco. Ver o meu namorado ali invocando sei lá o que, repleto daqueles artefatos amaldiçoados ao seu redor. Parecia que não iria acabar bem. Eu não entendia por que tanta vontade de mexer com aquelas coisas ocultas. Danny sempre foi corajoso, mas aquilo era loucura. Nem mesmo eu que era lobisomem alfa, me atrevia aquilo.

Foi então que o verdadeiro horror aconteceu. No meio do ritual.

Os ventos ficaram fortes. Soprando ao redor de Danny. As velas se apagaram. Eu não sabia como, mas o lugar onde nós estávamos escureceu. Como se a escuridão estivesse ali. Sempre ao redor de Danny. O lugar estremeceu. Houve um pequeno terremoto. Danny ainda estava proclamando coisas, mas então sua fala foi interrompida pelo seu próprio grito.

‘’Ahhh’’ ele gritou. Seus olhos estavam estranhos. Eles estavam negros. Completamente negros. Suas veias começaram a inchar pelo seu corpo. Apareceram. Ele gritava como se estivesse sentindo dor.

Foi então que resolvi parar com tudo aquilo. Mas no momento em que avancei para resgatar Danny uma sombra negra se solidificou na minha frente. Eu podia sentir em minha alma que aquilo era uma entidade vinda do inferno. Era maligna. Talvez fosse aquilo que Danny tivesse invocado.

Eu até que tentei dar socos na própria sombra, mas ela me envolveu e me arremessou para longe de Danny. Ser tocado pelas trevas era a pior experiência que você podia ter. tudo que há de bom em você. Sua vida. Seu animo. Seu vigor. Somem. Dando espaço apenas para morte, fraqueza e sensações perversas.

Eu fui arremessado e caí no chão frio. Estava tonto e fora de mim. Não via as coisas com clareza. Estava quase desmaiando sem forças.

Mas vi a sombra de longe conversando com Danny. Ela não tinha vindo ali para machuca-lo. Eles dois conversavam tranquilamente. Com certeza o plano havia dado certo. Ele tinha conseguido esclarecer suas duvidas. Obteve suas respostas. O único machucado havia sido eu.

Demorei alguns minutos para voltar ao normal. Mas quando isso aconteceu, eu me pus de pé novamente. Sentia minhas forças. Sentia meus sentidos. Eu corri na direção de Danny. A sombra havia se dissipado. Não havia mais escuridão nem ventos. Muito menos aquela sensação maligna. Mas meu namorado estava caído no chão. Eu não sabia se estava morto ou desmaiado. Mas pensei logo no pior.

Entrei em desespero. Corri até ele bem rápido. Gritando por seu nome para ver se ele acordava. Pelo visto o ritual havia cessado, mas talvez ele não tivesse aguentado. Era sua primeira vez fazendo aquilo. Eu sabia que não podia acabar bem. Nunca mais iria deixa-lo fazer aquilo  de novo.

 

‘’Danny.... Danny... Danny’’ eu gritava enquanto segurava seu corpo em meus braços. Sacodia o corpo dele para fazer ele voltar ‘’Acorda meu bem. Acorda por favor. Eu te falei para não fazer isso. Sabia que era perigoso’’

Ele não estava acordando. Fiquei tentando por alguns minutos.

Incansavelmente. Tinha a esperança de que ele iria acordar.

‘’Danny acorda... Amor acorda... Danny.... Por favor Danny... Não me deixe’’ eu já estava  chorando. Pensando que o pior sim tinha acontecido. Eu estava segurando em meus braços o corpo do meu namorado morto.

 

Mas foi então. Que depois de vários minutos de insistência minha Danny abriu seus olhos. Ele tossiu fortemente. Mas recobrou a consciência e se mexeu em meus braços.

‘’Ah meu Deus’’ eu gritei ‘’Danny, que bom que está vivo’’ acho que uma lagrima de felicidade caiu dos meus olhos nesse momento. Não dava para explicar como eu estava feliz por ver ele vivo. Era simplesmente a melhor coisa de se ver. Eu o abracei com mais força. Beijei a sua boca como nunca tinha beijado antes. Senti o calor do seu corpo como nunca antes. Senti ele em meus braços como nunca antes.

Mas também dei espaço para ele respirar.

Acho que ele estava recobrando a consciência aos poucos, ainda estava reconhecendo onde estava. Mas assim que avaliou meu rosto e se deu conta de que estava comigo, ele sorriu. Aquele sorriso singelo que eu amava ver. Que apaixonava meu coração.

‘’Eu sei  o que você quer me dizer’’ ele finalmente fala ‘’Mas deu certo’’ ele diz.

Eu estava emocionado por ele não ter morrido. Por ter meu namorado ainda comigo. Mas então me lembrei que toda aquela situaçao tinha sido ideia dele. Eu estava certo no final. Foi algo muito perigoso.

‘’O que foi que deu certo?’’ eu pergunto em um tom exaltado ‘’A parte que apareceu aquele demônio e me atacou ou a parte que você quase morreu?’’

Ele apenas sorri. Estava calmo demais. Mas claramente cansado. Aquele ritual tinha levado as suas forças.

‘’A parte que eu obtive minhas respostas’’ ele diz.

‘’O que?’’ eu pergunto ‘’O que foi que aquilo te disse?’’

‘’Muitas coisas’’ Danny diz e em seguida se levanta. ‘’Coisas muito serias. Vamos precisar falar com todo mundo. Nós estamos no inicio de um grande problema’’

‘’Como assim?’’ eu me levanto também ‘’O que foi que você descobriu?’’ pergunto.

‘’Agora não’’ ele diz ‘’Vamos para casa, eu estou muito...’’ ele iria terminar a frase. Mas então suas pernas fraquejam e ele iria caindo no chão novamente. Mas eu fui mais rápido.

‘’Opaa’’ eu digo e seguro ele. Impedindo de cair no chão. Danny novamente sustentado por meus braços. Claramente acabado.

‘’Você está muito desgastado’’ eu digo ‘’Esse ritual acabou com você’’

‘’Estou sem energias’’ ele responde ainda conscienciente. Segurava com seus braços em mim. Mas suas pernas não se sustentavam no chão ‘’Esse foi o preço pelo ritual’’

‘’Você nunca mais vai fazer isso de novo’’ eu respondo mandão. Ele teria que me obedecer. Mas como sempre ele apenas ri. Eu passo um de meus braços por baixo das pernas de Danny e o outro segura em suas costas. Agora ele estava no meu colo, como um bebê.

Ele se aconchega em meu peito. Para falar a verdade eu não estava sentindo raiva dele. Eu estava agradecendo a Deus varias vezes por ele ainda estar vivo. Por saber que ainda iria ter meu moreno comigo em meus braços daquele jeito.

Eu o segurava em meu colo como o homem mais feliz do mundo. E comecei a caminhar para leva-lo para casa. Teria que descer a colina. O carro estava lá em baixo. Ele já estava dormindo. Eu estava assustado. Muito assustado.

Mas o que erra isso tão grave que ele tinha descoberto? Eu tinha medo de Danny ficar envolvido nisso. Com certeza tinha haver com forças malignas. E eu rezava para que nós ficássemos longe de perigo. Rezava para que nenhum mal acontecesse ao meu namorado.

 

POV STYLES.

Aquele beijo durou apenas uns cinco segundos. Ele me assustou. Me agarrou a força. Fez seus lábios encostarem nos meus.

Logo que o efeito surpresa passou, eu empurrei ele para longe de mim e dei um tapa em sua cara. Eu me sentia violado. Estava com muita raiva dele nesse momento.

Ele me olhava com olhos preoucupados e melancólicos. Não sabia por onde começar a xinga-lo. Era muito errado aquilo que ele fez. Muito errado mesmo. Eu estava explodindo de raiva.

Mas como todo castigo para homem traído é pouco. O pior ainda veio.

‘’Derek. Styles’’ uma voz gritou nossos nomes ‘’O que está acontecendo aqui?’’ aquela voz eu conhecia muito bem. Era a de Scott.

Eu e Derek nos assustamos. Nos viramos para ve-lo. Scott vinha entrando na sala. E...Como que se tivesse perdido completamente a noção. Tivesse enlouquecido ou  coisa assim. Estava pelado. Sim, suas partes intimas estavam aparecendo diante de nossos olhos. Eu fiquei sem entender aquilo.

QUE PORRA ERA AQUELA QUE SCOTT ESTAVA FAZENDO?

O olhei confuso. Derek também. Mas ele parecia mais preocupado com outra coisa.

‘’Scott’’ eu e ele dizemos o nome dele ao mesmo tempo.

‘’O que está fazendo aqui?’’ diz Derek ‘’Com entrou sem ser percebido?’’

‘’E por que você está nu Scott?’’ eu pergunto.

‘’É uma longa historia’’ ele diz ‘’               Que eu preciso conversar com vocês. Não é algo nada bom. Aconteceu comigo. Mas sem mudar de assunto, o que vocês dois estavam fazendo quando eu cheguei? Vocês estavam se beijando? O que é que ta acontecendo, vocês podem me dizer?’’

 

‘’Loucura’’ eu digo ‘’É isso que tá acontecendo. Derek é um louco. Um cara louco’’ eu digo olhando para ele com um olhar de ódio.

‘’Peraí...Ele te beijou a força?’’ Scott pergunta para mim.

‘’Sim’’ eu respondo ‘’Eu não sei que merda tá acontecendo aqui. Mas eu me senti agredido’’

‘’Derek! Por que você fez isso?’’ Scott pergunta para ele. Eu também aguardava ansioso a resposta.

‘’Eu não consigo mais’’ Derek diz ‘’Eu tentei esquecer isso. Tentei lutar contra isso. E pode apostar eu odeio sentir isso também. Me sinto uma.... uma.... uma aberração’’

‘’Do que você está falando?’’ eu pergunto um pouco confuso ‘’Cara, que tipo de droga você andou fumando?’’

‘’Não é isso Styles!’’ Scott me interrompe ‘’Eu sempre suspeitei disso Derek’’ meu melhor amigo continua ‘’Mas você sempre negou.  Você sempre se fez de durão. Mas eu sabia. Eu sempre soube, você não conseguiu esconder isso de mim’’

‘’Mas de que porra vocês estão falando?’’ eu pergunto.

Derek se sentou no sofá. Ele parecia estar chorando. Eu nunca tinha visto ele assim. aquele homem forte e durão. Eu era o culpado de alguma coisa? Juro, não estava conseguindo entender ainda.

‘’Derek, por que simplesmente não contou á ele?’’ Scott pergunta.

‘’Eu nunca contaria’’ ele diz. Ainda não estava chorando. Mas estava quase ‘’Eu só o beijei porque...’’

‘’Por que?’’ eu pergunto encarando ele. Mas ele não fazia o mesmo. Parecia não conseguir fazer isso.

‘’Por que você estava indo embora com raiva de mim. Eu não podia deixar isso acontecer de novo’’

‘’E você achou que me beijando resolveria tudo? Cara, francamente, VOCÊ É GAY?’’

Dessa vez ele olhou para mim. Mas não foi com um bom olhar. Acho que aquela pergunta tinha irritado ele. Seus olhos ficaram vermelhos. Ele me olhava como se quisesse arrancar minha cabeça.

‘’Não’’ ele responde a minha pergunta.

‘’Então por que fez isso?’’

‘’Styles, isso já não ficou obvio para você?’’ pergunta Scott. Eu olho para meu melhor amigo ainda pelado. Pensado no que ele estava falando.

‘’O que?’’ pergunto.

‘’Achei que você também perceberia. Mas pelo visto você é bem tapado nesses assuntos’’ ele diz e eu começo a me irritar.

‘’Mas do que você está falando Scott?’’

‘’Styles, o Derek gosta de você’’ Scott salta.

Eu olho para Derek, que estava de cabeça baixa.

‘’Gosta de mim? Mas você esta falando de...’’

‘’Sim’’ Scott diz ‘’Ele gosta de você no sentido amoroso’’

 

Eu fico sem saber o que dizer nesse momento. Essa revelação esclarecia o por que do beijo. Mas não passava minha raiva. Se ele gosta de mim, isso não dá o direito de me beijar a força. Por que eu não curto homens e sim mulheres.

‘’Mas ele acabou de me dizer que não é gay’’ eu respondo.

‘’Isso já é uma questão interna dele’’ Scott responde ‘’Mas ele gosta de você sim. Eu sempre soube. Ele sentia ciúmes de você e Lidya. Ele sentia raiva de você por que gostava de você, mas odiava esse sentimento. Ele se manteve afastado e nunca quis você no grupo por que não queria ficar perto de você. Por que não queria se apaixonar mais por você’’

‘’Isso explica muita coisa’’ eu digo olhando para ele. Ainda de cabeça baixa ‘’Mas eu nunca esperaria isso dele. Por que se apaixonar por mim?’’ eu pergunto.

‘’Não se pode explicar uma coisa dessas Styles’’ meu melhor amigo diz. ‘’Ele só gosta e pronto’’

‘’Mas ele não parece lidar muito bem com essa situaçao’’ eu digo.

‘’Voces querem parar de conversar como se eu não estivesse aqui!!’’ Derek grita. Ele se levanta. ‘’Para começar vocês nunca deveriam ter sabido disso. Desse maldito sentimento eu tenho muito ódio’’

‘’Mas nós sabemos agora’’ diz Scott ‘’Você quem quis beijar Styles. Você pode odiar esse sentimento. Mas não consegue vence-lo. É melhor admitir Derek. Você ama Styles’’

‘’Cala sua boca’’ Derek grita com muita raiva. Seus olhos ficam vermelhos. Suas presas aparecem. Scott estremece diante da ameaça.

‘’Por que tem tanto medo de falar nisso?’’ pergunta Scott corajosamente ‘’Styles sabe agora. E eu tenho certeza de que ele não odeia voce por causa disso’’

Derek se vira para mim. Seu olhar desfaz o odio. Ele me olha com um olhar assustado. Esperando uma resposta. Scott faz gestos para que eu diga alguma coisa. Mas eu nunca tinha passado por uma situação assim antes. Não sabia o que dizer. O que fazer. Não queria deixar Derek ainda mais irritado. Sem falar que nossas vidas dependiam disso.

‘’Eu não esperava isso de você Derek’’ digo calmamente ‘’Mas se você tivesse chegado. Conversado comigo numa boa. Contado a verdade, eu jamais iria tratar mal você. Eu só fiquei com raiva por que você sempre me tratou mal esse tempo todo. Por causa desse odio que eu não tenho culpa. Voce cometeu um grande erro. Voce jogou a culpa dos seus problemas para cima de mim e ainda me forçou a beijar você’’

Inesperadamente ele não ficou mais bravo. Scott estava pálido com minha declaraço. Acho que ele achava que Derek iria surtar.

Mas ele se acalmou. Encolheu as garras e as presas. Seus olhos voltaram ao normal. O odio estava passando. E para nossa surpresa ele derramava algumas lagrimas.

‘’Eu odeio você Styles’’ ele diz para mim. Com sua voz de choro. ‘’Odeio esse sentimento’’

‘’Derek, tudo bem’’ diz Scott dando apoio ‘’Olha nós não vamos contar sobre isso para ninguém. Eu sei que deve ser difícil para você’’

‘’Você não tem ideia’’ Derek diz. Já sentado no sofá novamente. ‘’Eu não quero ser assim’’ diz ele ‘’É uma vergonha. Eu sou um homem, isso não pode acontecer comigo. Mas esse maldito sentimento não diminui. Toda vez que eu olho para ele...’’ Derek me olha com seu olhar de tristeza. E eu sinto pela primeira vez pena dele.

‘’Porque isso esta acontecendo comigo?’’ ele chora ‘’Eu não sou gay. Eu não sou gay’’ ele diz.

Scott continuava dizendo palavras amigas para ele. Eu estava completamente fora de mim. Que tipo de situação era aquela? Por que mesmo aquilo estava acontecendo com ele? Parecia uma maldição. Uma tortura. Uma desgraça sobre a vida dele. E claramente ele estava sofrendo com isso. Era natural. Eu o conhecia bem. Derek era um cara machista. Orgulhoso. Se apaixonar por um garoto deveria atingi-lo em cheio. Era um pesadelo para ele. Era o próprio inferno. Por isso aquelas lagrimas. Por isso aquele lamento.

Por isso ele se afastou de mim. Por isso me tratou mal. Eu era a causa de sua desgraça. Eu me sentia um pouco culpado de seu sofrimento.

Mas era estranho. Por que ele simplesmente não me esquecia? Que tipo de sentimento era esse que nem mesmo a distancia, o odio e amargura não conseguem parar? Que sentimento é esse que tinha derrubado e vencido Derek Hale? E feito dele uma pobre criança assustada. Se aquilo era paixão então esse sentimento é como um veneno poderoso e incurável. Somente com sua consumação ela pode parar.

Era terrível de saber. Que Derek estava sendo assolado por um mal desses.

Dava pena. Mas esse problema não era meu. Gostaria de ajuda-lo a sair dessa. Mas eu não sabia como. Para mim é só ficar com muitas garotas, se esforçar para ser hetero e lutar contra esse sentimento. Acho que ele poderia se curar sim. Se quisesse eu o ajudaria.

Só não haveria chance de nós ficarmos juntos. Pois eu não sentia nada por ele. Eu não gosto de garotos. Mas agora não estava mais com raiva. Não podia culpar Derek por aquela situação. Mas ele tinha que ser forte e enfrentar esse problema.

Eu estava assustado com toda aquela loucura. Como podia alguém sofrer tanto assim por causa de amor?

Depois de alguns minutos chorando Derek resolveu parar.

‘’Chega de ficar chorando feito uma bichinha!!’’ele grita. Me olha com desprezo ‘’Eu não sou um viado’’ ele diz ‘’Eu sou macho’’ continua de peito estufado.

‘’Eu também acho que você deve pensar assim’’ retruco ‘’Eu não entendo por que você está passando por isso Derek. Vai ver são as loucuras do ser humano. Todo mundo tem um pouco de paranoia. A sua deve ser essa. Mas isso pode ter cura. É só você se esforçar para vencer. Eu sei que você pode esquecer de tudo isso e voltar ao normal’’ eu falo na sua cara.

‘’Você tem razão’’ ele diz ‘’Eu vou me curar. Vou esquecer de tudo isso. Eu sou Derek Hale. Essa porra de sentimento não vai me vencer’’

‘’Isso mesmo’’ respondo ‘’É isso que eu gosto de ouvir’’

‘’Vou pedir um favor a vocês’’ ele diz ‘’Esqueçam tudo o que aconteceu hoje. Foi uma loucura’’

‘’Eu sei disso’’ eu digo ‘’Considere isso esquecido’’

‘’Por mim tudo bem’’ diz Scott.

‘’Ah por favor vai vestir uma roupa Scott!!’’ Derek faz uma cara de nojo ao olhar para Scott nu ‘’Ta achando que isso aqui é um estúdio pornográfico é?’’ grita Derek ‘’Ninguém quer ver essas suas bolas engelhadas e esse seu pinto murcho’’

‘’Mas eu não tenho roupas’’ responde Scott.

‘’Pega essas aqui’’ Derek joga para Scott uma bermuda e uma blusa branca regata.

Scott se veste rapidamente.

‘’Acho que eu devo desculpas a você’’ diz Derek para mim ‘’Por tudo que fiz’’

‘’Tudo bem’’ eu digo. Eu tinha sentido raiva dele. Mas depois dessa eu me acalmei. Além do mais, ele estava se desculpando. Eu não guardaria magoa dele ‘’Todo mundo comete erros. E eu vejo que não foi fácil para você’’

‘’Não mesmo’’ ele responde.

‘’Mas vamos esquecer isso né?’’ pergunto com bom humor.

‘’É!! Vamos’’ ele responde me olhando nos olhos. Eu via as inseguranças de Derek ali dentro. Via que ele estava mentindo para mim. Mas pelo menos ele estava disposto a tentar mudar. Nunca iria dar certo nós dois. Mas eu sabia que ele ainda gosta de mim...


Notas Finais


COMO SEMPRE PEÇO PARA VOCÊS DEIXAREM SEUS COMENTÁRIOS. É IMPORTANTE OUVIR O QUE VOCÊS ESTÃO ACHANDO DA HISTORIA. BJS E ATÉ O PROXIMO..


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...