História Mascara Cinza: Rewrite - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias D.Gray-man
Personagens Allen Walker, Road Kamelot
Tags Allenxroad, Noah!allen, Roadxallen
Visualizações 52
Palavras 3.058
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu não estou conseguindo mais inspiração para reescrever essa fic.
Pior que estou com muito tempo livre mas pouca vontade e força de vontade para me colocar em frente ao computador.
FELIZMENTE UMA AMIGA MINHA É CHATA O SUFICIENTE PARA ME FORÇAR A ISSO
SIM, VOCÊ MSM
VOCÊ SABE QUEM É!
Digo.... cof cof
Retirando esse total snap meu, vamos ao capitulo. Se eu gostar desse cap mesmo após quase 8 meses sem escrever nada para essa fic eu talvez volte.

Capítulo 12 - A Escolha.


O Conde do Milénio andava por seu escritório, rodeava a mesa em sua forma humana com suas mãos juntas atrás das costas, dois dias passados desde que Allen Walker fora levado, capturado pela Ordem Negra, os antigos amigos do garoto. Alguns Noahs mais próximos do garoto de cabelos brancos demonstravam sua preocupação a seu modo.

Road permanecia constantemente irritada além de quase ter matado uma das empregadas humanas de Sheryl Kamelot em um ataque de irritação. Tikky Mikk passara a fumar mais, os efeitos não aconteciam em um Noah e Tikky normalmente fumava pelo prazer de fumar mas recentemente era como se ele estivesse tentando parar sua irritação com o tabaco…

O Conde pensava nos acontecimentos recentes, era dificil para ele confiar em Walker, sua mente em um conflito divergente entre deixar Walker ou o matar, por isso prometeu a si mesmo que esse seria um último teste ao jovem Walker no entanto suas duvidas permaneciam afinal Allen tinha “matado” Neah, de um modo que o o antigo 14º não pudesse mais o tirar o corpo. O conde não sabia de onde vinha essa atração pelo 14º mas estava lá e Walker não era Neah.


 

Road Kamelot levava sua preocupação a níveis extremos, se perguntava sobre possibilidades sem conta: E se Allen não voltasse? Se ele fosse aceito pela igreja e abandonasse os Noahs?

No fim do terceiro dia Road se levantou com mais odio de exorcistas e inocencia que o normal. Ela não aceitava que os exorcistas roubassem Allen, que em sua mente era dela, seu irmão, seu preferido e seu amado.

A pequena Noah corou no fim de se decidir, um leve tom de rosa enfeitando sua forma branca, mas sua expressão séria com os pensamentos nos exorcistas… Se esses ousassem envenenar a mente de Allen com suas mentiras ela juraria fazer essa guerra durar muito menos, e no entanto a espera que estava atormentando a Noah dos Sonhos chegou ao seu limite, lembrou de como Lulubell invadira a ordem e agora a frente da sala do Conde informaria que estava de partida.


 

Pouco antes de entrar a de cabelos roxos hesita, sentindo a aura depressiva vinda de dentro, então abrindo vendo o Conde do Milénio, em sua forma humana com o rosto molhado de lagrimas enquanto andava próximo a sua mesa, o mesmo ao ver Road entrar enxugou seu rosto e perguntou.

“Quer algo, Road-chan?”

“Eu estou indo buscar Allen.” Falou a pequena Noah com um olhar sério e neutro, deixando claro que não era um pedido.

O Patriarca dos Noahs suspira indo até a janela atrás de sua mesa e a abrindo.

“Já fazem dois dias que não temos noticias de Allen Walker, ele pode ter se juntado a ordem pelo quanto você sabe, minha querida Road. Então me diga, o que lhe faz pensar que Allen Walker queira ser salvo?” Pergunta o homem se virando para Road na sala agora iluminada se mostrando, alto de pele escura como todo outro Noah, as sete marcas em sua testa e sua aparencia forte com semblante marcado por poucos pelos faciais, sua aura inpunha respeito e exigia respostas.

“Conde, Allen não fugiu de nós e não contatou os exorcistas, ele não iria querer voltar!”

“Quem está tentando convencer, Road-chan.”

“… Ele não faria isso, se você o afastar assim pode repetir o que aconteceu com Neah.”

“Neah… Sairemos essa noite, Road-chan, e buscaremos Walker.”

“Sério? … Eu esperarei Conde”.

O Noah maior soube realmente naquele momento que ela não cumpriria o que acabara de dizer mas com um movimento da mão permitiu que Road saisse pela porta.

Enquanto isso, na Sede chinesa da Ordem Negra, Allen acordava em uma cama desconfortável mas familiar.
Se movendo logo descobriu estar acorrentado a mesma, o que não seria uma grande preocupação não fossem os selos, talismãs dos CROW em seus braços, suas roupas, com exceção das calças a quais vestia, estavam jogadas no chão, Timcampy rapidamente saiu dessas e voou para a cabeça de Allen ao ver o garoto acordar, Allen tentou usar a materia negra sem exito, provavelmente graças aos talismãs.

Se levantou embora acorrentado, as correntes davam pouco espaço para movimentação mas ainda era algum e suas pernas já doiam de estar deitado, um golem da Ordem Negra o observava no outro canto da sala, Allen conteve uma risada e Timcampy voou a sua frente abanando as asas e cabeça.

“Estou bem Tim… esse lugar apenas me dá nos nervos, além disso não entendo a razão para eles terem capturado em vez de eliminado a mim…” disse Allen então olhando pela janela afastada de si percebendo a luz do sol, após isso olhando para o golem da ordem “Não tarda nada que alguém venha aqui...”

De fato, não demorou muito, passado alguns minutos, minutos esses que Allen passara observando seus arredores e falando com Tim, tentando entender o plano da Ordem, além de tentando fazer algo que não tinha feito antes, quando estava quase tentando se comunicar com um outro Noah em sua mente, a porta abre.

“Vejo que acordou, Walker.” disse Komui entrando junto de Lavi e Lenalee, infelizmente Lenalee… Allen desviou o olhar da garota.

“Preferia não ter acordado, não aqui.” Cuspiu as palavras com nojo antes de focar o olhar em Komui “O Que pretendem, exorcistas?”

“Você é um exorcista também!” exclamou Lavi “O Que aconteceu durante seu tempo com os Noah Allen?!”

“Querem mesmo saber…? Bem, vamos começar, para começar apesar de eu ter inocência eles não me olhavam como um monstro capaz de os trair a qualquer momento, mesmo que o Conde tenha suas dúvidas quanto a mim ele não me jogou numa cela para me testar...” Allen travou a língua novamente “Me testar, huh? É verdade ainda não acabei minha missão… Continuando, em segundo lugar, eles não me veem como uma arma, mesmo que a voz em minha cabeça seja um pouco irritante é facil de ignorar… em terceiro lugar eles fizeram algo.”

“O Que nós fizemos que é pode ter sido pior do que eles fizeram?!!” Lenalee falou, com lagrimas nos olhos e em desespero mas ao ouvir a resposta de Allen se calou.

“Nada… vocês não fizeram nada, quanto tempo eu ia ficar aqui? Até eu dizer algo que eles quisessem ouvir e ser executado? Vocês não fizeram nada, esse é o ponto” Allen se sentou no chão encostado a parede olhando fixamente para os exorcistas, nenhum medo evidente em seus olhos, mesmo com toda inocência rodeando apenas podia sentir um ódio grande sobre o cristal de deus. “Vocês nem mesmo fizeram uma única visita, Lavi e Komui principalmente. Sabiam exatamente o que estava acontecendo e apenas esperaram para ver se iria me tornar em um monstro, bem eis aqui o resultado.”

“Allen… não era possível os exorcistas, ou até eu fazer algo, existiam regras e era um segredo da Ordem…” Disse Komui

“Você tem um lugar aqui, Allen-kun…” Lenalee seguiu seu irmão dando um passo a frente.

“Nunca me deixariam ficar…” Allen então olhou para Komui fixamente “O Verdadeiro motivo pelo qual me trouxeram, Komui”

“… Pensamos ser possível exorcizar o gene Noah com inocência, pode sofrer um pouco de dor mas pode ser… teoricamente é possivel”

Lavi rapidamente agarra Lenalee impedindo ela de se mover para que Komui comece a falar.

“Pode voltar a ser um exorcista… mas caso não funcione.”

“… Entendo…” Allen suspirou.

“Allen pode voltar a ser um exorcista?!” Lenalee sabia que estava apenas focando em seus desejos egoístas, sabia que Allen poderia vir a morrer mas… de qualquer forma estaria perdendo ele, uma parte de si queria parar aquele plano, e era por isso que Lavi a agarrara, para mostrar que ela não tinha escolha.

“Vocês acham que apagar minha memória Noah apagará seus atos? Eu não fui consumido pela minha memoria, eu derrotei Neah...” Allen sentiu como que uma pancada no cerebro, aparentemente a memória de Neah não gostando que o garoto estivesse acabando com sua reputação, se levantou e deixou suas algemas cairem ao chão, tendo estado com um pouco de materia negra lentamente as retirando, apesar da dor que isso lhe causava. Olhou para os exorcistas com um sorriso provocador “Estou com fome, e embora tenha saudades da comida de Jeryy, tenho um jantar em família. Graças a vocês vou ter que explicar porque não fui bem sucedido em minha missão então gostaria de passar logo”

Komui levantou a mão, logo os Crow detrás da porta agiram prendendo Allen em talismãs dando um choque forte nele e os empurrando contra a parede

“Go..lpe sujo…” Reclamou Allen tentando se libertar, mas o número de Crows agindo era demais para ele lutar, principalmente sendo que de acordo com Neah ainda não tinha seus poderes, após um tempo fica inconsciente, o tom negro de sua pele saindo de seu corpo e seus olhos perdendo o tom de ouro enquanto caia sua cabeça, desmaiando.


 

Tendo desmaiado Allen se vê em um lago, um sonho no qual olha pela superficie, a agua no entanto não reflete a si e sim uma memoria a muito deixada para trás, igrejas, o perseguimento de si, os gritos o chamando de aberação, seu tempo no circo antes de conhecer Mana… Memórias tristes se acumulando e espelhando-se na face da agua.

“Talvez seja meu fim…” Pensava o garoto enquanto via todas suas memorias passarem, rapidamente vendo cada acontecimento de sua vida, felicidade e tristeza misturadas em um amalgamo de outras emoções.

“Isso tudo que passou… é culpa da inôcencia” disse Neah por trás do garoto abraçando o seu pescoço por trás, um sorriso ameaçador em seus labios.

“Neah...”

“Eu já disse, eu sou sua memoria Noah, você sabe os sofrimento de um Noah, Allen-kun?” A Imagem de Neah sorriu “Neah, meu eu passado, temia o que era mas ainda odiava os humanos e a inôcencia, foram eles quem causaram mais mal a esse mundo. Eu sou a memória do discipulo de Noé, e você pode decidir em se juntar a mim ou tentar me destruir, tentando não ser consumido, decida o que quer ser, Allen Walker”

A Imagem falava com uma sonoridade em sua voz, quase que como uma música morbida.

“É uma decisão sua, tem mais alguém que quer lhe conhecer no entanto.”

Allen vê então o cenario mudar em sua volta, enquanto ajoelhado, Nea desaparece sobrando em volta dele apenas uma sala branca, totalmente branca, uma cruz negra na parede a sua frente. Penas alvas como algo divino se formam a frente dele, e dessas uma criança, de cabelos brancos, olhos cinzas e uma cicatriz com uma estrela na testa formada no rosto enquanto vestido com uma capa e uma mascara ao seu pescoço. Um pequeno Allen Walker.

“Crown Clown” sussura Allen, certo do que dizia embora não entendesse o motivo. A Criança Allen se aproxima um pouco e afaga os cabelos de Allen como se fosse um pedido de desculpas, ou concedendo perdão.


 

A Tranquilidade que Allen sentiu naquele momento não durou muito, quando acordou, forçadamente estava em braços… fios… tentaculos? Agarrado por Hevlaska, antes de ser levantado é porém, abraçado por Lenalee, Allen não resistindo a corar um pouco mesmo que apenas pela proximidade.

“Vai ficar tudo bem, Allen” disse a garota antes de largar o de cabelos brancos.


 

-----------------------------------------------------------


 

Road estava fazendo uma birra, agindo como uma criança, não havia outra palavra para descrever o mau humor com que a Noah dos Sonhos se encontrava, chutando sua cama e olhando as horas passarem e a comer doces sem parar, chegando até a recusar brincar com, leia-se torturar, Tikky.
Já tinha se passado o almoço, e após isso o lanche e nada da garota se levantar. Ela não precisava realmente comer mas se levantaria por alguns doces e obrigar seus irmãos a fazer seu trabalho de casa. Tikky olhava para ela preocupada, Road nunca tinha sido tão possessiva, nem mesmo com suas bonecas.

Esse outro Noah, estava a horas fumando um cigarro, vários outros já tendo sido fumados, dentro do quarto da garota para ver se conseguia a fazer agir mesmo que fosse para o bater.

“O Shounen está bem… você não pode ficar assim até a hora de o ir buscar…” disse Tikky suspirando fumo, mas o que disse devem ter sido as palavras erradas a se dizer

“ELE NÃO ESTÁ BEM!!” Road gritou “Aqueles exorcistas vão o perguntar coisas que ele não sabe, o torturar para as respostas e o corromper a voltar ao seu lado!”

A Garota jogou uma almofada no rosto de Tikky Mikk que esquivou para o lado voltando a colocar o cigarro na boca

“E o que você pretende fazer? Ir sozinha? Estamos falando de invadir a Ordem Negra aqui, não um grupo de exorcistas na rua”

Mais uma vez o Noah amaldiçoaria sua língua pois existem ideias que não se devem dar a alguém

“Se cale Joyd” Tikky se calou, tanto pelo nome Noah como pelo veneno na voz da pequena Noah “Mas você tem razão! Ir sozinha é uma solução… Diga ao conde que estou saindo!”

“Deus… Nunca vi ela tão possessiva assim… ela gosta tanto do Shounen?”


 

“Crianças podem ser imprevisiveis Tikky-pon” disse o Conde aparecendo de um portal da Arca Negra “Mas creio que seja hora de começar a agir…”


 

---------------------------------------------


 

Hevlaska puxou seus fios ou tentáculos para a cruz da mão de Allen em volta do braço o prendendo forte, pegando um pedaço de outra inocência a empurra contra a mesma, a inocência se ativa por si formando a garra, logo Allen mesmo ainda estando plenamente consciente se vê vestido em Crown Clown, sem nenhum controle de sua inôcencia.

Vozes na cabeça do garoto atormentavam ele. Uma única palavra se repetindo vezes sem conta, a um ritmo enlouquecedor: “Escolha”

Nos olhos de Allen, que se estava considerando enlouquecendo pela dor ele viu olhando para ele a criança Allen, vestida do branco divino como um anjo intocado senão por sua cicatriz, olhos redondos olhando para ele com pena. E Neah ao lado desse, com um sorriso sádico, a forma desse se transformando em um Allen totalmente vestido de negro, como que com Crown Clown mas sem a mascara e o tom de pele dos Noah, esse colocou seu cabelo para trás demonstrando os sete estigmas marcando sua testa.

“Você tem o poder de escolha” Ambos falaram ao mesmo tempo, para Allen era como se a voz rodeasse vindo de todos os lados “Ou mais uma vez ter uma escolha em sua vida feita pelos outros”

“SE AFASTEM DELE!!” A Noah dos Sonhos surge do céu atirando as velas que iriam atravessar ambos os ombros de Lenalee, no entanto essa desvia com a Inocência ficando longe mas Road tinha mais com o que se preocupar além de uma exorcista que considerava inútil. “ALLEN!”

“Parece que nossa querida Road já agiu...” Falou o Conde saindo da porta da Arca tendo mandado Akumas matarem os Finders no caminho, e alguns pesquisadores o enorme sorriso do Conde estica ainda mais se possível e então Lulubell se transforma em um Finder homem, os Noahs que tinham vindo com ele, respectivamente: Tikky Mikk, Jasdero e Devit, Lulubell e Tryde, todos prontos a agir no entanto seu lider parou de andar. “Esperem! Vamos observar… algo está para acontecer…”

“Sim Senhor/Lorde/Mestre Milênio” Disseram todos. O Conde riu um pouco, eles realmente precisavam achar um modo único de o chamar.

“Acha que vai ser algo de mal, Conde?” Perguntou Tikky Mikk, podia não parecer mas ele realmente se preocupava com o garoto que considerava dificil de matar e um rival.

“Vai depender de Allen-kun, Tikky-pon”


 

"Decida! Allen Walker!" Ambas as vozes anteriores falam dentro da cabeça de Allen enquanto o tempo abrandava para o garoto, sua inocência estava lhe causando dor imensa, seu coração doía e cada vez seu corpo parecia mais fraco, olha para Road que naquele momento acima de tudo tentava chegar até ele, seu olhar de preocupação era um que Allen não tinha visto em seus antigos colegas quando souberam que ele foi preso ou quando foram o visitar na cela... Naquele momento Allen pensou em Road, em todas as memórias que tinha tido, desde perder seu olho, o encontro na Arca dos Noah e sua luta, aquelas não foram as melhores lembranças mas Allen até teve uma certa sensação de nostalgia e então vieram melhores, a Noah o impedindo de ser devorado pelos sentimentos de Kanda Yuu quando Wisely usou seu poder no mesmo, lembrando-se que nesse tempo ela nem mesmo sabia que ele era um Noah e o salvando junto com Tikky Mikk de Apocryphos... Allen contém os gritos e fala com dor graças ao exorcismo da Ordem, seu coração de repente quase que para o fazendo perder o ar antes de falar.

Allen muda sua expressão, determinado, um único pensamento em sua cabeça:

Eu decidi

Allen viu sua metade branca, jovem com um olhar triste no entanto uma voz suave vindo dessa

Obrigado por tudo o que passou comigo… Boa sorte.

O Mini-Allen desaparece logo a faceta sombria sorri e some depois, Allen sente suas forças revigorarem, uma força invisivel o soltando dos braços-tentaculos de Hevlaska. Seu braço direito no entanto parecia se partir, como vidro no lugar onde sua inocência marcava antes um braço negro e vermelho cada pedaço caído mostrava apenas um brilho branco.

“Desculpe… MAS EU IREI FICAR COM MINHA FAMILIA!”

Allen usa um pouco de sua força empurrando Hevlaska ao chão antes de flutuar, literalmente, até a frente dos exorcistas, sua face olhando para o chão.

“Sabem… desde que descobri que tinha as memorias de Neah dentro de mim me vi pensando como seria me deixar ir, usar esses novos poderes” Uma risada louca mas incrivelmente serena escapou da boca de Allen que então levantou sua face, a dor percorrendo pelo seu corpo servindo como combustivel para o ódio incontrolavel de um Noah contra a inôcencia, olhos dourados se focavam nos exorcistas, marcas negras na pele agora escura de Allen “Sempre tive medo do que aconteceria, se me perderia nesse poder”

Allen colocou sua mão para a frente uma espada surgindo de um portal branco no chão, totalmente igual a de Crown Clown mas em negativo, com uma cruz branca em metal negro e as laminas brancas

“Mas nesse momento… Minha curiosidade é maior que o medo do resultado”



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...