História Máscaras. (Taekook) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Gay, Lemon, Namjin, Taekook, Vkook
Visualizações 357
Palavras 1.310
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Kim Taehyung, ou V.


Kim Taehyung Pov

- por favor, não me mate, eu tenho três filhos e uma esposa para cuidar. –  o homem em minha frente chorava que nem uma criancinha enquanto eu apontava a minha arma em sua direção, pronto para mata-lo, ouvir seus gritos de dor e medo era tão satisfatório para mim que meus ouvidos até mesmo se arrepiavam.

- agora você se importa com os seus filhos e a sua esposa? – dei risada enquanto o via se borrar todo de medo, eu adorava causar medo nas pessoas, intimida-las era um dos meus maiores talentos, meu nome é Kim Taehyung, tenho 20 anos e sou um assassino de aluguel, um dos mais bem pagos do mundo do crime, sou popularmente conhecido como “V”, ninguém sabe da minha verdadeira identidade pelo fato de eu sempre usar uma mascara, dificultando o trabalho da justiça me pegar, não pense que sou um psicopata nem nada, talvez eu seja mesmo já que sinto prazer em matar, mas não mato qualquer pessoa, mato apenas pessoas ruins como bandidos, estupradores, etc.., digamos que eu gosto de fazer justiça com as próprias mãos.

O homem que estava chorando e implorando por sua vida em minha frente não era nada mais nada menos que Lee Dong-sun, um politico totalmente corrupto , desviava dinheiro de várias escolas para sua conta bancária, deixando várias crianças ficando sem merenda na hora do intervalo, já foi denunciado várias vezes mas nunca foi punido por isso, então eu mesmo decidi cobrar isso dele.

- eu me arre..arrependo de tudo, só me deixa ir embora por favor. – ele chorava que nem uma mulherzinha , eu me divertia com a sua dor.

- eu não sou Deus, então não é para mim que você tem que pedir perdão, por sua culpa muitas crianças inocentes passavam fome na escola, porque? Porque um certo filho da puta desviava o dinheiro para beneficio próprio, e se tem uma coisa que eu odeio nessa vida é ver crianças sofrendo. – eu tinha um amor inexplicável por crianças, são tão fofas, pequenas e inocentes, as vezes eu me pegava sonhando em ter filhos, mas isso é impossível, eu seria um péssimo pai, nenhuma criança merece ter um pai que é um psicopata assassino como eu.

Não pensei duas vezes antes de atirar bem na cabeça do homem, espirrando sangue na minha roupa e em todo o escritório dele, eu não tinha muito tempo, então precisava limpar a cena do crime, coloquei o corpo do homem em uma sacola preta e limpei todo o sangue na sala, destruí as gravações da câmera de segurança e destruí qualquer pista que fizesse a policia chegar até a mim, abri a minha mochila e peguei um pincel e pintei um pequeno “V” na parede com o sangue do homem que eu matei, era uma assinatura minha, quando eu cometia um crime, eu desenhava meu apelido na parede para a policia saber que eu que fui o responsável,  o país todo tem medo de mim, e o melhor disso é que nem sabem quem eu sou de verdade, eu levo uma vida dupla, de dia eu sou Kim Taehyung, um garoto comum e amável, e de noite sou “V”, um assassino mascarado, frio e sem sentimentos.

Desde pequeno sempre fui assim, meu pai sempre me treinou, me ensinou a lutar, usar qualquer tipo de arma, a matar, tudo o que eu sei hoje foi graças a ele, sinto falta dele, apesar dele ser um bom assassino, morreu de câncer , foi uma dor muito grande para mim, eu nunca tive uma família, minha única família era ele e agora ele não está mais comigo.

Coloquei o corpo do homem no porta malas do meu carro e dirigi até a minha mansão, eu morava em um condomínio de luxo e bem afastado, minha casa era a última para evitar que os vizinhos me reconheçam, entrei na garagem e tirei o corpo do homem do carro e abri a passagem secreta que ficava embaixo da minha mansão, era lá onde eu me livrava das minhas vitimas.

A passagem secreta dava entrada a minha sala preferida. A sala de tortura, era lá onde eu torturava as minhas vitimas e de vez em quando matava elas, esse homem aqui eu tive que matar no escritório dele mesmo, sorri vendo meus dois cachorros latindo sedentos para devorar o homem.

- me desculpem garotos, mas dessa vez vou ter que usar outra tática. – falei fazendo carinho neles, os treinei justamente para me obedecerem, eles mordem e atacam qualquer pessoa, menos a mim, arrastei o corpo do homem até a enorme piscina de ácido e o joguei lá dentro vendo seu corpo ardendo e desaparecendo, sobrando apenas os esqueletos, ele mereceu morrer e não me arrependo nem um pouco. Dei ração para os meus cachorros, não queria deixa-los passando fome, meu celular tocou , era Hoseok, meu aliado e amigo.

- Já terminou o que tinha que fazer? – ele pergunta assim que atendi a ligação.

- já matei o cara, acabei de jogar na piscina de ácido que tem aqui em casa. – dei risada trancando a sala de tortura e subi para o meu quarto.

- você não presta mesmo hein. – Hoseok responde e depois caímos na risada.

- tinha que ver o babaca, ele até mijou nas calças de tanto medo, vou receber uma grana alta por matar ele.

- deve ter sido divertido, mas eu tinha outra missão.

- eu vou dormir agora , estou morrendo de sono, amanhã a gente se vê. – desliguei o celular e agarrei no sono.

[...]

Acordei com o toque irritante do meu celular, revirei os olhos irritado e atendi.

- preciso dos seus serviços. – uma voz masculina diz e cocei os olhos.

- qual é o seu nome e aonde podemos nos encontrar? – pergunto, precisava conhecer bem os meus clientes, geralmente quem me procura era políticos ricos para matar seus rivais e inimigos.

- meu nome é Nick , pode me encontrar no galpão velho de Daegu, na fábrica abandonada, vou te pagar muito se fizer o que eu te pedir.

- que horas?

- daqui meia hora , não se atrase. – o homem desligou a ligação e tomei um banho rápido, vesti a minha máscara , peguei minhas armas e sai de casa, não demorei muito para chegar a fábrica abandonada, ninguém não entra aqui faz anos e era um bom lugar para fazer negócios sujos. Invadi o local e encontrei um homem de terno me aguardando.

- é um prazer ver o “V” pessoalmente, você é uma lenda.

- você é o Nick, o cara que me ligou hoje mais cedo, certo? – pergunto apertando a mão do homem.

- eu mesmo, bom, não estamos aqui para fazer amizade e sim para negociar, quero que mate uma pessoa.

- preciso de mais informações.

- o nome dele é Jeon Jungkook, tem 18 anos e é filho do presidente. – arregalei os olhos, o filho do presidente?

- eu nem sabia que o presidente tinha um filho.

- o presidente é muito reservado e protetor a sua família, por isso a mídia e as pessoas não sabem da existência do garoto.

- e porque devo mata-lo?

- o presidente está ameaçando expor várias pessoas corruptas, e digamos que essas pessoas estão com raiva dele, e matar o garoto vai ser ótimo para assusta-lo e deixar meus aliados em paz.

- está bem, eu aceito matar o garoto. – era um desafio em tanto, matar o filho do homem mais importante do país, vou receber uma grana alta por isso.

- quero que traga a cabeça dele para mim, vai receber muito dinheiro por isso, milhões de dólares serão entregues a você. – demos um aperto de mão e fui embora, precisava me organizar e localizar esse garoto e ter mais informações sobre ele e planejar como devo mata-lo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...