1. Spirit Fanfics >
  2. Masmorra. >
  3. Dia 2

História Masmorra. - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


♢Bem,eu acabei de terminar o capítulo. Vi que ele ficou maior do que pretendia,então meio que dividi ele em duas partes kkkkk Fiz ele meio que com pressa. Espero que esteja bom.

♢ Não sei se quando eu for reler ele,se vou querer mudar alguma coisa...vou tentar não mudar nada,mas caso faça eu os aviso nas notas do próximo capítulo.

♢ No final queria avisar um talvez atraso do próximo capítulo. Bom espero que gostem desse que está, um pouco,enrolado.

Capítulo 3 - Dia 2


Depois de ambos tentarem relatar o pequeno e, até inteligível projeto que pretendiam fazer na noite seguinte, tive que voltar aos meus aposentos com ajuda de Lida,que teve de me esconder ao longo do caminho para que os outros guardas não me vissem a solta.

Fiquei com sua campainha até certo ponto do trajeto,depois fiquei apenas com o calar da noite junto a mim e as milhares de perguntas que me acompanhavam.

A noite até estava ameno com a brisa que batia refrescando o calor que fez ao de longo do dia.

Ao chegar em meu casebre reparei na solitária janela e porta fechadas, estranhei,um pouco amedrontado por alguém ter entrado dentro de meu espaço. Mesmo assim, prossegui antes que algum cachorro me visse.

Minha cabeça estava cheia pelas falas de Shouto e Lida, aquele plano era, um tanto, loucura,ainda mais por não me deixarem fazer quase nenhuma Inquisição perante a isso.

O que resultou numa noite sem quase dormir direito. Só reparei que estava amanhecendo quando no susto, alguém bateu em minha porta.

Por leve tempo, me assustei com as batidas, pensando que fosse o cão vindo me buscar logo de manhã, mas as batidas eram leves de mais para isso.

- Izu-chan abre, sou eu - Ouvi a voz feminina vindo do outro lado pedindo para entrar.

Não respondo nada, respirando fundo para levantar e abrir a porta puxando a pessoa de fora para dentro fechando-a logo em seguida.

- Você está bem, Izu-chan? Ontem tive de fechar aqui, antes que alguém percebesse,gero

- Perguntou um pouco aflita ao me ver.

- Não se preocupe, Asui-chan, não houve nada, Shouto-san mandou um trabalho antes de eu vir para cá. Um trabalho limpo. - Esclareci me sentando ao seu lado - E obrigada.

Asui Tsuyo,a jardineira do castelo que cuida dos belos espaços da frente. Ela tem 19 anos,também tem os longos cabelos verdes parecido com o meu,sempre preso em forma de laço em suas costas. A perte superior de um macacão verde que terminava com uma saia puído meio branca, meio esverdeada e uma cinta marrom na cintura.

Asui respirou fundo se acalmando.

- Se foi o príncipe que lhe mandou algo... Então tudo estava bem... Você comeu algo?

- Ahh não...

- E também não dormiu? - Perguntou ao reparar a cama quase arrumada.

- É...

Como contei, não era de falar com muitas pessoas do castelo, porém alguém abria excessão. Himiko, Asui, Shouto e Lida eram as excessões. Asui era como uma irmã mais velha.

E como tal, me questionou sobre o que andava fazendo já que fazia um tempo que não nos encontrávamos.

Assim que se foi passando o tempo, reparamos nos barulhos de fora e antes que ficasse perigoso ela sair, nos despedimos cada um indo para o lado oposto,ela para a parte da frente e eu para os fundos.

O dia seria mais movimentado pelo baile que teria ao entardecer e pelo visto, não seria o único evento.

Primeiro passo: Acordar o príncipe; 

organizar a cozinha

Estava ansioso para falar com Shouto novamente, achei que faria a mesma rotina, porém, Himiko veio me informar que teria uma mudança por parte do Rei. Ao contrário de acordar Shouto, iria ajudar na cozinha e faria outros afazeres modificados.

Primeiro passo: organizar a cozinha

Então nem sai do espaço de entrada e comecei a ver o que poderia fazer para ajudar no local fazendo o que Himiko mandava, já que ela ficava mais na cozinha do que eu.

Ajudei novamente a reorganizar as caixas das frutas da noite anterior,sendo um pouco mais difícil pelo fato de estar cansado pela noite mal descansada. Depois, pegava as comidas que pediam entregando aos cozinheiros para no final ir ajudar a servir a realeza com os últimos pratos.

A cada passo que dava ouvia meu estômago reclamando, aclamando por um pouco do que é que fosse aquilo tudo que tinha um cheiro bom. Ignorei esse sentimento seguindo em frente para o salão.

Na porta havia Lida ao lado de outro guarda grande. Na mesa, Shouto e o Rei, já estavam sentados em seus lugares, comendo, atrás de Shouto o mesmo empregado que iria o acompanhar em meu lugar no dia anterior e no Rei, uma empregada apenas observando também.

- A festa será importante, deve se comportar como um belo príncipe que és, meu filho - Dizia o Rei calmo, o que era difícil diferenciar pela sua grossa voz. - Não precisa se preocupar, se não gostar dela há várias outras nesse Reino.

- Claro. - Respondeu Shouto um tanto desanimado, mudando um pouco ao me reparar.

Servi os dois em silêncio, ignorando o olhar de Shouto e da Majestade, o príncipe agradeceu se servindo enquanto seu pai tentava conversar sobre a festa. Enquanto os servia, ouvi outro reclamar de minha barriga.

- Desculpem. - Pedi me retirando ao me curvar saindo apressado do salão junto dos outros que estavam comigo.

O palácio todo estava bem mais movimentado do que os outros dias por todos estavam arrumando o lugar.

Logo que cheguei na cozinha recebi a ordem de arrumar o salão principal onde seria o banquete e a festa.

Segunda Tarefa: Arrumar o salão de festas;

O palácio em si tem vários pisos, o de baixo é mais usado para festas e ocasiões especiais,o que resultava em quase nunca usado ou frequentado já que os lugares onde andava ficam no piso de cima.

Para chegar lá era só descer as escadas com certo cuidado para não pegar a escadaria errada e acabar se perdendo (experiência própria) a escada que levava melhor ao anfiteatro é a que fica próxima do recinto de refeições onde estávamos.

As escadas eram também, de pedra lisa com alguns poucos pedaços de pedras puras no meio, para não haver problema de cair ao andar. A escada dava para a entrada dos fundos um tanto escondida para que não vissem os empregados indo e vindo.

O salão era gigantesco, já haviam mesas sendo montadas nos cantos do lugar, no meio um enorme tapete vermelho que dava da entrada até o final onde deveria ficar a orquestra, deixando no meio um grande espaço para as danças.

As paredes eram diferentes do Castelo inteiro,sendo de madeira,haviam quadros e escudos pendurados por alguns lugares com tochas entre os espaços das janelas com cortinas escuras,o piso que não estava com o tapete era de madeira escura.

Eu não estava só,haviam mais doze empregados junto a mim, nós nos dispensamos em grupos de dois para montar as coisas. Minha dupla era um outro garoto, de uns 16 anos apenas, loiro dos olhos acinzentados, usava uma roupa preta com botões quase azuis desgastados. Começamos a montar as mesas,colocar os panos e depois a arrumar as paredes.

Depois de muito silêncio e de estarmos quase terminando as mesas prosseguimos para as paredes.

A manhã foi passando abrindo para o calor da tarde.

Já estávamos quase terminando as mesas então fui tentar arrumar os adornos das paredes, o que não foi muito útil, quando olhei para cima tudo ficou preto por um momento, e meu corpo parecia querer cair pela tontura e falta de ar que senti, o que me fez quase derrubar um dos escudos, por um momento, vi o pouco de minha vida passar por mim, para evitar o choque fechei os olhos me apoiando na mesa ao meu lado esperando o barulho do metal no chão, quando não ouvi nada e a tontura passou, abri para ver o garoto loiro segurando o escudo com certa dificuldade.

- Aí céus. - Disse respirando fundo - Deixe-me ajudar. - Peguei o escudo por um lado e ele por outro, colocando de volta na parede.

- Tome cuidado! - Exclamou também respirando mais aliviado - Se derrubar isso eu também levo um aviso! baixinho...

- O-obrigada pela ajuda... E pelo comentário.

- A culpa não é minha que és baixo - Resmungou novamente arrumando o escudo.

- Sou mais velho que você. - Respondi arrumando os arranjos das mesas.

- Oh desculpe, e eu mais alto. - Rebateu deixando o diálogo morrer por hora. Com o novo silêncio, pensava no que Shouto estaria fazendo, provavelmente sendo arrumado para a noite.

- Ei, porque não está com o Príncipe? - Perguntou o rapaz se virando para mim, já havíamos terminado de arrumar tudo, por hora sem nada para fazer.

- Hmm?

- É, levou uma chamada dele? Ou derrubou mais alguma coisa? - Perguntou o que achei ser delicado.

- Não, porque? Qual seu nome?

- Neito.

- Hmm Izuku, prazer.

- Ah eu sei. - Comentou andando pelo salão, tudo já estava devidamente arrumado então nós que estávamos lá começando a rever para ter certeza.

- Como?

- Quer dizer, não seu nome,nem sabia que falava! - Disse rindo enquanto olhava as mesas - Mas ouvi de você.

- Ehh como? - Perguntei pensando se já havia falado com outra pessoa mas sem ser os mesmos, não - Ahhh, já sei como... E não é bem assim.

Neito riu enquanto passava a mão em um pano da mesa mais branco que já vi.

- Não estou falando nada,você tem sorte de ter a atenção do príncipe... Ainda mais de Shouto. Essa noite ainda vou chamar atenção.

- Em certa parte, sim. - Concordei também andando pelo salão.

Deixe-me explicar rapidamente, Himiko me contou que os outros me conheciam,por um certo apelido " O protegido do príncipe " Ou para alguns " O queridinho "

Iríamos conversar mais, porém um guarda apareceu na entrada fazendo todos pararem de falar e fingir que estavam terminando de arrumar a primeira coisa que viram.

- Verdinho! - Gritou o homem da porta de entrada do recinto. Um frio em minhas costas, o salão ficou mudo.

- S...Sim senhor! - Respondi correndo para sua frente.

- Comigo, os outros ao trabalho! Vamos! - Mandou me dando as costas e saindo do salão um tanto apressado, olhei para trás antes de o seguir vendo todos os outros me encarando e Neito falar "Boa sorte"

Ele andava mais a frente e eu as suas costas o seguindo como podia,a entrada principal do salão passava pelo jardim, e no canto da entrada, havia outras duas escadarias, uma a direita outra na esquerda.

O jardim estava todo decorado e chamativo, as flores pareciam mais vivas e coloridas, e a grama verde parecia brilhar no sol, Asui fazia mesmo um bom trabalho.

Subimos pela escadaria da esquerda o que só piorou meus pensamentos e medos, o guarda me dava calafrios e não falava nada, o que para mim era bom.

Andamos pelos corredores que pareciam os mesmo,no fim, paramos em frente a outras grandes portas, essas azuis escuras, com a madeira decoradas,com dois enormes cães na porta, o que me deu um pouco de enjoo.

Acho que fiquei um tempo parado, estático, sem sentir mais nada.

- Vamos ande! Não temos o dia todo! -Brandou o homem me empurrando para frente, assim me obrigando a andar e os outros dois abriram as portas para mim.

Me empurrarem novamente para dentro do cômodo, um grande escritório,haviam várias estantes com pergaminhos alinhados e decorados, uma mesa escura de madeira, tochas nas paredes, e duas janelas com também grandes cortinas vermelhas, e sentando numa cadeira de pelugem, o Rei.

- Izuku... - Me chamou o homem potente em sua cadeira, me encarando,me fazendo sentir uma mistura de sentimentos.

- V...V...vossa Alteza - Tentei dizer fazendo uma referência sentindo minhas pernas tremerem.

- Andas muito perto de meu filho, não?

Meu coração queria sair pela boca. Eu mal piscava.

- N... Não sei, Alteza, e... Eu só o sirvo como... Como ordenado.

- Ótimo, então agora não receberá mais essa ordem. - Mandou sem tirar os olhos de mim - Todos já estão avisados dessa ordem.

- S...sim senhor.

- A festa começa logo, sabe, e você não servirá nela. Fique em seu canto, e não pense em sair de lá. - Mandou novamente sendo difícil se dizer se estava rígido ou normal como era.

- Claro.

- Ótimo, sendo assim, faça o que lhe mandei e volte ao seu canto.

Concordei silenciosamente, fazendo mais uma reverência, os guardas abriram as portas e eu sai normalmente, peguei as escadas, e dei a volta ao castelo, indo em direção ao meu casebre.

Só senti algo diferente sem ser o medo ou a tremedeira quando pisei na grama dos fundos, respirando fundo me acalmando. Não podia deixar de ver Shouto, pelo menos, não naquele instante.

Resolvi mudar de caminho, correndo para a cozinha, tive uma ideia um tento maluca,mas se o que Shouto contou fosse mesmo acontecer, o que podia perder?

Quando cheguei na cozinha, todos estavam uma bagunça, andando de um lado para o outro levando comidas por todos os lados, o cheiro que estava naquele lugar...

- Ei! Viu a Himiko? - Perguntei a primeira pessoa segurando uma bandeja na minha frente.

- Nos fundos - Respondeu com pressa.

- Himiko-chan! - Chamei entrando em outra porta,que dava para a dispensa, bem nos fundos dava para o lugar aonde os outros dormiam normalmente.

- Izu! Aqui!

- Preciso de um favor, rápido! - Pedi entrando nos dormitórios. Ela estava parada no pé de um colchão. Usava a mesma roupa de sempre e tentava arrumar os cabelos presos, o que estava adiantando parecia bem mais arrumada.

O lugar era o mais organizado que conseguiam ser,haviam poucas camas, algumas quebradas, outros espaços com colchões no chão. O lugar também tinha um cheiro de mofo e uma única janela aberta.

- Qual?

- Uau, está bem bonita. Alguém vai te chamar, com certeza!

- Sério!? - Perguntou sorrindo largo, dando alguns pulinhos animada - Obrigada, você deveria tentar se arrumar também era isso? Quer ajuda para se arrumar?

- Ah não! Você vai verificar Shouto, né?

- Ah sim! Tenho que ir logo por dizer isso.

- Deixe-me ir! Preciso dizer algo a ele, por favor!

Ela me encarou por alguns segundos mas logo assentiu.

- Claro, seja rápido. Já fomos avisados do seu... Afastamento

- Claro, não vou deixar ser visto, pode cair na sua conta. Muito obrigada! - Agradeci já correndo para a saída do dormitório.

- De nada! - A ouvi gritar nos fundos.

Corri passando pela dispensa e saindo pela cozinha, quando cheguei nos corredores, parei para respirar fundo e tomar mais cuidado.

O caminho até o quarto de Shouto foi menos complicado que imaginava, poucas vezes tive de me esconder atrás de armaduras de enfeite para que não me vissem. Cheguei até que rapidamente até o quarto.

Lida me viu chegando, um tanto afobado. Vi que ele me olhou estranho,pedi baixo para ele abrir a porta, ele hesitou mas assim fez, quando a porta estava com uma lacuna aberta eu corri para dentro.

Shouto estava de costas, já usava as roupas formais para a festa, um traje azul escuro de gola alta, a calça da mesma cor com um cinturão preto na cintura, os cabelos de duas cores estavam do mesmo jeito um tanto bagunçados, ele tentava dar um no em sua gravata que nem me ouviu chegar.

- S... Shouto! - Chamei-o respirando fundo para pegar fôlego,o vi dar um pulo no espelhos se virando um tanto irritado para mim.

- Izuku!? Não me assuste desse jeito!

- Não era minha intenção, desculpe, pelo visto não é tão legal quando é com você...

- Não, não é, o que fazes aqui? Não o vi o dia todo, está tudo bem? Parece péssimo.

- Sério? Não pareço um príncipe de gala também? Como me descuidei. - Respondi me aproximando dele.

- Desculpe não é isso... O que houve? Parece agitado também. - Dizia tentando ainda, arrumar a gravata.

- O Rei não vai mais ordenar que eu o veja, é não vou servir na festa hoje. - Contei o ajudando na gravata.

- O que vamos fazer agora? Ele não podia...

- Fique parado. - Mandei o ajeitando - Eu que não sei. O plano...

- Vamos mesmo assim... Aonde vai ficar se não na festa?

- Na... Na minha cama, o casebre atrás do castelo, nos fundos. Pronto. Não é tão difícil arrumar isso. - Disse me separando dele.

- Você leva jeito pra' isso... Já sei! Vou dar um jeito de te encontrar, eu e Lida. Dar uma volta e despistar todo mundo... Vou dar um jeito.

- Fala como se fosse fácil. E a sua festa? Sabe como é importante ao Reino?

- Eu não me importo com essa festa, vai ser fácil. Prometo!

Queria contestar mais, porém, bateram na porta, e com medo de ser alguém diferente, me joguei para trás da cama deixando Shouto confuso, e assim que a porta foi aberta por Lida avisando para descer eu me levantei.

- Fui proibido de te ver também - Comentei ao ver a cara de confuso de Shouto ficar um tanto irritada. - Tenho que voltar ao casebre.

- Eu te vejo depois, Izu.

Shouto me escondeu até onde podia para ir ao salão. E eu segui para o outro lado, voltando ao casebre. A noite já caia fazia um tempo, o salão brilhava com as várias luzes nele e a música dava para se escutar de minha cama.

Fiquei um tempo andando de um lado para o outro naquele lugar pequeno que parecia menor a cada movimento meu. Ao som do salão de festas tocando.

A cada passo meu coração batia acelerado em expectativa de baterem a qualquer momento.

E se não deu certo?

Não conseguissem sair de lá?

Só de pensar nisso sentia um aperto no coração. No fundo, eu acreditava naquele plano.

Enquanto pensava e repensava tudo que havia de errado, me assustei com o barulho diferente vindo de fora.

- Izuku! Ei! Temos que ir! - Gritou Lida, a voz se elevando ao som ao fundo.

Quando abri a porta com pressa, vi Shouto e Lida com os mantos que usavam para cavalgar na cidade.

- Como vocês...?

- Contamos depois. - Respondeu Lida apressado - Vão notar o sumiço de Shouto logo.

Eu entendi o que deveria fazer, corri para dentro e peguei uma maleta de couro muito gasto onde havia colocado algumas peças de roupas na noite em que não dormi direito.

Não sabia se estava apto a correr tanto quanto corri, não comia há alguns dias, não dormi nas últimas noites, e ainda estava mais cansado que o normal, mesmo assim corri tentando alcançar a mesma velocidade de Shouto e Lida.

Não quis fazer nenhuma pergunta enquanto corri-amos. Estávamos indo para os fundos, um pouco longe do casebre. Um tempo correndo, Lida parou derrepente, e Shouto fez o mesmo eu quase cai quando fiz o mesmo.

- Por... - Iria perguntar quando foi interrompido novamente.

- Tem alguém vindo - Avisou Lida. - Se escondam! - Mandou e logo depois vi alguém vir em nossa direção. Outro cão.

Olhei para todos os lados cansado tentando puxar um pouco de ar também procurando um esconderijo, tive uma ideia e torci para dar certo. Segurei a mão de Shouto o puxando para um arbusto seco ao nosso lado,ele caiu em cima de mim, o capuz fazia uma sobra, torci para a escuridão e o manto de Shouto nos esconderem.

- Tenya! - Ouvimos a voz do outro guarda chamando por Lida.

Eu tentava respirar normalmente, estava exausto pela corrida,os muros eram largos e pareciam não ter fim.

- Sim senhor! - Respondeu Lida sério.

- Aonde está o príncipe? - Perguntou - Não o vimos. Estão todos o procurando.

- Droga - Ouvi Shouto brandar baixo, acima de mim.

- Minha... Costela... - Resmunguei também baixo.

- Também estou a procura dele senhor! Ainda não o acharam!? - Perguntou Lida numa falsa preocupação.

- Droga também não está com você...

- Fazemos assim! Eu já estou indo para aquela direção, aonde os muros são menores, dêem a volta e nos encontramos no estábulo!

O homem ficou quieto por um tempo, ponderando a ideia.

Enquanto isso, sentia minha respiração um tanto mais afobada pelo peso de Shouto em cima de mim, mesmo assim tentei descansar, sabendo que correria mais.

- Claro. Nos vemos em cinco.

- Sim senhor!

Ficamos mais um tempo parados, eu e Shouto, ouvindo os passos do cachorro sair apressado para o lado que tínhamos vindo.

- Podem sair. - Sussurrou Lida também respirando fundo.

- Aí... - Resmunguei assim que Shouto saiu de cima de mim.

- Desculpe.

- Tu... Tudo bem. Peguei fôlego. Para onde vamos, exatamente?

- Os fundos. - Respondeu Lida - Lá vão ter cavalos nos esperando.

- Vamos mais rápido. Consegue correr mais Izu?

- Acho que sim... Descansei um pouco agora.

- Que bom,Vamos logo.



Notas Finais


■Desculpem a enrolação mas no Próximo capitulo eu acabo com ela juro! Eu avisei que no começo é meio complicado,má mudarei isso.

■ Sobre o proximo capítulo...talvez eu não consiga postar no final de semana que vêm... vou fazer um tratamento de dente,vulgo canal, semana que vem e eu só consigo pensar nisso já que tenho um certo pavor de dentista e brocas barulhentas. Não sei se vou conseguir pensar na fanfic... maa vou tentar.

♡ Vós vejo em Breve meu povo!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...