1. Spirit Fanfics >
  2. Massagem >
  3. Capítulo EXTRA do EXTRA; Tarde da noite

História Massagem - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Na boa, depois dessa, CABÔ. Era pra ter acabado a dois capítulos atrás, cara. Por isso, eu amo vocês.
Fiquem com o ÚLTIMO capítulo.
Tarde da noite.
♥╣[-_-]╠♥

Capítulo 3 - Capítulo EXTRA do EXTRA; Tarde da noite


Fanfic / Fanfiction Massagem - Capítulo 3 - Capítulo EXTRA do EXTRA; Tarde da noite

Novamente pulando no tempo, o jantar já havia passado e todos estavam em seus aposentos, a maioria estava descansando. Menos duas pessoinhas.

Levi e (S/N) já estavam no quarto do superior, com Levi entre suas pernas e a beijando loucamente. (S/N) estava corada e quase desnuda, pois como havia ido para o quarto de seu capitão apenas com uma camisa longa até seus joelhos que havia roubado de Eren, não fora muito difícil retirar suas roupas.

Levi apalpava seus seios e beijava seu pescoço, deixando chupões e mordidas no caminho. Para finalizar uma parte, o Ackerman retirou o sutiã que a mais nova usava, esta que se cobriu e corou ainda mais — se isso for possível.

— Oe, por que está tão tímida? Não está gostando? — Seu olhar ainda era frio, porém havia um afeto escondido — não tão bem — em suas pupilas.

— N-Não é isso... É q-que... Hm...

— Vamos, (S/N), sabe que não gosto de enrolação. — Mesmo impaciente, Levi realmente estava curioso.

— Eu não g-gosto do meu corpo... O acho feio e... estranho.

— Mas que porra... Por que acha isso? 

— Não é o corpo de uma dama, capitão... As cicatrizes, machucados, nada disso é sexy.

— Tudo em você é sexy. Você é perfeita. E eu não falo isso pra todo mundo. — Levi corou levemente quando a viu o  observando com surpresa. — E eu já disse pra me chamar de Levi, pirralha.

— O-Ok, Levi.

— Olha o seu corpo... — Retirou as mãos dela da frente dos seios, dando a vista perfeita para o Ackerman.

— Não! — Exclamou envergonhada.

— É lindo, é incrível. Você é incrível, pirralha. — Ela o olhou. — Então nunca mais se chame de estranha, hm? É uma ordem, entendeu? — Ela riu levemente.

— Ok, Levi.

Ele a beija repentinamente, a supreendendo um pouco, e logo desce os beijos para o seu busto, onde deixa marcas. Ele estimula os seios da mulher, arrancando gemidos alternando em altos e baixos.

O capitão retira sua blusa e abre o cinto de sua calça, jogando as duas peças de roupas no chão, ele a beija novamente. 

Ele levanta da cama, apenas para ter mais espaço para retirar sua calça e box, deixando a mulher ter uma vista privilegiada de seu membro rígido.

Levi retorna para a cama e rasga a calcinha que (S/N)  vestía. Os dois, agora, nus e excitados, ficam um tempo se beijando.

Cortando o beijo por alguns segundos, ambos se olham, vendo o fundo dos olhos do outro. E ao perceber que havia um sentimento mútuo entre os dois, e que não era mais apenas uma relação de capitão e cadete ou colegas, os dois sorriem e voltam a se beijar.

O capitão desceu dois dedos até a intimidade da mulher, onde ele percebe já estar molhada e penetra um dedo. A mulher se sente desconfortável diante desse ato, já que nunca havia se tocado de tal forma.

Ao penetrar outro dedo, Levi recebe em troca um leve gemido de dor.

— Relaxa.

Retirando os dois dedos de dentro da mulher, ele se posiciona, mas antes, o capitão segura uma das mãos de (S/N) e entrelaça seus dedos. Estava prestes a entrar nela e sentir suas paredes o apertando.

Porém a porta foi aberta repentinamente por uma ruiva de óculos toda sorridente. 

— Baixinho, vamos tomar um chá! 

Ao perceber o clima que estava no quarto, Hange pede desculpa com o olhar para Levi, que a olhava com uma expressão assassina.

A ruiva não se aguentou de tanto rir quando (S/N) se cobriu com o cobertor até a cabeça de tanto embaraço.

— Hahahahahahaha! Eu nunca imaginei ver vocês dois nessa situação! Hahahahaha! 

Levi não iria deixar ela os atrapalhar novamente. Pegou o cobertor que estava com (S/N), a deixando descoberta, amarrou em sua cintura e andou seriamente na direção da mulher mais velha, esta que ainda morria de rir.

O Ackerman a segurou pelo braço e a jogou para fora do quarto, fazendo-a o olhar.

— O que?! Por que fez isso?! 

— Vai se agarrar com o seu subordinado e nos deixe em paz só essa noite, Hange! 

— Ui, eu irritei o anão — sussurrou.

Levi nada disse, apenas entrou no quarto e trancou a porta. Aquela maluca o havia desanimado completamente, se é que me entende. Ao olhar para a cama, viu (S/N) deitada nua olhando para a janela do quarto.

Nesse momento, ele se "animou" novamente e esqueceu completamente o que a tenente havia feito. Ele andou em sua direção e se deitou ao lado dela, a puxando para seu colo, já que agora estava sem o lençol na cintura.

Ela o olhou e lhe deu um selinho, o surpreendendo. Até que ele a puxa para um beijo selvagem. Sem ao menos perceber, ele forçou um pouco de seu membro dentro da moça, esta que gemeu de dor.

— Desculpa, eu vou tirar. — Ao se mexer, ele foi impedido por (S/N).

— N-Não tira... Ngh... Continua...

— Tem certeza?

— Tenho... C-Continua...

Ele forçou seu membro novamente dentro da moça, se segurando para não perder a sanidade logo de cara. A dor que ela sentia era indescritível, parecia que estava sendo rasgada ao meio, e o membro de Levi não era nem um pouco pequeno.

Ao estar todo dentro, Levi apertou os punhos na cama para se controlar e esperar até poder se mexer. Quando (S/N) lhe deu a permissão que precisava, ele começou se movendo lentamente.

E isso não ajudava nada o seu controle, e a moça percebeu isso. Então, ela colocou suas suas mãos no tórax de Levi, o parando, e se moveu.

Foi diferente do que Levi pensava, no entanto. Ela desceu com tudo em seu membro, fazendo o moreno gemer alto e ela mesma gemer de dor.

Ela continuou isso várias vezes, mesmo sentindo dor. Levi tentava parar, porém não conseguia. Mais um pouco e ele perdia o controle.

— Pirralha... Hm... Pi... Ah! (S/N), espera!

Ele inverteu suas posições e ficou ajoelhado na cama entre as pernas dela. Ela o olhou ofegante e isso quase foi a gota d'água.

— Eu não... Ngh!... Eu não posso perder a cabeça aqui... Eu posso te machucar... Pirralha, eu não quero te machucar... — Ele estava de olhos fechados quando disse essas palavras.

(S/N) cruzou suas pernas na cintura dele e o beijou levemente.

— (S/N), não...

— Tá tudo bem... Eu confio em você...

Isso sim foi a gota d'água. Levi se mexia de forma bruta e forte, isso fazia a mulher ir a loucura. Doía ainda? Sim, muito, mas ela não podia negar que estava gostando bastante.

O Ackerman chegou ao ponto de segurar na cabeceira da cama e amassar o ferro que a formava. Ele a beijou sem se importar com a respiração dos dois, não que a mais nova se importasse.

Depois de alguns minutos assim, entre beijos e mordidas, ambos chegaram ao ápice do erotismo, se derramando um no outro. Levi e (S/N) se olharam e novamente se beijaram, sem malícia, apenas um beijo repleto de sentimentos.

— Eu te amo.

Levi lhe disse e ela o beijou como resposta, dizendo silenciosamente um: eu te amo. E assim eles passaram a melhor noite da vida de ambos, sem se importar se estavam se amando tarde da noite.

.

.

.


Notas Finais


NAMORAL, CABÔ
Curto, mas eu achei fofinho
♡(> ਊ <)♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...