1. Spirit Fanfics >
  2. Masters of Darkness >
  3. Invasores

História Masters of Darkness - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Olá!

Aqui está mais um capítulo editado, que saiu direto do fundo do baú, vulgo meu bloco de notas de 2015 rs

Espero que gostem e boa leitura!

Capítulo 3 - Invasores


- Eu já disse que não fiz coisa alguma! - Afirmou, com a voz um pouco alterada.

- Não minta, Elliot, será pior para você. - Pronunciou de forma séria o mais velho, o qual aparentava ter cerca de 30 anos, apesar de não ser sua idade atual, além de possuir cabelos castanhos, pele albina e olhos vermelhos.

- Não estou mentindo! Eu nem sei de onde você tirou essa ideia. Quem disse essa calúnia sobre mim?

- Alguém que tem uma prova do seu ato, Elliot. Você matou uma garota ontem, não adianta negar. - O homem permaneceu com sua expressão séria, porém seu tom de voz se tornou mais firme e com um toque de impaciência ao fundo. Sabia que o vampiro a sua frente estava mentindo e isso viria à tona de uma forma ou de outra.

O jovem loiro olhou com um semblante irritado e interrogativo para o líder do clã. Será que Ethan havia mesmo lhe entregado assim, simplesmente o jogado na cova dos leões? Ele era um soldadinho obediente, mas não achava que o mesmo faria isso. Só de pensar na possibilidade seu sangue já fervilhava.

- Você está ciente que tenho informantes em vários lugares, sabe muito bem das regras e que há consequências para quem não as cumprir.

- Sim, eu sei. E quer saber? Eu negarei até o fim. - Sorriu cinicamente e piscou para Daisuke, provocando-o. Não daria a ele o gostinho de perceber que estava irritado e que suas palavras o atingiram em cheio, fazendo-o duvidar do mais novo e quase entregar, com sua expressão, que era culpado.

Elliot estava testando a paciência do mais velho, o que, pelo olhar irritado que ele lhe lançou, havia conseguido dar início ao seu mau humor, o que teria consequências para o rapaz loiro, mas, naquele exato momento, a porta da sala em que se encontravam foi aberta às pressas e por ela surgiu uma vampira de madeixas castanho escuro, com uma pistola na mão e vestimenta comum entre humanos na faixa etária da adolescência, porém, contendo alguns rasgos novos que não provinham da tentativa de estar na moda.

- Liz, o que aconteceu? - Perguntou Daisuke, ficando visivelmente preocupado ao ver a garota chegar de tal maneira e naquele estado, o que Elliot estranhou um pouco, pois nunca presenciara o líder transparecer tal expressão por outro alguém do clã que não fosse a garota e não era a primeira vez que isso havia acontecido. Mesmo que a situação fosse séria, o vampiro mais velho mantinha-se a maior parte do tempo impassível ou sério, sendo que o máximo de emoção que demonstrava era irritação ou impaciência e, em sua maioria, quando se tratava do loiro.

- Vampiros! - Exclamou exaltada. - Por volta de 10 deles invadiram a casa e estão atacando. Estamos em desvantagem, já que grande parte do grupo foi naquela missão dada pelo senhor, Daisuke.

- Droga! Aposto que eles souberam disso e aproveitaram para iniciar um ataque. - Concluiu, batendo com as mãos na mesa com raiva, sem se importar em ter quebrado a mesma no impacto. Então passou a andar de um lado para o outro na sala, tentando pensar em como aquilo foi possível. - Restaram quantos conosco?

- Três, contando comigo, além do senhor e do Elliot.

- Realmente estamos em minoria..., mas não faz diferença, vamos acabar com eles como fizemos com outros que tentaram o mesmo. - Afirmou com convicção, seus olhos brilhavam num escarlate intenso e sombrio. - Onde está o Ethan?

- O Ethan está lutando com alguns deles, eu estava ajudando-o, mas ele me pediu para vir avisá-lo, disse que daria conta.

- Mas o que? Você o deixou sozinho com todos aqueles vampiros? Perdeu a noção? - Exclamou o mais novo, alterado, numa mistura de raiva e preocupação.

- Mas foi ele que...

O loiro não esperou a garota continuar e logo correu para fora da sala, no intuito de achar Ethan. Não importava mais se ele o havia entregado ou não, se Daisuke sabia de fato que tinha matado a garota ou se seria realmente punido depois, naquele momento só queria encontrar o mais novo e ter certeza que nem um maldito vampiro atreveu-se a machucá-lo. Percorreu uma parte da casa apressado e não encontrou nenhum sinal do mais novo ou de qualquer outro vampiro, até que escutou um grito. Disparou em sua velocidade sobrenatural na direção do som e então chegou na sala de jantar, onde se encontrava um dos vampiros que morava consigo naquela casa, Itsuki, se não estava enganado. Este estava jogado sobre a mesa de jantar e um vampiro do outro clã estava em cima dele, destroçando-o.

- Urgh... - Fez uma careta de nojo, a situação do agora falecido vampiro era realmente horrível. Ocorreu então que foi notada sua presença, o vampiro desceu da mesa e foi em direção à Elliot. - Sabe, alguém precisa te ensinar boas maneiras. - Começou o diálogo, recostando-se na parede com os braços cruzados, uma sobrancelha arqueada e seu olhar irônico habitual. - Não é educado servir o anfitrião da casa na mesa de jantar.

- Você deve ser Elliot, não é? - Perguntou o vampiro, ignorando o que o outro disse. - Já ouvi falar de você.

- Oh, é mesmo? Então quer dizer que eu sou famoso? - Esboçou seu sorriso presunçoso. - E o que ouviu falar de mim?

- Nada de bom, é claro. - O vampiro deu uma curta risada de deboche.

- Ótimo! - Seu sorriso se ampliou. - Mas agora não é o momento para elogios, não acha? Você matou meu "colega" e é hora de você pagar da mesma forma. - O amplo sorriso em seu rosto tornou-se sádico e maldoso, juntamente aos seus olhos que mudaram de azuis para um tom vermelho sangue.

O vampiro atacou Elliot primeiro, correndo em sua direção para lhe desferir um soco, porém o loiro se abaixou, dando em seguida um soco no estômago do outro, que deu alguns passos para trás, com a mão no local.

- Mal começamos e eu estou nem um pouco impressionado. Sabe como dizem, não é? A primeira impressão é a que fica... - Balançou a cabeça em negação, fingindo estar decepcionado. - Eu esperava mais dos seus reflexos, sabe, pelo o que fez com o Itsuki, mas vejo que ele não devia passar de um fraco mesmo, assim como você.

Os olhos do outro vampiro ficaram num vermelho mais intenso e podia-se ver certa raiva neles, o que era exatamente o que Elliot queria, tinha prazer em irritar os outros, além de que era uma tática de luta também, isso tirava a objetividade do inimigo. Porém, rapidamente, o invasor voltou a ir em direção do rapaz loiro, dessa vez com uma cadeira de aço nas mãos, o que o pegou desprevenido e, inevitavelmente, foi atingido fortemente na cabeça com o objeto.

Em que momento ele havia pegado aquela coisa? Sua velocidade era até que impressionante no fim das contas e, pelo jeito, sua tática de desestabilizá-lo com suas provocações não funcionou bem como planejava, teria que prestar mais atenção.

Enquanto um filete de sangue começou a escorrer da cabeça de Elliot, mesmo depois disso, ele não tirou o sorriso do rosto.

- Essa doeu um pouco. - Emitiu uma curta risada cínica. - Mas não vai chegar nem perto do que eu vou fazer com você. - O loiro avançou contra o outro vampiro, jogando-o contra a parede com força e lhe prensando pelo pescoço. Apertava com uma força razoável, nada que fosse matá-lo, ainda.

- Pelo visto, os boatos sobre você estavam certos. É um bom lutador, mas fala demais.

- Oh, não se preocupe, quando eu te matar, você não terá mais que ouvir minha bela voz. - Sorriu presunçosamente. - Bom, talvez um dia, novamente, no purgatório, porém eu farei questão de arrancar sua cabeça lá também. - Piscou, exibindo um sorriso maldoso e de divertimento, apertando em seguida o pescoço do outro com mais força.

O loiro então preparou-se para arrancar a cabeça do vampiro com suas próprias mãos mesmo, já havia perdido tempo demais com aquele ser, precisava continuar sua busca, mas antes que conseguisse, ele foi interrompido abruptamente com a chegada de alguém na sala de jantar.

- Elliot!

- Ethan! - Voltou sua atenção para o mais novo, ficando aliviado por ele estar bem.

O vampiro, aproveitando-se da distração momentânea do outro, deu-lhe um soco na face com força, quebrando o nariz do loiro, por onde começou a escorrer sangue. Elliot acabou soltando seu oponente e colocando a mão sobre o nariz.

- Ah, que merda! - Resmungou. Levaria pouco tempo para regenerar o local, mas ainda sim doeria durante a espera.

Sem perder tempo, o outro vampiro lhe desferiu mais um soco, porém com muito mais força, o que fez Elliot voar, caindo no chão do outro lado da sala.

Ethan precisou reagir e focar com mais precisão para acompanhar a velocidade elevada daquele vampiro, então tirou sua espada da bainha e avançou contra o inimigo. Tentou acertar-lhe com a lâmina, mas este se defendeu com a primeira coisa que encontrou: outra cadeira.

Se prosseguiram outras tentativas de acertá-lo, o vampiro era mesmo mais rápido que o comum, mas finalmente Ethan conseguiu produzir um corte profundo no braço esquerdo do invasor. O chutou em seguida no estômago com força, fazendo-o cair no chão, e logo se preparou para lhe decepar a cabeça com sua espada, mas o outro vampiro foi mais rápido novamente e lhe deu uma rasteira, que fez o moreno ir de encontro ao chão. Sem perder tempo, tratou de perfurar o estômago de Ethan com a mão direita, fazendo-o gritar de forma excruciante.

Elliot, voltando a si, olhou para o lado e presenciou tal cena horrenda. Um ódio se apoderou de seu corpo, seu sangue fervilhou, seus olhos ficaram em tom vermelho puro e sua visão tornou-se nebulosa para o que tinha a sua volta, apenas enxergava uma coisa claramente: o desgraçado que ousou machucar o Ethan.

Em um milésimo de segundo, o loiro chegou ao lado do vampiro e o puxou de cima do mais novo bruscamente, jogando-o no outro lado da sala. Com igual rapidez, foi até ele e começou a lhe socar a face, freneticamente, nem ao menos conseguia ouvir se o outro exclamava de dor ou então perceber suas mãos cada vez mais sujas de sangue, nada mais importava naquele momento, só descontar dez vezes mais a dor que causou em Ethan, até que ficasse irreconhecível. Sem dar a chance do invasor ao menos tentar se mexer, pegou por fim a espada do mais novo e, sorrindo sádico para o vampiro, arrancou-lhe a cabeça num único golpe, vendo o sangue jorrar. Encarou o ser morto por mais alguns segundos com desprezo, até que largou a espada no chão e correu até Ethan.

- Hey, Ethan! - Agachou-se ao lado dele e lhe balançou pelos ombros, com um medo doloroso apossando-se de si ao vê-lo naquele estado, mesmo que soubesse que um vampiro só morre de fato ao ter a cabeça decepada.

O mais novo, em resposta, apenas gemeu, abrindo os olhos lentamente, expressando dor em sua face. Um alívio sem tamanho caiu sobre o loiro.

- Venha, eu te ajudo. - Elliot ajudou o mais novo a se levantar e colocou o braço deste em volta de seu pescoço, mas logo no primeiro passo que deram, Ethan começou a perder ainda mais sangue pelo buraco em seu estômago. - Desse jeito você vai deixar pelo caminho todo seu sangue, precisamos ir logo pegar umas bolsas de plasma para você tomar e regenerar mais rápido. - Exclamou apreensivo e um tanto exaltado, tentando acelerar os passos, quando foi interrompido pelo outro.

- O-O que você esperava? E vai com calma, quer que eu corra depois de ter meu estômago perfurado no meio? - Retrucou mal humorado, fazendo o loiro rir mesmo estando preocupado.

- Não perde o bom humor nunca, não é? De nada por ter te salvo, Ethan. - Respondeu irônico, sem realmente ter ficado ofendido. O moreno apenas ignorou o comentário. - Mas realmente não tem como e vai demorar bem mais assim, então... - Elliot parou de andar, então segurou as pernas de Ethan com um braço e com o outro segurou em suas costas, pegando-o no colo.

- O-O que você está fazendo?

- Pegando você no colo, ora.

- Me põe no chão, Elliot, eu posso andar sozinho!

- Eu sei que pode, mas que nem uma tartaruga e uma moribunda ainda por cima, então fica quieto que já te solto.

O mais novo sabia que não havia como discutir ou argumentar devido sua condição precária, então apenas fechou a cara, um tanto corado, irritado e constrangido com a situação.

- Aliás, você deu mole, hein? Foi derrubado com uma rasteira.

- Olha quem fala, você praticamente desmaiou com apenas um soco.

- Mas eu já tinha levado outros golpes antes.

- E eu também. Ou acha que eu lutei com outros quatro vampiros e saí ileso?

- Tsc... lerdo...

- Idiota.

- Babaca!

- Ah, cala a boca e anda logo!- Desferiu um tapa na cabeça do mais velho sem medir a força, levemente irritado com suas provocações, juntamente a dor que estava sentindo.

- Ai! - Choramingou. - Ele me acertou com uma cadeira aí, caramba, e eu bati com a cabeça na porcaria do chão. Pega leve, eu não me regenerei totalmente ainda também.

- Desculpa... - Murmurou, num misto de arrependimento e irritação.

- O que? Pode repetir? Eu não ouvi direito.

O mais novo lançou um olhar fulminante para o loiro, que apenas riu em resposta e acelerou os passos da forma que sua condição vampírica permitia, para cuidar e regenerar, enfim, dos ferimentos de Ethan.


Notas Finais


Obrigada pela leitura e até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...