História Matando esse desejo!!! - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 110
Palavras 5.079
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drabble, Famí­lia, Hentai, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Aquele incesto maravilhoso pra sua noitinha fria..

Capítulo 1 - Aaah querido titio!


- Aaaah Will, ouuh como é gostoso, assim... Aaaah que delicia! - Gemia loucamente enquanto ele metia fortemente em minha bucetinha molhada e quentinha, seu membro entrava compulsivamente dentro de mim, a cama já batia grosseiramente contra a parede roxa do meu quarto, o suor escorria de nossos corpos, os cabelos bagunçados.

 

  - Você gosta assim não é, vai me fala sua vadia! É assim que você gosta? - o mesmo pega em meu rosto e o vira para encara-lo sua expressão de prazer enquanto estocava fundo e falava putarias para mim era maravilhosa. Will era um cara alto, de um porte atlético delicioso, era moreno dos cabelos pretos e olhos castanhos, e tinha esposa e um filho. O que me matava por dentro todos os dias.

 

 

- Ouuh Sim! É assim que eu gosto ti-titiuu... - Gemo arrastado assim que o mesmo entoca lentamente dentro de meu sexo quente, fazendo o ritmo ser insuportável, ele só queria me provocar, aposto. Sabe que odeio lerdeza, prefiro algo mais louco, compulsivo, selvagem. 

 - Me fode gostoso tio, vai! Me fode!... 

 

 Mia Pov On

 

 

- Oque? - Abro meus olhos assustada, minha respiração estava desregulada, minhas mãos suadas e muito escorregadias, meus cabelos um caco, e meu coração parecia que pularia de minha boca. Oh Droga! Mais um daqueles sonhos. Me deito novamente na cama tentando acalmar meu corpo. Todos os dias depois de voltar da casa dele tenho esse sonho, o mesmo sonho, com a mesma intensidade, aah como eu queria que fosse verdade, mas isso nunca vai passar de sonho. Assim que fecho os olhos, sinto. Minha intimidade gritava, que pulsação era aquela, chegava a doer. Estava cansada de acordar e me masturbar todas as manhãs, e estava piorando, meus desejos estavam cada vez mais fortes, não sei o que fazer para acabar com isso.

 

 

- Levanta Miaaa seu tio chegou para te levar! 

 

 

- Aaaah merda! me levanto correndo em direção ao banheiro, entro rapidamente e começo a me despir e entro direto no box já ligando o chuveiro no modo frio. Havia me esquecido do sítio, meu tio e metade da nossa família alugou um sítio para dois dias, eu não queria ir de jeito nenhum, mas minha mãe ia viajar para sorocaba com meu pai para visitar seus primos que não via a 3 anos, e eu odeio aquele lado da família, então a única escolha foi ficar aos cuidados do meu tio, Will. Termino rapidamente meu banho e saio de toalha em direção ao guarda roupa pegando o primeiro vestido que vi pela frente, pego meu biquíni que estava dentro da bolsa que já havia arrumado para os dois dias fora, coloco o biquíni e logo depois o vestido, vou para a porta e grito um já desço, e entro novamente indo à penteadeira soltando meus cabelos que á poucos estavam presos numa trança bem merda. Os escovo e deixo eles soltos, me olho mas uma vez e então me levanto e pego minha bolsa descendo para a sala. 

 

 

- Não mandei colocar o alarme Mia!? - A mesma diz com uma cara brava, reviro os olhos e me aproximo da mesma. 

 

- Dormi tarde demais, desculpa. - Sorrio para a mesma e beijo sua bochecha, assim que abraço o corpo da minha mãe o vejo. O mesmo estava escorado na porta da cozinha me encarando com o celular em mãos. Seu sorriso era óbvio, podem apostar, algo irá acontecer nesses dois dias, já o que é, não sei.

 

- Está pronta? - O mesmo pergunta, ele já se encontrava ao meu lado, fazendo-me largar minha mãe daquele abraço tão reconfortante. 

 

- Já sim, podemos ir. 

 

- Se comporta meu amor, e nos ligue assim que chegar e assim que sair amanhã ok? - Balanço a cabeça concordando.

 

- Tá bom mãe, agora tchau e vê se não estrapola nas bebidas lá tabom, papão fica doido quando vê a senhora dançando. - Dou risada dando mais um abraço na mesma e um beijo em sua testa. A mesma nos acompanha até a porta e até então Will não havia se pronunciado. Assim que entramos no carro eu no carona e ele no volante minha mãe fala com ele. 

 

- Cuida da minha filha Will senão minha irmã ficará sem esposo. - A mesma sorri conversando com ele através da janela aberta do carro, eu olhava para o outro lado da janela pensando em como ele poderia cuidar bem de mim. Mas de maneiras nada convenientes, pelo menos não ao ver da minha mãe, assim que volto a prestar atenção aos dois ao meu lado o ouço terminar sua frase. 

 

  - Cuidarei muito bem dela Beth, fique tranquila, cuidarei dela como cuido de Lisa. - Huum, que interessante, cuidará de mim assim como cuida da esposa. Será que isso vale pra tudo, se a esposa dele transar com ele, eu também poderei ? Kkkk brincadeirinhas aparte. Odiava a Tia Lisa, é mandona, arrogante e se acha a ultima bolacha do pacote, a típica vadia rica.

 

 

- Mia! - Ouço minha mãe tortas e acordo de meus pensamentos vendo Will e minha mãe me olharem. 

 

 - O que foi? 

 

 

- De quem estava falando? - Droga, pensei alto novamente.

 

 

- Uma garota do insta.. - Sorrio tentando amenizar o clima, Will da um leve sorriso de lado, deve ter sacado que não era nada em relação ao insta. E sim a esposa dele.

 

- Tabom vão logo se divertir, Comporte-se Miaa!

 

- Sempre mamãe..sempre. - Will da partida assim que terminamos de nos despedir de minha mãe, então fomos em direção ao tal sítio, sua esposa já estava lá, ia cozinhar com algumas tias para o almoço de hoje. O que significa eu e Will no mesmo ambiente por uma hora.

 

 

- De quem estava falando, realmente?  - até então estávamos viajando em silêncio no carro, minhas mãos já estavam suadas, tive que guardar meu celular na bolsa para não escorregar da minha mão, mas infelizmente isso aconteceu antes que eu o guardasse. E caiu bem aos pés do meu querido tio. 

 

- Droga! - Resmungo me abaixando para pega-lo, é assim que passei os braços pelas pernas do meu tio ele freia fazendo o celular parar debaixo do tapete que forrava aquela área. Merda!

 

 - Porra! tenta ir com calma por favor. - O mesmo da uma risada, eu estava apoiada em sua pernas, meus seios estavam esmagados contra sua coxa, estava meio que sentada no banco havia levantando um pouco o quadril, e sentia um ventinho, com certeza a parte de baixo do meu biquíni estava à mostra, drogaaa! Me inclino mais, tentando puxar o celular, quando sinto as mãos do meu tio em meu vestido, sinto ele o puxando, tentando cobrir meu quadril. 

 

- Posso saber o que está fazendo? - pergunto virando um pouco o rosto para encara-lo.

 

- Sua bunda tava me dando oi.. - Diz com aquela cara de pau. Suspiro e volto a tentar pegar meu celular. Tateio minhas mãos pelos seus pés tentando encontrá-lo, achei! Me inclino  e o pego, começo a tentar sair dali enquanto meu tio dirigia, ao tentar sair o carro para fazendo- me cair de cara nas coxas do Will, arregalo os olhos e me levanto rapidamente corada, devo estar vermelha como um camarão. 

 

- Des-Desculpa.. - Mordo os lábios segurando fortemente meu celular.

 

 - A culpa foi minha.. - Sua voz sai estranha, fiz merda. É melhor eu ficar na minha e tentar fazer o mínimo movimento possível senão sou capaz de fuder ainda mais com as coisas. Me viro olhando através da janela..  Após alguns minutos ouço o carro ir parando, mas já chegamos? Olho para o mesmo e ele tirava o sinto e sai pela porta, tento olhar pela janela alguma placa que indicava o lugar em que paramos mas não achei exatamente nada,  onde esse louco  me trouxe, vejo um posto de gasolina a poucos, a avenida era bem movimentada, gente passando pra lá e pra cá.. Sinto alguém me puxar.

 

 

 

Está louco? - O mesmo me pega pelo braço me tirando de dentro do carro, o encaro assustada, o que será que esse louco tem em mente. O mesmo me arrasta para uma lojinha de conveniência, entramos e ouço aquele sino da porta ao ser aberta, o mesmo anda até um atendente que estava varrendo o local.

 

 

  - Podemos usar o banheiro? Minha namorada está grávida e está muito enjoada.. - Que? Mas que salafrário, eu grávida? Sua Namorada!? O encarava morrendo de raiva. 

 

 

   - É só virar à direita senhor. - O atendendo diz com uma voz baixa, pela cara dele ele nem ligava pro que se passava a sua frente. Meu tio diz obrigado e começa a andar em direção ao tal banheiro. Assim que entramos e ele fecha a porta me solto dele me afastando. 

 

 

- Pode me dizer do porque inventou que eu estava grávida? E porque disse que sou sua namorada? E tem mais porque paramos aqui? Não estou vendo a porra de um sítio Caralho! - Explodi. Eu estava suando, meu coração palpitando, o que horas estamos fazendo dentro de um banheiro, no meio do nada? Esse cara é louco!

 

- Você sabe porque te trouxe para cá Miaa! - Eu sei?

 

   - Eu não sei de merda nenhuma seu louco, me leva embora agora! - Me aproximo colocando o dedo em seu peito, extrapolei? Talvez, mas quem em sã consciência aceitaria isso numa boa? Will me encarava com um olhar amedrontador, meu coração parecia uma metralhadora, e quem estive atras da porta poderia ouvi-lo bater  com certa facilidade. O mesmo começa a se aproximar de mim, e eu não recuo, conseguia ouvir o barulho do meu coração, mas o de Will estava muito mais alto, o que será que ele tem.. O mesmo continua se aproximando, deixando para trás todo o espaço que tinha entre nossos corpos. Meus olhos e lábios tremem com a proximidade, meu desejo por seu corpo já batia em minha intimidade novamente, me fudendo para o que minha mente dizia se certo. Agora só queria sentir seus lábios juntos aos meus, pela primeira vez.. Ele passa as mãos pelo meu rosto e abre os braços me puxando para um abraço chocando nossos corpos.. E intimidades, ele está muito excitado, sua intimidade se chocou com a minha, fazendo-me morder forte os lábios, ouuuh! Minha intimidade vibrou de dor e prazer, ao imaginar seu membro, me arregaçando toda por dentro.. 

 

- Aah Miaa! Você precisa me ajudar, não posso chegar duro assim no sítio.. - Diz baixo em meu ouvido, arregalo os olhos. 

 

 

    -Aj-Ajudar?! - Me arrepio já imaginando o que estava por vir.

 

 

- Sim, me ajudar.. - O mesmo passa os braços pela minha cintura e desce suas mãos para minha bunda, e dá um tapa forte, fazendo minha intimidade e a dele se chocarem novamente.. Me arrancando um gemido inusitado. 

 

- Aah!  - O mesmo começa a distribuir beijos pelo meu pescoço, e com suas mãos mexia em meus cabelos, ele sabe como enlouquecer uma mulher.. 

 

 

- Por que agora? - Pergunto baixo, não me contendo. 

 

 

  - Por que agora?... Porque agora eu tenho a chance de te fazer gemer. - Fecho os olhos sentindo o calor, e o medo subir pelo meu corpo tudo ao mesmo tempo e na mesma intensidade, me beija! Era  tudo o que meu corpo pedia, seus lábios passando por minha clavícula era tão delicioso, meus olhos estavam fechados fortemente, por prazer e vergonha, ele é meu tio caralho! Casado e tem um filho, como não ter vergonha, ele já deve ter tido inúmeras mulheres em seus braços, enquanto eu transei apenas com 2 caras na minha vida toda, ele deve saber como levar alguém a loucura.. 

 

-Enquanto eu estou na carteira sentada copiando da lousa, ele  era meu professor explicando a matéria, linha por linha, pedacinho por pedacinho, mordiscada por mordiscada.. Seus lábios subiam cada vez mais, por fim parando a milímetros de distância do meu, sua respiração quente batia contra meu rosto gélido, fazendo-me soltar o ar que estava preso em meus pulmões. Meus olhos sorrateiramente se abrem, com certa lerdeza, olho para ele e o mesmo me encarava, tudo estava mais pesado, meu corpo, a respiração, o clima. Não parece só sexo pra mim, não, era  um desejo profundo de ambos os corpos, chegava à machucar tanto desejo, por que isso? Por que com ele.. Dês de que me o conheço é assim, sempre teve algo à mais entre nós, e não era um sentimento fraternal, era muito, muito maior que isso, chegava a ser pecaminoso ao ver de qualquer outra pessoa.. Passo meus dedos por sua bochecha e desço para seus braços apertando os dois com minhas mãos e então volto para sua nuca, o mesmo fecha os olhos e se aproxima de meu lábios, era agora.. 

 - O tão esperado beijo. Seus lábios são quentes, sua língua gostosa movia-se  minuciosamente dentro da minha boca, Aah como é bom.. Suas mãos vão para minhas costas, ele a alisava com o polegar, enquanto o resto dos dedos apertavam algumas áreas, tão bom.

 

  - Nosso lábios continuavam grudados sem previsão de separação, enquanto suas mãos mudavam de curso indo em direção aos meus seios... O mesmo dá uma leve apertada por cima do meu vestido, sinto suas mãos fortes, apertando meu seios, que já estavam rígidos, ouh como é maravilhoso. 

 

 

-Você tem muitos mais peito que sua tia Lisa, não era ela quem estava xingando? - Arrega-lo os olhos, ele já sabia de quem eu estava falando, só queria que eu admitisse.. 

 

- Nenhuma das suas primas têm peitos como o seu, todos pequenininhos, você foi a privilegiada da família, que sorte para mim... -Ele sorri.. Ele estava me elogiando, sim eu sei que tenho mais peito que a nana, clary e tia Lisa, mas não achei que ele havia notado isso, pra mim até então os desejos que ele sentia por mim era tudo coisa da minha cabecinha maliciosa. Eu estava errada. Suas mãos continuavam a apertar meus seios, tirando suspiros de mim, porra por que algo tão ruim é ao mesmo tempo tão bom. O medo de alguém entrar no banheiro e nos viver juntos era inevitável, mais os seus toques em meu corpo me fazia esquecer das coisas que importavam no momento.  Pego em sua nuca e o trago para mim dando outro beijo naqueles lábios deliciosos, o mesmo me pega no colo fazendo-me enroscar minhas pernas em sua cintura, seu pau duro roçou minha intimidade, me arrepiando intensamente dos pés à cabeça, fecho os olhos e castigo meu lábios os mordendo forte contendo a excitação. Passo meus braços por seu pescoço e espero reações dele, esperei tanto por isso que nem consigo acreditar que está realmente acontecendo, ou melhor finalmente acontecendo. 

 

- Diz pra mim... - O mesmo olha pra mim.

 

 

-Você ainda é Virgem? - Qual será sua reação ao saber que não, não sou mais virgem... O medo passou pela minha goela, e então abri a boca e o respondi.

 

 

- Na-Não. - O olho nos olhos tentando achar a resposta antes dele responder, é assim que o mesmo abre um sorriso, pulo internamente por ele não ter ficado bravo. 

 

 

- Que maravilha, pelo menos assim não preciso ter dó de você, posso acabar com você inteirinha hoje. - Tremi dos pés à cabeça, eu estava tão excitada que por não teriam preliminares, partiríamos logo pra parte que ele acaba comigo.  

 

 

- Por favor...  - Sussurro baixo, e vejo o mesmo me olhar, não era a intenção mas já que ele ouviu. 

 

 

- Por favor o que? - O mesmo pergunta com a mão em minha bunda, vez e outra apertava, alisava.. 

 

 

 -Por favor acaba logo comigo! - Digo sem nem ligar pra nada, estava cheia de desejo, sedenta por tê-lo logo dentro de mim, afinal quase todas as noites sonho com ele me fudendo bem gostoso, e agora que pode virar realidade, não quero desperdiçar a chance. 

 

- Aah que delicia.. Fala de novo, fala aqui no meu ouvido vai...

 

 

    - Por favor acaba logo comigo. - A excitação estava nas alturas transbordando, assim que falo o mesmo me leva até a pia e me senta no mármore gelado com força fazendo minhas coxas fazerem barulho assim que postas no mármore , ele abre bem as minhas pernas, passando seu polegar pela minha intimidade coberta pelo vestido longo e soltinho que havia colocado para ir ao sítio. Passo a mão por suas costas e entro com minhas mãos por dentro da sua blusa, e começo a acariciar todo o seu abdômen e costas. Sentindo seu corpo quente  se arrepiando com meus leves toques, o mesmo me olha novamente e dá um breve sorriso e começa a subir meu vestido, enquanto meus olhos estavam presos ao seu. Assim que o vestido chega ao meu pescoço levando os braço o tirando de vez, Will o joga no chão daquele banheiro e então volta novamente sua atenção para mim, minha tão esperada transa com meu tio num banheiro dentro duma lojinha de conveniências no norte de minas.. Nada mais excitante que isso para a nossa primeira vez. Seus lábios se encontravam nos meu seios, meu sutiã jogado ao lado do vestido, e meus seios sendo estraçalhados por suas mãos grandes e fortes. Oouh céus, que pecado mais gostoso..  minha cabeça pendeu para trás por sí só, alguns gemidos baixos escapavam de meus lábios mordidos por meus dentes constantemente. Jogo meus cabelos para trás, estavam me incomodando. (imaginando o que aconteceria) Meu vestido estava em suas mãos, e em segundos estavam ao chão. Eu havia parado no ar, imaginando o que estava por vim... 

 

 

- Tira minha roupa. - O mesmo me pede me despertando daquela onda de prazer. Me levanto e empurro o mesmo o encostando enfrente a pia. Estávamos sérios, tudo era levado a palavra prazer! Pego na barra da sua blusa a levantando, deixando a mostra aquele abdômen trincado cheio de quadradinhos, e a tiro, olhava para seus olhos e boca e abdômen e o resto do corpo dele todos os segundos, me abaixei em sua frente e fiquei na altura de sua bermuda. Desamarro o nó e a abaixo deixando a mostra sua sunga vermelha com preta. Seu membro... Nunca havia visto um pau tão grande.. A sunga estava sendo tão estufada por seu  pau duro que havia ficado transparente na ponta, e a cabecinha estava quase a mostra, tão rosinha.. Com o meu dedo indicador toco a ponta. E o mesmo se arrepia me fazendo sorrir. Me levanto após deixá-lo totalmente despido. Totalmente.

 

- Sua vez. - Digo assim que me levanto e fico em frente a seu corpo nu.  Ele abre um pequeno sorriso e então sai da frente da pia e me puxa para uma das paredes do banheiro, me apoio na parede e o mesmo começa a me despir, tirando a parte de cima do meu biquíni , enquanto ele tentava desamarrar o no eu o encara, todo seu corpo é maravilhoso, entendo por que tia Lisa casou com ele... Ele é um homem delicioso. Assim que percebo que meus seios estavam exposto coloco meu braços entre eles, tentando esconde-los do olhar pecaminoso do meu tio, eu tinha vergonha dele. Foi inevitável. 

- São tão lindos, e você está com vergonha deles? - O mesmo me dá um beijo no cangote, me fazendo suspirar.

 

 - Não são deles que estou com vergonha. - Viro o rosto corada, com certeza eu estava parecendo uma adolescente Virgem ao ver do meu tio. 

 

- É de mim? - O mesmo pergunta me olhando nos olhos pequenos, esperando uma resposta acusadora. Pior que sim tio, é de você. Continuo com meu rosto virado, ficando ainda mais vermelha. Após alguns segundos sinto suas mãos em minha cintura, a apertando devagar mas forte, seus lábios vem de encontro ao meu e eu acabo por virar p rosto e encara-li segundos antes de nossos olhares se encontrarem, o beijo era diferente, mais lento, sua língua se movia no mesmo ritmo que a minha, suas mãos acariciavam meus braços cobrindo meus seios, minhas bochechas foram aos poucos voltando a sua cor normal, meu corpo começou a se acostumar com seus toques, e logo meus dropa estavam exposto Will para de me beijar e sorri, sorrio também, ele passa a língua no bico do meu seio, e eu me contorço, sua língua fica fazendo um vai e vem gostoso no bico enquanto suas mãos exploravam o resto do meu corpo, sinto sua mão no nó da minha calcinha do biquíni, solto um suspiro ao sentir o mesmo dar um chupão na minha barriga, ele já estava ali?! Seus lábios ágeis começam a descer mais e mais até chegar em frente à minha intimidade coberta, mordo os lábios imaginado o que o mesmo ia fazer, Oh Céus... Assim que solta minha parte debaixo do biquíni cai aos meus pés, que bom que minha mãe me empurrou para aquela depiladora ante-ontem. O mesmo leva uma de suas mãos ao seu membro pulsante e começa a masturba-lo devagar, de cima para baixo. Que isso.... Tão sexy... E então leva seus lábios a minha intimidade, a abrindo com a outra mão e então começa a me chupar, devagar.. 

 

- Aah... Tiuu.. - Levo minha mão aos seus cabelos e o bagunço enquanto sentia um prazer maravilhoso, meus gemidos eram baixos por medo de o atendente ouvir algo. Mordia os lábios pela vontade de gemer mais e mais que eu tinha. Will aumentou mais os movimentos de seus lábios, fazendo-me puxar seus cabelos, o que eu podia fazer para aliviar o prazer? Ele me chupando e ao mesmo tempo batendo uma era maravilhoso, pendo meu corpo pra frente assim que ele passa a chupar mais rapido. Saio de seus lábios, me afastando dele, o mesmo me encara confusa, então me ajoelhou sua frente, e acaricio seu abdômen, ele não havia parado de se masturbar, inclino um pouco a cabeça e o empurro fazendo o mesmo se sentar.

 

- Me deixa chupar você? Titio. - Mordo os lábios com a mãos entre minhas pernas esperando o mesmo me responder. 

 

- Faça o que quiser Mia. - O mesmo diz com a voz rouca, e então assinto me abaixando e pegando em seu membro com a minha mão direita, começo a masturba-lo devagar, vendo aquela pelinha subir e descer, cobrindo seu pau. O olho nos olhos continuando a masturba-lo, meu último namorado sempre dizia que o meu boquete era o melhor que já havia ganhado. Veremos o que Will vai achar. Desço com meus lábios até seu membro, e então lambo toda a extensão de seu pau, com a pontinha da língua, nunca tirava os olhos dos seus olhos, sempre o encarando firme. Abocanho a cabecinha de seu pau e o mesmo solta um suspiro e joga a cabeça para trás, ele estava gostando. Preparo a minha garganta para receber aquele pau, enorme. O coloco em minha boca e devagar engulo todo o seu pau, deixando um pouco abaixo da metade para fora, nem preciso masturba-lo a maior parte estava em minha boca. Começo com movimento longos e completos, indo e voltando com todo o seu pau em minha boca. Coloco minhas mãos entre suas coxas e então continuo a chupa-lo. Seus olhos estavam meio fechados, seu rosto meio vermelho, e sua respiração alta. Sua mão direita  veio de encontro a minha cabeça e ele começa a comandar meus movimentos.

 

- Oooh Miaa! Que boquinha.. mais deliciosa é essa... - solto um huuum com seu pau ainda em minha boca. Sua mão fazia movimentos rápidos contra a minha cabeça, fazendo meus movimentos ficarem longos e rápidos, usava a língua para lamber todo o seu pau por dentro da minha boca.

 

 - Aaaah Miaa! não entendo como não fizemos isso antes... - O mesmo me puxa, fazendo-me largar seu pau, ele me puxa para seu colo com agilidade, fazendo-me sentar sobre suas coxas, e me beija rápido e desesperado, arrancando um grunhido de minha parte. O mesmo acaricia meus cabelos, e desce seus beijos para meu queixo, logo indo para o meu pescoço, depositando beijos e mordidas fraquinhas. 

 

- Vou te foder agora Mia! - O mesmo me olha nos olhos ao falar, e eu tremo só de pensar em seu membro dentro de mim. Ele leva sua mão ao seu pau e o posiciona em minha entrada apertada, e me penetra lentamente me fazendo gemer um pouco mais alto. 

- Aa-Aah!

- Agarro seu pescoço e colo seu peito ao meu, e então sinto seu membro inteiro dentro de mim, não me seguro e dou uma rebolada. 

-Miaa! - Ele me aperta contra seu corpo e começa a se mover dentro de mim, com certa rapidez enquanto eu gemia baixo em seu ouvido, o mordendo, o beijando.

- Miaa! Miaa! - Ele gemia meu nome em meu ouvido, me deixando louca. Começo a quicar enquanto o mesmo também se movia, solto um gemido quando ele me penetra ainda mais fundo. 

-Tiuuu!!... - Fecho os olhos, continuávamos abraçados enquanto seu pau me fodia maravilhosamente, minha intimidade estava escorrendo, eu estava muito molhada, lubrificando ainda mais seu pai, enquanto ele entrava e saía rápido de mim, meu corpo tremia, como pude esperar tanto, nos conhecemos a 7 anos, eu ainda era uma anã quando ele casou com tia Lisa, tinha 11 anos, mal nos falávamos, só trocávamos olhares, não fui eu quem o desejava dês dessa  idade, era o meu corpo, ele já clamava por ele dentro de mim! Mas não tínhamos coragem e nem podíamos pensar nisso. Ele é moreno, esguio, olhos pretos, corpo grande, mãos grandes, lábios carnudos. Um digno Homão, e agora eu estava aqui transando com ele, matando um desejo que a mais de anos sentia. Tão gostoso ouvir seus gemidos em meu ouvido. O calor de seu corpo junto ao meu. 

 

-Will... - O beijo de novo, tentando suprir os gemidos que queriam sair. Era insano o prazer que eu sentia. Will aumenta cada vez mais suas enfocadas, tinha vontade de chorar por tanto prazer. 

 

 

- Vai pra pia.- Diz no meu ouvido. Abro os olhos e saio de seu colo devagar, seu pau sai de dentro de mim e eu ando devagar até a pia, sentindo seu olhar contra minha bunda, sorrio e continuo a olhar para a pia e me escoro nela virada para ele, o mesmo já estava vindo até mim e ao parar na minha frente me ajudar a me sentar na pia, jogo minhas costas contra a parede gelada, ele abre minhas pernas e joga uma por cima de seus ombros, me deixando completamente arreganhada, e me penetra sem dó nem piedade, grito e o mesmo tampa a minha boca rapidamente e mantém sua mão ali enquanto me penetrava rapidamente. Fecho os olhos e gemo descontroladamente contra sua mão, sua expressão de prazer era sem igual, ele fechava os olhos e mordia o lábio inferior com força o fazendo ficar branco de tanta força, mas logo ele volta à cor vermelha natural, eu olhava para seu pau entocando fundo dentro da minha intimidade, os barulhos eram gostoso de ouvir, com sua mão que estava livre ele começa me masturbar enquanto me penetrava. Mordo sua mão e o mesmo sorri sabendo que eu estava morrendo de tanto prazer que  estava sentindo. 

 

- Você é tão apertadinha Miaa! Eu vou gozar bem gostoso dentro de você... - Sussura contra meu lábios enquanto enfocava em mim com brutalidade. Seu corpo inteiro pegava fogo, meus lábios escorriam, o puxo para mim e o mesmo tira sua mão da minha boca enquanto seus lábios ecoavam meus gemidos. 

 

-Goza comigo Miaa! Goza pro seu tio vai... Você é uma vadia sabia? Transando com o marido da sua tia... Que pecado. - Ele só estava me excitando mais dizendo essas putarias para mim, meu corpo está clamando por mais e mais, sentia o calor do orgasmos em minhas pernas, seu pai começou a arar de se mover e voltava a devagar, me deixando louca, logo ele começa a me foder mais forte e mais fundo, fodendo meu celebro e minha intimidade. Seus lábios eram a única coisa que me impedia de gritar  seu nome inúmeras vezes.

 

- Tiuu.... Aaaaah! - Começo a sentir aquela aperto, aquela quentura, Will começa a se mover sem controle, tentando atingir seu orgasmos o mais rápido possível, meus seios pulavam pela velocidade de suas estocadas, minha bunda batia contra pia fortemente, minha perna havia dormido por cima de seu ombro. Minha intimidade começa a se contrair e então sinto aquele prazer sem igual e me agarro aos seus cabelos os puxando enquanto movia minha intimidade sem controle querendo ainda mais prazer. Chegamos ao orgasmo juntos, como dois loucos, se mexíamos sem regras, sentindo ainda mais contato.  Mordo seu lábio inferior fortemente, após gozarmos nossos corpos tremiam juntos, não conseguia respirar direito, tudo estava repleto de prazer. O mesmo me pega no colo e descola nossos lábios, e me coloca no chão, nossos corpos abraçados, seu pau pula de dentro de mim. E eu sorrio sentindo uma ótima sensação. O olho e coloco minhas mãos em seu rosto o trazendo para mim, e dou um último beijo em seus lábios. Agora era à hora de voltarmos pra nossa vida, e fingir que nada disso havia acontecido. Abro sua boca com minha língua, e exploro sua boca gostosa.  E me afasto, seus olhos se encontraram com os meus assim que abertos. Sorrimos um para o outro. Vai ser difícil entrar naquele sítio e fingir que nada aconteceu, não conseguirei parar de olhá-lo e lembrar do que fizemos, o que vou fazer para esquecer disso, meu corpo ainda clamava por ele, mais e mais, pelo jeito não será só hoje que isso aconteceu, terá mais e mais vezes, eu não conseguirei esquecer da sensação do seu pau acabando comigo, toda vez que entrar num banheiro e ir até pia, imaginarei meu corpo jogado ali com meu querido titio o fodendo. 

-Temos que ir embora. - Concordo e procuro minhas roupas. 

 

 

...

 

 

 

Lisa: Vocês demoraram, o que aconteceu na estrada? - Assim que passamos pela porta tia Lisa corre até nos com um feição preocupada. Assim que ela pergunta olho para Will e o mesmo me encarava, seu olhar dizia, "nem queira saber" 

 

- O carro quebrou. - digo voltando meu olhar a ela.

 

 

   

 

 


Notas Finais


Bye.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...