1. Spirit Fanfics >
  2. Max Adventure >
  3. Max bem vindo a Grécia.

História Max Adventure - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Sinto que isso vai ser uma experiencia e tanto...
Espero que muitos dos que forem ler essa historia agora se divirtam com a proposta que eu vou querer passar, sei que provavelmente vai conter alguns erros mas a intenção é o que importa e também a divertida trama que eu quero passar nessa historia, espero que muitos se identifiquem com algumas das situaçoes que vão ocorrer na trama.

Capítulo 1 - Max bem vindo a Grécia.


Muitos acreditam que a vida já tem um rumo determinado pra todos, um destino ou uma entidade que traça os fios da nossa vida. Já eu não acredito nisso eu penso que nós mesmo traçamos nossa historia no desconhecido sempre seguido  pelo acasso Ass:Elenmephital Giozoid Genesis.

Eu estava saindo do Aeroporto da cidade de Athenas, isso mesmo Athenas a cidade mitológica descrita por suas lendas de guerras e deuses, ate que eu senti um frio na espinha sussururando algo como: aqui vai mudar a sua vida. Ah sim quase esqueci de me apresentar meu nome é Max Mendes de Green, tenho 14 anos um simples e comum… brasileiro que veio curtir as férias de Julho com o seu pai que também é um simples e comum arqueólogo chamado Antonio Mendes Ripardo, e por falar nele na hora que eu estava tirando as bagagem ele chega.

-E ai  campeão chegou em Athenas né, curtiu a viajem.(Pai)  

Sério?” E aí Campeão...” não tinha algo mais clichê ainda, e o complemento da frase "chegou em Athenas” minha garganta queria liberar uma pequena ignorância tipo “Não eu to em Marte" mas eu me controlei engolindo as palavras que estavam prestes a escapar.  

-Vamos pro trailer perto do estacionamento, deixa eu levar as bagagens.(Pai)  

Muitos agora acharão que eu vou estar sendo sendo um ignorante idiota,  mas eu sai correndo do Aeroporto só pra fazer ele levar as bagagens “Ele bem que merece essa punição” .Eu nunca conheci minha mãe, ela morreu quando eu nasci e eu me culpo por isso, mas minha avó materna Maria Sousa de Green uma vez me disse que a morte da minha mãe não foi por minha causa “Isso até  diminui a minha dor"; ela me contou que minha mãe morreu de tristeza por falta da ausência do meu pai no dia que eu nasci… bem ele é arqueólogo, tinha que ir pro México caçar relíquias Maias, assim eu acredito que ele compartilha 95% da culpa o que me faz sem ele saber o odialo, ainda mais porque ele me abandonou 14 anos atras com minha avó e nunca nem veio me visitar, então na minha opinião ele merece ser tratado com desprezo. 

-Puxa Max você trouxe o quarto inteiro você vai passar as férias em um trailer não um motel?(Pai)  

Eu sei que so vou ficar na Grécia até o mês de Julho mas valeu apenas leva 15 bagagem com tudo o que eu gosto. Assim eu entrei no trailer que era enorme por for a mas quando eu entrei; pelo amor de Deus era uma bagunça cheio de papel no chão e relíquias espalhada em todo canto, curiosamente havia 3 camas e uma delas estava lotada de bugigangas como alicate, pinceis entre outros, a pia era horrível lotada de pratos sujos “Agora eu sei porque eu sou desorganizado” resolvi ver como era o banheiro que ficava na parte de tras do trailer.

-Pelo menos o banheiro dessa espelunca e limpo e cheiroso, acho que vou dormir é aqui mesmo.(Max)  

Em quanto eu criticava o trailer velho do meu pai ele gritava desesperadamente o meu nome “Será que ele achou o meu ps1 com meus jogos?"

-O que essa cadela fazia dentro da mochila!(Pai)  

É parece que ele descobriu a convidada surpresa, e a melhor parte ele estava feliz e ela também, pelo menos eu acredito que eles estejam feliz porque ele tava com a perna direita levantada e ela estava com os dentes mastigando a perna dele.  

-Puxa garoto por que você trouxe esse cão eu avisei a sua avó que eu detesto cachorro. (Pai)

Ironicamente foi minha avó quem me disse pra eu trazer minha mascote uma chiaua, o nome dela era Gracinha minha companheira fiel na alegria e na tristeza minha segunda melhor amiga depois da minha avó.  

-Sabe minha vózinha permitiu que eu levasse a Gracinha comigo.(Max)  

-A múmia seca já começou com os jogos mais tarde eu falo com  ela.(Pai)  

Ele falava da minha avó como se tivesse a intenção de mata-la ou algo parecido. Depois desse ocorrido ele ficou calado largando a gracinha dentro do trailer, ele sentou na cadeira do volante e ligou o trailer que por ser velho fazia bastante barulho, assim ao sairmos do Aeroporto ele me levou em uma convenção de arqueologia que por sinal estava chato pra caramba parecia que eu estava mais e um asilo, a quantidade de gente velha era alta.  

-E aí o que você tá achando?(Pai)

-Eu estou com uma dúvida, quem é mais antigo, as relíquias ou esses velhos que mais parecem um bando de fósseis?(Max)  

-Olha a falta de educação! Anda eu vou ver um amigo.(Pai)  

Provavelmente esse amigo dele era mais um velho, assim ele entrou em uma loja de relíquias cujo o nome eu não sabia por está em grego, dentro da loja estava lotado de estátuas antiga joias e mapas do país, no balcão estava o amigo do meu pai, ele não tinha o jeito de uma pessoa que nasceu na Grécia parecia ser mais forte que meu pai sua pele branca e seus cabelos loiros até podia ser de descendência Europeia mas ao conversar com meu pai seu inglês fluente revelou que ele era no mínimo um Nort Americano, não sou muito fluente em inglês mas dava pra perceber que meu pai e ele estavam falado sobre mulheres e pelo visto mulheres casadas “Eu não quero ouvir isso!” Visto que eu não tinha nada pra fazer fiquei admirando uma estátua que estava na loja, ela era linda nunca tinha visto uma estátua de uma jovem tão bonita os cabelos longos e compridos dela lembrava os da Rapunzel cobria os seu seios que estava seminua e percorria até a pontinha do seu dedo mindinho os olhos abertos dela fixava os meus como se penetrasse a minha alma os lábios dela estava sorindo, pareciam estar a espera de um príncipe, “Não ela é muito mais que uma princesa... uma deusa" assim dizia os meus pensamentos, fiquei imaginando quem teria feito ela ou será que ela realmente existiu, era esquisito eu estava sentindo atração por um objeto de gesso. Emquanto eu continuava admirando ela também apareciam lembranças do meu passado que eu não queria lembrar; a escola para min era o meu pesadelo um fardo que eu ia carregar pra todo o sempre, as vagas lembranças de uma garota cujo o nome eu não lembro mais; se despedindo de um erro que eu cometi.

-O que eu fiz...(Max pensando)  

Esse momento nostálgico e desagradável faz eu liberar uma lagrima com um desgosto amargo, eu me afasto da estátua chamando o meu pai. 

-Ei, eu to voltando pro trailer. (Max)

Ele estava tão distraído que so deu um ok, ao dar meia volta algo terrível acontece minha camisa prende nos braço da bela estátua que se prepara pra cair, logo eu penso “la se vai uma bonita estátua” a deusa que eu estava admirando ia se dividir em pedaços por minha causa. Pra minha sorte eu consegui segurala antes que ela caise no chão, todos os clientes que estão na loja olham para min com o olhar que não me enganava, o olha de descuidado, menino imaturo. Logo o amigo do meu pai chegou brigado comigo e pra humilhação ser maior foi no português brasileiro mesmo.  
- Não garoto meu chefe vai me matar essa estátua é um modelo antigo bastante caro se você tiver quebrado ela não só vai se encrencar como eu também!(Pool)  
-Calma Pool a estátua não foi quebrada sabe o Max sabe agarrar as mais belas há há há.(Pai)  
Embora meu pai estivesse tentando amenizar a situação a piada so me fez ficar mais nervoso.
-Ainda bem que nada dela foi danificada né mesmo Pool.(Pai)  
-Exceto a testa dela!(Pool)  
Era verdade, embora eu tenha segurado ela eu ainda deixei a testa dela bater no chão.  
-Ta tudo bem vamos fazer o seguinte eu compro a estátua é todos ficam felizes.(Pai)   
Será que ele ia conseguir pagar pela estátua pelo jeito ela parecia valer mais de 10mil.  
-Ok mais ela vai valer 50mil euros.(Pool)  
-Certo eu vou parcelar no cartão.(Pai)  
Depois do ocorrido eu e meu pai voltamos pro trailer levando a estátua, ele estava meio triste, talvez porque eu tenha acabado com o dinheiro dele por 15 anos.  
-É isso vamos poupar dinheiro pra viajem!(Pai)  
Com certeza o acidente da estátua pegou ele de surpresa, tanto que o almoço foi um ovo com farinha, dava comer quando eu e minha avó não tínhamos como compra um arroz ou feijão a farinha com ovo era a situação ou se a situação estivesse melhor o frango cozido da minha avó com arroz alegrava tudo; foi nesse momento que eu pensei “cadê o dinheiro da minha pensão?” então perdido em meus pensamentos ele falou.
-Max como é sua vida no Brasil tem muitos amigos?(Pai)  
Eu não queria falar sobre esse assunto abaixei minha cabeça lentamente e murmurei.
-Érrrr minha vida é boa a escola meus amigos... são grandes amigos...(Max)  
Foram as palavras mais forçadas que eu falei eu não queria dizer pro meu pai que me abandonou 14 anos na vida sobre meus problemas pessoais, assim tentei mudar de assunto, mas alguém na porta do trailer chamava o nome do meu pai, era o amigo dele, parece que veio falar sobre a estátua que eu derrubei.  
-António tenho uma notícia boa pra te contar mas você tem que vir comigo esta bem!(Pool)  
Meu pai sem dizer uma única palavra foi puxado a força pelo Pool me deixando sozinho com a minha cachorra e a estátua.  
-Droga o que eu vou fazer agora?(Max)  
Sem ter o que fazer dentro do trailer vi que do lado de fora tinha dois garotos de pele morena usando roupas semelhante as árabes, e um garoto de pele branca com cabelos loiros usando calça jeans com uma camisa que destacava um nome em inglês Hot Bread que significava pão quente, “parece que eles estão se divertindo talvez eu possa fazer uns colegas nessa viajem” pensando nisso sai do trailer e me dirigi pra onde eles estavam. 
-E aí Loirinho Verdade ou desafio.(Rapaz)  
-Deixa eu ver verdade.(Rapaz)  
Embora estivesem falando em Inglês  deu pra min entender que elea estavam jogando verdade ou desafio, o típico jogo de adolescentes onde a pessoa e obrigado a falar uma verdade de sua vida ou paga uma consequência leves como fazer a dança da galinha ou consequências pesadas como tomar um suco de pimenta, eu estava afim de jogar então me aproximei mais ainda e com meu melhor inglês amador falei.  
-E aí gente posso participar no jogo de vocês.(Max)  
Lembrei nessa hora de quando eu pedia pros meus colegas de classe para brincar com eles mas eles fingiam que eu nem existia; com certeza a situação a seguir seria a mesma.  
-Ai cara é claro que pôde entra aí meu nome é Mefembenzete esse é meu irmão mais novo Agrha e o loirinho se chama  André.(Mefembenzete)  
-E aí tudo bem.(Agrha)  
-Fala aí.(André)  
Devido o tempo está bem quente com o Sol das 3 horas eles estavam suado então senti pena deles e pedi que os três entrassem no trailer mas quando eles entraram, eu acredito que eu tenha cometido um erro; os dois jovens morenos ficavam olhando de um lado pro outro como se estivessem procurando alguma coisa no trailer, minha cachorrinha começou a latir para os dois indivíduos  o garoto chamado André parecia esta tentando contar algo pois ele fazia uns sinais com a mão mas não entendia nada, quando Mefembenzete me chamou.  
-Max né, vamos começar o jogo você aceita verdade ou desafios?(Mefembenzete)  
Emquanto Mefembenzete falava, André sussurrava em meus ouvidos mas eu entendia o basico do basico ele dizia que os dois rapazes na verdade eram ladrões que estavam tentando enganar ele para roubalo, mas depois que eu permiti a entrada deles no trailer eu seria a próxima vítima. É sem falar mais nada o jovem André lentamente saiu do meu trailer sem ao menos me ajudar a se livrar dessas duas figuras, assim eu tive que jogar conforme as regras.  
-Então qual vai ser Max!(Mefembenzete)  
-Que tal um desafio.(Max)  
Ao falar isso Agrha se aproximou da bela estátua é começou a me dizer.  
-Ei Max beija na boca dessa bela mulher de gesso!(Agrha) 
Foi um desafio no mínimo muito fácil Agrha colocou um batom nos lábios da estátua mas eu ainda tinha que ficar de olho nos dois, e ao me aproximar da estátua eu comecei a me sentir envergonhado era como se a estátua estivesse pedindo por esse beijo a milhares de anos a boca dela quase que dizia “me beije", eu já estava quase tocando os lábios dela e ela o meu, e ao encostar em sua boca senti um frio relaxante por 5 segundos, era incrivel mesmo ela não sendo uma garota de verdade eu sentia como se estivese dando meu primeiro beijo em uma garota de verdade era como se so eu ela estivesemos a so compartilhando um sentimento bom onde eu e ela estivesimos no paraiso juntos; mas depois uma ardência e não era de amor ou paixão, algo naquele batom tinha um leve toque de pimenta, nesse instante eu comecei a gritar e os dois jovens começaram a procurar dinheiro no trailer rindo da minha dor.  
-Cadê o dinheiro?(Mefembenzete)  
- Ele não tem nada mano.(Agrha)
A minha cachorra queria morde eles mas Agrha chutou ela a ferindo, a estátua depois do beijo tinha começado a se rachar, toda uma poeira de pó começou a infestar o trailer como podia sair tanta poeira de uma estátua os dois desesperados com a poeira que so estava aumentando correram pra fora do trailer assim lentamente a fumaça se dispensava provavelmente a estátua tenha se quebrado todinha e realmente ela tinha se quebrado pois embora a poeira estivese bloqueando a minha visão era possivel ver alguns pedaços de gesso no chão, mas pra minha surpresa onde a estátua tinha se rachado quando a poeira começou a diminuir notei algo estranho. Na minha frente estava uma linda moça de cabelos prateados olhos azuis e uma pele branca e lisa como a de um bebê, ela olhou no fundo dos meus olhos começou a desmaiar sorindo, eu segurei ela ate que eu percebi uma coisa; não podia ser verdade era essa garota era a estátua, o que era gesso puro agora tinha virado carne e osso na frente dos meus braços, novemente ele começou a abrir os seus lindos olhos azuis Marinho ela segura minha mão e começa a falar.  
-Você esperou muito tempo por min não é meu Amor?(Linda Moça)  
Como pode isso está acontecendo na minha frente, isso me lembrava a cena daquelas histórias japonesas, so pode ser um sonho, simplesmente um  sonho ou uma alucinação causada pela pimenta na minha boca; mas ela começou a me abraçar me chamando de Amor, “isso com certeza não estava nos roteiros das minhas férias de Julho”.
 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado, eu não sei enrolar muito nas minhas historias mas fiz o possivel pra deixar ela bem atrativa além de dar coerencia e coesão.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...